Os Castello Branco e seus entrelaçamentos familiares no Piauí e no Maranhão


Dados Internacionais de Catalogação na Publicacão [CIP]
Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil
 
Ferreira, Edgardo Pires, 1937-
Os Castello Branco e seus entrelaçamentos familiares no Piauí e no Maranhão: [Domingos Pires Ferreira e sua descendência] / Edgardo Pires Ferreira. -- 2. ed. rev. e ampl. - São Paulo, SP: ABC Editorial, 2013. -- (A mística do parentesco: uma genealogia inacabada; 5)
 
Arquivo PDF


40001FRANCISCO DA CUNHA CASTELLO BRANCO [primeiro do nome],n. <1649> em Portugal, f. provavelmente em São Luís do Maranhão. Em Portugal, exerceu o cargo de tesoureiro real. Veio para o Brasil em 1693, com patente de capitão de infantaria do Exército português, para servir na guarnição de Pernambuco. Em 1696 recebeu ordem para se transferir para São Luís. Durante a viagem, sofreu naufrágio próximo à costa de São Luís em que perdeu sua mulher, Maria Eugênia de Mesquita, e todos os seus haveres. Viveu em São Luís pelo resto da vida, com o soldo de capitão de infantaria.
Supõe-se que tenha recebido uma sesmaria na então freguesia de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior, no Piauí, mas nunca se encontrou nenhum documento ou qualquer tipo de registro histórico de sua presença nesse estado. Sabemos, entretanto, que sua filha Clara da Cunha e Silva Castello Branco [primeira do nome] e o marido, Manuel Carvalho de Almeida [v. 41.101], receberam sesmaria onde instalaram fazendas. Do mesmo modo, sua neta Maria Eugênia de Mesquita Castello Branco e o marido, Antônio Carvalho de Almeida [primeiro do nome] [v. 40.612], receberam sesmaria e ali instalaram fazendas. Também nunca se encontrou documentação sólida sobre a relação de parentesco entre Francisco da Cunha Castello Branco [primeiro do nome] e o 1º conde de Pombeiro, Pedro de Castello Branco da Cunha. Sabemos que Pedro de Castello Branco da Cunha (n. <1618>, f. 1675 em Lisboa) recebeu de d. Afonso VI, rei de Portugal, o título de visconde de Castello Branco em 25-09-1648 e, posteriormente, em 06-04-1662, o de conde de Pombeiro. Pedro de Castello Branco da Cunha, conde de Pombeiro, casou-se em primeiras núpcias com Cecília de Menezes (n. <1620>), não tendo gerado filhos. Em segundas núpcias, casou-se com Luíza Ponce de Leon (n. 27-04-1623, f. 1707 em Lisboa), dama da rainha de Portugal, dona Maria Francisca Luíza Isabel de Saboya (n. 21-06-1646 em Paris, f. 27-12-1683 em Lisboa), esposa de d. Afonso VI, tendo sido pais de um único filho, Antônio de Castello Branco e Cunha, 2o conde de Pombeiro (n. <1645>).
O 1º conde de Pombeiro, Pedro de Castello Branco da Cunha, era filho de Antônio Castello Branco da Cunha (n. <1580>, 11º senhor de Pombeiro) e de Maria da Silva (n. <1600>, 9a senhora de Belas). No site Geneall ou Genea Portugal, aparece Maria Eugênia de Mesquita casada com Francisco de Castello Branco - e não Francisco da Cunha Castello Branco -, o que pode e deve ser aceito por todos. Ali consta que Francisco de Castello Branco era irmão de Pedro de Castello Branco da Cunha e que este nasceu em 1620. Sabemos que Francisco da Cunha Castello Branco - que na realidade seria Francisco de Castello Branco - casou-se com Maria Eugênia de Mesquita em Lisboa, no ano de 1681, aparentemente em idade avançada, isto é, cinquentão, se admitirmos que foi o último dos irmãos e que nasceu em princípios da década de 1630. Essa é a única hipótese plausível para a irmandade entre eles. Francisco da Cunha Castello Branco [primeiro do nome] casou-se em primeiras núpcias em 1681, na cidade de Lisboa, com MARIA EUGÊNIA DE MESQUITA [40.001a], n. em Lisboa, f. 1693 em naufrágio na costa maranhense, ao se transferir para São Luís com o marido. Filha de Manuel Pinheiro de Mariz (herdeiro do morgado e capela das Marinhas) e de Eugênia Maria de Mesquita [Barata, Cunha Bueno, 2000, t. 1, v. 1, p. 680, v. 2, p. 1794; Borges, 1878, p. 61, 63; Carvalho, 2007, p. 79-81; Castello Branco, 1980, p. 217-8; Ferraz et al., 1926, p. 13, 18, 191-3, e 231-48; GeneAll.net; Melo, 1983; Pereira da Costa, 1909, p. 12, 93-4; Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 166]. Foram pais de:
40002I-1Anna Castello Branco de Mesquita [v. 40006].
40003I-2Clara da Cunha e Silva Castello Branco [primeira do nome] [v. 40.007].
40004I-3Maria do Monte Serrate Castello Branco [v. 40.008].
40001_2n... FRANCISCO DA CUNHA CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] casou-se em segundas núpcias, em São Luís, com [...] [40.001b]. Foram pais de:
40005I-4Manuel Castello Branco [v. 40.009].
40006I-1ANNA CASTELLO BRANCO DE MESQUITA, n. <1683> em Lisboa, f. em Parnaíba. Casou-se em São Luís com JOÃO GOMES DO REGO BARROS [40.006a] [... primeiras núpcias deste], n. <1665> em Olinda PE, f. pouco depois de 1735 em Parnaíba [v. 40.023]. Filho de João do Rego Barros e de Caetana Theodora Valcaçar. [V. descendência do casal em 40.023.]
40007I-2CLARA DA CUNHA E SILVA CASTELLO BRANCO [primeira do nome], n. <1685> em Lisboa, f. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, em Livramento. Casou-se em São Luís com MANUEL CARVALHO DE ALMEIDA [40.007a], n. em Linhares, f. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, em Livramento. Irmão de Antônio Carvalho de Almeida [primeiro do nome] [v. 40.612], casado com Maria Eugênia de Mesquita Castello Branco [v. 40.031]. Filho de Belchior Gomes da Cunha e de Isabel Rodrigues. [V. descendência do casal em 41.101.]
40008I-3MARIA DO MONTE SERRATE CASTELLO BRANCO, n. <1687> em Lisboa, f. em Parnaíba. Casou-se em São Luís com seu cunhado JOÃO GOMES DO REGO BARROS [40.008a] [... segundas núpcias deste], n. <1665> em Olinda PE, f. pouco depois de 1735 em Parnaíba PI [v. 40.023]. Filho de João do Rego Barros e de Caetana Theodora Valcaçar. [V. descendência do casal em 40.023.]
40009I-4MANUEL CASTELLO BRANCO, n. em São Luís do Maranhão, f. tb. em São Luís. Casou-se em primeiras núpcias em <1730>, em São Luís, com ISABEL DA FONSECA [40.009a], f. 04-03-1754 em São Luís. Foram pais de:
40010II-1Caetano Castello Branco [v. 40.018].
40011II-2Gaspar Castello Branco, n. 1734 em São Luís.
40012II-3Joanna Maria Castello Branco [v. 40.019].
40013II-4Anna Castello Branco [primeira do nome], n. 20-04-1740 em São Luís.
40009_2nI-4... MANUEL CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias, em 14-09-1754, com FRANCISCA XAVIER DAS NEVES [40.009b], n. 15-10-1729 em São Luís, f. 17-11-1802 tb. em São Luís. Filha de Manuel Gaspar das Neves (capitão) e de Joanna Pereira. Foram pais de:
40014II-5Maria Rosa Castello Branco [v. 40.020].
40015II-6Antônio do Rego Castello Branco [primeiro do nome] [v. 40.021].
40016II-7Joanna Ferreira Castello Branco [v. 40.022].
40017II-8Gaspar de Castello Branco,n. em São Luís.
40018II-1CAETANO CASTELLO BRANCO, n. 03-07-1731 em São Luís. Casou-se em 11-08-1770, em Alcântara MA, com JOANNA FRANCISCA FURTADO [40.018a], n. em Alcântara. Filha de Ostâncio Furtado e de Victoria Ribeiro (n. em Alcântara).
40019II-3JOANNA MARIA CASTELLO BRANCO, n. 1738 em São Luís. Casou-se em 08-07-1754, em São Luís, com JOÃO MARQUES [40.019a], n. em Leiria, Portugal, f. em São Luís. Sargento-mor. Filho de Manoel Baptista e de Maria Marques.
40020II-5MARIA ROSA CASTELLO BRANCO, n. 01-07-1755 em São Luís, f. 08-02-1798 em São Luís. Casou-se em 21-01-1778, em São Luís, com GAUDÊNCIO NOEL DE MORAES REGO [40.020a], f. 16-08-1796 em São Luís. Filho de Antônio Manuel de Moraes Rego e de Maria da Assumpção [...].
40021II-6ANTÔNIO DO REGO CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. em São Luís. Tenente-coronel. Casou-se em 26-06-1785, em São Luís, com MARIA ÂNGELA SALGADO DE SÁ E MOSCOSO [40.021a], n. em São Luís. Filha de João Salgado de Sá e Moscoso (capitão) e de Luíza Michaela [...].
40022II-7JOANNA FERREIRA CASTELLO BRANCO, n. 1765 em São Luís, f. 25-12-1845 tb. em São Luís. Casou-se em 16-01-1783, em São Luís, com ALEXANDRE GUILHERME DA SERRA FREIRE [40.022a], n. em São Luís, f. 21-06-1794 tb. em São Luís. Filho de Alexandre da Serra Freire e de Maria Josepha de Castro.
40023I-1JOÃO GOMES DO REGO BARROS, n. <1665> em Olinda PE, f. pouco depois de 1735 em Parnaíba PI. Descendia de uma das mais importantes e prestigiadas famílias estabelecidas na província de Pernambuco. Fidalgo da Casa Real. Capitão-mor de Parnaíba (São João da Parnaíba em 1762 e, antes, um vilarejo conhecido como Testa Branca). Deixou avultado conjunto de bens, incluindo terras no antigo município de Parnaíba que iam até os atuais municípios de Piracuruca e Piripiri. Por carta de data e sesmaria firmada pelo governador-geral do estado do Grão-Pará e Maranhão em 14 de julho de 1725 e depositada no Arquivo Público de Belém do Pará, recebeu terras que se situavam entre as barras dos rios Igaraçu e Parnaíba e que abrangiam a Ilha Grande, depois chamada Ilha Grande de Santa Isabel e hoje dividida entre os municípios de Parnaíba e Ilha Grande do Piauí.
A partir de 1710, com as concessões de carta de data e sesmaria, a economia do território da vila de São João da Parnaíba, que se baseava na agricultura de subsistência, viu a a pecuária e a agricultura ganharem outras dimensões. O território da vila estendia-se até os limites da atual cidade de Campo Maior, englobando vários povoados, como Buriti dos Lopes, Barra do Longá, Piracuruca e Batalha. As grandes propriedades, ou latifúndios, surgiram principalmente a partir dessa época, com os detentores da terra utilizando mão de obra escrava. Irmão de Francisco do Rego Barros. Filho de João do Rego Barros (n. <1628> em Olinda, f. 27-10-1697 tb. em Olinda, s. na capela da igreja Nossa Senhora do Pilar; comendador da Ordem de Cristo; depois da expulsão dos holandeses, ou Restauração [1654], foi capitão-mor e governador da capitania da Paraíba [1663-70]; exerceu o cargo de provedor da Fazenda Real de Pernambuco, por carta régia de 13-07-1675, ali servindo até o dia em que faleceu) e de Caetana Theodora Valcaçar. Neto paterno de Francisco do Rego Barros e de Archangela da Silveira Moraes, casados em 08-05-1623 em Olinda PE. Bisneto paterno de Luiz do Rego Barros (n. em Viana, Portugal) e de Ignez de Góes. Bisneto materno de Francisco Camello Valcaçar e de Anna da Silveira [Barata, Cunha Bueno, 2000, t. 1, v. 2, p. 1881-3; Borges, 1878, p. 61; Borges da Fonseca, 1935, v. 1, p. 169, 492-3; v. 2, p. 181-5, p. 211-3, p. 303-6; Ferraz et al., 1926, p. 15; Pereira da Costa, 1909, p. 12, 130; Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 166, 2011; v. 6].
João Gomes do Rego Barros casou-se em primeiras núpcias em <1710>, em São Luís, com ANNA CASTELLO BRANCO DE MESQUITA [40.023a], n. <1683> em Lisboa, f. em Parnaíba [v. 40.002]. Filha de Francisco da Cunha Castello Branco e de Maria Eugênia de Mesquita. Foram pais de:
40024II-1Maria Eugênia de Mesquita Castello Branco [v. 40.031].
40025II-2Lourenço dos Passos Rego Castello Branco, n. em Parnaíba. Muito provavelmente, casou-se e deixou descendência.
40026II-3Rosendo Lopes do Rego Castello Branco [v. 40.032].
40027II-4João do Rego Castello Branco [primeiro do nome] [v. 40.480].
40023_2nI-1... JOÃO GOMES DO REGO BARROS casou-se em segundas núpcias, em São Luís, com sua cunhada MARIA DO MONTE SERRATE CASTELLO BRANCO [40.023b], n. <1685> em Lisboa, f. em Parnaíba [v. 40.001]. Filha de Francisco da Cunha Castello Branco e de Maria Eugênia de Mesquita. Foram pais de:
40028II-5Francisca do Monte Serrate Castello Branco, n. em Parnaíba.
40029II-6Florência do Monte Serrate Castello Branco, n. em Parnaíba.
40030II-7Anna do Monte Serrate Castello Branco, n. em Parnaíba.
40031II-1MARIA EUGÊNIA DE MESQUITA CASTELLO BRANCO, n. <1710> em Parnaíba, f. provavelmente no sítio Batalha, onde hoje se encontra a cidade de Batalha. Casou-se em <1725>, em Parnaíba, com ANTÔNIO CARVALHO DE ALMEIDA [primeiro do nome] [40.031a], n. em Linhares, Portugal, f. provavelmente depois de 1767 na fazenda Taboca [v. 40.612]. Capitão-mor. Irmão de Manuel Carvalho de Almeida [v. 41.101], casado com Clara da Cunha e Silva Castello Branco. Filho de Belchior Gomes da Cunha e de Isabel Rodrigues [Ferraz et al., 1926, p. 15-6]. [V. descendência do casal em 40.612].
40032II-3ROSENDO LOPES DO REGO CASTELLO BRANCO, n. <1713> em Parnaíba, f. em terras de sua fazenda, que mais tarde foram incorporadas ao município de Piracuruca. Casou-se provavelmente em Buriti dos Lopes com ANNA ROSA [...] [40.032a]. Os dados apresentados aqui sobre a descendência de Rosendo e de Anna Rosa foram extraídos de manuscritos deixados por Adalto Coelho de Rezende [v. 40.168], que faleceu no Rio de Janeiro com quase 90 anos, e encontrados nas mãos de Katia Medeiros de Rezende [v. 40.166] e de Cléa Rezende Neves de Mello [comunicação pessoal e publicação] [v. 40.118] [Mello, 1994]. Rosendo Lopes do Rego Castello Branco e Anna Rosa [...] foram pais de:
40033III-1Francisco José do Rego Castello Branco [v. 40.034].
40034III-1FRANCISCO JOSÉ DO REGO CASTELLO BRANCO, n. em terras da fazenda de seu pai que mais tarde passaram a fazer parte do município de Piracuruca. Fazendeiro. Fundou a fazenda Gameleira, conhecida como Casa da Gameleira, que ficava em terras herdadas de seu pai, que pertenceram a seu avô João Gomes do Rego Barros e que faziam parte do município de Parnaíba, e que mais tarde vieram a fazer parte do município de Piracuruca. Francisco José do Rego Castello Branco obteve licença para erigir oratório público em sua fazenda, em Piracuruca [Mello, 1991, p. 69].
Segundo Pereira da Costa, a fazenda Gameleira distava umas 4 léguas ao sul da vila de Piracuruca e lindava com o lugar denominado Sete Cidades, que se tornaria muito conhecida por suas formações naturais, com pinturas rupestres e vestígios arqueológicos [Pereira da Costa, 1909, p. 359-61]. Em 23-12-1833 foi instalada solenemente a vila de Piracuruca, pelo presidente da Câmara municipal de São João da Parnaíba, Simplício Raymundo Dias da Silva, de cujo território havia sido desmembrado o novo município em 06-07-1832. Foram seus primeiros vereadores Francisco José do Rego Castello Branco, Pedro de Britto Passos, Ladislau da Costa Portella, Albino Borges Leal [v. 42.979], Manoel Rodrigues de Carvalho, este irmão de José Rodrigues de Carvalho [v. 43.861], entre outros. Piracuruca foi criada a partir de uma simples fazenda de gado conhecida por Sítio. Em 1743 começou a construção da igreja de Nossa Senhora do Carmo, que se tornou a matriz da freguesia de Piracuruca, criada por volta de 1722. Em 1807 Piracuruca foi elevada a vila pelo governador do Piauí, Carlos César Burlamaqui [v. 43.513] [Pereira da Costa, 1909, p. 228-34].
Francisco José do Rego Castello Branco casou-se em primeiras núpcias, em <1778>, com AUTA DE CASTRO [40.034a]. Filha de [...] Castro (brigadeiro). Os Castro, ou Souza Castro, estavam estabelecidos em Batalha; depois, alguns se transferiram para Buriti dos Lopes [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 129]. Francisco José do Rego Castello Branco e Auta de Castro foram pais de:
40035IV-1Bernardo José do Rego Castello Branco [v. 40.038].
40036IV-2Francisco José do Rego Castello Branco Júnior [v. 40.476].
40037IV-3Blandino José do Rego Castello Branco, n. em Piracuruca.
40034_2nIII-1... FRANCISCO JOSÉ DO REGO CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com ÂNGELA [...] [40.034b], viúva que residia na casa-grande de uma fazenda da qual era proprietária, a Caiçara, situada no município de Piracuruca, e que ao falecer deixou todos os seus bens para os enteados.
40038IV-1BERNARDO JOSÉ DO REGO CASTELLO BRANCO, n. <1780> em Piracuruca, f. tb. em Piracuruca, na fazenda das Lages. Bernardo José fundou a fazenda das Lages com sua casa-grande, conhecida como Casa das Lages, em terras herdadas de seu pai em Piracuruca. Casou-se em Buriti dos Lopes com CÂNDIDA ROSA LOPES [40.038a] [Mello, 1994, p. 31-2]. Certamente a ordem cronológica de nascimento dos filhos de Bernardo José do Rego Castello Branco e Cândida Rosa Lopes não é a que apresentaremos aqui. Foram pais de:
40039V-1Rosa Lina de Castello Branco [v. 40.053].
40040V-2Maria do Patrocínio Castello Branco [v. 40.263].
40041V-3Clarinda Rosa Castello Branco [v. 40.264].
40042V-4Auta Rosa Cesária de Castello Branco [v. 40.265].
40043V-5Antônio Lopes Castello Branco [primeiro do nome] [v. 40.266].
40044V-6Estevão Lopes Castello Branco [primeiro do nome] [v. 40.268].
40045V-7Clarindo Lopes Castello Branco [v. 40.269].
40046V-8Florência Castello Branco [v. 40.270].
40047V-9Bernardo Lopes Castello Branco [v. 40.305].
40048V-10Manuel Lopes Castello Branco [v. 40.323].
40049V-11Blandino Lopes Castello Branco, n. na fazenda das Lages.
40050V-12Francisco Lopes Castello Branco [v. 40.325].
40051V-13José Lopes Castello Branco [v. 40.474].
40052V-14Rosendo Lopes Castello Branco [v. 40.475].
40053V-1ROSA LINA DE CASTELLO BRANCO, n. <1815> em Piracuruca, na fazenda das Lages, f. tb. em Piracuruca, na fazenda Curral de Pedras. Casou-se na fazenda das Lages com SIMPLÍCIO COELHO DE REZENDE [40.053a] [... primeiras núpcias deste], n. <1810> em Piracuruca, na fazenda Curral de Pedras, f. tb. em Piracuruca, na fazenda Curral de Pedras. Essa propriedade e a respectiva casa-grande foram implantadas no final do século XVIII pelo pai de Simplício Coelho de Rezende, em terras do município de Piracuruca que mais tarde passariam a fazer parte do município de Piripiri, criado somente em 1910. A fazenda Curral de Pedras se localiza numa área de grande vegetação e muitos riachos. A casa-grande ainda mantém muitos de seus elementos originais, como o piso.
Simplício Coelho de Rezende era irmão de Justino Coelho de Rezende, casado com Florinda Rosa de Jesus, e de Seraphim Coelho de Rezende, solteiro. Filho de Félix Coelho de Rezende e de Anna Borges de Carvalho. Neto de Antônio Coelho de Rezende (n. em Portugal; radicou-se no lugar Beiru, onde construiu sua casa-grande em terras do atual município de Batalha).
Cabe aqui uma informação sobre os Coelho de Rezende. O município de Piracuruca adquiriu autonomia em relação à Parnaíba no século XIX e o município de Piripiri, no começo do século XX. Os Coelho de Rezende têm origem no Piauí, em Piracuruca, e, com o desmembramento do município, ficaram em sua grande maioria em terras pertencentes ao novo município de Piripiri. A vila de Piripiri, criada em princípios do século XX, tornou-se a sede do novo município. Por conseguinte, os Coelho de Rezende que nasceram no século XIX são de Piracuruca, enquanto os nascidos na primeira metade do século XX são, em sua grande maioria, de Piripiri. Com relação aos Coelho de Rezende e seus cônjuges elencados neste estudo, na quase totalidade dos casos foi-me impossível levantar datas de nascimento e falecimento e profissões. Rosa Lina de Castello Branco e Simplício Coelho de Rezende foram pais de:
40054VI-1Antônio Coelho de Rezende [primeiro do nome] [v. 40.071].
40055VI-2José Coelho de Rezende [primeiro do nome], n. na fazenda Curral de Pedras. Solteiro.
40056VI-3Simplício Coelho de Rezende Filho [v. 40.230].
40057VI-4Cândida Rosa de Jesus Coelho de Rezende [v. 40.249].
40058VI-5Teresa Rosa de Jesus Coelho de Rezende [v. 40.250].
40059VI-6Marianna Rosa de Jesus Coelho de Rezende [v. 40.251].
40053a_2n... SIMPLÍCIO COELHO DE REZENDE casou-se em segundas núpcias em Piracuruca, na igreja matriz de Nossa Senhora do Carmo, com CLEMENTINA ROSA DE BRITTO PASSOS [40.053b], n. em Piracuruca, f. tb. em Piracuruca. Filha de Pedro de Britto Passos (n. 04-02-1794 em Piracuruca; fazendeiro; vereador de Piracuruca em 1833; coronel) e de Anna Maria de Cerqueira. Neta paterna de Agostinho de Britto Passos (capitão-mor) e de Anna Rodrigues Ramos. Os Britto Passos e os Britto Mello foram dos mais importantes fazendeiros em Piracuruca. Simplício Coelho de Rezende e Clementina Rosa de Britto Passos foram pais de:
40060VI-7João Facundo de Rezende [v. 40.252].
40061VI-8Simplício Coelho de Britto Rezende [v. 40.253].
40062VI-9Anísia Rosa de Britto Rezende [v. 40.254].
40063VI-10Rosa Britto de Rezende [v. 40.255].
40064VI-11Cassiana de Britto Rezende [v. 40.256].
40065VI-12Francisca de Britto Rezende [v. 40.257].
40066VI-13Lina de Britto Rezende [v. 40.258].
40067VI-14Anna de Britto Rezende [v. 40.259].
40068VI-15Maria Emília de Britto Rezende [v. 40.260].
40069VI-16Genuína de Britto Rezende [v. 40.261].
40070VI-17Carlota de Britto Rezende [v. 40.262].
40071VI-1ANTÔNIO COELHO DE REZENDE [primeiro do nome], n. na fazenda Curral de Pedras. Tenente-coronel comandante da Guarda Nacional de Piracuruca. Construiu em 1888 um casarão na cidade de Piripiri que está de pé até hoje [2011]. Prefeito de Piripiri. Casou-se em Piracuruca com FILOMENA ROSA MELO [40.071a], n. em Piracuruca. Foram pais de:
40072VII-1Diógenes Coelho de Rezende [v. 40.089].
40073VII-2Simplício Coelho de Rezende [segundo do nome], n. na fazenda Curral de Pedras, f. aos 14 anos tb. na fazenda Curral de Pedras.
40074VII-3Domingos Coelho de Mello Rezende [v. 40.099].
40075VII-4Anthero Coelho de Rezende [v. 40.125].
40076VII-5Sesóstris Coelho de Rezende [v. 40.129].
40077VII-6Nelson Coelho de Rezende [v. 40.167].
40078VII-7João Coelho de Rezende [v. 40.169].
40079VII-8Simplício Coelho de Rezende [terceiro do nome] [v. 40.171].
40080VII-9Cassiano Coelho de Rezende [v. 40.195].
40081VII-10Jaime Coelho de Rezende, n. na fazenda Curral de Pedras, f. criança tb. na fazenda Curral de Pedras.
40082VII-11Aristides Coelho de Rezende, n. na fazenda Curral de Pedras, f. criança tb. na fazenda Curral de Pedras.
40083VII-12Avelino Coelho de Rezende [v. 40.198].
40084VII-13Rosa Lina de Mello Rezende [v. 40.200].
40085VII-14Geracinda Rosa de Mello Rezende, n. na fazenda Curral de Pedras, f. criança tb. na fazenda Curral de Pedras.
40086VII-15Anísia Rosa Coelho de Rezende [v. 40.208].
40087VII-16Maria Augusta de Mello Rezende [segunda do nome] [v. 40.222].
40088VII-17Ignacia de Mello Rezende [v. 40.229].
40089VII-1DIÓGENES COELHO DE REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se em <1889>, em Piripiri, com LEOVIGILDA JOAQUINA DE OLIVEIRA [40.089a]. Foram pais de:
40090VIII-1João Bandeira de Rezende, n. 09-09-1890 em Piripiri. Casou-se.
40091VIII-2Otílio Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40092VIII-3Júlio Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40093VIII-4Antônio Coelho de Rezende [segundo do nome], n. 16-05-1895 em Piripiri, f. 10-10-1937 em Piripiri. Casou-se.
40094VIII-5Filomena Bandeira de Mello Rezende, n. 09-04-1899 em Piripiri. Casou-se.
40095VIII-6Rosa Coelho de Rezende, n. 23-02-1902 em Piripiri. Casou-se.
40096VIII-7Maria Coelho de Rezende [Maroca], n. em Piripiri. Solteira.
40097VIII-8Lina Coelho de Rezende [Linoca], n. em Piripiri. Solteira.
40098VIII-9Manuel Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Solteira.
40099VII-3DOMINGOS COELHO DE MELLO REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se em primeiras núpcias com RITA ROSA DE ARAÚJO [40.099a]. Foram pais de:
40100VIII-1Alice Áurea de Rezende [v. 40.108].
40101VIII-2Jaime Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40102VIII-3Augusto Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40103VIII-4Ernestina Julieta de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se [v. 40.169a].
40104VIII-5Alzira Violeta de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40105VIII-6Antônio de Pádua de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40106VIII-7Maria Edith de Rezende [v. 40.121].
40107VIII-8José Coelho de Rezende [segundo do nome] [v. 40.122].
40099_2nVII-3... DOMINGOS COELHO DE MELLO REZENDE casou-se em segundas núpcias com ANTÔNIA FREITAS [40.099b]. s/g
40108VIII-1ALICE ÁUREA DE REZENDE, n. em Piripiri. Casou-se em <1911>, em Piripiri, com JOÃO DE FREITAS FILHO. Foram pais de:
40109IX-1Maria Alice de Rezende [v. 40.113].
40110IX-2Graziela de Rezende Freitas, n. em Piripiri. Solteira.
40111IX-3Antônio de Pádua de Rezende Freitas, n. em Piripiri. Casou-se.
40112IX-4João de Rezende Freitas, n. em Piripiri. Casou-se.
40113IX-1MARIA ALICE DE REZENDE, n. 21-10-1912 em Piripiri, f. 13-06-1947 tb. em Piripiri. Casou-se em 1932, em Piripiri, com OZIRES NEVES DE MELLO [40.113a], n. 28-01-1905 em Teresina, f. 24-05-1964 em Piripiri. Funcionário público federal. Foram pais de:
40114X-1Alice Áurea Rezende Neves de Mello, n. <1933> em Piripiri. Casou-se.
40115X-2Dione Rezende Neves de Mello, n. em Piripiri. Casou-se.
40116X-3Maria do Socorro Rezende Neves de Mello, n. em Piripiri. Solteira.
40117X-4Ozires Neves de Mello Filho, n. 19-09-1938 em Piripiri. Casou-se.
40118X-5Cléa Rezende Neves de Mello, n. em Piripiri. Publicou: - Velhos conterrâneos luminosos [sobre os Castello Branco, os Coelho de Rezende e outras famílias de Piracuruca/Piripiri], 1944 - Nos tempos do coronel Thomaz Rebello, 2005. Casou-se.
40119X-6Ceres Rezende Neves de Mello, n. em Piripiri. Solteira.
40120X-7Fernando Rezende Neves de Mello, n. 14-07-1943 em Piripiri. Casou-se.
40121VIII-7MARIA EDITH DE REZENDE, n. em Piripiri. Casou-se com JOSÉ DE ARIMATHÉA TITO [40.121a] [v. 42.548] [... segundas núpcias deste], n. 1887 em Barras PI, f. 1963 em Teresina. Advogado. Desembargador. s/g
40122VIII-8JOSÉ COELHO DE REZENDE [segundo do nome], n. em Piripiri. Casou-se com BENEDITA ROCHA [40.122a]. Foram pais de:
40123IX-1Ducilla Coelho de Rezende [v. 40.124].
40124IX-1DUCILLA COELHO DE REZENDE, n. 10-10-1911 na fazenda Altos, no município de Barras PI. Casou-se em 12-07-1929 na fazenda Boca da Mata, no município de Barras, com JOAQUIM MACATRÃO LAGES [40.124a], n. 19-10-1898 na fazenda Dizendo, no município de Barras, f. 12-12-1969 na fazenda Mimosos. Fazendeiro, proprietário da fazenda Mimosos. Filho de Amália Francisca de Jesus Marques Macatrão (n. em Brejo dos Anapurus, f. em Barras) e de Eloy Pires Lages (n. 11-12-1867 na fazenda Esperança, em Barras, f. 17-02-1935 tb. em Barras; fazendeiro). Sobrinho materno de Clemente Marques Macatrão, casado com Antônia de Lima [segunda do nome] [v. 44.124]. Neto materno de Joaquim Marques Macatrão e de Carolina Maria de Jesus. Neto paterno de Maria da Assumpção Pires Ferreira e de Manuel Rodrigues Lages [v. 43.839]. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 129-35.]
40125VII-4ANTHERO COELHO DE REZENDE, n. 1879 na fazenda Curral de Pedras, f. 1948 em Piripiri. Advogado formado no Recife em 1908. Advogou em Manaus. Secretário do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas. Juiz de direito no interior do Amazonas. Desembargador do Tribunal de Justiça do estado do Piauí, cargo de que se exonerou para voltar a ser juiz no interior amazonense, como na cidade de Manacapuru. Desembargador do Tribunal de Justiça do estado do Amazonas, tendo exercido a presidência da instituição. Casou-se com LUZIA GADELHA [40.125a], n. no Amazonas. Foram pais de:
40126VIII-1Crisólita Gadelha de Rezende, n. em Manaus. Casou-se.
40127VIII-2Lenise Gadelha de Rezende, n. em Manaus. Casou-se.
40128VIII-3Yolete Gadelha de Rezende, n. em Manaus. Casou-se.
40129VII-5SESÓSTRIS COELHO DE REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se em primeiras núpcias, em Piripiri, com RAIMUNDA ANDRADE SOUZA [40.129a], n. em Piripiri. Filha de Ignacio Rodrigues de Andrade Souza e de Maria de Andrade Rocha. Foram pais de:
40130VIII-1Antônio Andrade Coelho de Rezende [v. 40.137].
40131VIII-2Antonieta Andrade Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40132VIII-3Maria Andrade Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40129_2nVII-5... SESÓSTRIS COELHO DE REZENDE casou-se em segundas núpcias, em Piripiri, com MARIA DE AGUIAR FREITAS [40.129b], n. em Piripiri. Irmã de Benedita de Aguiar Freitas [v. 40.080], casada com Cassiano Coelho de Rezende. Foram pais de:
40133VIII-4Maria José de Freitas Rezende [v. 40.152].
40134VIII-5Floriza de Freitas Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40135VIII-6João de Freitas Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40136VIII-7Francisco de Freitas Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40137VIII-1ANTÔNIO ANDRADE COELHO DE REZENDE, n. em Piripiri. Comerciante em Piripiri. Casou-se em <1918>, em Piripiri, com ENEDINA DO MONTE [40.137a]. Foram pais de:
40138IX-1Maria da Glória Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40139IX-2Raimunda Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40140IX-3Antônio Coelho de Rezende [terceiro do nome], n. em Piripiri. Casou-se.
40141IX-4Izolete Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40142IX-5Odival Coelho de Rezende [v. 40.144].
40143IX-6Crizólita Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40144IX-5ODIVAL COELHO DE REZENDE, n. 15-06-1926 em Piripiri, f. 28-04-2007 em Parnaíba. Formou-se em medicina no Rio de Janeiro. Médico em Parnaíba. Possuía uma grande propriedade na ilha das Batatas, no delta do Parnaíba, preocupando-se em preservar a natureza do local. Casou-se em 13-05-1957, em Parnaíba, com MARIA DA CONCEIÇÃO REBELLO PIRES [40.144a], n. 06-12-1932 em Parnaíba, f. 16-08-1996 entre os municípios de Buriti dos Lopes e Piracuruca, no mesmo acidente de carro que matou sua filha Patrícia. Filha de Celeste Pires Rebello (n. 06-11-1892 em União, f. 03-10-1985 em Parnaíba) e de Belarmino de Souza Pires [Belo] (n. 25-10-1871 em Barras, f. 08-06-1945 em Parnaíba), primos entre si. Neta materna de Antônia de Lima Castello Branco Pires Ferreira [Tunica] [v. 43.845] e de Patriotino Gomes Rebello [Moreira, 2011, p. 257-9; Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 218, 229-30, 324, v. 3, t. 1, p. 128, 202].
Odival Coelho de Rezende e Maria da Conceição Rebello Pires foram pais de:
40145X-1Guilherme Pires Coelho de Rezende [v. 40.150].
40146X-2Jorge Pires Coelho de Rezende, n. 12-08-1958 em Parnaíba. Casou-se.
40147X-3Henrique Pires Coelho de Rezende, n. 11-10-1961 em Parnaíba. Casou-se.
40148X-4Patrícia Pires Coelho de Rezende, n. 21-10-1963 em Parnaíba, f. 16-08-1996 entre os municípios de Buriti dos Lages e Piracuruca, no mesmo acidente de carro que matou sua mãe. Solteira.
40149X-5Odival Coelho de Rezende Filho, n. 15-06-1973 em Parnaíba. Casou-se.
40150X-1GUILHERME PIRES COELHO DE REZENDE, n. 06-06-1958 em Parnaíba, f. 15-06-2011 tb. em Parnaíba. Arquiteto. Empresário. Casou-se em Parnaíba com LUCÍLIA DOS SANTOS VERAS [40.150a], n. 19-05-1962 em Fortaleza. Empresária.
Filha de Lucília dos Santos Veras (n. em Parnaíba, f. 19-05-1962 em Fortaleza, quando do nascimento de Lucília) e de João Baluz. Prima materna de Emídio Augusto Veras Lustosa Nogueira, casado com Maria Rego Pires de Castro [v. 44.874]. Sobrinha materna de Maria José dos Santos Veras [Zezé], casada com Salmon de Noronha Lustosa Nogueira (desembargador no Piauí) [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 139, 174-6]; de Carlos dos Santos Veras (advogado; embaixador), casado com Cristina Lins do Rego; de Edgar dos Santos Veras (médico), casado com Celeste Vasconcellos; de Dulce dos Santos Veras, casada com José João Neves; de José dos Santos Veras (industrial), casado com Maria Trindade; e de Helena dos Santos Veras (solteira). Neta materna de Mirócles de Campos Veras (n. 25-03-1890 em Parnaíba, f. 10-09-1978 tb. em Parnaíba; médico formado na Faculdade de Medicina de Salvador em 1912; em Parnaíba, fundou a Sociedade dos Lázaros e a Maternidade Marques Bastos, foi diretor da Santa Casa de Misericórdia e criou o hospital infantil que leva seu nome; prefeito de Parnaíba de 1937 a 1945; deputado federal pelo Piauí em 1951, 1952 e 1954) e de Maria Portelada dos Santos [Ari], casados em 18-03-1916 em Parnaíba. Sobrinha neta materno-paterna de Bernardina de Campos Veras, casada com José Fortes de Carvalho [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t.2, p. 45]. Bisneta materna de Emigdio Gomes de Campos Veras e de Maria [...]. Bisneta materno-materna de Marcolina Portelada (n. <1865>) e de Joaquim Antônio dos Santos Filho [Quincas Santos] (n. <1860>; grande comerciante em Parnaíba; intendente municipal de Parnaíba; irmão de João da Cruz e Santos, barão de Urussuí, casado com Verônica Castello Branco da Cruz [v. 41.449]). Trineta materno-materno-materna de Manuel Gonçalves Portelada (n. <1830> em Portugal, f. em Teresina; estabeleceu-se em Teresina com uma grande casa comercial; proprietário da única indústria de fiação, ou tecelagem, em Teresina, de onde mandava matéria-prima para processamento em Caxias, no Maranhão; integrou a diretoria da Companhia de Navegação a Vapor no Rio Parnaíba; comendador) e de Antônia Alves Lobão Veras [v. 41.449]. Trineta materno-materno-paterna de Joaquim Antônio dos Santos (n. <1830> em Portugal, f. no Piauí; grande fazendeiro e proprietário rural) e de Cândida Vieira.
Guilherme Pires Coelho de Rezende e Lucília dos Santos Veras são pais de:
40151XI-1Odival Coelho de Rezende Neto, n. 02-01-1995 em Parnaíba.
40152VIII-4MARIA JOSÉ DE FREITAS REZENDE [YAYÁ], n. 1911 em Piripiri, f. 1978 tb. em Piripiri. Casou-se em Piripiri com FRANCISCO JUSTINO DE SOUSA MEDEIROS [40.152a], n. na fazenda Mulungu, no município de Piripiri, f. tb. em Piripiri. Tabelião de registro civil. Prefeito de Piripiri. Foram pais de:
40153IX-1Almiralice Rezende de Medeiros [v. 40.164].
40154IX-2José de Alencar Medeiros, n. em Piripiri. Casou-se.
40155IX-3Zoraide de Rezende Medeiros, n. em Piripiri. Solteira.
40156IX-4Alberto de Medeiros, n. em Piripiri. Casou-se.
40157IX-5Maria Iolete Medeiros, n. em Piripiri. Casou-se.
40158IX-6Maria dos Remédios de Rezende Medeiros, n. em Piripiri, f. criança tb. em Piripiri.
40159IX-7Francisco das Chagas Medeiros, n. em Piripiri. Casou-se.
40160IX-8Valfredo de Medeiros, n. em Piripiri. Casou-se.
40161IX-9Ari Medeiros, n. em Piripiri. Casou-se.
40162IX-10Marilena de Rezende Medeiros, n. em Piripiri. Casou-se.
40163IX-11Antônio de Pádua Medeiros, n. em Piripiri. Casou-se.
40164IX-1ALMIRALICE REZENDE DE MEDEIROS, n. em Piripiri. Residia no Rio de Janeiro em 2011. Casou-se em 17-02-1955, no Rio de Janeiro, com seu primo NILSON DO MONTE REZENDE [40.164a] [v. 40.221], n. 27-07-1927 em Piripiri, f. 2009 no Rio de Janeiro. Advogado. Membro da Academia Piauiense de Letras. Publicou Quando nem sempre a morte vence, com ilustrações de Iberê Camargo [1989]. Pais de:
40165X-1Nilson do Monte Rezende Filho, n. 05-04-1960 no Rio de Janeiro. Empresário do ramo de hotelaria. Casou-se.
40166X-2Katia Medeiros de Rezende, n. no Rio de Janeiro, n.13-07-1962 no Rio de Janeiro. Casou-se em 13-05-1981 no Rio de Janeiro, em cerimônia ecumênica na Imperial Irmandade do Outeiro de Nossa Senhora da Glória.
40167VII-6NELSON COELHO DE REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Prefeito de Piripiri. Casou-se em <1905>, em Piripiri, com sua prima CARLOTA AMÉLIA DE REZENDE [40.167a], n. em Piripiri. Foram pais de:
40168VIII-1Adalto Coelho de Rezende, n. 01-06-1906 em Piripiri, f. 05-05-1991 no Rio de Janeiro. Fez o curso primário no Colégio Professor Felismino Freitas, em Piripiri, e o ginasial no Liceu Piauiense, em Teresina. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1930. Solteiro [Mello, 1994, p. 35-42].
40169VII-7JOÃO COELHO DE REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Prefeito de Piripiri. Casou-se em Piripiri com sua sobrinha ERNESTINA JULIETA DE REZENDE [40.169a], n. em Piripiri [v. 40.103]. Filha de Domingos Coelho de Mello Rezende e de Rita Rosa de Araújo. Foram pais de:
40170VIII-1Rita Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40171VII-8SIMPLÍCIO COELHO DE REZENDE [terceiro do nome], n. 01-01-1886 em Piripiri, f. 06-04-1971 em Salvador. Cirurgião-dentista. Casou-se em 30-05-1915, em Brejo MA, com DIVA FURTADO BACELLAR [DIDI] [40.171a], n. 26-10-1892 em Brejo MA, f. 02-02-1977 em Salvador, b. em desobriga em 15-08-1893 em Boa União MA, pelo padre José Pacífico Serrão, vigário de Barreirinhas, sendo padrinhos seu irmão Miguel Furtado Bacellar e o cunhado Jonas Francisco Rodrigues, este representado pelo cunhado Antônio José da Costa Bacellar Filho.
Irmã de Miguel Furtado Bacellar [Dedê], casado com Flora Castello Branco Clark [Florrie] [v. 43.079]. Irmã de Flora Furtado Bacellar, casada com Raimundo da Costa Fernandes Filho (pais de Érico Bacellar da Costa Fernandes, casado com Maria Célia Perry - estes, por sua vez, pais de Luiz Alberto da Costa Fernandes, autor de uma obra genealógica que trata das famílias Braga, Perry, Bacellar e Costa Fernandes) [Fernandes, 2005, t. 1, l. 2, cap. 7, 13 e 17]. Filha de Antônio José da Costa Bacellar (n. 18-12-1850 na fazenda Conceição, em Barras PI, f. 27-04-1926 em Brejo MA) e de Maria Vicência de Castello Branco Furtado (n. 01-09-1854 em Santa Helena MA, f. 18-08-1946 em Brejo MA). Neta materna de Marinha Rosa de Castello Branco [v. 43.079] (n. 15-06-1815, certamente no nordeste do Maranhão, f. 20-04-1892 em Brejo dos Anapurus MA) e de Miguel Furtado de Mendonça.
Simplício Coelho de Rezende e Diva Furtado Bacellar [Didi] foram pais de:
40172VIII-1Edgar Bacellar de Rezende [v. 40.175].
40173VIII-2Maria Bacelar de Rezende, n. 22-02-1920 em Brejo dos Anapurus MA. Em 1995 residia em Salvador.
40174VIII-3Antônio Bacellar de Rezende [v. 40.184].
40175VIII-1EDGAR BACELLAR DE REZENDE, n. 28-03-1916 em Parnaíba PI, f. 04-02-1979 no Recife. Funcionário do Banco do Brasil. Casou-se em 09-07-1941, no Recife, com MARLUCE MELO [40.175a], n. 03-04-1921 em João Pessoa. Filha de Antônio de Melo e Albuquerque e de Laura Veloso de Melo. Foram pais de:
40176IX-1Vera Lúcia Melo Rezende, n. 03-04-1942 em João Pessoa. Funcionária aposentada da Universidade Federal de Pernambuco UFPE.
40177IX-2Paulo Henrique Melo de Rezende [v. 40.180].
40178IX-3Sônia Maria Melo de Rezende, n. 15-07-1945 em João Pessoa.
40179IX-4Carlos Augusto Melo de Rezende, n. 29-06-1952 no Recife, f. 16-01-1977 no Recife.
40180IX-2PAULO HENRIQUE MELO DE REZENDE, n. 01-11-1943 em João Pessoa. Médico. Casou-se com MARIA ELISA SANT'ANNA [40.180a], n. 14-01-1946 no Rio de Janeiro. Filha de Raul Oscar de Carvalho Sant'Anna e de Diva [...]. Pais de:
40181X-1Marcelo Sant'Anna de Rezende, n. 21-12-1973 no Rio de Janeiro.
40182X-2Marta Sant'Anna de Rezende, n. 18-01-1976 no Rio de Janeiro.
40183X-3Roberta Sant'Anna de Rezende, n. 24-04-1979 no Rio de Janeiro.
40184VIII-3ANTÔNIO BACELLAR DE REZENDE, n. 28-04-1922 em Brejo dos Anapurus MA, f. 01-11-2006 em Salvador. Formado na Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia em 1949. Médico e dentista, com diversos inventos e publicações na área odontológica. Casou-se em 28-04-1951 com LYGIA MARIA VIDAL VELLOSO [40.184a], n. 30-07-1929 em João Pessoa. Filha de Eugênio Velloso e de Amélia de Menezes Vidal. Pais de:
40185IX-1Maria Ângela Velloso de Rezende [v. 40.187].
40186IX-2Antônio Bacellar de Rezende Filho [v. 40.191].
40187IX-1MARIA ÂNGELA VELLOSO DE REZENDE, n. 21-04-1953 em Salvador. Dentista. Casou-se em 14-07-1979, em Serrinha BA, com SINDULFO TORREÃO NETO [TINÔ] [40.187a], n. 20-07-1953 em Ubaitaba BA. Engenheiro. Filho de Humberto de Almeida Torreão e de Maria Gildete Magalhães. Pais de:
40188X-1Marcos Rezende Torreão, n. 08-08-1981 em Salvador.
40189X-2Nara Rezende Torreão, n. 27-01-1983 em Salvador.
40190X-3Rafael Rezende Torreão, n. 26-04-1990 em Salvador.
40191IX-2ANTÔNIO BACELLAR DE REZENDE FILHO, n. 13-06-1956 em Salvador. Administrador de empresas. Casou-se em 24-09-1982, em Salvador, com VERA VASCONCELLOS MARTINS [40.191a], n. 20-06-1955 no Rio de Janeiro. Filha de Alfredo Martins Filho e de Ilka Vasconcellos. Pais de:
40192X-1Tatiana Martins Bacelar de Rezende, n. 30-11-1984 em Salvador.
40193X-2Natália Martins Bacelar de Rezende, n. 15-03-1987 em Salvador.
40194X-3Felipe Martins Bacelar de Rezende, n. 18-01-1989 em Salvador.
40195VII-9CASSIANO COELHO DE REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se em Piripiri com BENEDITA DE AGUIAR FREITAS [40.195a], n. em Piripiri. Irmã de Maria de Aguiar Freitas [v. 40.129], casada com Sesóstris Coelho de Rezende. Pais de:
40196VIII-1Maria dos Remédios Freitas Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40197VIII-2Expedito de Freitas Rezende, n. 1922 em Piripiri, f. 1981 em Roma, na Itália. Foi um dos grandes filhos de Piripiri. Diplomata. Embaixador do Brasil na Argentina, no Paraguai, no Chile e no Vaticano. Homem de grande cultura. Como embaixador, participou das negociações do Tratado da Itaipu Binacional, empreendimento que representa quase 20% de toda a energia consumida hoje no Brasil. Em 1980, foi um dos coordenadores da vinda do papa João Paulo II ao Brasil, ocasião em que o levou ao Piauí, sua terra natal. Em 1888, seu avô Antônio Coelho de Rezende construiu um belo casarão que hoje é conhecido em Piripiri como o "Casarão do Embaixador". Os herdeiros o abandonaram, provavelmente depois que o estado do Piauí o tombou como patrimônio histórico. Em 2012, essa importante construção de fins do século XIX, com paredes de tijolos de adobe - feitos à mão, de barro e palha -, madeirames de carnaúba e coberta de telhas artesanais, estava prestes a desabar; depois de forte chuva, parte da estrutura foi abaixo. Expedito de Freitas Rezende casou-se e deixou descendência.
40198VII-12AVELINO COELHO DE REZENDE, n. 03-10-1894 na fazenda Curral de Pedras, f. 26-10-1931 em São Luís. Casou-se em <1929>, em Parnaíba, com JOSEFINA PIRES CHAVES [SINHARINHA] [40.198a], n. 31-01-1905 em Parnaíba, f. 26-12-1981 no Rio de Janeiro. Filha de Cassiana Pires de Sampaio (n. 09-12-1883 em Buriti dos Lopes, f. 16-09-1920 em Parnaíba) e de José Filgueiras Chaves (n. 23-03-1873 no Buriti de Inácia Vaz, atual Buriti MA, f. 02-07-1922 em Parnaíba; comerciante). Neta de Frederico Pires de Sampaio e de Josephina Lina Pires de Sampaio [Sinhazinha]. Bisneta de Cassiana Lina Pires Ferreira e de José Rodrigues de Sampaio [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 20, 24, 26]. Avelino Coelho de Rezende e Josephina Pires Chaves foram pais de:
40199VIII-1Yolete Chaves Rezende, n. 21-02-1930 em São Luís. Casou-se.
40200VII-13ROSA LINA DE MELLO REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se em 1887, na fazenda Curral de Pedras, com DIÓGENES BENÍCIO DE MELLO GABA [40.200a], n. em Piripiri. Filho de Diógenes Benício de Mello e de Geracinda Rosa [...]. Foram pais de:
40201VIII-1Antônio de Mello Gaba, n. em Piripiri. Casou-se.
40202VIII-2Moreno de Mello Gaba, n. em Piripiri. Solteiro.
40203VIII-3José de Mello Gaba, n. em Piripiri. Solteiro.
40204VIII-4Geracinda de Mello Gaba, n. 15-10-1891 em Piripiri. Solteira.
40205VIII-5Raimunda de Mello Gaba [Yayá], n. em Piripiri. Solteira.
40206VIII-6Aristides de Mello Gaba, n. em Piripiri. Solteiro.
40207VIII-7Manuel de Mello Gaba, n. em Piripiri. Solteiro.
40208VII-15ANÍSIA ROSA COELHO DE REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se em <1896>, na fazenda Curral de Pedras, com FRANCISCO FÉLIX DA SILVA [40.208a], n. em Piripiri. Foram pais de:
40209VIII-1Filomena de Rezende da Silva, n. 15-05-1897 em Piripiri. Casou-se.
40210VIII-2Hamilton Coelho de Rezende, n. em Piripiri. Casou-se.
40211VIII-3Acilino Coelho de Rezende [v. 40.219].
40212VIII-4Lídia de Rezende da Silva, n. em Piripiri. Casou-se.
40213VIII-5Rosa de Rezende da Silva, n. em Piripiri. Casou-se.
40214VIII-6Maria Ernestina de Rezende [Maroquinha], n. 10-05-1907 em Piripiri. Casou-se.
40215VIII-7Lina de Rezende da Silva [Noca], n. em Piripiri. Solteira.
40216VIII-8Antônio Félix de Rezende [Tote Félix]. n. em Piripiri. Casou-se.
40217VIII-9Simplício Félix da Silva [Pilício], n. em Piripiri. Casou-se.
40218VIII-10Laura de Rezende da Silva, n. em Piripiri. Solteira.
40219VIII-3ACILINO COELHO DE REZENDE, n. <1899> em Piripiri. Casou-se em Piripiri com MARIA BANDEIRA MONTE [40.219a], n. 1900 em Piripiri. Irmã de Corina Bandeira Monte, casada com José Lincoln Corrêa [v. 42.472] (filho de Zulina Pires Ferreira e de Lincoln José Corrêa) [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 50]. Foram pais de:
40220IX-1Nilson do Monte Rezende [v. 40.221].
40221IX-1NILSON DO MONTE REZENDE, n. em Piripiri, f. 2009 no Rio de Janeiro. Casou-se com sua prima ALMIRALICE REZENDE DE MEDEIROS [40.221a]. [V. descendência do casal em 40.164.]
40222VII-16MARIA AUGUSTA DE MELLO REZENDE [segunda do nome] [MAROCA], n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se na fazenda Curral de Pedras com seu primo LICÍNIO DE BRITTO MELLO [40.222a], n. em Piripiri. Foram pais de:
40223VIII-1Odete Rezende Mello, n. em Piripiri. Solteira.
40224VIII-2Antônio Coelho de Rezende Neto, n. em Piripiri. Casou-se.
40225VIII-3Lauro Rezende de Mello, n. em Piripiri, f. jovem em Piripiri.
40226VIII-4Orminda Rezende de Mello, n. em Piracuruca. Casou-se.
40227VIII-5Onofre de Britto Mello Neto, n. em Piripiri. General de brigada. Casou-se.
40228VIII-6Maria de Lourdes de Rezende Mello, n. em Piripiri. Casou-se.
40229VII-17IGNACIA DE MELLO REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se na fazenda Curral de Pedras com JOSÉ OLYMPIO DE MELLO [40.229a] [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 232].
40230VI-3SIMPLÍCIO COELHO DE REZENDE FILHO, n. 01-04-1841 na fazenda Curral de Pedras, f. 17-02-1915 em Manaus. Advogado formado no Recife em 1868. Professor de filosofia na Faculdade de Direito do Recife. Promotor público em Piracuruca, Campo Maior e Parnaíba. Juiz municipal em Barras. Monarquista. Como político, militou no Partido Conservador, elegendo-se deputado provincial [1870-73] e deputado-geral pelo Piauí [1885-89]. Na mesma época, seu parente Augusto da Cunha Castello Branco, barão de Campo Maior [v. 42.596], também militava no Partido Conservador. Em 1887, na Assembleia Legislativa do Império, opôs-se violentamente às teses levantadas pelos militares sobre a chamada "Questão Militar". Teve participação conflitiva na história política do estado do Piauí. Adversário do Partido Liberal, cujas figuras chaves eram seu parente Mariano Gil Castello Branco [filho] (que viria a receber o título de barão de Castello Branco em 1889) [v. 41.595], de seu contraparente João da Cruz e Santos (que receberia o título de barão de Urussuí também em 1889) [v. 41.449] e de João Lustosa da Cunha Paranaguá, marquês de Paranaguá. Jornalista de perfil polêmico, Simplício Coelho de Rezende Filho atuou nos jornais piauienses: A Época, A Reforma, O Democrata e principalmente no A Phalange [1889]. Membro da Academia Piauiense de Letras. Sentindo-se desprestigiado ao ver seus desafetos políticos serem contemplados com títulos nobiliárquicos pela Corte, em 1891, dois anos depois da queda da monarquia, abandonou o Piauí para se instalar em Manaus. Simplício Coelho de Rezende Filho casou-se no Recife com CÂNDIDA NYMPHA DE ARCOVERDE CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE DE MELLO ACCIOLY WANDERLEY [40.330a], n. no Recife, f. em Manaus. Cândida Nympha era filha única e casou-se aos 16 anos de idade. Segundo consta, seus pais foram assassinados quando ela era criança, sendo a menina criada por uma tia. Filha de Sebastião Accioly de Albuquerque Wanderley (do morgado do Sibiró, em Pernambuco) [Doria et al., 1995, tabela XV]. Os filhos do casal nasceram entre Recife, Teresina e Rio de Janeiro. Foram pais de:
40231VII-1Simplício de Mello Rezende [v. 40.240].
40232VII-2Análio de Mello Rezende [v. 40.241].
40233VII-3Carlos Alberto de Mello Rezende, n. no Rio de Janeiro. Advogado.
40234VII-4Júlio de Mello Rezende, n. 1881 em Teresina, f. no Rio de Janeiro. Estudou na Escola Militar do Rio de Janeiro. Engenheiro formado na Escola Politécnica da Bahia. Engenheiro da Estrada de Ferro Leopoldina, no Rio de Janeiro.
40235VII-5Maria Augusta de Mello Rezende [primeira do nome] [v. 40.245].
40236VII-6Rosa de Mello Rezende.
40237VII-7Elisa de Mello Rezende [v. 40.248].
40238VII-8Pergentina de Mello Rezende.
40239VII-9Laura Rosa de Mello Rezende.
40240VII-1SIMPLÍCIO DE MELLO REZENDE, n. no Piauí. Advogado formado no Recife em 1891. Homem de letras. Foi secretário de d. Luís, filho da princesa Isabel e do conde D'Eu. Casou-se. Deixou descendência.
40241VII-2ANÁLIO DE MELLO REZENDE, n. no Piauí, f. em Manaus. Advogado formado no Recife. Há registro de que em 24-06-1931 defendeu um cliente colombiano em Manaus. Publicou: Pajurá versus Serra Azul [Manaus, 1924]. Casou-se no Recife com ALZIRA FONTE [40.241a], n. no Recife. Foram pais de:
40242VIII-1Jorge Fonte de Rezende, n. em Manaus, f. no Rio de Janeiro. Médico. Professor da Faculdade Nacional de Medicina, no Rio de Janeiro. Casou-se. Deixou descendência.
40243VIII-2Lúcio Fonte de Rezende, n. em Manaus. Advogado. Desembargador no Amazonas. O fórum de Manaus leva seu nome. Casou-se. Deixou descendência.
40244VIII-3Elza Fonte de Rezende, n. em Manaus. Casou-se. Deixou descendência.
40245VII-5MARIA AUGUSTA DE MELLO REZENDE [primeira do nome]. Casou-se com ANTÔNIO DE SOUZA RUBIM [40.245a], n. 1858 em São Luís. Advogado formado no Recife em 1885. Filho de Antônio da Costa Rubim (n. 1825 no Maranhão) e de Maria Lucinda de Souza. Neto de Francisco Alberto Rubim da Fonseca de Sá Pereira (n. 1768 em Lisboa, f. depois de 1831 tb. em Lisboa; capitão de mar e guerra; veio para o Brasil para servir como governador do Espírito Santo [1815-19] e posteriormente como governador do Maranhão [1819-20]; com a Independência do Brasil, retornou a Portugal) e de Francisca Antunes Maciel da Costa; os Rubim são de origem judaica. Maria Augusta de Mello Rezende e Antônio de Souza Rubim foram pais de:
40246VIII-1Mercedes de Rezende Rubim [v. 40.247].
40247VIII-1MERCEDES DE REZENDE RUBIM. Casou-se com ÁLVARO MADUREIRA DE PINHO [40.247a], n. 1882 em Salvador, f. 1953. Médico formado na Faculdade de Medicina de Salvador. Filho de Virgílio Tourinho de Pinho (n. 1843 em Salvador) e de Mariana de Sena Madureira. Neto paterno de Francisca Marcelina de Goes Tourinho e de Francisco Lourenço Coelho de Pinho (f. 1856 em Salvador). Neto materno de Casemiro de Sena Madureira (comendador) e de Eliza de Campos. Sobrinho-neto materno de Isidro de Sena Madureira, barão de Jequiriçá (f. 22-11-1860 na Bahia; solteiro). Bisneto de Bernardino de Sena Madureira (capitão-mor) [Carlos Eduardo de Castro Leal, comunicação pessoal; Doria et al., 1995, tabelas xv, XXII, XXIII; Moya, v. 3, p. 107; Valadares, 2007, p. 175-6].
40248VII-7ELISA DE MELLO REZENDE, n. em Teresina, f. no Rio de Janeiro. Casou-se em Manaus com seu primo CÉSAR DO REGO MONTEIRO [40.248a] [v. 45.248], n. 1863 em Teresina, f. 1933 no Rio de Janeiro. Advogado formado no Recife em 1885. Juiz de direito. Desembargador da Relação do Amazonas em 1897, exercendo sua presidência em 1899, 1900 e 1901. Senador da República pelo Amazonas. Governador do estado em 1921. Jornalista, colaborou em jornais do Rio de Janeiro, de Teresina e de Manaus. Em 1908 publicou Estudos jurídicos e sociais. Filho de Benjamim do Rego Monteiro e de Joaquina Rosa Castello Branco [v. 45.247].
40249VI-4CÂNDIDA ROSA DE JESUS COELHO DE REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se com JOÃO DE BRITTO PASSOS [40.249a].
40250VI-5TERESA ROSA DE JESUS COELHO DE REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se com JOÃO PAULO DA SILVA REBELLO [40.250a]. Irmão de José Joaquim da Silva Rebello casado com Donata Joaquina de Oliveira Castro. Tio paterno de Thomaz Rebello de Oliveira Castro (n. 20-12-1850 na fazenda Residência, localizada no então povoado de Piripiri, no município de Piracuruca, f. 13-02-1932 em Parnaíba; fazendeiro; intendente municipal [prefeito] de Piripiri; deputado estadual; vice-governador do Piauí; coronel da Guarda Nacional), casado com Lina Cassiana Pires de Sampaio (n. 03-05-1855 no engenho Paraíso, no Maranhão, f. 01-08-1917 em Teresina) [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 20-2].
40251VI-6MARIANNA ROSA DE JESUS COELHO DE REZENDE, n. na fazenda Curral de Pedras. Casou-se com MANUEL FURTADO DA SILVA [40.251a], n. no Ceará.
40252VI-7JOÃO FACUNDO DE REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se com CLEMENTINA DE BRITTO MELLO [40.252a].
40253VI-8SIMPLÍCIO COELHO DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se com MARIA AMÉLIA DE MORAES [40.253a].
40254VI-9ANÍSIA ROSA DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com ONOFRE DE BRITTO MELLO [40.254a].
40255VI-10ROSA DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com LEOCÁDIO CABRAL RAPOSO DA CÂMARA [40.255a], n. em Salvador. Advogado formado em São Paulo. Juiz municipal de Piracuruca. Nessa época, teve desavenças sérias com seu meio-cunhado Simplício Coelho de Rezende Filho, quando este exercia o cargo de promotor público de Piracuruca [v. 40.230].
40256VI-11CASSIANA DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com JOAQUIM JOSÉ DE CARVALHO [40.256a].
40257VI-12FRANCISCA DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com SÉRGIO PORFÍRIO DA MOTTA [40.257a], n. no Ceará.
40258VI-13LINA DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com JOAQUIM CIRILLO DE CARVALHO [40.258a], n. no Maranhão.
40259VI-14ANNA DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com LUIZ DUARTE DA SILVA [40.259a], n. na Bahia.
40260VI-15MARIA EMÍLIA DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com JOSÉ MARCÍLIO DA ROCHA [40.260a].
40261VI-16GENUÍNA DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com seu primo LAUREANO DE BRITTO MELLO [40.261a].
40262VI-17CARLOTA DE BRITTO REZENDE, n. em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com seu primo CLARINDO DE BRITTO PASSOS [40.262a].
40263V-2MARIA DO PATROCÍNIO CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lages. Casou-se na fazenda das Lages com GAVINO QUARESMA DOS ANJOS NETO [40.263a].
40264V-3CLARINDA ROSA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lages. Casou-se na fazenda das Lages com FRANCISCO RABELLO DE ARAÚJO E SILVA [40.264a].
40265V-4AUTA ROSA CESÁRIA DE CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lages, f. muito provavelmente em princípios do século XX em Parnaíba. Fazendeira no município de Parnaíba, em sua época dona Auta foi sem dúvida uma das pessoas mais importantes da região. Provavelmente adquiriu no último quartel do século XIX o Solar do Mirante (ou Sobrado do Mirante), que passou a ser conhecido como "solar (ou sobrado) de dona Auta" (ou de dona Auta Castello Branco). A construção desse imóvel de inestimável valor histórico e arquitetônico da cidade data certamente do final do século XVIII. Como dona Auta não deixou descendentes, seu patrimômio, assim como o recheio de sua residência, passou para as mãos de herdeiros indiretos. Entres os pertences deixados, havia dois importantes retratos a óleo, um dela própria e outro de seu segundo esposo. Depois de pertencer a diversos proprietários, o Solar do Mirante foi adquirido pela prefeitura de Parnaíba em 2001. Hoje [2012] abriga a biblioteca municipal e o Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Parnaíba [Ponte, 2007, p. 28-30; Rego, 2010, p. 50-56; Sauer, 1885].
Auta Rosa Cesária de Castello Branco casou-se em primeiras núpcias, em Piracuruca, com FRANCISCO DA COSTA PORTELLA [40.265a], n. em Piracuruca, f. em Parnaíba. Filho de Ladislau da Costa Portella [v. 42.979]. Vereador em Piracuruca em 1833. s/g
40265_2nV-4... AUTA ROSA CESÁRIA DE CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias, em Parnaíba, com FRANCISCO [?] FERREIRA [40.265b], n. em Portugal, f. em Parnaíba. Comerciante. s/g
40266V-5ANTÔNIO LOPES CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. na fazenda das Lages. Casou-se com FRANCISCA PACÍFICA AMADA DE DEUS [40.266a], n. em Piracuruca. Foram pais de:
40267VI-1Francisco Miguel Lopes Castello Branco, n. 1846 em Piracuruca.
40268V-6ESTEVÃO LOPES CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. na fazenda das Lages. Casou-se com ISABEL [...] [40.268a].
40269V-7CLARINDO LOPES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lages. Casou-se com LUCINDA RITA DA SILVA [40.269a].
40270V-8FLORÊNCIA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lajes. Casou-se em Piracuruca com BERNARDO LUCAS MATEUS [40.270a]. Foram pais de:
40271VI-1José Lucas Castello Branco [v. 40.274].
40272VI-2Mariano Lucas Castello Branco [v. 40.288].
40273VI-3Luís Lucas Castello Branco [v. 40.301].
40274VI-1JOSÉ LUCAS CASTELLO BRANCO, n. em Piracuruca, f. em Parnaíba. Fazendeiro, com a fazenda Lontras, na Ilha Grande de Santa Isabel, onde possuía engenho de açúcar. Proprietário de uma bela residência em Parnaíba, na rua Coronel Pacífico Castello Branco. Nela se encontravam dois quadros a óleo, retratando sua tia Auta Rosa Cesária Castello Branco e o segundo marido desta [v. 40.265]. Casou-se em Buriti dos Lopes com sua prima FRANCISCA INÚLIA CASTELLO BRANCO [40.274a] [v. 40.580], n. em Buriti dos Lopes, f. em Parnaíba. Filha de Francisco Demétrio Castello Branco e de Idalina Rodrigues. Pais de:
40275VII-1Mário Lucas Castello Branco, n. em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba. Solteiro.
40276VII-2José Lucas Castello Branco Filho [v. 40.285].
40277VII-3Bernardo Lucas Castello Branco [v. 40.286].
40278VII-4Gerson Lucas Castello Branco, n. em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba. Solteiro.
40279VII-5Maria da Graças Castello Branco, n. em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba. Solteira.
40280VII-6João Baptista Lucas Castello Branco, n. em Parnaíba, f. jovem tb. em Parnaíba.
40281VII-7Gaspar Lucas Castello Branco, n. em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba.
40282VII-8Juventina Castello Branco, n. em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba.
40283VII-9Francisco Lucas Castello Branco, n. em Parnaíba, f. <2007> tb. em Parnaíba, com mais de 90 anos. Solteiro.
40284VII-10[...], n. em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba. Solteira. (Desconhecemos a ordem de nascimento desta filha do casal.)
40285VII-2JOSÉ LUCAS CASTELLO BRANCO FILHO [JUQUINHA], n. em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba. Casou-se com JÚLIA PINHEIRO [40.285a]. Irmã de Nair Pinheiro, casada com um dos irmãos de José, Bernardo Lucas Castello Branco [Bebé].
40286VII-3BERNARDO LUCAS CASTELLO BRANCO [BEBÉ], n. em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba. Casou-se com NAIR PINHEIRO [40.286a]. Irmã de Júlia Pinheiro, casada com um dos irmãos de Bernardo, José Lucas Castello Branco Filho [Juquinha]. Pais de:
40287VIII-1Maria José Pinheiro Castello Branco, n. em Parnaíba, f. no Rio de Janeiro em princípios do século XXI. Secretária executiva do então ministro do Planejamento, João Paulo dos Reis Velloso (n. em Parnaíba; foi o titular do Ministério do Planejamento de 1969 a 1979, nos governos dos generais Emílio Garrastazu Médici e Ernesto Geisel). Solteira.
40288VI-2MARIANO LUCAS CASTELLO BRANCO [mudou o nome para MARIANO LUCAS LEÓDIDO], n. em Piracuruca. Casou-se em Buriti dos Lopes com ÂNGELA GOMES OLINDA [40.288a], n. em Buriti dos Lopes. Pais de :
40289VII-1Maria Olinda Leódido [v. 40.295].
40290VII-2Cândida Olinda Leódido [v. 40.296].
40291VII-3José Lucas Leódido [v. 40.297].
40292VII-4Felinto Lucas Leódido, n. em Buriti dos Lopes. Solteiro.
40293VII-5Sebastião Lucas Leódido, n. em Buriti dos Lopes. Solteiro.
40294VII-6Josias Lucas Leódido [v. 40.300].
40295VII-1MARIA OLINDA LEÓDIDO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com TOMAZ ROMÃO DE SOUZA [40.295a] [v. 40.582], n. em Buriti dos Lopes. Coronel. Foi dono do cartório de Buriti dos Lopes. Filho de Antônio Romão de Souza e de um relacionamento com Maria Portela [Antônio Romão de Souza era casado com Mariana [...], n. no Maranhão].
40296VII-2CÂNDIDA OLINDA LEÓDIDO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com ALÍPIO EUZÉBIO DE SOUZA [40.296a].
40297VII-3JOSÉ LUCAS LEÓDIDO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com LUÍZA RAMOS [40.297a], n. em Buriti dos Lopes. Irmã de Francisca Ramos, casada com Josias Lucas Leódido. Pais de:
40298VIII-1José Ramos Leódido [v. 40.299].
40299VIII-1JOSÉ RAMOS LEÓDIDO [JUCA], n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com sua prima MARIA DO PATROCÍNIO CASTELLO BRANCO [40.299a] [v. 40.579], n. em Buriti dos Lopes. Filha de Florindo Castello Branco e de Raimunda Araújo [Mundoca].
40300VII-6JOSIAS LUCAS LEÓDIDO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se com FRANCISCA RAMOS [40.300a], n. em Buriti dos Lopes. Irmã de Luíza Ramos, casada com José Lucas Leódido.
40301VI-3LUÍS LUCAS CASTELLO BRANCO, n. em Piracuruca, f. 14-07-1930 no Rio de Janeiro. Casou-se em 02-09-1893, em Parnaíba, com FRANKLINA PIRES FERREIRA [40.301a], n. 04-02-1871 no engenho Paraíso, no município de São Bernardo MA, f. 04-12-1941 no Rio de Janeiro. Filha de Maria de Deus Pires Ferreira [Mãe Dona] (n. 03-10-1843 no engenho Paraíso, em São Bernardo MA, f. 25-09-1906 em Parnaíba) e de João de Deus Pires Ferreira (n. 18-10-1836 no município de Barras, f. no engenho Paraíso, São Bernardo MA; tenente-coronel da Guarda Nacional; proprietário da fazenda Santa Maria, que pertencera à missão dos jesuítas no município de São Bernardo, servindo essa missão no nordeste do Maranhão para a catequese dos índios anapurus). Neta materna de Antônio Pires Ferreira [v. 43.861] e de Lina Carlota de Jesus Rodrigues de Carvalho. Neta paterna de Marianna de Deus Pires Ferreira [v. 43.810] e de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [filho] [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 106, 120].
Luís Lucas Castello Branco e Franklina Pires Ferreira foram pais de:
40302VII-1Julia Pires Castello Branco [Julieta], n. 03-11-1894 em Parnaíba, f. 1975 no Rio de Janeiro. Solteira.
40303VII-2Eurípedes Pires Castello Branco, n. 16-03-1897 em Teresina, f. 20-06-1897 em Teresina.
40304VII-3Lina Pires Castello Branco, n. 21-08-1900 em Teresina, f. 1980 no Rio de Janeiro. Solteira.
40305V-9BERNARDO LOPES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lages, f. em Piracuruca. Fazendeiro. Delegado de Polícia em <1880> em Piracuruca. Major da Guarda Nacional. Casou-se com CAROLINA FURTADO DE ALBUQUERQUE CAVALCANTI [40.305a], f. em Piracuruca. De família originária em Pernambuco, era certamente descendente de Jerônimo de Albuquerque [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 96; Sauer, 1885]. Foram pais de:
40306VI-1Herculano Furtado Castello Branco [v. 40.308].
40307VI-2Bernardo Lopes Castello Branco [filho], n. em Piracuruca.
40308VI-1HERCULANO FURTADO CASTELLO BRANCO, n. 25-06-1848 em Piracuruca. Casou-se com SENHORINHA ROSALINA MENDES [40.308a]. Foram pais de:
40309VII-1Francisco Mendes Castello Branco [v. 40.310].
40310VII-1FRANCISCO MENDES CASTELLO BRANCO [CHICO MENDES], n. 27-03-1881 na fazenda Inhumas, no município de Barras (atual Luzilândia), f. 26-06-1972 em Parnaíba. Casou-se em 21-12-1907, em Luzilândia, com ANNA LINA DE CARVALHO [SINHÁ] [40.310a], n. 16-09-1888 na fazenda Cabeceiras, f. 15-05-1964 em Parnaíba. Filha de Lina Pires de Carvalho (n. 1868 na fazenda Cabeceiras, f. 22-06-1906 em Luzilândia; afilhada do marechal e senador pelo Piauí Firmino Pires Ferreira [v. 43.841]) e de Antônio Carvalho de Oliveira (n. 1866 em Luzilândia, f. 22-08-1911; fazendeiro). Neta materna de Anna de Deus Pires Ferreira [Don'Anna] (n. 1825 na fazenda Beiru, no município de Barras, atual Esperantina, f. na fazenda Cabeceiras; estava viva em 1887) e de João Francisco de Carvalho e Almeida (n. no sítio-fazenda do Meio, no município de Barras, f. 06-03-1902 na fazenda Cabeceiras [v. 40.887] [Pires Ferreira, v. 3, t. 2, p. 20, 90, 96-101]). Neta paterna de Francisco Carvalho de Oliveira (capitão da Guarda Nacional) e de Florisbella Rosa Castello Branco.
Francisco Mendes Castello Branco e Anna Lina de Carvalho [Sinhá] foram pais de: [V. descendência dos filhos de Francisco Mendes Castello Branco e Anna Lina de Carvalho em: Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 96-101.]
40311VIII-1Bernardo Mendes Castello Branco, n. 02-10-1908 em Luzilândia. Casou-se.
40312VIII-2Lina de Carvalho Mendes, n. 14-02-1910 em Luzilândia. Casou-se.
40313VIII-3Antônio Mendes Castello Branco [Nenzi], n. em Luzilândia, f. tb. em Luzilândia. Solteiro.
40314VIII-4Senhorinha Carvalho Castello Branco, n. em Luzilândia, f. com 7 dias tb. em Luzilândia.
40315VIII-5José Mendes Castello Branco, n. 15-04-1915 em Luzilândia. Casou-se.
40316VIII-6Francisco de Maria Mendes Castello Branco, n. 1918 em Luzilândia, f. 1936 tb. em Luzilândia.
40317VIII-7Maria Estela de Carvalho Mendes, n. 06-09-1920 em Luzilândia. Funcionária pública federal. Solteira.
40318VIII-8Maria do Socorro Carvalho Mendes, n. 03-05-1922 em Luzilândia, f. tb. em Luzilândia. Solteira.
40319VIII-9Luzia de Carvalho Mendes, n. 25-06-1924 em Luzilândia, f. 05-08-1926 tb. em Luzilândia.
40320VIII-10João Mendes Castello Branco, n. 02-10-1926 em Luzilândia. Casou-se.
40321VIII-11Raimundo Nonato Mendes Castello Branco, n. 19-07-1928 em Luzilândia, f. com horas.
40322VIII-12Paulo Mendes Castello Branco, n. 24-07-1931 em Luzilândia. Casou-se.
40323V-10MANUEL LOPES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lages. Casou-se em <1821>, em Piracuruca, com AUTA IGNEZ DE CASTRO [40.323a], n. na freguesia de Batalha. Irmã de Quintiliano de Souza Castro (casou-se); de Florindo Francisco de Souza Castro (casou-se); e de Francisco Florindo de Souza Castro [primeiro do nome] [Valdemir Miranda de Castro, comunicação pessoal, agosto de 2012 - v. 40.950]. Francisco Florindo de Souza Castro [primeiro do nome] (n. na freguesia de Batalha) casou-se com Carlota de Jesus Rodrigues de Carvalho (n. na fazenda Águas Claras, na freguesia de Batalha), sendo esta irmã de Clarinda Maria de Jesus Rodrigues de Carvalho (casada com João de Deus Pires Ferreira) e de Lina Carlota de Jesus Rodrigues de Carvalho (casada com Antônio Pires Ferreira) [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 17; 1993, v. 3, t. 2, p. 17; 1990, v. 4, t. 18, p. 129]. Auta Ignez de Castro era filha de Francisco de Souza Castro (capitão) e de Brígida de Jesus [...], residentes na freguesia de Batalha, no município de Piracuruca. Manuel Lopes Castello Branco e Auta Ignez de Castro foram pais de: 10324
40325V-12FRANCISCO LOPES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lages, f. na freguesia de Batalha. Fazendeiro. Casou-se em <1835>, na freguesia de Batalha, com LINA DE CARVALHO [40.325a], n. na freguesia de Batalha. Pais de:
40326VI-1Manuel Lopes Castello Branco [sobrinho] [v. 40.327].
40327VI-1MANUEL LOPES CASTELLO BRANCO [sobrinho], n. 1840 em Batalha, f. na fazenda Ingá, no município de Esperantina, atual Morro do Chapéu. Em 1876 declarava estar com 36 anos e ser filho de Francisco Lopes Castello Branco, e que morava no lugar Lagoa Seca, como constava na folha dos eleitores de Batalha. [Valdemir Miranda de Castro, comunicação pessoal, setembro de 2012 - v. 40.950]. Casou-se em Piracuruca com sua prima HENRIQUETA FORTES DE SÁ MENEZES [40.327a], n. 1841 em Piracuruca, f. na fazenda Ingá. Filha de Antônio Fortes de Sá Menezes (n. 20-02-1802, f. 22-12-1869 em Piracuruca) e de Henriqueta Rosa Castello Branco (f. 14-06-1890 em Piracuruca). Foram pais de:
40328VII-1Francisco Fortes [Castello Branco] Primo [v. 40.330].
40329VII-2Lina Fortes Castello Branco [primeira do nome] [v. 40.331].
40330VII-1FRANCISCO FORTES [CASTELLO BRANCO] PRIMO, n. na fazenda Ingá, f. na Boa Vista dos Cariocas, perto da fazenda Ingá, no município de Esperantina. Casou-se em primeiras núpcias com ÂNGELA DE JESUS [...] [40.330a].
40330_2nVII-1... FRANCISCO FORTES [CASTELLO BRANCO] PRIMO casou-se em segundas núpcias com ROSA [...] [40.330b].
40331VII-2LINA FORTES CASTELLO BRANCO [primeira do nome], n. <1878> na fazenda Ingá, f. na fazenda Tabuleirinho. Casou-se em <1899>, na fazenda Ingá, com seu primo DOMINGOS FORTES DE SÁ MENEZES [40.331a], n. na fazenda Valentim, no município de Piracuruca. Fazendeiro, com a fazenda Tabuleirinho, no município de Piracuruca.
Filho de João Fortes de Sá Menezes (n. 1843 em Piracuruca, f. na fazenda Valentim, no município de Piracuruca; fazendeiro, com a fazenda Valentim) e de Quitéria Rita de Jesus Rocha (f. na fazenda Valentim). Sobrinho paterno de José Fortes de Sá Menezes (n. 1830 em Piracuruca); de Ana Maria Joaquina Fortes (n. 1834); de Antônio Fortes de Sá Menezes (n. 1836); Francisco Fortes de Sá Menezes (n. 1837); Maria Luzia Fortes de Sá Menezes (n. 1839); Mariana Fortes de Sá Menezes (n. 1840); Henriqueta Fortes de Sá Menezes (n. 1841); Clarindo Fortes de Sá Menezes (n. 1845); e de Raimundo Fortes de Sá Menezes (n. 1841 em Piracuruca, assim como todos os seus irmãos). Neto de Antônio Fortes Bustamante de Sá Menezes (n. 20-02-1802, f. 22-12-1869 em Piracuruca, s. no cemitério Campo da Saudade, onde sua esposa encomendou uma belíssima lápide; capitão-geral de Parnaíba) e de Henriqueta Rosa Castello Branco (f. 14-06-1890 em Piracuruca); possuíam a fazenda Lagoa do Sossego, no município de Piracuruca. Bisneto paterno de Antônio de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes (irmão de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [v. 43.888]). Lina Fortes Castello Branco e Domingos Fortes de Sá Menezes foram pais de:
40332VIII-1Delclides Fortes Castello Branco [v. 40.343].
40333VIII-2José Fortes [Castello Branco] Sobrinho [v. 40.372].
40334VIII-3Manuel Fortes Castello Branco [v. 40.373].
40335VIII-4Alzira Fortes Castello Branco [v. 40.391].
40336VIII-5Quitéria Fortes Castello Branco [v. 40.392].
40337VIII-6Henriqueta Fortes Castello Branco [v. 40.393].
40338VIII-7Hermenildes Fortes Castello Branco [v. 40.406].
40339VIII-8Benjamim Fortes Castello Branco [v. 40.407].
40340VIII-9Lina Fortes Castello Branco [terceira do nome] [v. 40.430].
40341VIII-10Maria Fortes Castello Branco [terceira do nome] [v. 40.438].
40342VIII-11João Fortes Castello Branco [v. 40.447].
40343VIII-1DELCLIDES FORTES CASTELLO BRANCO [DUCA], n. 23-09-1901 na fazenda Tabuleirinho, em Piracuruca, f. 04-03-1973 em Parnaíba. Fazendeiro, proprietário da fazenda Palmeira, no município de Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com TEREZA MACHADO TORRES [BELEZA] [40.343a], n. 15-10-1906 na fazenda Buriti de Dentro, no município de Buriti dos Lopes, f. 26-03-1990 em Fortaleza. Irmã de Joaquim Machado Filho [Quincó] [v. 40.393]. Filha de Joaquim Machado (fazendeiro, com a fazenda Buriti de Dentro) e de Filomena Torres. Pais de:
40344IX-1José Machado Fortes [v. 40.356].
40345IX-2Francisco Machado Fortes [v. 40.357].
40346IX-3Maria do Livramento Machado Fortes [v. 40.358].
40347IX-4Orlando Machado Fortes [v. 40.359].
40348IX-5Maria do Rosário Machado Fortes, n. 17-06-1932 na fazenda Buriti de Dentro, f. em Parnaíba. Solteira.
40349IX-6Valdinar Machado Fortes [v. 40.360].
40350IX-7Maria do Carmo Machado Fortes [v. 40.361].
40351IX-8Joaquim Machado Fortes [v. 40.367].
40352IX-9Cândida Machado Fortes [v. 40.368].
40353IX-10Teresa Machado Fortes [v. 40.369].
40354IX-11José Luís Machado Fortes [v. 40.370].
40355IX-12Bernadete Machado Fortes [v. 40.371].
40356IX-1JOSÉ MACHADO FORTES, n. 24-07-1923 na fazenda Buriti de Dentro. Casou-se com MARIA DO SOCORRO [...] [40.356a], n. em Parnaíba. Têm descendência.
40357IX-2FRANCISCO MACHADO FORTES, n. 18-02-1926 na fazenda Buriti de Dentro. Casou-se com MARIA DAS DORES PINTO ARAGÃO [40.357a], n. em Uruçuí. Têm descendência.
40358IX-3MARIA DO LIVRAMENTO MACHADO FORTES, n. 17-08-1927 na fazenda Buriti de Dentro. Casou-se com seu primo FRANCISCO DAS CHAGAS MACHADO PACHECO [40.358a], n. em Viçosa CE. Têm descendência.
40359IX-4ORLANDO MACHADO FORTES, n. 23-12-1929 na fazenda Buriti de Dentro. Casou-se com MARIA DO SOCORRO [...] [40.359a], em Vargem Grande MA. Têm descendência.
40360IX-6VALDINAR MACHADO FORTES, n. 05-03-1934 na fazenda Buriti de Dentro com JOAQUINA FONTENELE [40.360a], n. em Cocal PI. Têm descendência.
40361IX-7MARIA DO CARMO MACHADO FORTES, n. 02-08-1936 na fazenda Buriti de Dentro. Residia em Parnaíba em 2012. Casou-se com RAIMUNDO FONTENELE PORTELA [40.361a], n. nas Caraúbas, no município de Buriti dos Lopes, f. tb. nas Caraúbas. Foram pais de seis filhos, entre os quais:
40362X-1Teresa Fortes Portela [v. 40.363].
40363X-1TERESA FORTES PORTELA [TETÊ], n. 15-09-1955 nas Caraúbas. Funcionária do Banco do Nordeste em Parnaíba. Casou-se em Parnaíba com seu primo FRANCISCO JOSÉ CASTELLO BRANCO LIMA [40.363a], n. 26-06-1951 em Parnaíba. Armador de barcos pesqueiros em Parnaíba. Filho de Maria de Nazareth de Oliveira Marques Castello Branco (n. em Brejo dos Anapurus, f. em Teresina, s. em Brejo dos Anapurus) e de Luís Carlos Lima (n. em Parnaíba, f. no Rio de Janeiro; membro de família do Brejo dos Anapurus). Neto materno de Marcelino Lopes Castello Branco (n. em Brejo dos Anapurus, f. em Brejo dos Anapurus) e de Francisca de Oliveira Marques [Chiquinha] (n. em Brejo dos Anapurus, f. tb. em Brejo dos Anapurus). Bisneto materno-paterno de Francisca Castello Branco [v. 40.025] e de Manuel Antônio da Silva, radicados em Brejo dos Anapurus, onde tiveram 24 filhos. Pais de:
40364XI-1Diego Fortes Castello Branco, n. 30-03-1981 em Parnaíba. Veterinário em Vitória do Mearim MA.
40365XI-2Tiago Fortes Castello Branco, n. 03-11-1983 em Parnaíba.
40366XI-3Tadeu Fortes Castello Branco, n. 04-09-1985 em Parnaíba. Economista. Oficial da marinha mercante baseado no Rio de Janeiro.
40367IX-8JOAQUIM MACHADO FORTES, n. 23-12-1937 na fazenda Buriti de Dentro. Casou-se com MARIA IZOLDA CAMPOS [40.367a], no Ceará. Têm descendência.
40368IX-9CÂNDIDA MACHADO FORTES, n. 29-06-1939 na fazenda Buriti de Dentro. Casou-se com JOSÉ FREITAS DE SOUZA [40.368a], n. em Parnaíba. Têm descendência.
40369IX-10TERESA MACHADO FORTES [TERESINHA], n. 04-06-1941 na fazenda Buriti de Dentro. Casou-se com JURANDIR PAIVA MARTINS [40.369a], n. em Luís Correia PI. Têm descendência.
40370IX-11JOSÉ LUÍS MACHADO FORTES, n. 19-03-1943 na fazenda Buriti de Dentro. Casou-se com MARIA DA CONCEIÇÃO [...] [40.370a], n. em Cocal PI. Têm descendência.
40371IX-12BERNADETE MACHADO FORTES, n. 18-09-1945 na fazenda Buriti de Dentro. Casou-se com BERNARDO GUIMARÃES DE CASTRO [40.371a], n. em Parnaíba. Residem em Fortaleza. Têm descendência.
40372VIII-2JOSÉ FORTES SOBRINHO [JOSÉ FORTES (CASTELLO BRANCO) SOBRINHO] [ZOZÔ], n. 31-01-1903 na fazenda Tabuleirinho, f. em Teresina. Fazendeiro, com a fazenda Malhada do Meio, em Esperantina. Casou-se em primeiras núpcias em <1933>, em Esperantina, com HAYDÉE DE MELLO REBÊLO [40.372a], n. 05-04-1910 em Esperantina. Filha de Manoel Lages Rebêllo (n. 18-07-1888 na fazenda Santa Teresa, no município de Batalha, f. 24-12-1981 em Esperantina; fazendeiro com as fazendas Caraíbas, Canto de Baixo, Santana, Boa Esperança, Orelha d'Onça, Morro do Urubu, Canto do Alecrim, Várzea das Quedas, Lagoa do Morro e Estremas, entre outras) e de Mathilde de Castro Mello (n. 14-03-1891 em Batalha, f. 28-02-1933 em Esperantina). [V. descendência das duas núpcias de José Fortes [Castello Branco] Sobrinho [Zozô] em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 89-91].
40372_2nVIII-2... JOSÉ FORTES SOBRINHO [JOSÉ FORTES (CASTELLO BRANCO) SOBRINHO] [ZOZÔ] casou-se em segundas núpcias com RAIMUNDA NONATA FERREIRA [40.372b]. [V. descendência das duas núpcias de José Fortes [Castello Branco] Sobrinho [Zozô] em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 89-91].
40373VIII-3MANUEL FORTES CASTELLO BRANCO [CASTELO], n. 08-01-1904 na fazenda Tabuleirinho, f. 01-03-1971 em Parnaíba. Comerciante em Parnaíba. Casou-se em <1929> com JOANA ANGELIM DE OLIVEIRA [JOANITA] [40.373a], n. 20-12-1913 em Granja CE, f. 22-01-2000 em Fortaleza. Filha de Raimundo Hortênsio de Oliveira e de Mathilde Angelim. Pais de:
40374IX-1Maria Frassinetti de Oliveira Castello Branco [v. 40.378].
40375IX-2Elza Maria de Oliveira Castello Branco, n. <1933> em Parnaíba, f. com um ano e três meses.
40376IX-3Miriam de Oliveira Castello Branco [v. 40.381].
40377IX-4Sônia Maria de Oliveira Castello Branco [v. 40.387].
40378IX-1MARIA FRASSINETTI DE OLIVEIRA CASTELLO BRANCO, n. 19-03-1931 em Parnaíba. Casou-se em Parnaíba com UBIRAJARA RAYOL [40.378a], n. no Maranhão. Advogado. Funcionário do Banco do Brasil. Escritor. Pais de:
40379X-1Ubirajara Rayol Filho, n. 12-11-1952 em São Luís. Advogado.
40380X-2Carlos Henrique Castello Branco Rayol, n. 07-07-1955 em Parnaíba, f. 22-09-2005 em Camocim CE. Advogado criminalista. Juiz federal.
40381IX-3MIRIAM DE OLIVEIRA CASTELLO BRANCO, n. 19-01-1935 em Parnaíba. Normalista formada em Fortaleza. Diretora e proprietária da Escola São José, em Parnaíba. Professora. Casou-se em 01-01-1957, em Parnaíba, com JOSÉ ALMEIDA DE MORAES [40.381a], n. 04-03-1930 em Piracuruca. Funcionário público federal em Parnaíba. Pais de:
40382X-1Gardênia Maria Castello Branco de Moraes, n. 23-03-1958 em Parnaíba. Formada em geografia. Funcionária pública federal.
40383X-2Verbena Maria Castello Branco de Moraes, n. 29-12-1959 em Parnaíba. Formada em administração de empresas. Oficial de justiça.
40384X-3Acácia Maria Castello Branco de Moraes, n. 25-01-1962 em Parnaíba. Formada em serviço social. Advogada.
40385X-4Lotélia Maria Castello Branco de Moraes, n. 23-01-1963 em Parnaíba. Economista. Funcionária do Banco do Brasil.
40386X-5José Almeida de Moraes Filho, n. 17-09-1965 em Parnaíba. Advogado formado em Fortaleza.
40387IX-4SÔNIA MARIA DE OLIVEIRA CASTELLO BRANCO, n. 07-03-1942 em Parnaíba. Casou-se em Parnaíba com OZIAS BARBOSA FURTADO [40.387a], n. em Araioses MA, f. em Parnaíba. Dentista. Pais de:
40388X-1Ozias Barbosa Furtado Filho, n. 02-12-1967 em Parnaíba. Engenheiro civil formado em Fortaleza.
40389X-2Clodoaldo Furtado da Costa Neto, n. 11-04-1969 em Parnaíba. Advogado formado em Fortaleza.
40390X-3Ozeas Castello Branco Furtado, n. 16-04-1973 em Parnaíba. Advogado formado em Fortaleza.
40391VIII-4ALZIRA FORTES CASTELLO BRANCO, n. 14-09-1905 na fazenda Tabuleirinho, em Piracuruca, f. 23-02-2008 em Parnaíba. Casou-se em <1929>, em Piracuruca, com GENÉSIO DE SOUZA PIRES [40.391a], n. 07-10-1897 na fazenda Guabiraba (no Buriti de José de Souza), no muncípio de Buriti dos Lopes, f. 03-06-2002 em Parnaíba. Filho de José de Souza Pires (n. 1835 na fazenda Beiru, situada no antigo município de Barras, depois município de Esperantina, f. na casa-grande da fazenda Olho d'Água dos Pires, no município de Esperantina; a casa-grande da Beiru não existe mais; grande fazendeiro na região entre os municípios de Barras, Esperantina, Luzilândia, Joaquim Pires e Buriti dos Lopes, com as fazendas Beiru, Olho d'Água dos Pires, Taboca, Retiro, Canto da Parnaíba, Cajazeiras, Santa Maria, Santo Antônio, Coqueiro, Lagoa dos Lages, Caiçaras, Nova e Guabiraba, entre outras; coronel da Guarda Nacional) e de sua terceira esposa, Marcellina Rosa de Sampaio. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 240-1.]
40392VIII-5QUITÉRIA FORTES CASTELLO BRANCO [QUININHA], n. 28-04-1907 na fazenda Tabuleirinho, em Piracuruca, f. 14-05-1980 em Parnaíba. Casou-se em <1934>, em Piracuruca, com JOSÉ PIRES DE SAMPAIO [ZECA TOTE] [40.392a], n. 04-11-1906 na fazenda Cajazeira de Cima, no município de Buriti dos Lopes, f. 22-11-1993 em Parnaíba. Fazendeiro no município de Buriti dos Lopes. Filho de Antônio Pires de Sampaio [coronel Tote] (n. 19-07-1871 na fazenda Bacuri, no município de Buriti dos Lopes, f. 28-02-1952 em Parnaíba; proprietário da fazenda Cajazeira de Cima) e de Anna Rosa de Oliveira (n. 10-11-1873, f. 03-08-1955 em Parnaíba). [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 42-3.]
40393VIII-6HENRIQUETA FORTES CASTELLO BRANCO [BILITA], n. 19-02-1909 na fazenda Tabuleirinho, f. 24-10-1993 em Esperantina. Casou-se na fazenda Tabuleirinho com JOAQUIM MACHADO FILHO [QUINCÓ] [40.393a], n. 26-05-1911 na fazenda Buriti de Dentro, no município de Buriti dos Lopes, f. 14-10-1987 em Parnaíba. Fazendeiro, com a fazenda das Melancias, perto da fazenda Buriti de Dentro. Irmão de Tereza Machado Torres [Beleza] [v. 40.343]. Filho de Joaquim Machado (fazendeiro, com a fazenda Buriti de Dentro) e de Filomena Torres. Pais de:
40394IX-1Fernando Fortes Machado, n. 09-05-1934 na fazenda das Melancias. Reside em Piracuruca. Solteiro.
40395IX-2Floriza Fortes Machado, n. 05-11-1936 na fazenda das Melancias. Reside em Piracuruca. Solteira.
40396IX-3Jonas Fortes Machado, n. 1938 na fazenda das Melancias, f. no Pará. Solteiro.
40397IX-4Lina Fortes Machado [v. 40.398].
40398IX-4LINA FORTES MACHADO, n. 23-01-1939 na fazenda das Melancias. Funcionária pública do município do Morro do Chapéu. Casou-se em primeiras núpcias em 22-06-1960, na fazenda Malhada do Meio, em Esperantina, atual município do Morro do Chapéu, com EDEMAR NOGUEIRA REBELO [40.398a], n. 16-01-1937 na fazenda Chapada da Limpeza, em Esperantina, f. 24-01-1967 na fazenda Caraíbas, tb. em Esperantina. Pecuarista, proprietário da fazenda Caraíbas. Filho de Manuel Lages Rebêllo (n. 18-07-1888 na fazenda Santa Teresa, no município de Batalha, f. 24-12-1981 em Esperantina) e de Zilda Nogueira de Aguiar (n. 27-02-1918; em setembro de 2012 residia na fazenda Caraíbas). Neto paterno de Maria da Assumpção Pires Lages e de Umbellino Gomes Rebello [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 85, 88-94]. Pais de:
40399X-1Luciano Fortes Rebelo [v. 40.404].
40400X-2Ana Lúcia Fortes Rebelo, n. 23-10-1962 em Teresina. Cursou agronomia na UFPI. Funcionária pública estadual.
40401X-3Marcos Henrique Fortes Rebelo, n. 19-12-1963 em Teresina. Agropecuarista, com criação de bovinos e caprinos na fazenda Campestre, no município de Esperantina. Vereador em Esperantina [1988-92].
40402X-4Lucídio Fortes Rebelo, n. 03-04-1965 em Teresina. Veterinário formado na UFPI. Agropecuarista, com criação de bovinos e caprinos na fazenda Aroeiras, no município de Esperantina [1992]. Prefeito de Morro do Chapéu [2009-12].
40398_2nIX-4... LINA FORTES MACHADO casou-se em segundas núpcias com MANOEL CANUTO DE CARVALHO [40.398b], n. no Ceará. Pais de:
40403X-5Edemar Fortes de Carvalho, n. 12-06-1972 em Teresina.
40404X-1LUCIANO FORTES REBELO, n. 28-04-1961 em Teresina. Funcionário público estadual no Piauí. Casou-se com MARIA DO SOCORRO RIBEIRO [40.404a]. Pais de:
40405XI-1Luciane Ribeiro Fortes Rebelo, n. 18-03-1984 em Teresina.
40406VIII-7HERMENILDES FORTES CASTELLO BRANCO [LILI], n. 08-12-1913 na fazenda Tabuleirinho, f. 28-08-1991 em Teresina, s. em Esperantina. Casou-se na fazenda Malhada do Meio, no município de Esperantina, com FRANCISCO PERES BORGES [TIO SANTOS] [40.406a], n. 10-09-1909, f. ??-12-1968 em Esperantina. Comerciante. s/g
40407VIII-8BENJAMIM FORTES CASTELLO BRANCO [BEJA], n. 08-07-1915 na fazenda Tabuleirinho. Comerciante. Fazendeiro no Piauí e no Ceará. Casou-se com MARIA DAS MERCÊS LEITÃO REINALDO [40.407a], n. 24-09-1925 em Picos PI. Residiam em Fortaleza em setembro de 2012. Filha de Lourenço Stopele Reinaldo e de Helena das Chagas Leitão [Yayá]. Pais de:
40408IX-1Erivaldo Reinaldo Castello Branco [v. 40.415].
40409IX-2Erice Castello Branco [v. 40.423].
40410IX-3Edna Castello Branco [v. 40.426].
40411IX-4Emilson Reinaldo Castello Branco [v. 40.427].
40412IX-5Enilton Reinaldo Castello Branco [v. 40.428].
40413IX-6Ênio Reinaldo Castello Branco [v. 40.429].
40414IX-7Benjamim Fortes Castello Branco Filho, n. 14-01-1970 em Fortaleza. Funcionário público estadual no Ceará. Solteiro.
40415IX-1ERIVALDO REINALDO CASTELLO BRANCO, n. 11-05-1948 em Teresina. Empresário no ramo da construção civil em Aparecida de Goiânia GO. Casou-se em primeiras núpcias com sua prima materna ANGELINA HELENA FERREIRA SOARES [40.415a], n. em João Pessoa. Pais de:
40416X-1Benjamim Fortes Castello Branco Neto, n. 29-11-1974 em Fortaleza. Casou-se.
40415_2nIX-1... ERIVALDO REINALDO CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com SUELY MATIAS COSTA [40.415b], n. em Fortaleza. Pais de:
40417X-2Carolina Costa Castello Branco, n. 20-03-1983 em Fortaleza. Casou-se.
40418X-3Rafaela Costa Castello Branco, n. 20-10-1984 em Fortaleza. Casou-se.
40419X-4Carlos Eduardo Costa Castello Branco, n. 06-07-1988 em Fortaleza. Solteiro.
40420X-5Gabriela Costa Castello Branco, n. 04-12-1990 em Campos Belo GO. Casou-se.
40415_3nIX-1... ERIVALDO REINALDO CASTELLO BRANCO casou-se em terceiras núpcias com ELAINE GAMA DO NASCIMENTO [40.415c], n. em João Pessoa. Pais de:
40421X-6Rodrigo do Nascimento Castello Branco, n. 02-11-1991 em Luziânia GO. Casou-se.
40422X-7Rodolfo do Nascimento Castello Branco, n. 04-08-1995 em João Pessoa. Solteiro.
40415_4nIX-1... ERIVALDO REINALDO CASTELLO BRANCO casou-se em quartas núpcias com MOEMIA DO REGO BARROS [40.415d], n. em Vassouras RJ. Filha de Hothir Spiridião do Rego Barros (n. em Pernambuco, f. em Brasília; oficial da Aeronáutica) e de Dagmar Xavier (n. no Rio de Janeiro, f. em Brasília) [Pires Ferreira, 2011, v. 6, p. 159]. s/g
40423IX-2ERICE CASTELLO BRANCO, n. 16-12-1949 em Teresina. Casou-se em Fortaleza com seu primo GILBERTO DE SOUZA PIRES [40.423a], n. 27-06-1942 em Parnaíba, f. 10-08-2011 em Fortaleza. Engenheiro agrônomo. Funcionário da Universidade Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Filho de Genésio de Souza Pires e de Alzira Fortes Castello Branco [v. 40.391]. Pais de:
40424X-1Daniele Castello Branco Pires, n. 14-12-1978 em Fortaleza.
40425X-2Gilberto Castello Branco Pires, n. 01-07-1980 em Fortaleza.
40426IX-3EDNA CASTELLO BRANCO, n. 18-01-1951 em Teresina. Cursou administração de empresas. Casou-se em 14-04-1983, em Fortaleza com JOSÉ TAMER BRAGA SANCHO [40.426a], n. em Fortaleza. Jornalista. Têm descendência.
40427IX-4EMILSON REINALDO CASTELLO BRANCO, n. 22-04-1953 em Fortaleza. Professor. Casou-se em 23-09-2005, em Fortaleza, com MARIA DE FÁTIMA LINO [40.427a], n. em Fortaleza. Secretária. Têm descendência.
40428IX-5ENILTON REINALDO CASTELLO BRANCO, n. 04-05-1956 em Fortaleza. Gráfico. Casou-se em 29-09-1989, em Fortaleza, com JACQUELINE SIMONE CAVALCANTI [40.428a], n. 20-12-1962 em Fortaleza. Jornalista. Têm descendência.
40429IX-6ÊNIO REINALDO CASTELLO BRANCO, n. 17-08-1964 em Fortaleza. Empresário. Casou-se em Fortaleza com CAROLINE CARNEIRO [CAROL] [40.429a], n. em Fortaleza. Cursou administração de empresas. Têm descendência.
40430VIII-9LINA FORTES CASTELLO BRANCO [terceira do nome] [DEDÉ], n. 14-10-1946 na fazenda Tabuleirinho. Residia em Teresina em setembro de 2012. Casou-se em Piracuruca com HIGINO CARVALHO E SILVA [GENU] [40.430a], n. 11-01-1914 em Piracuruca, f. 04-12-1986 tb. em Piracuruca. Pais de:
40431IX-1José Higino Castello Branco Carvalho [v. 40.435].
40432IX-2Higino Castello Branco Carvalho [v. 40.436].
40433IX-3Elizabeth Castello Branco Carvalho, n. 13-06-1954 em Piracuruca. Solteira.
40434IX-4Lúcia Lina Castello Branco Carvalho [v. 40.437].
40435IX-1JOSÉ HIGINO CASTELLO BRANCO CARVALHO, n. 06-11-1949 em Piracuruca. Casou-se com sua prima ESMERALDA FORTES [40.435a], n. em Piracuruca.
40436IX-2HIGINO CASTELLO BRANCO CARVALHO, n. 06-11-1949 em Piracuruca. Casou-se com TERESINHA [...] [40.436a].
40437IX-4LÚCIA LINA CASTELLO BRANCO CARVALHO, n. 13-06-1956 em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com JEFERSON CARVALHO DE BRITO [40.437a].
40438VIII-10MARIA FORTES CASTELLO BRANCO [terceira do nome] [BILIZINHA], n. 26-05-1919 na fazenda Tabuleirinho. Residia em Teresina em setembro de 2012. Casou-se em <1940>, na fazenda Tabuleirinho, com seu primo SAMUEL FORTES RODRIGUES [40.438a], n. na fazenda Coqueiro, em Buriti dos Lopes, f. em Piracuruca. Filho de Mariano Fortes de Sá Menezes e de Carolina Fortes Rodrigues, primos entre si. Pais de:
40439IX-1Lidelton Fortes Castello Branco, n. 17-06-1942 na fazenda Bom Jardim, no município de Buriti dos Lopes, hoje no município de Joaquim Pires PI. Casou-se.
40440IX-2Maria Lina Fortes [v. 40.444].
40441IX-3Francisco José Castello Branco Fortes, n. na fazenda Bom Jardim. Casou-se.
40442IX-4Maria do Amparo Fortes Castello Branco, n. na fazenda Bom Jardim, f. criança.
40443IX-5Maria de Fátima Fortes Castello Branco, n. na fazenda Bom Jardim, f. criança.
40444IX-2MARIA LINA FORTES, n. 26-11-1943 na fazenda Bom Jardim, no município de Buriti dos Lopes, hoje no município de Joaquim Pires PI. Casou-se em primeiras núpcias em 1963, em Piracuruca, com LUIZ DE GONZAGA VERAS RIBEIRO [40.444a], n. em Fortaleza. Pais de:
40445X-1Jacqueline Fortes Ribeiro, n. 27-05-1964 em Fortaleza. Casou-se.
40446X-2Ana Lina Fortes Ribeiro, n. 20-11-1966 em Piracuruca. Casou-se.
40444_2nIX-2... MARIA LINA FORTES casou-se em segundas núpcias, em Teresina, com seu primo FRANCISCO DE ASSIS FORTES [ASSIS FORTES] [40.444b], n. 08-11-1937 na fazenda Malhada do Meio, em Esperantina. Poeta. Escritor. Publicou as seguintes obras: - Minha terra, meus poemas, 1990 - Coisas da vida, 2007 - Imagens estimadas pelo povo esperantinense, 2009 - Cem piadas, sem palavrões + algumas de lambugem, 2010 - Memórias de mim, histórias dos outros, 2011. Filho de Francisco de Souza Fortes (n. na fazenda Ingá, no município de Esperantina; prefeito de Esperantina por dois meses em 1948) e de Claudemira Regina de Carvalho Fortes (n. na fazenda Lagoa da Serra, no município de Batalha, f. em Teresina, s. em Esperantina; prefeita de Esperantina por onze dias em 1948). s/g
40447VIII-11JOÃO FORTES CASTELLO BRANCO [JOTA FORTES], n. 06-06-1922 na fazenda Tabuleirinho. Agropecuarista em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com sua prima MARIA BEATRIZ FORTES DE SOUZA [40.447a], n. 27-11-1922 em Piracuruca. Filha de Francisco de Souza Machado e de Bárbara Fortes Cerqueira. Residiam em Piracuruca em setembro de 2012. Pais de:
40448IX-1Maria das Graças de Souza Castello Branco [v. 40.456].
40449IX-2Maria Francinete de Souza Castello Branco [v. 40.458].
40450IX-3Maria Beatriz de Souza Castello Branco [v. 40.462].
40451IX-4Francisco de Souza Machado Neto [v. 40.465].
40452IX-5Maria Erzila de Souza Castello Branco, n. 24-06-1960 em Piracuruca. Solteira.
40453IX-6João Fortes Castello Branco Júnior [v. 40.468].
40454IX-7Cláudia Maria de Souza Castello Branco [v. 40.471].
40455IX-8Lina Maria de Souza Castello Branco [v. 40.472].
40456IX-1MARIA DAS GRAÇAS DE SOUZA CASTELLO BRANCO, n. 20-04-1950 em Piracuruca, f. 13-07-2012 em Teresina. Casou-se em Piracuruca com BENEDITO OLIVEIRA DUARTE [40.456a], n. em Buriti dos Lopes. Pais de:
40457X-1France Beatriz de Souza Castello Branco Duarte, n. em Piracuruca.
40458IX-2MARIA FRANCINETE DE SOUZA CASTELLO BRANCO, n. 23-05-1951 em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com seu primo FRANCISCO DAS CHAGAS FORTES DE SOUZA PIRES [CHICO RICO] [40.458a], n. 29-09-1936 em Parnaíba. Fazendeiro. Filho de Genésio de Souza Pires e de Alzira Fortes Castello Branco [v. 40.391]. Pais de:
40459X-1Ana Beatriz Castello Branco Pires, n. 01-06-1970 em Parnaíba.
40460X-2Ana Carla Castello Branco Pires, n. 11-05-1971 em Parnaíba.
40461X-3Ana Cristina Castello Branco Pires, n. 25-06-1974 em Parnaíba.
40462IX-3MARIA BEATRIZ DE SOUZA CASTELLO BRANCO, n. 10-05-1956 em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com seu primo JOSÉ IVAN CERQUEIRA AGUIAR [40.462a], n. em Piracuruca. Comerciante em Piracuruca. Pais de:
40463X-1Tiago Castello Branco Cerqueira Aguiar, n. em Piracuruca.
40464X-2Alan Castello Branco Cerqueira Aguiar, n. em Piracuruca.
40465IX-4FRANCISCO DE SOUZA MACHADO NETO [BORIS], n. 24-06-1957 em Piracuruca. Casou-se com MARIA DE FÁTIMA ANTERO [40.465a], n. no Crato CE. Pais de:
40466X-1Carline Antero Machado, n. em Fortaleza.
40467X-2Marcelo Antero Machado, n. em Jaguaribe CE.
40468IX-6JOÃO FORTES CASTELLO BRANCO JÚNIOR, n. 31-12-1964 em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com PAULA PATRÍCIA DE BRITO MENEZES [40.468a], n. em Piracuruca. Pais de:
40469X-1Boris Menezes Castello Branco, n. em Piracuruca.
40470X-2Karina Menezes Castello Branco, n. em Piracuruca.
40471IX-7CLÁUDIA MARIA DE SOUZA CASTELLO BRANCO, n. 02-05-1966 em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com ANTÔNIO CARLOS BARRETO BRITO [40.471a], n. em Piracuruca. Sitiante em Piracuruca. s/g.
40472IX-8LINA MARIA DE SOUZA CASTELLO BRANCO, n. 28-06-1967 em Piracuruca. Casou-se em Piracuruca com FRANCISCO AUGUSTO DE OLIVEIRA BRITO [40.472a], n. em Piracuruca. Professor secundário em Teresina. Pais de:
40473X-1Fábio Leonardo Castello Branco Brito, n. em Teresina.
40474V-13JOSÉ LOPES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lajes. Casou-se em Piracuruca com EMÍLIA [...] [40.474a].
40475V-14ROSENDO LOPES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda das Lajes. Casou-se em 28-09-1848, em Piracuruca, com LUCINDA ROSA DA SILVA [40.475a]. Foram testemunhas de casamento o tenente Antônio Lopes Castello Branco (irmão do noivo) e o tenente-coronel José Rodrigues de Miranda.
40476IV-2FRANCISCO JOSÉ DO REGO CASTELLO BRANCO JÚNIOR, n. em Piracuruca. Fazendeiro. Casou-se com [...] [40.476a]. Foram pais de:
40477V-1José Felippe do Rego Castello Branco, n. em Piracuruca. Tabelião e escrivão de Piracuruca por volta de 1885. Tenente-coronel da Guarda Nacional.
40478V-2João José do Rego Castello Branco [v. 40.479].
40479V-2JOÃO JOSÉ DO REGO CASTELLO BRANCO, n. em Piracuruca. Casou-se em Barras com sua prima ANNA ROSA CASTELLO BRANCO [primeira do nome] [40.479a] [v. 40.625], n. no antigo município de Barras. Filha de José Carvalho de Almeida e de Francisca Castello Branco. Residiam em Brejo dos Anapurus MA.
40480II-4JOÃO DO REGO CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. em Parnaíba, f. 07-06-1800 em Oeiras, após longa enfermidade e cegueira. Em 22-05-1751 era cabo, participando na época de incursões para matança ou captura de índios acroás, timbiras e gueguês. Em 11-10-1758 já era capitão.
Em 10-3-1760, com o sequestro dos bens dos jesuítas no Piauí, foi contemplado com a fazenda São Romão. Em 01-04-1764, parte de Oeiras no comando de uma expedição militar contra os índios gueguês, assentados nas margens do rio Gurguéia; estes, ao serem atacados, fugiram pelas margens dos rios Urussuí e Parnaíba, terminando a perseguição cerca de oito meses depois, em dezembro daquele ano. Em 13-11-1769, os índios acroás e gueguês foram reduzidos à obediência e confinados na aldeia que o governo da província denominou "aldeia dos índios de São Gonçalo de Amarante". Em 20-08-1772, os índios acroás fogem da aldeia de São Gonçalo de Amarante e se refugiam na missão de São José do Duro. Félix do Rego Castello Branco [v. 40.482], o segundo filho de João do Rego, marcha contra os índios rebelados e os reduz à obediência, depois de cometer contra eles toda sorte de perversidades, chegando mesmo a mandar fincar em postes, no centro da aldeia, as cabeças dos índios autores do levante. O episódio o tornaria o símbolo do genocídio indígena, sobretudo das tribos existentes no sul do Piauí.
Em abril de 1772, João do Rego Castello Branco parte da cidade de Oeiras, à frente de uma missão militar contra os índios de Jeromenha, que se haviam levantado. Em 02-01-1775, é o oficial militar de patente mais elevada da província do Piauí, a de tenente-coronel de milícias. Em 19-04-1776 é promovido ao posto de tenente-coronel comandante do Regimento de Cavalaria Auxiliar da guarnição da província, sendo empossado no cargo em 15-08-1776. Em 01-08-1776 tem início a guerra contra os índios pimenteiras, para a qual marchou, da cidade de Oeiras, à frente de uma robusta expedição militar. Aa guerra contra os pimenteiras só viria a terminar em agosto de 1784, com a pacificação desses índios [Borges, 1878, p. 62, 150; Castello Branco, 1980, p. 101-4; Castello Branco Filho, 1984; Chaves, 2005, p. 125-46; Pereira da Costa, 1909, p. 51, 57, 61, 76, 78, 81, 86, 92, 96-7, 330]. Sobre perseguição, massacre, genocídio, destruição de aldeias indígenas e violação de índias acroás, gueguês, gamelas, timbiras e pimenteiras pelo tenente-coronel João do Rego Castello Branco [primeiro do nome] e seus filhos Antônio e Félix, ver estudos e publicações recentes [Carvalho, 2005; Carvalho, 2007, p. 209-14; Castello Branco, 2006; Chaves, 2005, p. 141-5, 426, 489-92; Machado, 2002; Miranda, 2004]. João do Rego Castello Branco [primeiro do nome] casou-se com PERPÉTUA LUZIA DE BARROS TAVEIRA [40.480a]. Filha de Gonçalo de Barros Taveira (capitão-mor de Oeiras) e de Antônia Gomes Travassos, portugueses que chegaram a Salvador, na Bahia, em princípios do século XVIII e dali, por volta de 1710, passaram para Oeiras; residiam nos arredores de Oeiras em 1719, conforme consta de um inventário, sendo Gonçalo arrendatário de alguns fazendeiros baianos.
João do Rego Castello Branco [primeiro do nome] e Perpétua Luzia de Barros Taveira tiveram aparentemente cinco filhos, entre os quais:
40481III-1Antônio do Rego Castello Branco [segundo do nome] [v. 40.484].
40482III-2Félix do Rego Castello Branco [v. 40.496].
40483III-3Anna Pulcheria do Monte Serrate Castello Branco [v. 40.610].
40484III-1ANTÔNIO DO REGO CASTELLO BRANCO [segundo do nome], n. em Oeiras. Ajudante de cavalaria da guarnição de Oeiras. Membro da junta de governo do Piauí [1791-94]. Em 13-09-1803 foi assassinado em Oeiras o dr. Antônio Pedro Nunes (n. em Portugal, advogado formado em Coimbra; secretário da junta de governo da província do Piauí). Ao que parece, Antônio do Rego Castello Branco teve participação nesse assassinato, juntamente com outras pessoas [Borges, 1878, p. 150; Pereira da Costa, 1909, p. 93, 111, 130]. Casou-se em <1779>, em Oeiras, com JOANNA DE EÇA E MENEZES [40.484a]. Foram pais de:
40485IV-1João Nepomuceno de Castello Branco [v. 40.486].
40486IV-1JOÃO NEPOMUCENO DE CASTELLO BRANCO, n. 1781 em Oeiras, f. 1836 tb. em Oeiras. Cadete do 1o. Regimento de Milícias do Piauí. Prestou altos serviços a várias administrações públicas na província do Piauí. Ajudante de cavalaria da guarnição da cidade de Oeiras. Membro do conselho geral da província, conselho que na época aprovou a criação da vila de São Gonçalo do Amarante. Capitão-mor das ordenanças de Oeiras [1807-18]. Condecorado com o hábito da Ordem de Cristo em 05-08-1818. Cavalheiro da Imperial Ordem do Cruzeiro em 02-08-1825. Recebeu carta de brasão de armas do rei d. João, como consta nos livros de registro dos brasões de armas do Rio de Janeiro [12-04-1817] e de Oeiras [06-08-1817].
Quando da expedição científica alemã ao Brasil, Johann Baptiste von Spix e Carl Friedrich Philipp von Martius, ao passar passar por Oeiras, foram recebidos e hospedados por João Nepomuceno de Castello Branco. Spix e Martius publicaram em 1828 Viagem pelo Brasil - De 1817 a 1820. João Nepomuceno de Castello Branco casou-se em Oeiras com MARIA LUÍZA DE JESUS SANT'ANNA [40.486a], n. no Piauí [Borges, 1878, p. 150-9; Chaves, 2005, p. 284, 293; Miranda, 2004, p. 26-7, 108; Pereira da Costa, 1909, p. 130-1, 211, 217]. Foram pais de:
40487V-1Maria Benedicta da Encarnação Castello Branco [v. 40.488].
40488V-1MARIA BENEDICTA DA ENCARNAÇÃO CASTELLO BRANCO, n. em Oeiras, f. em Campo Maior PI. Casou-se em primeiras núpcias, em Oeiras, com [...] [40.488a], oficial do Exército português que faleceu em 1823, por ocasião da guerra de independência do Brasil, numa batalha em Campo Maior da qual participava sob o comando do major João José da Cunha Fidié [Borges, 1878, p. 154]. s/g
40488_2nV-1... MARIA BENEDICTA DA ENCARNAÇÃO CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias em 1825, dois anos depois de enviuvar, em Oeiras, com JOSÉ PEREIRA DA SILVA MASCARENHAS [40.488b], n. na Bahia e radicado na vila de Campo Maior. Negociante. Foi o primeiro habitante da província do Piauí a navegar no rio Parnaíba em barco de grande porte [Pereira da Costa, 1909, p. 131]. Foram pais de:
40489VI-1Washington Mascarenhas Castello Branco, n. em Campo Maior.
40490VI-2Victoria Mascarenhas Castello Branco [v. 40.494].
40491VI-3Stael Mascarenhas Castello Branco [v. 40.495].
40492VI-4Aristides Mascarenhas Castello Branco, n. em Campo Maior.
40493VI-5Maria Dolores Mascarenhas Castello Branco, n. em Campo Maior.
40494VI-2VICTORIA MASCARENHAS CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com JOÃO IGNACIO DE JESUS MADEIRA [40.494a]. Major.
40495VI-3STAEL MASCARENHAS CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com CANUTO JOSÉ DA SILVA LOBO [40.495a]. Médico.
40496III-2FÉLIX DO REGO CASTELLO BRANCO, n. em Oeiras, f. ??-02-1798 no Piauí. Ajudante do regimento de cavalaria de Oeiras. Participou, como ajudante de seu pai, João do Rego Castello Branco, da tenaz perseguição às aldeias indígenas na província do Piauí, como a dos índios acroás, e da famosa expedição que resultou no massacre dos índios gueguês, quando "[colocou] as cabeças dos líderes indígenas fincadas em mastros na aldeia, para que o tempo as consumisse" [Chaves, 2005, p. 143; Castello Branco, 1980, p. 102; Miranda, 2004; Pereira da Costa, 1909, p. 92]. Félix do Rego Castello Branco casou-se com JOANNA ANGÉLICA DE MENEZES [40.496a]. Deixou grande descendência. Foram pais de:
40497IV-1Marianna Angélica de Menezes Castello Branco [v. 40.499].
40498IV-2Francisca Maria de Jesus Castello Branco [v. 40.506].
40499IV-1MARIANNA ANGÉLICA DE MENEZES CASTELLO BRANCO, n. em Oeiras. Casou-se em <1807>, em Oeiras, com LOURENÇO ANTÔNIO MARREIROS DA SILVA COSTA LIMA [40.499a]. Capitão. Filho de Luiz Marreiros da Silva (n. 12-02-1744 na fazenda das Tabocas, em Milagres CE, na região das serras dos Cariris Novos, b. 25-02-1744 na capela de Nossa Senhora dos Milagres, em Milagres; capitão-mor) e de Maria de Nazareth Mendonça. Neto paterno de Mathias de Lima Taveira (n. em Campos de Lima, freguesia de Nossa Senhora do Porto, concelho de Arcos de Valdevez, comarca de Valença, no Minho, arcebispado de Braga, ou, modernamente, no lugar Campos de Lima, freguesia de Nossa Senhora do Porto, concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, Alto Minho, norte de Portugal; f. 21-08-1750, s. na capela de Santo Antônio da Missão Nova, em Missão Velha CE; capitão) e de Joanna da Silva (n. na freguesia de Santo Antônio Gonçalves do Recife; casou-se por procuração em 14-11-1736, em Icó CE). Neto materno de Alonso Marreiros (n. na freguesia de Santo Antônio do Cabo PE; dono de cartório em Icó) e de Joanna Maria da Silva (n. na freguesia de Santo Antônio do Cabo) [Francisco Augusto de Araújo Lima, comunicação pessoal; Lima, 2001; Livros Eclesiais de Icó: Livro 1, fl. 12v., 179v.; Livro 2, fl. 6v., 23v., 48v.; Livro 3, fl. 341, 351v.; Livro da Missão Velha - Óbitos 4].
Marianna Angélica de Menezes Castello Branco e Lourenço Antônio Marreiros da Silva Costa Lima foram pais de:
40500V-1Lourenço Antônio Marreiros de Castello Branco [v. 40.502].
40501V-2Marianna Angélica Marreiros de Mendonça Castello Branco [v. 40.503].
40502V-1LOURENÇO ANTÔNIO MARREIROS DE CASTELLO BRANCO, n. 15-10-1809 em Oeiras PI, b. 09-11-1809 na igreja matriz de Oeiras, f. 09-07-1865 em Teresina. Teve como padrinhos de batismo José Gabriel Baptista (capitão) e Maria Luíza de Jesus Sant'Anna (casada com João Nepomuceno de Castello Branco [v. 40.486]). Entrou muito jovem para a administração pública em Oeiras, onde exerceu os mais relevantes cargos até se aposentar, em fevereiro de 1857. Foi vereador na vila de São Gonçalo. Juiz municipal em Oeiras e Valença. Juiz de paz em Oeiras. Recebeu a comenda de oficial da Ordem da Rosa. Capitão da Guarda Nacional. Foi presidente da Câmara municipal de Amarante. Deputado à Assembleia da província do Piauí. Primeiro inspetor da administração da Fazenda da província do Piauí, de 1845 até sua aposentadoria, em Teresina. Eleito presidente da Companhia de Navegação do Rio Parnaíba em 08-05-1859. Lourenço Antônio Marreiros de Castello Branco casou-se em primeiras núpcias em 13-05-1828, em Oeiras, com RAIMUNDA CATHARINA DA SILVA [40.502a], n. em ??-11-1806 em Oeiras, f. 29-07-1844 tb. em Oeiras. Filha de Carlos Dionísio Soares da Silva e de Anna Rosa Soares Dantas [Borges, 1878, p. 13-6; Chaves, 2005, p. 66-8; Miranda, 2004, p. 26-7]. Foram pais de nove filhos (cinco homens e quatro mulheres).
40502_2nV-1... LOURENÇO ANTÔNIO MARREIROS DE CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias em 08-01-1846, em Oeiras, com sua sobrinha ROSA MARIA SODRÉ SANDOVAL CASTELLO BRANCO [40.502b], n. 28-07-1829 em Oeiras, f. 06-09-1856 em Teresina [v. 40.540]. Filha de Marianna Angélica Marreiros de Mendonça Castello Branco e de José Ignacio Madeira de Jesus. Foram pais de oito filhos (três homens e cinco mulheres).
40503V-2MARIANNA ANGÉLICA MARREIROS DE MENDONÇA CASTELLO BRANCO, n. em Oeiras, f. 06-08-1856 em Teresina. Casou-se em <1827>, em Oeiras, com JOSÉ IGNACIO MADEIRA DE JESUS [40.503a]. Sargento-mor. Membro do conselho geral da província do Piauí. Combatente na guerra de Independência do Brasil no Piauí [Miranda; 2004, p. 27]. Foram pais de:
40504VI-1Rosa Maria Sodré Sandoval Castello Branco [v. 40.505].
40505VI-1ROSA MARIA SODRÉ SANDOVAL CASTELLO BRANCO, n. 28-07-1829 em Oeiras, f. 06-09-1856 em Teresina. Casou-se em 08-01-1846, em Oeiras, com seu tio LOURENÇO ANTÔNIO MARREIROS DE CASTELLO BRANCO [40.505a] [... segundas núpcias deste], n. 15-10-1809 em Oeiras, f. 09-07-1865 em Teresina [v. 40.502].
40506IV-2FRANCISCA MARIA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. em Oeiras, f. em Buriti dos Lopes. Casou-se com JOSÉ LOPES DA CRUZ [40.506a], n. 1773 em Buriti dos Lopes, f. 1846 tb. em Buriti dos Lopes. Filho de Ângelo Antônio Lopes (n. 1749, f. 1839, assassinado pelos balaios na sua fazenda Tinguis, em Buriti dos Lopes; alferes [v. 41.138, Lívio Lopes Castello Branco e Silva]). Neto paterno de Francisco Lopes (n. em Portugal, f. em Buriti dos Lopes).
Os Lopes residiam no sítio Buriti, que, por sua boa localização, fertilidade e abundância de excelentes águas, tornou-se um polo de atração populacional, transformando-se numa povoação regular ao redor de uma capelinha dedicada a Nossa Senhora dos Remédios. Posteriormente foi criada a freguesia, e as terras de José Lopes da Cruz, com seu sítio Buriti, deram lugar ao município hoje conhecido como Buriti dos Lopes. Entretanto, a ocupação real da região onde se encontra a cidade de Buriti dos Lopes tem sua verdadeira origem com a chegada àquelas paragens, no começo do século XVIII, do português Francisco Lopes, cujo sobrenome se juntou a "buriti" para compor o topônimo [Bastos, 1994; Carvalho, 2007, p. 75; Ferraz et al., 1926, p. 20, 41, 75; Pereira da Costa, 1909, p. 308-9; Pires Ferreira, org., 1959, v. 15, p. 444-7; Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 31-7, 1993, v. 3, t. 2, p. 83-8].
Registre-se, na ascendência de José Lopes da Cruz, um entrelaçamento com os Pires Ferreira. Bernardo Lopes da Costa e Silva, que nasceu em Viçosa da Feitoria, no norte do Piauí, vilarejo certamente localizado perto da atual cidade de Buriti dos Lopes, era filho de Francisco Lopes da Costa e Silva e de Florinda Rosa dos Anjos e descendente do português Francisco Lopes, avô de José Lopes da Cruz. Bernardo Lopes da Costa e Silva casou-se em primeiras núpcias, em 1846, com Maria de Deus Pires Ferreira (n. 1829 na fazenda Beiru, localizada no antigo município de Barras; filha de João de Deus Pires Ferreira e de Clarinda Maria de Jesus Rodrigues de Carvalho [v. 43.856]). Casou-se em ... segundas núpcias, em 1859, na fazenda Cabeceiras, no antigo município de Barras, atual cidade de Cabeceiras do Piauí, com uma sobrinha de sua primeira esposa, Carolina de Deus Pires de Carvalho (n. 1843 na fazenda Cabeceiras; filha de João Francisco de Carvalho e Almeida e de Anna de Deus Pires Ferreira [v. 40.888]) [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 17, 160-2].
Francisca Maria de Jesus Castello Branco e José Lopes da Cruz foram pais de:
40507V-1Maria Eugênia Lopes da Cruz [v. 40.518].
40508V-2Estevão Lopes Castello Branco [segundo do nome] [v. 40.519].
40509V-3Francisco Miguel dos Anjos Lopes Castello Branco [Ruivo], n. em Buriti dos Lopes. Participou ativamente da Balaiada, chegando a coronel comandante das forças dos bem-te-vis, depois que seu parente Lívio Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.138] se retirou da revolta. Foi detido em agosto de 1840 no lugar Salobo PI, com toda a sua gente, e recolhido à prisão em Caxias MA [Araújo, 2001, p. 223, 226, 228; Pereira da Costa, 1909, p. 247, 252, 275].
40510V-4José Lopes da Cruz Filho [v. 40.522].
40511V-5Joaquim Antônio Lopes, n. em Buriti dos Lopes.
40512V-6Carlos Lopes Castello Branco, n. em Buriti dos Lopes.
40513V-7Alexandre Lopes Castello Branco, n. em Buriti dos Lopes.
40514V-8Francisca Maria Castello Branco, n. em Buriti dos Lopes.
40515V-9Anna Francisca Castello Branco, n. em Buriti dos Lopes.
40516V-10João Lopes Castello Branco, n. em Buriti dos Lopes.
40517V-11Luís José Demétrio Castello Branco [v. 40.524].
40518V-1MARIA EUGÊNIA LOPES DA CRUZ, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com seu primo FRANCISCO GIL CASTELLO BRANCO [40.518a], n. no antigo município de Campo Maior [v. 41.113]. Filho de Francisco da Cunha e Silva Castello Branco e de Anna Rosa Pereira Tereza do Lago, primos entre si. [V. descendência do casal em 41.118.]
40519V-2ESTEVÃO LOPES CASTELLO BRANCO [segundo do nome], n. em Buriti dos Lopes. Casou-se com ANNA MARQUES [40.519a]. Filha de Domingos Marques (n. em Portugal, f. no Piauí) e de Anna Maria [...] [Ferraz et al., 1926, p. 75]. Foram pais de:
40520VI-1Maria Florência Castello Branco [v. 40.521].
40521VI-1MARIA FLORÊNCIA CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes, f. 1833 no Piauí. Casou-se em Buriti dos Lopes com seu primo MARCELLINO JOSÉ DA CUNHA CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] [40.521a], n. no antigo município de Campo Maior, f. 1812 [v. 41.114]. Proprietário da fazenda Contente (no município de Livramento), cuja casa-grande se tornou lendária pelo grande número de parentes que abrigou ao longo do tempo. Filho de Francisco da Cunha e Silva Castello Branco e de Anna Rosa Pereira Tereza do Lago, primos entre si. [V. descendência do casal em 42.022.]
40522V-4JOSÉ LOPES DA CRUZ FILHO, n. 1783 em Buriti dos Lopes, f. 1866. Casou-se com [...] [40.522a]. Foram pais de:
40523VI-1Ângela do Monte Serrate, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se com um tio [v. 40.524a].
40524V-11LUÍS JOSÉ DEMÉTRIO CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes, f. tb. em Buriti dos Lopes, s. na igreja matriz de Buriti dos Lopes. Casou-se em <1843> com sua sobrinha ÂNGELA DO MONTE SERRATE [40.524a], n. em Buriti dos Lopes [v. 40.523]. Filha de José Lopes da Cruz Filho [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 148; 1993, v. 3, t. 2, p. 83; 1990, v. 4, p. 31, p. 143]. Foram pais de:
40525VI-1Epaminondas Demétrio Castello Branco [v. 40.529].
40526VI-2Francisco Demétrio Castello Branco [v. 40.558].
40527VI-3Ângela Savina Castello Branco [v. 40.609].
40528VI-4Cesário Demétrio Castello Branco, n. em Buriti dos Lopes.
40529VI-1EPAMINONDAS DEMÉTRIO CASTELLO BRANCO, n. 12-02-1844 em Buriti dos Lopes, f. 09-11-1901 em Parnaíba. Casou-se em 06-01-1876, na fazenda Bacuri, com LINA JOSEPHINA PIRES DE SAMPAIO [NOCA] [40.529a], n. 05-02-1854 na fazenda Bacuri, em Buriti dos Lopes, f. 03-10-1909 em Parnaíba. Filha de Carlota Lina Pires Ferreira (n. 17-11-1833 em Parnaíba, f. 30-08-1884 na fazenda Bacuri, em Buriti dos Lopes) e de Manoel Rodrigues de Sampaio [Mano] (n. 18-12-1830 em Buriti dos Lopes, f. 31-12.1877 tb. em Buriti dos Lopes, na fazenda Bacuri; fazendeiro; tenente-coronel da Guarda Nacional). Epaminondas Demétrio Castello Branco e Lina Josephina Pires Sampaio foram pais de:
40530VII-1Carlota Castello Branco, n. 22-10-1877 em Buriti dos Lopes. s/g
40531VII-2Maria Castello Branco [v. 40.536].
40532VII-3Epaminondas Castello Branco [v. 40.537].
40533VII-4José Castello Branco, n. 22-10-1884 em Buriti dos Lopes, f. 17-11-1916 em Buriti dos Lopes. Solteiro.
40534VII-5Manoel Castello Branco [v. 40.556].
40535VII-6Gervásio Castello Branco [v. 40.557].
40536VII-2MARIA CASTELLO BRANCO [MARIQUINHA], n. 02-04-1880 em Buriti dos Lopes, f. 14-02-1964 em Parnaíba. Casou-se em 22-09-1900, em Buriti dos Lopes, com seu primo ANTÔNIO PIRES DE CASTRO [40.536a], n. 29-10-1878 no engenho Paraíso MA, f. 21-08-1965 em Parnaíba. Fazendeiro. Filho de Anna Lina Pires Ferreira e de Francisco Florindo de Souza Castro. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 31-4.]
40537VII-3EPAMINONDAS CASTELLO BRANCO, n. 11-07-1882 em Buriti dos Lopes, f. 06-07-1968 em Parnaíba. Fazendeiro. Agropecuarista, com diversas fazendas ao longo e ao norte do rio Parnaíba, no Piauí e no Maranhão, tais como Futrica, Centro, Lagoa de Dentro e Lama Preta. Jornalista combativo, fundou vários jornais na cidade de Parnaíba. Deputado estadual no Piauí, chegando a presidente da Assembleia Legislativa. Deputado federal em 1930, quando foi cassado pelo ditador Getúlio Vargas. Possuía grande quantidade de terras no município de Luís Correia, em sociedade com José Antônio de Souza.
Epaminondas Castello Branco casou-se em primeiras núpcias em 30-11-1907, em Parnaíba, com sua prima legítima JOSEPHINA PIRES DE SAMPAIO [NHA-NHÁ] [40.537a], n. 14-03-1887 em Buriti dos Lopes, f. 07-07-1939 em Parnaíba. Filha de Frederico Pires de Sampaio e de Josephina Lima Pires de Sampaio [Sinhazinha], primos entre si. Neta paterna de Cassiana Lima Pires Ferreira e de José Rodrigues de Sampaio, primos entre si. Neta materna de Carlota Lima Pires Ferreira e de Manoel Rodrigues de Sampaio [Mano], primos entre si. Bisneta paterna e materna de Antônio Pires Ferreira [v. 43.861] e de Lina Carlota de Jesus Rodrigues de Carvalho.
Epaminondas Castello Branco e Josephina Pires de Sampaio [Nha-Nhá] foram pais de:
40538VIII-1Lina Josephina Pires Castello Branco, n. 01-01-1909 em Parnaíba, f. 08-09-1910 tb. em Parnaíba.
40539VIII-2Maria José Pires Castello Branco, n. 17-03-1911 em Parnaíba, f. 25-10-1911 tb. em Parnaíba.
40540VIII-3Carmen Pires Castello Branco [v. 40.551].
40541VIII-4Hamilton Pires Castello Branco, n. 10-10-1914 em Parnaíba, f. 15-02-1939 em Parnaíba.
40542VIII-5José do Patrocínio Pires Castello Branco, n. 15-06-1916 em Parnaíba, f. 30-08-1916 tb. em Parnaíba.
40543VIII-6Bernardo Pires Castello Branco, n. 26-05-1919 em Parnaíba, f. 17-08-1919 tb. em Parnaíba.
40544VIII-7Josephina Pires Castello Branco [Yayá], n. 11-08-1921 em Parnaíba, f. 01-09-1963 tb. em Parnaíba.
40545VIII-8Epaminondas Pires Castello Branco, n. 04-07-1925, f. 14-07-1925 tb. em Parnaíba.
40546VIII-9Maria de Jesus Castello Branco [quarta do nome], n. 10-08-1927 em Parnaíba, f. 11-08-1927 tb. em Parnaíba.
40547VIII-10Bernardo José Castello Branco [v. 40.552].
40537_2nVII-3... EPAMINONDAS CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias em 1940, em Parnaíba, com ALBERTINA DE ARAÚJO FURTADO [40.537b], n. em Parnaíba. Foram pais de:
40548VIII-11Paulo Henrique Ribentropp Castello Branco [v. 40.553].
40549VIII-12Maria do Socorro Furtado Castello Branco [v. 40.554].
40550VIII-13José Hamilton Furtado Castello Branco [v. 40.555].
40551VIII-3CARMEN PIRES CASTELLO BRANCO, n. 14-06-1913 em Parnaíba, f. 06-06-2008 tb. em Parnaíba. Casou-se em 11-01-1936, em Buriti dos Lopes PI, com seu primo DÁCIO CASTELLO BRANCO DE ALMEIDA [40.551a], n. 07-05-1903 em Buriti dos Lopes, f. 26-10-1991 em Parnaíba [v. 40.566]. Fazendeiro no norte do Piauí e no Maranhão, ao longo do rio Parnaíba. Prefeito de Buriti dos Lopes [1939-45]. Filho de Cândida Castello Branco e de Raimundo Gomes de Almeida. Neto materno de Francisco Demétrio Castello Branco [v. 40.558] e de Idalina Rodrigues. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 34-6.]
40552VIII-10BERNARDO JOSÉ CASTELLO BRANCO, n. 03-04-1939 em Parnaíba. Advogado. Casou-se em Teresina com SÔNIA MARIA SILVEIRA PACHECO [40.552a], n. no Piauí. Advogada. Residentes em Teresina. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 36.]
40553VIII-11PAULO HENRIQUE RIBENTROPP CASTELLO BRANCO, n. 22-04-1941 em Parnaíba. Engenheiro. Professor da UFPI. Casou-se em Parnaíba com MARIA DO PERPÉTUO SOCORRO CARVALHO [40.553a], n. 09-08-1946 em Parnaíba. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 36.]
40554VIII-12MARIA DO SOCORRO FURTADO CASTELLO BRANCO, n. 09-08-1946 em Parnaíba. Casou-se em Parnaíba com IDO JOSÉ PIMENTA [40.554a], n. em Parnaíba. Funcionário do Banco do Brasil. Residentes no Recife. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 36. ]
40555VIII-13JOSÉ HAMILTON FURTADO CASTELLO BRANCO, n. 18-05-1949 em Parnaíba. Engenheiro agrônomo. Fazendeiro em Parnaíba. Prefeito de Parnaíba [1988-92; 2006-12]. Casou-se em 09-09-1974, em Parnaíba, com sua prima VALÉRIA FONTENELE DE CARVALHO [40.555a], n. 03-05-1950 em Parnaíba. Filha de Spes Guimarães Fontenele e de Carlos Furtado de Carvalho (irmão de Yone Furtado de Carvalho, casada com Athestlan Ozires Corrêa [v. 42.453]). [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 208-9; 1990, v. 4, p. 36.]
40556VII-5MANOEL CASTELLO BRANCO [MANO], n. 08-04-1888 em Buriti dos Lopes PI, f. 10-01-1968 em Teresina. Advogado formado no Recife em 1913. Promotor no estado do Rio de Janeiro. Procurador-geral do estado do Piauí. Desembargador no Piauí [1940]. Presidente do Tribunal de Justiça do Piauí. Fazendeiro nos municípios de Teresina e Campo Maior.
Manoel Castello Branco [Mano] casou-se em 19-02-1917, em Teresina, com sua prima LINA LEONOR GAYOSO E ALMENDRA [LINOCA] [40.556a], n. 15-10-1896 em União PI, f. em Teresina [v. 45.143]. Filha de Josephina Pires de Castro [Zuzu] e de João Henrique de Souza Gayoso e Almendra. Neta materna de Anna Lina Pires Ferreira e de Francisco Florindo de Souza Castro. Bisneta materna de Antônio Pires Ferreira [v. 43.861] e de Lina Carlota de Jesus Rodrigues de Carvalho. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 36-7, 50, 55-6.]
40557VII-6GERVÁSIO CASTELLO BRANCO, n. 28-05-1891 em Buriti dos Lopes PI, f. 1944 no Rio de Janeiro. Funcionário público federal. Casou-se em 28-10-1922, no Rio de Janeiro, com LUISA GONELLA [40.557a], n. 03-05-1895 na Itália, f. 25-01-1978 no Rio de Janeiro. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 37.]
40558VI-2FRANCISCO DEMÉTRIO CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes PI. Casou-se em <1881> com IDALINA RODRIGUES [40.558a] [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 148; 1993, v. 3, t. 2, p. 83; 1990, v. 4, p. 34-5]. Foram pais de:
40559VII-1Gerson Castello Branco [v. 40.564].
40560VII-2Cândida Castello Branco [primeira do nome] [v. 40.565].
40561VII-3Florindo Demétrio Castello Branco [v. 40.574].
40562VII-4Francisca Inúlia Castello Branco [v. 40.587].
40563VII-5José Castello Branco [v. 40.588].
40564VII-1GERSON CASTELLO BRANCO, n. 28-01-1883 em Buriti dos Lopes, f. 23-09-1946 em Luzilândia PI. Farmacêutico. Casou-se em 27-02-1914, em Luzilândia, com GERACINDA PIRES DE CARVALHO [CINDA] [40.564a], n. 16-02-1898 na fazenda Cabeceiras. Residia em Luzilândia em fins da década de 1980. Filha de Valdivino Francisco de Carvalho (n. 11-01-1866 na fazenda Cabeceiras; tenente-coronel da Guarda Nacional) e de Maria Theodora de Mello [Dora] (n. na fazenda Araçás, no município de Batalha PI). [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 83-88.]
40565VII-2CÂNDIDA CASTELLO BRANCO [primeira do nome] [CANDOCA], n. 02-12-1886 em Buriti dos Lopes PI, f. 06-01-1940 tb. em Buriti dos Lopes. Casou-se em <1900>, em Buriti dos Lopes, com RAIMUNDO GOMES DE ALMEIDA [MUNDOCO] [40.565a], n. em Tutóia MA. Irmão de Franklina Gomes de Almeida (n. em Tutóia, f. 1972), casada com Arthur de Almeida Athayde (n. 1885 em Tutóia, f. 1987). Irmão de José Gomes de Almeida. Tio materno de Cândido de Almeida Athayde (n. 19-09-1904 em Tutóia, f. 1997 em Parnaíba), casado com Altair Rebello Pires (n. 22-09-1911 em Parnaíba, f. 1993 tb. em Parnaíba). Filho de Joaquim Gomes de Almeida e de Maria da Graça [...]. Neto de Maria Eugênia de Almeida.
Os avós de Raimundo Gomes de Almeida chegaram a Tutóia vindos de Portugal e se fixaram na foz do rio Novo, onde montaram um engenho de açúcar e começaram a fabricar rapadura e mel, produtos que seriam exportados para São Luís e Belém do Pará. Um ano depois, o chefe da família faleceu, assumindo a condução dos trabalhos a viúva Maria Eugênia de Almeida, que, graças ao temperamento decidido, soube prosperar com seu trabalho. Segundo uma tradição oral que corre na família, dona Maria Eugênia, quando um filho seu (dez homens e dez mulheres) completava 21 anos, ela lhe dava 20 escravos e o mandava tratar da vida em outro lugar - e assim foram fundados os lugares São João, Santo Antônio, Tamancão, Frecheiras e Frecheiras da Lama, este último já no estado do Piauí [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 230].
Cândida Castello Branco [primeira do nome] [Candoca] e Raimundo Gomes de Almeida [Mundoco] foram pais de:
40566VIII-1Dácio Castello Branco de Almeida [v. 40.569].
40567VIII-2Heitor Castello Branco de Almeida [v. 40.570].
40568VIII-3Eunábio Castello Branco de Almeida, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se.
40569VIII-1DÁCIO CASTELLO BRANCO DE ALMEIDA, n. 07-05-1903 em Buriti dos Lopes PI, f. 26-10-1991 em Parnaíba. Fazendeiro. Prefeito de Buriti dos Lopes [1939-45]. Casou-se em 11-01-1936, em Buriti dos Lopes, com sua prima CARMEN PIRES CASTELLO BRANCO [40.569a], n. 14-06-1913 em Parnaíba, f. 06-06-2008 tb. em Parnaíba [v. 40.540].
40570VIII-2HEITOR CASTELLO BRANCO DE ALMEIDA, n. 14-01-1901 em Buriti dos Lopes, f. 10-07-1951 em Parnaíba. Casou-se em Parnaíba com FENICE MAZULLO [40.570a], n. 16-10-1897 em Palermo, na Itália, f. 29-08-1978 em Parnaíba. Filha de Giuseppe Mazullo (n. em Palermo, f. em Parnaíba; farmacêutico formado em Nápoles; farmacêutico em Parnaíba). Foram pais de:
40571IX-1Teresa de Maria Mazullo de Almeida [v. 40.573].
40572IX-2Maria Enice Mazullo de Almeida, n. em Parnaíba. Casou-se.
40573IX-1TERESA DE MARIA MAZULLO DE ALMEIDA, n. 29-05-1927 em Parnaíba. Casou-se em Parnaíba com JOÃO PIRES SANTANA BARBOSA [40.573a], n. 29-07-1912 no Maranhão, na fazenda Santa Maria, f. 03-08-1996 em Teresina. Comerciante em Teresina. Filho de Lúcia Pires de Santana e de Raimundo Alves Barbosa. Neto materno de José de Souza Pires (n. 1835 na fazenda Beiru, no antigo município de Barras, atual Esperantina, f. em Olho d'Água dos Pires, atual Esperantina) e de Lúcia Maria Perpétua da Conceição de Souza (n. na fazenda Olho d'Água Grande, em Barras). [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 128, 143, 148-9.]
40574VII-3FLORINDO DEMÉTRIO CASTELLO BRANCO, n. <1887> em Buriti dos Lopes. Casou-se com RAIMUNDA ARAÚJO [MUNDOCA] [40.574a], n. em Buriti dos Lopes. Foram pais de:
40575VIII-1Nympha Castello Branco [v. 40.581].
40576VIII-2Enoque Castello Branco [v. 40.582].
40577VIII-3Idalina Castello Branco [v. 40.583].
40578VIII-4Ana Rosa Castello Branco, n. em Buriti dos Lopes. Solteira.
40579VIII-5Maria do Patrocínio Castello Branco [v. 40.584].
40580VIII-6Francisca Castello Branco [quarta do nome] [v. 40.585].
40581VIII-1NYMPHA CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com WENCESLAU PIRES DE SAMPAIO [40.581a], n. em Buriti dos Lopes. Prefeito de Buriti dos Lopes. Deputado estadual no Piauí em várias legislaturas. Filho de Gervásio Pires de Sampaio (n. 07-06-1868 na fazenda Bacuri, f. 08-11-1941 em Parnaíba, s. em Buriti dos Lopes; contra-almirante; chefe político em Buriti dos Lopes; deputado estadual [1909]; vice-governador do Piauí [1916-20]) e de Estephania [...] (f. em Teresina). Irmão de Alice Pires de Sampaio. Meio-irmão, pelo lado materno, de Odete, Nicanor e Horácio [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 38-9]. s/g
40582VIII-2ENOQUE CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com EULÁLIA SOUZA [LALINHA] [40.582a], n. em Buriti dos Lopes. Filha de Tomaz Romão de Souza (n. em Buriti dos Lopes; coronel; foi dono do cartório de Buriti dos Lopes) e de Maria Olinda Leódido [v. 40.289]. Neta paterna de Antônio Romão de Souza e de um relacionamento com Maria Portela (Antônio Romão de Souza era casado com Mariana [...], n. no Maranhão). Neta materna de Mariano Lucas Leódido [Mariano Lucas Castello Branco] [v. 40.288] e de Ângela Gomes Olinda.
40583VIII-3IDALINA CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com BENEDITO AMARO DE ARAÚJO [40.583a], n. em Buriti dos Lopes. Filho de Antônio Romão de Souza (casado com Mariana [...], n. no Maranhão) e de um relacionamento com Maria Sambaque de Araújo.
40584VIII-4MARIA DO PATROCÍNIO CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com seu primo JOSÉ RAMOS LEÓDIDO [JUCA] [40.584a] [v. 40.298], n. em Buriti dos Lopes. Filho de José Lucas Leódido e de Ana Clides Ramos. Neto de Mariano Lucas Leódido [Mariano Lucas Castello Branco] [v. 40.288] e de Ângela Gomes Olinda.
40585VIII-6FRANCISCA CASTELLO BRANCO [quarta do nome], n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com FRANCISCO VAL [40.585a], n. em Buriti dos Lopes. Foi Prefeito de Buriti dos Lopes. Os Val são uma família muito conhecida em Buriti dos Lopes. Avós de:
40586IX-1Francisca Castello Branco Neta. Vereadora em Parnaíba. Em 2012 era a presidente da Câmara municipal de Parnaíba.
40587VII-4FRANCISCA INÚLIA CASTELLO BRANCO, n. <1888> em Buriti dos Lopes, f. em Parnaíba. Casou-se em Buriti dos Lopes com seu primo JOSÉ LUCAS CASTELLO BRANCO [40.587a] [v. 40.271], n. em Piracuruca. Filho de Florência Castello Branco e de Bernardo Lucas Mateus. [V. descendência do casal em 40.274.]
40588VII-5JOSÉ CASTELLO BRANCO [ZECA], n. <1889> em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com MARIA BOSON RIBEIRO [MARICUTA] [40.588a], n. em Buriti dos Lopes. Parenta de José Boson Ribeiro (n. 21-01-1895 em Barras, f. 07-06-1920 em Luzilândia PI), casado com Jacy Pires de Sampaio (n. 06-12-1898 na fazenda Cajazeiras de Cima, no município de Buriti dos Lopes) [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 39]. José Castello Branco [Zeca] e Maria Boson Ribeiro [Maricuta] foram pais de:
40589VIII-1João Bosco Castello Branco [v. 40.592].
40590VIII-2José de Anchieta Castello Branco [v. 40.607].
40591VIII-3Maria Tereza Castello Branco [v. 40.608].
40592VIII-1JOÃO BOSCO CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se com ANA ELISA CALDAS [40.592a]. Pais de:
40593IX-1Maria de Fátima Caldas Castello Branco [v. 40.600].
40594IX-2João Bosco Castello Branco Júnior [v. 40.601].
40595IX-3Kátia Caldas Castello Branco [v. 40.602].
40596IX-4Marcus Antônio Caldas Castello Branco [v. 40.603].
40597IX-5Vanessa Caldas Castello Branco, n. em Parnaíba. Casou-se.
40598IX-6Quênia Caldas Castello Branco [v. 40.604].
40599IX-7Allan Caldas Castello Branco [v. 40.606].
40600IX-1MARIA DE FÁTIMA CALDAS CASTELLO BRANCO, n. em Parnaíba. Casou-se com EDUARDO NEVES MARQUES [40.600a].
40601IX-2JOÃO BOSCO CASTELLO BRANCO JÚNIOR, n. em Parnaíba. Casou-se com LIANGE FERRAZ [40.601a].
40602IX-3KÁTIA CALDAS CASTELLO BRANCO, n. em Parnaíba. Casou-se com LAURO CORDEIRO [40.602a].
40603IX-4MARCUS ANTÔNIO CALDAS CASTELLO BRANCO, n. em Parnaíba. Casou-se com ISA PAZ [40.603a].
40604IX-5QUÊNIA CALDAS CASTELLO BRANCO, n. em Parnaíba. Casou-se com WAGNER SEREJO CIARLINI [40.604a]. Neto de Ciro Piccinini Ciarlini (construtor em Parnaíba). Pais de:
40605X-1Daniel Castello Branco Ciarlini, n. em Parnaíba. Formado em letras. Escritor. Publicou A face oculta da literatura piauiense [Parnaíba, 2011].
40606IX-7ALLAN CALDAS CASTELLO BRANCO, n. em Parnaíba. Casou-se com ALEXANDRA DE MORAES SOUZA OLIVEIRA [40.606a]. Filha de Maria Christina de Moraes Souza e de Alexandre Alves Oliveira. Sobrinha de Francisco de Assis de Moraes Souza [Mão Santa] (médico; prefeito de Parnaíba; senador; governador do estado do Piauí), casado com Adalgisa Fortes Carvalho [v. 41.757, Jacob Gayoso Castello Branco] [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 134].
40607VIII-2JOSÉ DE ANCHIETA CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se com MARIA DO SOCORRO FIÚZA [40.607a]. Têm descendência.
40608VIII-3MARIA TEREZA CASTELLO BRANCO [TEREZINHA], n. em Buriti dos Lopes. Casou-se com JOSÉ FERNANDO DA PONTE [40.608a], n. em Santana do Acaraú CE. Poeta. Escritor. Primo de Temístocles Frederico da Ponte (n. em Santana do Acaraú; farmacêutico em Parnaíba; membro do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Parnaíba), casado com Maria Célia Vasconcelos (n. em Santana do Acaraú; professora em Parnaíba), primos entre si, pais de Ailton Vasconcelos Ponte (n. em Parnaíba; advogado [v. 45.386, §2, João Paulo Diniz]). Têm descendência.
40609VI-3ÂNGELA SAVINA CASTELLO BRANCO, n. em Buriti dos Lopes. Casou-se em Buriti dos Lopes com JOAQUIM MARIA NUNES [40.609a].
40610III-3ANNA PULCHERIA DO MONTE SERRATE CASTELLO BRANCO, n. em Oeiras. Em 1812 tinha um rancho na passagem para o Canindé, em terras de sua fazenda do Alegre, no município de Oeiras. Casou-se em primeiras núpcias, em Oeiras, com seu primo ANTÔNIO JOSÉ LEITE PEREIRA CASTELLO BRANCO [40.610a], n. em Oeiras [v. 42.967]. Coronel. Funcionário real no Piauí [Chaves, 2005, p. 286, 296, 310, 346, 390; Miranda, 2004, p. 142]. Filho de Luiz Carlos Pereira de Abreu Bacellar [primeiro do nome] (capitão-mor) e de Archangela Úrsula da Cunha Mesquita Castello Branco [v. 42.964]. Foram pais de: xxx
40611.IV-1Félix José Leite Pereira Castello Branco, n. em Oeiras. Capitão comandante de companhia militar. ATENÇÃO
40611IV-2João José Leite Pereira Castello Branco, n. em Oeiras. Padre; presbítero da Ordem de São Pedro; foi nomeado vigário colado à nova freguesia de São Gonçalo de Amarante em 22-03-1804. Descendente dos fundadores desse aldeamento indígena, onde permaneceu como titular por longos anos. Visitou diversos pontos da província do Piauí, acompanhando o governador Carlos César Burlamaqui [Carlos César Francisco Burlamaqui] [v. 43.513], partindo de Oeiras com destino a Parnaíba em 20-07-1806, passando pela aldeia de São Gonçalo e atravessando o povoado da barra do rio Poty (hoje, Teresina) e as vilas de Campo Maior e Piracuruca [Chaves, 2005, p. 126; Miranda, 2004, p. 26-7, 121, 126, 142-4; Pereira da Costa, 1909, p. 114, 130]. s/g
40610_2nIII-3... ANNA PULCHERIA DO MONTE SERRATE CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias, em Oeiras, com ANTÔNIO PEREIRA DA SILVA [segundo do nome] [filho] [40.610b], n. em Oeiras, f. em Valença PI [v. 43.385]. Coronel. Membro da junta de governo do Piauí em 1776. Abastado fazendeiro e agricultor. Filho de Antônio Pereira da Silva e de Maria da Purificação [...] [Ferraz et al., 1926, p. 17, 23]. [V. descendência do casal em 43.381.]

40612II-1ANTÔNIO CARVALHO DE ALMEIDA [primeiro do nome], n. na freguesia de Videmonte, orago de São João Baptista, concelho de Linhares (hoje extinto), em Portugal, f. provavelmente depois de 1768, ano do casamento de seu filho Antônio, e antes de 1778, quando do casamento de sua filha Anna Maria, na fazenda Taboca, no atual município de Esperantina. Segundo Miguel Borges [1878, p. 138], Antônio Carvalho de Almeida e sua esposa foram os primeiros habitantes do lugar Batalha. Conforme pesquisas recentes de Valdemir Miranda de Castro [comunicação pessoal, agosto de 2012 - v. 40.950], o lugar Batalha surgiu a partir da carta de data da sesmaria Caraíbas, concedida em 18-07-1737 a Maria Eugênia de Mesquita Castello Branco pelo governador da província do Maranhão e Grão-Pará, João de Abreu Castello Branco. Em terras dessa sesmaria, Antônio Carvalho de Almeida fundou uma fazenda situada na margem direita do rio Longá, lindando com terras de Manoel da Costa Madureira. Irmão de Manuel Carvalho de Almeida [v. 41.101] (casado com Clara da Cunha e Silva Castello Branco [v. 41.103]), do padre Miguel de Carvalho, do padre Thomé de Carvalho e Silva e do padre Inocêncio Carvalho de Almeida [Mello, 1991, p. 28-9, 32, 78, 85]. Filho de Belchior Gomes da Cunha e de Isabel Rodrigues. Segundo alguns autores, sobrinho de Bernardo Carvalho de Aguiar [v. 41.101, §4].
No século XVII, as minas de ouro onde hoje se encontra a cidade de Jacobina (conhecida também como Jacobina do Norte ou Jacobina Velha), na Bahia, atraíram os bandeirantes paulistas. No início do século seguinte a exploração ainda era clandestina, mas a partir de 1722 a mineração passou a ser controlada pela Coroa portuguesa. Em 1726, por provisão do Conselho Ultramarino, o governo da Metrópole mandou criar uma casa de fundição no município baiano. A arrecadação passou em pouco tempo a cerca de 3.841 libras de ouro. Antônio Carvalho de Almeida veio para o Brasil para servir à Coroa portuguesa como capitão de ordenanças na guarnição militar de Jacobina. Em 1723 existiam no Piauí somente três freguesias (o equivalente a vila ou povoado, nos termos da administração eclesiástica): Oeiras, Piracuruca e Longá. Na época, a freguesia de Campo Maior pertencia ao bispado de Pernambuco. O padre Thomé de Carvalho e Silva, que havia sido o vigário da Mocha, atual Oeiras, recebeu terras na freguesia do Longá por serviços prestados à Igreja, fundando ali as fazendas Victoria e Tranqueira, ao longo do rio Longá.
O capitão-mor Antônio Carvalho de Almeida e um de seus irmãos, o padre Thomé de Carvalho e Silva, pleitearam e receberam cartas de data de sesmaria em 1739, por serviços prestados ao reino de Portugal, em nome de três de seus filhos e sobrinhos. Sustentaram o pleito no fato de ali terem fundado fazendas de gado vacum havia mais de 33 anos, ao longo do rio Longá, do lado direito, rio acima, entre a atual divisa com o município e a antiga freguesia de Piracuruca, no estreito do rio dos Matos (antigo Mato Grosso), onde começava a fazenda da Victoria, até a fazenda Boa Esperança, passando pela fazenda da Tranqueira, até lindar com a antiga fazenda Taguary, na confluência do riacho Taguari. Antônio Carvalho de Almeida [primeiro do nome] casou-se em <1725>, em Parnaíba, com MARIA EUGÊNIA DE MESQUITA CASTELLO BRANCO [40.612a], n. <1710> em Parnaíba, f. provavelmente no sítio Batalha, onde hoje se encontra a cidade de Batalha [v. 40.024]. Filha de João Gomes do Rego Barros e de Anna Castello Branco de Mesquita.
Antônio Carvalho de Almeida [primeiro do nome], depois de se casar, retornou ao seu posto na guarnição de Jacobina Velha, na Bahia, onde nasceram quatro de seus filhos. O casal se transferiu definitivamente para a fazenda Victoria, situada em terras do atual município de Esperantina, poucos anos antes de receber as cartas de data de sesmarias, em 1739, visto que as fazendas Boa Esperança, Tranqueira e Victoria estavam nas mãos de um irmão de Antônio, o padre Thomé de Carvalho e Silva [Carvalho, 2007, p. 69-77, 83-9; Castro, 1999, Anexos; Chaves, 2005, p. 418-21; Ferraz et al., 1926, p. 15, 18; Machado, 2002, p. 21; Melo, 1983; Pires Ferreira, 1958, v. 15, p. 537]. Antônio Carvalho de Almeida [primeiro do nome] e Maria Eugênia Mesquita Castello Branco construíram sua casa-grande no sítio (local) da fazenda da Victoria e lhe deram nome de Taboca. A casa-grande foi edificada na margem esquerda da confluência do riacho Tabocas com o rio Longá, no antigo município de Parnaíba, depois Barras, atual Esperantina. Foram pais de:
40613III-1Anna Rosa Pereira Tereza do Lago [v. 40.618].
40614III-2Antônio Carvalho de Almeida [segundo do nome] [filho] [v. 40.619].
40615III-3Miguel de Carvalho e Silva [v. 40.913].
40616III-4Antônio de Carvalho Castello Branco, n. em Jacobina (ou Jacobina do Norte, ou Jacobina Velha), na Bahia, f. provavelmente no atual município de Esperantina. Fazendeiro. Por serviços prestados ao reino de Portugal, o capitão-mor Antônio Carvalho de Almeida e seu irmão, o padre Thomé de Carvalho e Silva, antigo vigário da Mocha (depois Oeiras) pleitearam e receberam, em nome de seu filho e sobrinho Antônio de Carvalho Castello Branco [segundo do nome], uma carta de data de sesmaria em 20-07-1739, no sítio chamado Tranqueira. Nesse pleito, fundamentaram o pedido no fato de ali haverem fundado uma fazenda de gado vacum, conhecida como Tranqueira, havia mais de 33 anos. A fazenda Tranqueira, que começava na divisa com a fazenda Victoria, estendia-se até lindar com a fazenda Boa Esperança, ao longo da margem direita do Longá, rio acima, e media 3 léguas de terra de comprido (19.800 metros) por 1 légua de largo (6.600 metros) [Castro, 1999, Anexos]. Casou-se?
40617III-5Anna Maria de Mesquita [v. 41.099].
40618III-1ANNA ROSA PEREIRA TEREZA DO LAGO, n. <1726> em Jacobina (ou Jacobina do Norte, ou Jacobina Velha), na Bahia, f. em Livramento. Casou-se na casa-grande da fazenda Taboca, no atual município de Esperantina, com seu primo FRANCISCO DA CUNHA E SILVA CASTELLO BRANCO [40.618a] [v. 41.102], n. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, no município de Livramento (atual José de Freitas), f. tb. em Livramento. Capitão do regimento de cavalaria auxiliar da guarnição de Oeiras. Com o sequestro dos bens dos jesuítas, em 10-03-1760, a ele foi legada a fazenda Água Verde, por serviços prestados à província do Piauí. Aparentemente, encontrava-se vivo em <1777>, quando pediu a um sobrinho, o cônego Antônio Borges Leal Castello Branco [v. 42.980], que lhe enviasse um pedreiro da Bahia para ajudar na recuperação da capela da fazenda Boa Esperança, em Livramento [Borges, 1878, p. 48, 63, 136; Pereira da Costa, 1909, p. 61, 93]. Filho de Manuel Carvalho de Almeida e de Clara da Cunha e Silva Castello Branco [primeira do nome]. [V. descendência do casal em 41.111.]
40619III-2ANTÔNIO CARVALHO DE ALMEIDA [segundo do nome] [filho], n. <1728> em Jacobina (ou Jacobina do Norte, ou Jacobina Velha), na Bahia, f. no então município de Barras. Abastado fazendeiro em Barras, com gado vacum e grandes plantações de algodão. Por serviços prestados ao reino de Portugal, o capitão-mor Antônio Carvalho de Almeida e seu irmão, o padre Thomé de Carvalho e Silva, antigo vigário da Mocha (depois Oeiras), pleitearam e receberam, em nome de seu filho e sobrinho Antônio Carvalho de Almeida [segundo do nome], uma carta de data de sesmaria em 13-07-1739, no sítio chamado Victoria. Nesse pleito, fundamentaram o pedido no fato de ali terem fundado, havia mais de 33 anos, uma fazenda de gado vacum conhecida como Victoria. A fazenda Victoria começava na divisa com o município e antiga freguesia de Piracuruca, no estreito do rio dos Matos (antigo Mato Grosso), e se estendia até lindar com a fazenda da Tranqueira, ao longo do rio Longá, do lado direito do rio acima, medindo 3 léguas de terra comprida (19.800 metros) por 1 légua de largo (6.600 metros). Nessa sesmaria foi construída a famosa casa-grande da Taboca, por Antônio Carvalho de Almeida e Maria Eugênia de Mesquita Castello Branco [Castro, 1999, Anexos].
Antônio Carvalho de Almeida [segundo do nome] [filho] casou-se em <1768>, no atual município de Batalha, com ANNA MARIA DA CONCEIÇÃO RODRIGUES [40.619a], n. no então município de Barras, atual município de Batalha, f. no então município de Barras. Foram pais de:
40620IV-1José Carvalho de Almeida [v. 40.621].
40621IV-1JOSÉ CARVALHO DE ALMEIDA, n. 1770 no sítio-fazenda do Meio, no antigo município de Barras, f. 30-03-1869 tb. em Barras, s. no cemitério da Confraria de Nossa Senhora da Vila de Barras (destruído irresponsavelmente no penúltimo quartel de século XX por políticos da cidade), e não na igreja matriz da vila de Barras, por ele mandada construir com proventos próprios, como era seu desejo. Opulento fazendeiro, com várias propriedades nos antigos municípios de Campo Maior e Barras, residia no sítio-fazenda do Meio, em Barras. Desde muito jovem, em 1793, foi por duas vezes destacado pela junta de governo da província do Piauí para o lugar denominado Pedra do Sal, na hoje conhecida Ilha Grande de Santa Isabel, no delta do Parnaíba. Em 1797 foi destacado pelo governador da província para a cidade de Oeiras, por um período de 47 dias, e em 1815 por 35 dias, novamente pelo governador, para Oeiras. Nesse mesmo ano de 1815, foi nomeado alferes do regimento de infantaria de milícias do antigo município de Campo Maior, sendo imediatamente elevado a tenente. Em 1824 foi promovido ao posto de capitão, chegando a coronel comandante superior da Guarda Nacional de Barras em 1851. Em 1863 foi reformado.
Em 1819, quando do falecimento de Francisco Borges Leal Castello Branco [v. 42.990] (administrador dos bens deixados por Manuel da Cunha Carvalho [v. 42.963] e Manuel José da Cunha [v. 42.583]), sogro de José Carvalho de Almeida, este passou a tomar conta da administração da capela de Barras e do espólio de Manuel da Cunha Carvalho e Manuel José da Cunha, que incluía quantias em dinheiro e várias fazendas. Em 14-07-1831, José Carvalho de Almeida lançou os fundamentos de uma nova capela para o povoado de Barras, mais tarde tornada igreja matriz. Nessa época a população do antigo município de Barras não chegava a 5 mil pessoas.
José Carvalho de Almeida casou-se com sua prima FRANCISCA CASTELLO BRANCO [primeira do nome] [40.621a], n. no município de Campo Maior, f. na cidade de Barras [v. 42.991]. Filha de Francisco Borges Leal Castello Branco e de Anna Rosa do Lago.
OBS.: A propósito da descendência de José Carvalho de Almeida, hoje tudo leva a crer que Maria Joaquina de Jesus Castello Branco Carvalho de Almeida e João Francisco de Carvalho e Almeida não eram seus sobrinhos, à diferença do que publiquei anteriormente [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 18; 1993, v. 3, t. 2, p. 20], e, sim, seus filhos, dado que José residia no sítio-fazenda do Meio em 1815, quando foi nomeado alferes do Regimento de Infantaria de Milícias do então município de Campo Maior [Borges, 1878, p. 66], e é nesse mesmo sítio-fazenda do Meio que nasce João Francisco Carvalho de Almeida [Carvalho, 2001, p. 9, 35-6; Carvalho, 2007, p. 97-111; Gilberto de Abreu Sodré in Carvalho, 2007, p. 105-6; Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 20].
José Carvalho de Almeida e Francisca Castello Branco aparentemente tiveram dezesseis filhos, cuja ordem de nascimento ignoramos [Borges, 1878, p. 69, 84; Gonçalves, 2006, p. 28-32; Pereira da Costa, 1909, p. 254-6; Pires Ferreira, 1959, v. 15, p. 424-7]. Foram pais de:
40622V-1Maria Angélica Castello Branco [v. 40.631].
40623V-2Francisca Vitalina Castello Branco [v. 40.632].
40624V-3João José de Carvalho e Almeida [v. 40.653].
40625V-4Anna Rosa Castello Branco [primeira do nome] [v. 40.654].
40626V-5Francisco Borges de Carvalho e Almeida [v. 40.655].
40627V-6Benedicto José de Carvalho e Almeida [v. 40.885].
40628V-7Maria Joaquina de Jesus Castello Branco Carvalho de Almeida [v. 40.886].
40629V-8João Francisco de Carvalho e Almeida [v. 40.887].
40630V-9Marcellino Borges de Carvalho e Almeida, n. no município de Barras.
40631V-1MARIA ANGÉLICA CASTELLO BRANCO, n. no município de Barras. Casou-se com FRANCISCO FERREIRA LOPES [40.631a]. Filho de antiga família radicada em Campo Maior.
40632V-2FRANCISCA VITALINA CASTELLO BRANCO, n. no município de Barras. Casou-se em Barras com seu primo FRANCISCO BORGES LEAL [primeiro do nome] [40.632a]. Coronel. Irmão de Antônio Borges Leal [v. 42.994], casado com Veneranda Francisca de Almeida. Filho de Bernardo Borges Leal [v. 42.993]. Neto de João Borges Leal e de Clara da Cunha e Silva Castello Branco [v. 42.979] [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 107, 172; v. 5, p. 123]. Francisca Vitalina Castello Branco e Francisco Borges Leal residiam em Barras em 1878. Foram pais de:
40633VI-1Philomena Rosa Borges Leal [v. 40.640].
40634VI-2Joaquina Clara Borges Leal [v. 40.644].
40635VI-3Angélica Vitalina Castello Branco [v. 40.649].
40636VI-4Ana Rosa Leal Castello Branco [v. 40.650].
40637VI-5Cândida Rosa Borges Leal [v. 40.651].
40638VI-6Victoria Angélica Leal Castello Branco [v. 40.652].
40639VI-7Francisca Borges Leal [segunda do nome], n. 13-01-1862 no município de Barras.
40640VI-1PHILOMENA ROSA BORGES LEAL, n. no município de Barras, f. em Luzilândia. Casou-se em 22-01-1877, em Barras, com seu primo JOSÉ CARVALHO DE ALMEIDA [neto] [40.640a], n. 01-01-1855 na fazenda Cabeceiras, f. em Luzilândia [v. 40.907]. Fazendeiro em Luzilândia. Filho de João Francisco de Carvalho e Almeida e de Anna de Deus Pires Ferreira [Don'Anna]. Neto paterno de José Carvalho de Almeida [v. 40.621] e de Francisca Castello Branco. Foram pais de: [V. descendência dos filhos de Philomena Rosa Borges Leal e de José Carvalho de Almeida [segundo do nome] em: Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 20, 58-69.]
40641VII-1Genésio de Carvalho, n. 29-05-1885 em Luzilândia. Casou-se.
40642VII-2Maria Amélia de Carvalho, n. 31-07-1887 em Luzilândia. Casou-se.
40643VII-3Antônio de Carvalho Sobrinho, n. 07-05-1891 em Miguel Alves. Casou-se.
40644VI-2JOAQUINA CLARA BORGES LEAL, n. no município de Barras, f. tb. em Barras. Casou-se em 24-06-1872, em Barras, com seu primo ALEXANDRE DE CARVALHO E ALMEIDA [40.644a], n. 20-02-1850 na fazenda Cabeceiras, f. em Barras. Agropecuarista. Coronel [v. 40.890]. Filho de João Francisco de Carvalho e Almeida e de Anna de Deus Pires Ferreira [Don'Anna]. Neto paterno de José Carvalho de Almeida [v. 40.621] e de Francisca Castello Branco. Foram pais de: [V. descendência dos filhos de Joaquina Clara Borges Leal e Alexandre Carvalho e Almeida em: Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 20, 34-44.]
40645VII-1Philomena Rosa de Carvalho, n. 23-03-1873 em Barras. Casou-se.
40646VII-2Liduína Leal de Carvalho, n. 03-05-1874 em Barras. Casou-se.
40647VII-3Antônio Pires de Carvalho, n. 05-03-1876 em Barras, f. 10-04-1876 tb. em Barras, com 35 dias.
40648VII-4Antônio Borges de Carvalho, n. 10-06-1878 em Barras, f. 07-12-1878 tb. em Barras, com seis meses.
40649VI-3ANGÉLICA VITALINA CASTELLO BRANCO, n. no município de Barras. Casou-se em Barras com CUSTÓDIO LOPES DUARTE FILHO [40.649a].
40650VI-4ANA ROSA LEAL CASTELLO BRANCO, n. no município de Barras, f. 29-11-1892 em Livramento (atual José de Freitas). Casou-se em 01-09-1880, em Barras, com seu primo MANOEL PIRES FERREIRA [terceiro do nome] [40.650a], n. 04-01-1850 na fazenda Buriti, em Barras, f. 25-12-1904 no Rio de Janeiro. Fazendeiro em Barras, com a fazenda Tocalha [v. 43.820]. Filho de José Pires Ferreira [neto] e de Maria Joaquina de Jesus Castello Branco Carvalho de Almeida. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 197-201.]
40651VI-5CÂNDIDA ROSA BORGES LEAL, n. no município de Barras. Casou-se em Barras com MANOEL DA COSTA VELLOSO [40.651a].
40652VI-6VICTORIA ANGÉLICA LEAL CASTELLO BRANCO, n. no município de Barras, f. no Peixe. Casou-se no município de Barras com SILVESTRE JOSÉ DO REGO [40.652a], n. <1841> na fazenda Peixão, f. na fazenda Peixão [... primeiras núpcias deste] [v. 44.206]. Foi o segundo proprietário (por herança) da fazenda Peixão e respectiva casa-grande. Filho de Joaquim José do Rego [... segundas núpcias deste] [v. 44.199] e de Rosa Florinda Castello Branco. [V. descendência do casal em 44.912.]
40653V-3JOÃO JOSÉ DE CARVALHO E ALMEIDA, n. no antigo município de Barras; já era falecido em 1878. Casou-se com PORCINA PERES [40.653a], n. na vila de Barras. Filha de Leandro Peres.
40654V-4ANNA ROSA CASTELLO BRANCO [primeira do nome], n. no antigo município de Barras. Casou-se com seu primo JOÃO JOSÉ DO REGO CASTELLO BRANCO [40.654a], n. em Piracuruca [v. 40.478]. Residiam em Brejo dos Anapurus MA. Filho de Francisco José do Rego Castello Branco Júnior [v. 40.476].
40655V-5FRANCISCO BORGES DE CARVALHO E ALMEIDA, n. no antigo município de Barras. Casou-se com sua prima CÂNDIDA ROSA CASTELLO BRANCO [40.655a], n. na fazenda Contente [v. 42.030]. Filha de Marcellino José da Cunha Castello Branco e de Maria Florência Castello Branco, primos entre si [Borges, 1878, p. 69; Ferraz et al., 1926, p. 162]. Foram pais de:
40656VI-1Marcellino Borges de Carvalho, n. em Barras. Funcionário da Tesouraria da Fazenda do Maranhão.
40657VI-2Cândido Borges de Carvalho [v. 40.659].
40658VI-3Francisco Borges de Carvalho Filho [v. 40.668].
40659VI-2CÂNDIDO BORGES DE CARVALHO, n. em Barras. Advogado residente em Barras em 1878. Possuía escravos em Barras em 04-05-1851. Casou-se com sua prima MARIA FLORÊNCIA DA PURIFICAÇÃO CASTELLO BRANCO [40.659a], n. em Campo Maior [v. 41.134]. Filha de Antônio Lopes Castello Branco e Silva [... segundas núpcias deste] e de Dorothea Efigênia Castello Branco [v. 41.125] [Ferraz et al., 1926, p. 162, 168]. Foram pais de:
40660VII-1Antônio Lopes de Carvalho.
40661VII-2Nelson Lopes de Carvalho [v. 40.666].
40662VII-3Afra Cândida Castello Branco [v. 40.667].
40663VII-4Cândida Afra Castello Branco.
40664VII-5João Messias Castello Branco de Carvalho.
40665VII-6José Adelino Castello Branco de Carvalho.
40666VII-2NELSON LOPES DE CARVALHO, n. em Barras. Casou-se com CARLOTA LIMA DE CARVALHO [40.666a].
40667VII-3AFRA CÂNDIDA CASTELLO BRANCO, n. em Barras. Casou-se com seu primo MARTINHO JOSÉ CORRÊA [40.667a], n. em Barras [v. 42.432]. Filho de Raymunda Rosa de Jesus Castello Branco e de Francisco Félix Corrêa [primeiro do nome]. [V. descendência do casal em 42.463.]
40668VI-3FRANCISCO BORGES DE CARVALHO FILHO, n. <1830> em Barras. Casou-se com sua prima BEATRIZ VIRGÍNIA DA SILVA CASTELLO BRANCO [40.668a], n. <1830> em Campo Maior [v. 42.558]. Filha de Silvestre José da Cunha Castello Branco e de Porcina Isabel Pereira da Silva [Ferraz et al., 1926, p. 162-4]. Foram pais de:
40669VII-1José Carvalho de Almeida Castello Branco [v. 40.672].
40670VII-2Cândido Borges Castello Branco [v. 40.853].
40671VII-3Beatriz Castello Branco [v. 40.880].
40672VII-1JOSÉ CARVALHO DE ALMEIDA CASTELLO BRANCO, n. 1858 na fazenda Cacimbas, em Campo Maior, f. <1897> em Manaus. Residia a maior parte do tempo em sua fazenda Cacimbas, porém possuía uma residência em Teresina. Casou-se em primeiras núpcias com [...] [40.672a]. Com o falecimento de sua primeira esposa, vendeu a casa em Teresina, deixou a administração da fazenda com parentes e passou a morar em São Luís. Posteriormente iria para Manaus, atraído pelo boom econômico da Amazônia e pelo fato de um parente seu, o coronel Fileto Pires Ferreira, ser governador do estado do Amazonas [1896-98].
40672_2nVII-1... JOSÉ CARVALHO DE ALMEIDA CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias, em <1879>, com LINA MENDES TEIXEIRA [40.672b]. Irmã de Joaquim Teixeira, José Higino Teixeira, Mario Dobal Teixeira, Vicente Teixeira e Hermínia Teixeira. Filha de José Alexandre Teixeira (capitão) e de Liduína Lina Josefina Rosa Tereza Filipina de Jesus Pacheco [Cunha, 1993, p. 32-78]. Foram pais de:
40673VIII-1José Alexandre Castello Branco [v. 40.681].
40674VIII-2Francisco Borges Castello Branco [v. 40.684].
40675VIII-3Maria da Soledade Castello Branco, n. 1885 em Teresina, f. solteira. s/g
40676VIII-4Benjamim Castello Branco [v. 40.831].
40677VIII-5Antônio Castello Branco [v. 40.838].
40678VIII-6Cândida Castello Branco [terceira do nome], n. 05-01-1889 na fazenda Cacimbas, em Campo Maior, f. criança.
40679VIII-7Armando Castello Branco [v. 40.839].
40680VIII-8Josepha Castello Branco, n. em Altos PI.
40681VIII-1JOSÉ ALEXANDRE CASTELLO BRANCO [JUCA], n. 1881 em Teresina. Funcionário público. Casou-se com MARIANA LOPES [MAROCA] [40.681a]. Foram pais de:
40682IX-1Maria Cecília Lopes Castello Branco [v. 40.683].
40683IX-1MARIA CECÍLIA LOPES CASTELLO BRANCO. Casou-se com seu primo ANTÔNIO LAGES CASTELLO BRANCO [40.683a], n. 04-07-1903 na fazenda Pé do Morro, no Piauí [v. 45.044].
40684VIII-2FRANCISCO BORGES CASTELLO BRANCO [CASTELLO], n. 20-03-1883 em Teresina, f. 12-03-1969 no Recife. Estudou no colégio do sr. Acrísio Pedreiras Veras e no Liceu Piauiense, em Teresina. Em 1903 foi trabalhar como caixeiro em Caxias MA. Em 1905 mudou-se para o Recife. Funcionário público do estado de Pernambuco durante 32 anos. Casou-se em 10-03-1910, no Recife, com MARIA EUGÊNIA DE FIGUEIROA FARIA [40.684a], n. 10-12-1886 no Recife, f. 05-06-1967 tb. no Recife. Filha de Felipe de Figueiroa Faria (n. 13-01-1843 no Recife, f. 17-05-1895 tb. no Recife) e de Marcionilla de Barros (n. 05-12-1854 no Recife, f. 12-09-1939 tb. no Recife). Neta paterna de Manuel Figueiroa de Faria (comendador) e de Thereza de Jesus César de Mello [Cunha, 1993, p. 41-78]. Francisco Borges Castello Branco e Maria Eugênia de Figueiroa Faria foram pais de:
40685IX-1Zadock Castello Branco [v. 40.697].
40686IX-2Zeno Castello Branco [v. 40.719].
40687IX-3Zéa Castello Branco [v. 40.726].
40688IX-4Zelita Castello Branco [v. 40.745].
40689IX-5Zélio Castello Branco [v. 40.759].
40690IX-6Zózimo Castello Branco, n. 18-07-1918 no Recife, f. 27-07-1989 tb. no Recife. Solteiro.
40691IX-7Zorilda Castello Branco [v. 40.775].
40692IX-8Zadir Castello Branco [v. 40.795].
40693IX-9Zonildo Castello Branco [v. 40.803].
40694IX-10Zares Castello Branco [v. 40.810].
40695IX-11Zeuxis Castello Branco, n. 06-01-1916 no Recife, f. 06-02-1926 tb. no Recife.
40696IX-12Zeuxis Segundo Castello Branco [v. 40.817].
40697IX-1ZADOCK CASTELLO BRANCO, n. 20-12-1910 no Recife, b. 25-03-1911 na matriz de Santo Antônio, tendo como padrinhos Cândido Borges Castello Branco [v. 40.853] e Antonieta de Alencar Gurgel. Funcionário público estadual de Pernambuco. Casou-se em 12-12-1938, no Recife, com sua prima materna BRUNILDE DE FIGUEIROA FARIA [40.697a], n. 07-01-1914 no Recife. Pedagoga. Filha de Luiz de Figueiroa Faria e de Anísia de Gusmão César. Foram pais de:
40698X-1Zeus Castello Branco [v. 40.704].
40699X-2Zadock Castello Branco Filho [v. 40.708].
40700X-3Zameika da Saúde Castello Branco [v. 40.709].
40701X-4Zitomir Castello Branco [v. 40.711].
40702X-5Zanuya Castello Branco [v. 40.713].
40703X-6Zaradeck Castello Branco [v. 40.716].
40704X-1ZEUS CASTELLO BRANCO, n. 26-09-1940 no Recife. Engenheiro civil. Casou-se em 15-12-1967 com MARIA AMÉLIA DOS SANTOS RODRIGUES [40.704a], n. 13-04-1946. Pedagoga. Filha de Lauro Rodrigues dos Santos e de Severina Leal. Pais de:
40705XI-1Fabiana Rodrigues Castello Branco, n. 21-04-1969 no Recife. Arquiteta formada em Maceió.
40706XI-2Renata Rodrigues Castello Branco, n. 17-10-1972 no Recife. Arquiteta formada em Maceió.
40707XI-3Marcelo Rodrigues Castello Branco, n. 25-04-1976 em Maceió.
40708X-2ZADOCK CASTELLO BRANCO FILHO, n. 17-03-1942 no Recife. Jornalista. Casou-se em 22-12-1983 com TEREZINHA DE JESUS LIMA DA SILVA [40.708a], n. 21-09-1950. Pedagoga. Filha de Euclides Gomes da Silva e de Madalena Sabóia.
40709X-3ZAMEIKA DA SAÚDE CASTELLO BRANCO, n. 02-02-1944 no Recife. Pedagoga. Casou-se com [...] [40.709a]. Pais de:
40710XI-1Erick Castello Branco, n. 20-03-1983 no Recife. Advogado.
40711X-4ZITOMIR CASTELLO BRANCO, n. 14-03-1947 no Recife. Comerciário. Casou-se em 21-02-1976 com MARIA DE LOURDES GOMES DA SILVA [40.711a], n. 29-07-1948. Bancária. Filha de João Gomes da Silva e de Elvira Leite. Pais de:
40712XI-1Isabela Gomes Castello Branco, n. 01-12-1979 em Jaboatão PE.
40713X-5ZANUYA CASTELLO BRANCO, n. 31-10-1952 no Recife. Bancária. Casou-se em 04-10-1985, no Recife, com ARTHUR SANDES DUARTE [40.713a], n. 02-10-1959. Engenheiro civil. Filho de Arthur José Duarte e de Vênus Sandes. Pais de:
40714XI-1Philype Castello Branco Duarte, n. 14-10-1978 no Recife.
40715XI-2Arthur Sandes Castello Branco Duarte, n. 01-01-1990 em Maceió.
40716X-6ZARADECK CASTELLO BRANCO, n. 03-06-1955 na cidade de Gravatá PE. Bancário. Casou-se em 07-04-1978 com SÔNIA MARIA DOS SANTOS ARAÚJO [40.716a], n. 09-08-1954. Filha de Valdeci Portela dos Santos e de Maria Ramos dos Santos Araújo. Pais de:
40717XI-1Zaradeck Castello Branco Filho, n. 16-05-1979 no Recife.
40718XI-2Karla Maria dos Santos Castello Branco, n. 05-07-1980 no Recife.
40719IX-2ZENO CASTELLO BRANCO, n. 02-02-1912 no Recife, b. 20-12-1912 na matriz de Santo Antônio, tendo como padrinhos sua avó materna, Marcionilla de Barros Figueiroa, e o dr. Jayme Rios. Advogado formado no Recife. Casou-se em 02-02-1945 com OSCARINA LOUREIRO LOPES [40.719a], n. 10-03-1913. Funcionária pública federal. Filha de Francisco Esteves Lopes e de Adelaide de Jesus Loureiro. Neta paterna de Francisco Lopes e de Ana Joaquina Coelho de Souza. Foram pais de:
40720X-1Maria Adelaide Lopes Castello Branco [v. 40.721].
40721X-1MARIA ADELAIDE LOPES CASTELLO BRANCO, n. 14-07-1949 no Rio de Janeiro. Casou-se em 14-01-1972 com SILVIO ACATAUASSÚ MARTINS [40.721a], n. 14-11-1947. Empresário. Filho de Sérgio Chermont Martins Ribas de Faria e de Carmen Acatauassú. Pais de:
40722XI-1Daniel Castello Branco Martins, n. 11-02-1974 no Rio de Janeiro.
40723XI-2Cynthia Castello Branco Martins, n. 23-04-1977 no Rio de Janeiro.
40724XI-3César Castello Branco Martins, n. 28-11-1980 no Rio de Janeiro.
40725XI-4Débora Castello Branco Martins, n. 05-10-1982 no Rio de Janeiro.
40726IX-3ZÉA CASTELLO BRANCO, n. 10-04-1913 no Recife, b. 07-11-1915 na igreja de Nossa Senhora do Rosário, no atual bairro de Tejipió, tendo como padrinhos José Alexandre Castello Branco, representado por Armando Castello Branco, seus tios, e Lina Mendes Castello Banco, sua avó. Pedagoga. Funcionária pública estadual em Pernambuco. Casou-se em 19-09-1939, no Recife, com ARIOLANDO DA SILVA BUENO [40.726a], n. 22-02-1912. Funcionário público federal. Filho de José Thomé Bueno e de Rosa Maria da Silva. Foram pais de:
40727X-1Ariolando da Silva Bueno Filho [v. 40.732].
40728X-2Rogênia Bueno [v. 40.735].
40729X-3Rosa Maria Bueno, n. 05-06-1946 no Recife. Pedagoga. Bacharel em letras. Professora no Recife. Solteira.
40730X-4Cláudio Bueno [v. 40.738].
40731X-5Roberto Bueno [v. 40.742].
40732X-1ARIOLANDO DA SILVA BUENO FILHO, n. 09-01-1941 no Recife. Médico cardiologista. Casou-se em 16-07-1966, no Recife, com MARIA MARGARIDA CARNEIRO DE ALBUQUERQUE [40.732a], n. 25-12-1945 no Recife. Bióloga. Filha de Luiz Carneiro de Albuquerque e de Maria Lúcia de Moraes. Pais de:
40733XI-1Luiz Henrique Carneiro de Albuquerque Bueno, n. 24-03-1967 no Recife.
40734XI-2Maria Isabela Carneiro de Albuquerque Bueno, n. 11-06-1972 no Recife.
40735X-2ROGÊNIA BUENO, n. 23-02-1943 no Recife. Assistente social. Casou-se em 07-12-1968, no Recife, com TEMÍSTOCLES CAMPELLO SOBRINHO [40.735a], n. 04-01-1941 no Recife. Corretor de imóveis e de valores. Filho de José Campello Neto e de Antônia de Oliveira. Pais de:
40736XI-1Gustavo Bueno Campello, n. 11-09-1969 no Recife. Analista de sistemas.
40737XI-2Gisele Bueno Campello, n. 18-05-1975 no Recife. Formada em desenho industrial.
40738X-4CLÁUDIO BUENO, n. 03-01-1948 no Recife. Médico endocrinologista. Casou-se em 01-01-1971, no Recife, com MARIA DO CARMO GONÇALVES [40.738a], n. 16-07-1951 no Recife. Socióloga. Filha de Antônio Gonçalves e de Alda Monteiro. Pais de:
40739XI-1Luciana Gonçalves Bueno, n. 15-03-1972 no Recife.
40740XI-2Cláudio Eduardo Gonçalves Bueno, n. 10-10-1976 no Recife.
40741XI-3Gabriela Gonçalves Bueno, n. 21-03-1981 no Recife.
40742X-5ROBERTO BUENO, n. 26-09-1951 no Recife. Médico cardiologista. Casou-se em 29-10-1977, no Recife, com THELMA FARIAS DE CASTRO [40.742a], n. 15-09-1951 no Recife. Médica hematologista. Filha de Anibal Farias de Castro e de Jaderi [...]. Pais de:
40743XI-1Roberto Bueno Filho, n. 10-05-1978 no Recife.
40744XI-2Renata Farias Bueno, n. 14-06-1980 no Recife.
40745IX-4ZELITA CASTELLO BRANCO, n. 18-12-1914 em Jaboatão PE, b. 07-11-1915 na igreja de Nossa Senhora do Rosário, no atual bairro de Tejipió, tendo como padrinhos seus tios Luiz de Figueiroa Faria e Maria da Soledade Castello Branco, esta representada por sua prima Marcionilla de Figueiroa Faria. Professora de educação física. Funcionária pública estadual em Pernambuco. Casou-se em primeiras núpcias em 08-11-1938, no Recife, com ORLANDO GOMES DA CUNHA [40.745a], n. 12-12-1904 no Recife. Artista plástico. Filho de João Miguel Gomes da Cunha e de Joanna Laura de Arruda. Neto paterno de Dorotório da Cunha Moreno e de Rita Maria Gomes de Souza. Neto materno de Manoel Januário de Arruda e de Joaquina Laura de Siqueira. Zelita Castello Branco e Orlando Gomes da Cunha foram pais de:
40746X-1Adilson Castello Branco Cunha [v. 40.748].
40745_2nIX-4... ZELITA CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias, no Recife, com SÍLVIO DA FONTE DUBEUX [40.745b] [Pires Ferreira, 2011, v. 6, p. 389]. Foram pais de:
40747X-2Tânia Maria Castello Branco Dubeux [v. 40.755].
40748X-1ADILSON CASTELLO BRANCO CUNHA, n. 02-09-1939 no Recife, b. 10-03-1940 na igreja de Nossa Senhora do Rosário da Torre, no Recife, tendo como padrinhos Francisco Borges Castello Branco e Maria Eugênia Figueiroa, seus avós maternos. Engenheiro civil, rodoferroviário e sanitarista, com especialização em barragens. Publicou Genealogia da família de Francisco Borges Castello Branco, parte da qual foi incorporada a este estudo [Cunha, 1993].
Casou-se em 29-12-1962, no Recife, com JANETE ALVES DE OLIVEIRA [40.748a], n. 28-09-1943 no bairro da Torre, no Recife. Socióloga. Filha de Otávio Bernardo de Oliveira e de Alice Alves. Neta paterna de Manoel Bernardo de Oliveira e de Ana Cursina [...]. Neta materna de Porfírio Pereira de Lacerda e de Paulina Alves. Pais de:
40749XI-1Adilson de Oliveira Castello Branco [v. 40.752].
40750XI-2Ângela de Oliveira Castello Branco [v. 40.754].
40751XI-3Adriana de Oliveira Castello Branco, n. 04-06-1967 no Recife. Enfermeira.
40752XI-1ADILSON DE OLIVEIRA CASTELLO BRANCO, n. 11-07-1964 no Recife. Engenheiro civil. Casou-se em 04-11-1988, no Recife, com LUCIMARY DE SOUZA [40.752a], n. 17-07-1964 no Recife. Pedagoga. Filha de Ayres Milano de Souza e de Mary [...]. Pais de:
40753XII-1Felipe de Souza Castello Branco, n. 10-12-1989 no Recife.
40754XI-2ÂNGELA DE OLIVEIRA CASTELLO BRANCO, n. 24-12-1965 no Recife. Fonoaudióloga. Casou-se em 09-11-1990, no Recife, com STANLEY MOORE DE CARVALHO SOARES [40.754a], n. 22-03-1962 em Teresina. Comerciante. Filho de Hugo Soares da Silva e de Maria José de Carvalho. Neto paterno de Norberto Soares da Silva e de Claudiana Soares de Carvalho Nogueira.
40755X-2TÂNIA MARIA CASTELLO BRANCO DUBEUX, n. 21-03-1949 no Recife. Secretária executiva. Casou-se em 20-09-1969, no Recife, com CARLOS ROBERTO RIBEIRO DE MEDEIROS [40.755a], n. 17-09-1945 no Recife. Filho de Augusto Monteiro de Medeiros e de Maria Arminda [...]. Pais de:
40756XI-1Carlos Roberto Castello Branco de Medeiros, n. 29-07-1970 no Recife. Engenheiro civil.
40757XI-2Sílvio Augusto Castello Branco de Medeiros, n. 06-05-1975 em Brasília.
40758XI-3Leyla Cristina Castello Branco Medeiros, n. 15-05-1980 em Natal.
40759IX-5ZÉLIO CASTELLO BRANCO, n. 18-08-1916 no Recife, b. 04-01-1917 na matriz de Casa Forte, no Recife, tendo como padrinhos Antônio do Carmo Almeida e Beatriz Figueiroa, seus tios. Funcionário público federal. Casou-se em 25-10-1947 com NOUHAY AIRES DA SILVA [40.759a], n. 05-06-1926. Filha de Veríssimo Henrique da Silva e de Matilde Halle. Pais de:
40760X-1Zoraide Castello Branco, n. 30-04-1948 no Rio de Janeiro. Médica.
40761X-2Maria Alice Castello Branco [v. 40.764].
40762X-3Cássia Castello Branco [v. 40.768].
40763X-4Francisco Veríssimo Castello Branco [v. 40.771].
40764X-2MARIA ALICE CASTELLO BRANCO, n. 02-11-1949 no Rio de Janeiro. Casou-se em 07-12-1974, no Rio de Janeiro, com MANUEL LOPES GOMES [40.764a]. Comerciante. Filho de Joaquim Gomes e de Odete Lopes. Pais de:
40765XI-1Rodrigo Castello Branco Gomes, n. 05-11-1975 no Rio de Janeiro.
40766XI-2Paulo Castello Branco Gomes, n. 03-02-1979 no Rio de Janeiro.
40767XI-3Vanessa Castello Branco Gomes, n. 29-07-1980 no Rio de Janeiro.
40768X-3CÁSSIA CASTELLO BRANCO, n. 20-11-1950 no Rio de Janeiro. Casou-se em 10-06-1976, no Rio de Janeiro, com MÁRIO DE OLIVEIRA FILHO [40.768a]. Comerciante. Filho de Mário de Oliveira e de Júlia Fernandes. Pais de:
40769XI-1Flávio Henrique Castello Branco de Oliveira, n. 22-04-1977 no Rio de Janeiro.
40770XI-2Bárbara Castello Branco de Oliveira, n. 10-07-1981 no Rio de Janeiro.
40771X-4FRANCISCO VERÍSSIMO CASTELLO BRANCO, n. 02-09-1955 no Rio de Janeiro. Comerciante. Casou-se em 14-11-1979, no Rio de Janeiro, com ITELVINA RITA TULER GOMES [40.771a]. Filha de José de Souza Gomes e de Maria Darcília Tuler. Pais de:
40772XI-1Caroline Tuler Castello Branco, n. 27-07-1981 no Rio de Janeiro.
40773XI-2Marcela Tuler Castello Branco, n. 26-06-1983 no Rio de Janeiro.
40774XI-3Rafaela Tuler Castello Branco, n. 19-04-1990 no Rio de Janeiro.
40775IX-7ZORILDA CASTELLO BRANCO, n. 02-11-1919 no Recife, b. 20-12-1920 na matriz de Santo Antônio, tendo como padrinhos Armando de Souza Moraes e Áurea de Carvalho. Intérprete de canções entre os anos de 1937 e 1943, adotava o nome Zorilda Castellar. Casou-se em 16-12-1944, no Recife, com JOEL DA MOTTA SILVEIRA [40.775a], n. 20-07-1916 no Recife. Advogado formado no Recife. Filho de Luiz da Motta Silveira e de Maria Elisa Arruda. Pais de:
40776X-1Paulo Castello Branco da Motta Silveira [v. 40.780].
40777X-2Nadja da Motta Silveira [v. 40.784].
40778X-3Fernando da Motta Silveira [v. 40.789].
40779X-4Sérgio da Motta Silveira [v. 40.791].
40780X-1PAULO CASTELLO BRANCO DA MOTTA SILVEIRA, n. 30-05-1946 no Recife. Engenheiro civil. Casou-se em 01-09-1973 com VERA LÚCIA FERRAZ [40.780a], n. 31-07-1948. Filha de Cornélio de Souza Nogueira e de Minervina Nunes. Pais de:
40781XI-1Marcelo Ferraz da Motta Silveir a, n. 03-01-1975 no Recife. Engenheiro civil.
40782XI-2Nathaly Ferraz da Motta Silveira, n. 28-10-1976 no Recife.
40783XI-3Paulo Castello Branco da Motta Silveira Filho, n. no Recife, f. 22-02-1978 tb. no Recife, horas depois de nascer.
40784X-2NADJA DA MOTTA SILVEIRA, n. 30-06-1947 no Recife. Pedagoga. Casou-se em 20-07-1971, no Recife, com JOSÉ FERNANDO MALTA [40.784a], n. 17-10-1942. Engenheiro civil. Filho de Pedro Cavalcanti Malta e de Maria José [...]. Pais de:
40785XI-1José Fernando Malta Filho, n. 26-01-1972 no Recife. Engenheiro civil.
40786XI-2José Ricardo da Motta Silveira Malta, n. 08-09-1973 no Recife. Farmacêutico.
40787XI-3Ana Carolina da Motta Silveira Malta, n. 22-06-1976 no Recife.
40788XI-4Ana Paula da Motta Silveira Malta, n. 14-02-1978 no Recife.
40789X-3FERNANDO DA MOTTA SILVEIRA, n. 23-10-1951 no Recife. Casou-se em 07-04-1979, no Recife, com WALDEREZE FREITAS MATHIAS [40.789a], n. 17-03-1957 no Recife. Filha de Manoel Antônio Mathias e de Clarisse Freitas. Pais de:
40790XI-1Tatiana Freitas Mathias da Motta Silveira, n. 10-05-1980 no Recife.
40791X-4SÉRGIO DA MOTTA SILVEIRA, n. 30-05-1957 no Recife. Empresário. Casou-se em primeiras núpcias com OLÍMPIA CALADO [40.791a]. Pais de:
40792XI-1Raulina Eliza Calado da Motta Silveira, n. 26-09-1979 no Recife.
40791_2nX-4... SÉRGIO DA MOTTA SILVEIRA casou-se em segundas núpcias com KATIA MARIA VALENÇA [40.791b], n. 12-09-1972. Pais de:
40793XI-2Guilherme Valença da Motta Silveira, n. 22-03-1985 no Recife.
40794XI-3Nadja Gabriela Valença da Motta Silveira, n. 21-11-1986 no Recife.
40795IX-8ZADIR CASTELLO BRANCO, n. 23-08-1922 no Recife, b. 13-04-1927 na matriz de Santo Antônio, tendo como padrinhos Benjamim Castello Branco e Francisca Maria Prado, seus tios. Engenheiro civil. Casou-se em 27-01-1949, no Recife, com MARIA CLÉA DE SOUZA [40.795a], n. 02-03-1922. Pedagoga. Filha de David de Souza e de Ana Campos. Neta paterna de Antônio Clodoaldo de Souza e de Francisca Araújo. Pais de:
40796X-1Alexandre Castello Branco [v. 40.798].
40797X-2Guilherme Castello Branco [v. 40.801].
40798X-1ALEXANDRE CASTELLO BRANCO, n. 25-11-1953 no Recife. Médico. Casou-se em 14-06-1977 com SANDRA HELENA DUARTE [40.798a], n. 08-09-1956. Filha de Romeu Duarte e de Diva Alves. Pais de:
40799XI-1Alessandra Castello Branco, n. 20-02-1981 em Governador Valadares MG.
40800XI-2Analise Castello Branco, n. 10-10-1983 em Governador Valadares MG.
40801X-2GUILHERME CASTELLO BRANCO, n. 18-04-1955 no Recife. Professor universitário. Casou-se em primeiras núpcias, em 27-03-1983, com MÁRCIA DE CARVALHO [40.801a], n. 18-10-1960. Professora universitária. Filha de César de Carvalho e de Olga Ferreira. Pais de:
40802XI-1Juliana Castello Branco, n. 15-08-1985 no Rio de Janeiro.
40801_2nX-2... GUILHERME CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias, em 13-02-1992, com LUCRÉCIA PAULA CORBELLA [40.801b], n. 20-07-1971 em Córdoba, Argentina. Psicóloga. Filha de Oscar Corbella e de Gladys Sala.
40803IX-9ZONILDO CASTELLO BRANCO n. 27-01-1924 no Recife, b. 07-09-1937 na matriz da Torre, no Recife, tendo como padrinhos José Antônio das Neves e Anna Maria Figueiroa Faria, seus tios. Advogado formado no Rio de Janeiro. Casou-se em 08-06-1958 com BEATRIZ DE CARVALHO PEIXOTO [40.803a], n. 07-02-1935. Filha de Antônio Augusto de Carvalho Peixoto e de Alzira Rosa [...]. Neta paterna de Theotônio Rodrigues de Carvalho Peixoto e de Beatriz Coelho de Moura. Pais de:
40804X-1Antônio Augusto de Carvalho Castello Branco [v. 40.806].
40805X-2Maria Eugênia de Carvalho Castello Branco [v. 40.808].
40806X-1ANTÔNIO AUGUSTO DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. 08-06-1959 no Rio de Janeiro. Engenheiro civil. Empresário. Casou-se em 15-03-1986, no Rio de Janeiro, com CHRISTINA SZCZERBACKI [40.806a], n. 13-09-1963 no Rio de Janeiro. Advogada formada no Rio de Janeiro. Filha de Pedro David Szczerbacki e de Leda dos Santos. Pais de:
40807XI-1Luiza Szczerbacki Castello Branco, n. 02-05-1988 no Rio de Janeiro.
40808X-2MARIA EUGÊNIA DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. 22-05-1961 no Rio de Janeiro. Pedagoga. Casou-se em 27-06-1987, no Rio de Janeiro, com CARLOS AUGUSTO DE REZENDE [40.808a], n. 11-10-1958. Industrial. Filho de Paulo Sérgio Fagundes de Rezende e de Maria Geralda [...]. Pais de:
40809XI-1Gabriela Castello Branco de Rezende, n. 19-04-1990 no Rio de Janeiro.
40810IX-10ZARES CASTELLO BRANCO, n. 06-01-1926 no Recife, b. 08-12-1931 na matriz da Soledade, no Recife, tendo como padrinhos Olympio Vaz da Costa e Emília Pernambucano da Costa. Casou-se em 08-06-1957, no Recife, com LUIZ ALCÂNTARA CALADO LIMA [40.810a]. Funcionário público estadual em Pernambuco. Filho de José Gonçalves Lima e de Eugênia Calado. Pais de:
40811X-1Luiz Alcântara Calado Lima Júnior, n. 19-08-1960 no Recife.
40812X-2Nanci Castello Branco Lima [v. 40.814].
40813X-3Cláudia Castello Branco Lima [v. 40.816].
40814X-2NANCI CASTELLO BRANCO LIMA, n. 10-06-1964 no Recife. Casou-se em 17-12-1988, no Recife, com CARLOS PAULO LIMA [40.814a], n. 28-06-1959 no Recife. Comerciário. Filho de Severino Paulo Sobrinho e de Maria José Lima. Pais de:
40815XI-1Igor Castello Branco Lima, n. 01-06-1990 no Recife.
40816X-3CLÁUDIA CASTELLO BRANCO LIMA, n. 10-05-1967 no Recife. Assistente social. Casou-se em 04-11-1991, no Recife, com LUIZ HENRIQUE PEREIRA DE AGUIAR [40.816a], n. 23-06-1958. Professor de educação física. Filho de Nivaldo de Aguiar e de Maria Helena Pereira.
40817IX-12ZEUXIS SEGUNDO CASTELLO BRANCO, n. 16-12-1928 no Recife, b. 19-09-1939 na matriz da Torre, tendo como padrinhos Ariolando da Silva Bueno e Zéa Castello Branco, seus tios. Casou-se em 20-06-1953 com MARIA EUNICE GOMES DA SILVA [40.817a], n. 21-12-1933 no Recife. Funcionária pública federal. Filha de Antônio Batista Gomes e de Margarida Alexandrina [...]. Pais de:
40818X-1Francisco Borges Castello Branco Neto [v. 40.824].
40819X-2Kátia Cristina Castello Branco [v. 40.828].
40820X-3Zeuxis Castello Branco Júnior, n. 23-04-1968 no Recife. Economista.
40817_2nIX-12... ZEUXIS SEGUNDO CASTELLO BRANCO teve uma filha com OTÍLIA MARIA DE LIMA [40.817b]:
40821X-4Maria Zélia de Lima Castello Branco, n. no Recife.
40817_3nIX-12... ZEUXIS SEGUNDO CASTELLO BRANCO teve posteriormente dois filhos com NITA DE MELO [40.817c]:
40822X-5Fábio de Melo Castello Branco, n. no Recife.
40823X-6Márcio de Melo Castello Branco, n. no Recife.
40824X-1FRANCISCO BORGES CASTELLO BRANCO NETO, n. 25-04-1955 no Recife. Administrador de empresas. Casou-se em 01-03-1988, no Recife, com SÍLVIA HELENA DE ARAÚJO PALHANO [40.824a], n. 26-11-1961 no Recife. Médica pediatra. Filha de Geraldo Onésimo de Araújo Palhano e de Lindalva [...]. Pais de:
40825XI-1Vitor Araújo Castello Branco, n. 24-08-1987 no Recife.
40826XI-2Lucas Araújo Castello Branco, n. 21-12-1991 no Recife.
40824_2nX-1... FRANCISCO BORGES CASTELLO BRANCO NETO tivera anteriormente um filho com BERNADETE LINS PAES [40.824b]:
40827XI-3Bruno Paes Castello Branco, n. 25-01-1984 no Recife.
40828X-2KÁTIA CRISTINA CASTELLO BRANCO, n. 07-07-1957 no Recife. Economista. Casou-se em 08-12-1981, no Recife, com JACOME JOSÉ GRIZZE DE MELO [40.828a], n. 13-10-1955. Economista. Filho de Eduardo Soares de Melo e de Maria Ângela Grizze. Pais de:
40829XI-1Rafaela Fabiana Castello Branco de Melo, n. 24-06-1983 no Recife.
40830XI-2Daniela Cristina Castello Branco de Melo, n. 12-06-1985 no Recife.
40831VIII-4BENJAMIM CASTELLO BRANCO, n. 12-07-1887 em Teresina. Funcionário público. Casou-se em 03-01-1913 com FRANCISCA LEOPOLDINA GUTIERREZ MAIA PRADO [SINHAZINHA] [40.831a], n. 31-01-1894 na cidade de Viana MA. Filha de Antônio Raymundo do Prado e de Rosa Emelina Maia. Foram pais de:
40832IX-1José do Prado Castello Branco, n. <1914> em Teresina.
40833IX-2Maria de Lourdes Castello Branco [primeira do nome], n. em Teresina.
40834IX-3Dalva Castello Branco, n. em Teresina. Casou-se.
40835IX-4Paulo do Prado Castello Branco, n. em Teresina.
40836IX-5Telma Castello Branco, n. em Teresina.
40837IX-6Nícia Castello Branco, n. em Teresina. Casou-se.
40838VIII-5ANTÔNIO CASTELLO BRANCO, n. 1888 em Teresina. Capitão da Polícia Militar. Casou-se com [...] [40.838a]. Aparentemente deixaram duas filhas.
40839VIII-7ARMANDO CASTELLO BRANCO, n. 05-01-1889 na fazenda Cacimbas, em Campo Maior. Irmão gêmeo de Cândida. Fiscal de consumo. Funcionário público estadual. Casou-se em primeiras núpcias com MARIA DÁCIA DO REGO MONTEIRO [40.839a], n. 15-03-1902 em União PI. Pais de:
40840IX-1Maria Zorilda Castello Branco, n. em Teresina.
40841IX-2José Carvalho Castello Branco, n. em Teresina.
40842IX-3Maria da Conceição Castello Branco, n. em Teresina. Casou-se.
40843IX-4Terezinha de Jesus Castello Branco, n. em Teresina. Casou-se.
40844IX-5Maria do Carmo Castello Branco, n. em Teresina. Casou-se.
40845IX-6Altivo Castello Branco, n. em Teresina.
40846IX-7Armando Castello Branco Filho, n. em Teresina, f. criança.
40847IX-8Osmar Castello Branco, n. em Teresina.
40848IX-9Lourival Castello Branco, n. em Teresina.
40849IX-10Armando Castello Branco Filho, n. em Teresina.
40850IX-11Maria de Lourdes Castello Branco [segunda do nome], n. em Teresina. Casou-se.
40839_2nVIII-7... ARMANDO CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias, em 1953, com EDITH MARQUES DE SANTANA [40.839b], n. 04-08-1921 em União. Filha de Estevão Santana e de Maria Marques. Foram pais de:
40851IX-12Antônio Santana Castello Branco, n. <1954> em Teresina.
40852IX-13Maria do Socorro Castello Branco [segunda do nome], n. em Teresina.
40853VII-2CÂNDIDO BORGES CASTELLO BRANCO, n. 01-01-1861 em Campo Maior, f. 25-04-1934 no Rio de Janeiro. General. Entrou para o Exército em 1876, servindo em vários estados brasileiros, como Ceará, Piauí, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Em 1960 foi celebrada uma missa em comemoração ao centenário de seu nascimento, numa pequena igreja em Campo Maior, tendo estado presente seu filho Humberto de Alencar Castello Branco.
Cândido Borges Castello Branco casou-se em 1891 em Messejana, em Fortaleza, com ANTONIETA DE ALENCAR GURGEL [40.853a], n. 19-09-1871 em Fortaleza, f. no Rio de Janeiro. Filha de Adelaide Antunes de Alencar (n. <1850>) e de Augusto Gurgel do Amaral (n. 13-03-1845 em Aracati CE; advogado formado no Recife em 1868; magistrado). Neta materna de Tristão Antunes de Alencar (n. 1822 em Exu PE) e de Anna Amélia Pereira de Alencar (n. <1825> em Exu), primos entre si e, também, primos do escritor cearense José de Alencar [José Martiniano de Alencar] (n. 1829 em Messejana; casado com Georgiana Augusta Cochrane) [v. Pires Ferreira, 2011, v. 6, p. 101-2]. Bisneta materno-paterna de Pedro Alves de Alencar Rodovalho (que mudou seu nome para Pedro Antunes de Alencar Rodovalho; b. ??-08-1789 na fazenda Coroci, na região de Inhamus CE, pelo padre Ignacio Pereira; f. 1862) e de Thereza Maria da Costa. Trineta materno-paterno-paterna de Francisca Alencar (n. 26-11-1757 em Exu) e de Ignacio Caetano Pimentel Rodovalho. Tetraneta de Rita da Exaltação Alencar (n. em Exu) e de Nicomedes de Teive Barra (n. na vila Viçosa, Porto Alegre, em Portugal). Pentaneta de Leonel de Alencar Rego (n. provavelmente na vila de Viana do Castelo, em Portugal; estava vivo em 1742 e já falecido em 1768; é o patriarca da família Alencar; fundou a fazenda Caiçara, em Pernambuco) e de Maria da Assumpção de Jesus (n. na Bahia, f. com idade muito avançada). Antonieta de Alencar Gurgel era neta paterna de Antônio Gurgel do Amaral (n. <1814> na fazenda Porteiras, em Aracati CE; agropecuarista; comerciante) e de Maria Joana Barbosa Correia Lima (n. na freguesia de Russas, no Ceará). Bisneta paterno-paterna de José Gurgel do Amaral Filho (n. 28-01-1774 na fazenda Porteiras, em Aracati, f. 1874 tb. em Aracati) e de Quitéria Ferreira de Barros (n. 14-10-1787 na freguesia de Aracati, no atual município de Jaguaruana CE); José Gurgel do Amaral Filho casou-se em ... segundas núpcias em 1832, em Aracati, com Maria Joaquina de Moura Ferreira [Francisco Augusto de Araújo Lima, comunicação pessoal; Lima, 2006; Moreira, 2005, p. 198, 201, 204, 209, 220, 224-5, 237, 264].
Cândido Borges Castello Branco e Antonieta de Alencar Gurgel foram pais de:
40854VIII-1Francisco de Alencar Castello Branco, n. em Messejana, f. criança.
40855VIII-2Cândido de Alencar Castello Branco [v. 40.862].
40856VIII-3João de Alencar Castello Branco, n. em Messejana, f. criança.
40857VIII-4Maria de Lourdes de Alencar Castello Branco [v. 40.864].
40858VIII-5Humberto de Alencar Castello Branco [v. 40.865].
40859VIII-6Anna de Alencar Castello Branco [v. 40.877].
40860VIII-7Beatriz de Alencar Castello Branco [v. 40.878].
40861VIII-8Lauro de Alencar Castello Branco [v. 40.879].
40862VIII-2CÂNDIDO DE ALENCAR CASTELLO BRANCO [CANDINHO], n. 27-03-1893 em Messejana, f. 18-07-1967 em Mondubim, juntamente com seu irmão, o presidente Humberto de Alencar Castello Branco, em acidente aéreo. Estudou na Escola Naval do Recife. Oficial da marinha mercante. Em 1927 entrou para o Banco do Brasil. Casou-se com AMÉLIA DORNELLAS [40.862a]. Pais de:
40863IX-1Mário Dornellas Castello Branco. Residia no Rio Grande do Sul.
40864VIII-4MARIA DE LOURDES DE ALENCAR CASTELLO BRANCO, n. 05-10-<1896> em Messejana. Casou-se com JOÃO HIPPOLYTO SIMÕES DA COSTA [40.864a]. Oficial do Exército. Deixaram descendência.
40865VIII-5HUMBERTO DE ALENCAR CASTELLO BRANCO, n. 20-09-1897 em Messejana, Fortaleza, f. 18-07-1967 em Mondubim, Fortaleza, em acidente aéreo. Estudou em Fortaleza, em Teresina e no Recife antes de entrar para Escola Militar de Rio Pardo, no Rio Grande do Sul. Em sua carreira militar, galgou sempre com distinção as promoções na hierarquia do Exército, chegando a marechal. Com a renúncia do presidente Jânio da Silva Quadros, em agosto de 1961, e a entrega do poder ao vice-presidente João Goulart, os insatisfeitos com a linha esquerdista adotada por este uniram-se com o apoio das Forças Armadas e de lideranças políticas, num movimento pela sua deposição. Esse ojetivo foi alcançado no dia 31-03-1964, com um golpe de Estado promovido pelas Forças Armadas e chancelado pelo Congresso Nacional no dia 02-04-1964, ao decretar o impeachment de João Goulart. O general Humberto de Alencar Castello Branco foi promovido a marechal depois de transferido para a reserva, sendo eleito indiretamente presidente da República, na forma do artigo 2º do Ato Institucional de 09-04-1964, e tomando posse no dia 15-04-1964. Os acontecimentos o colocavam numa posição paradoxal. Ele que durante toda a vida se mostrara um inflexível legalista terminava por ser escolhido por seus comandados como o líder inconteste do movimento, o único nome que poderia aglutinar todas as correntes das Forças Armadas. Deixou a Presidência da República em 15-03-1967 [Campos, 1994; Dulles, 1975; Skidmore, 1975, 1989; Viana Filho, 1977, 1986].
Humberto de Alencar Castello Branco casou-se em 1922, em Belo Horizonte, com ARGENTINA MARTINS VIANNA [40.865a], n. 1899 em Belo Horizonte, f. 1963 no Recife. Irmã de Hélio Martins Vianna [Hélio Vianna] (n. 05-11-1908 em Belo Horizonte, f. 06-01-1972 no Rio de Janeiro; historiador), casado com Edith de Meira Travassos (n. 15-06-1900 em Olinda PE). Filha de Arthur Vianna (comendador) e de Cherubina Martins. Argentina Vianna era certamente descendente de Manuel Ribeiro Vianna, primeiro barão de Santa Luzia [em 18-07-1841] [Vianna, in: Moya, 1943, v. 5, p. 80-91].
Humberto de Alencar Castello Branco e Argentina Vianna foram pais de:
40866IX-1Antonieta Vianna Castello Branco [v. 40.868].
40867IX-2Paulo Vianna Castello Branco [v. 40.873].
40868IX-2ANTONIETA VIANNA CASTELLO BRANCO [NIETA], n. 07-11-1922 em Belo Horizonte, f. 01-11-2010 no Rio de Janeiro. Casou-se em 1948, no Rio de Janeiro, com SALVADOR NOGUEIRA DINIZ [40.868a], n. 03-07-1921 em Campos dos Goytacazes RJ, f. no Rio de Janeiro. Economista. Foram pais de:
40869X-1Carlos Humberto Castello Branco Diniz, n. 16-03-1949 no Rio de Janeiro. Advogado. Solteiro.
40870X-2Maria Luíza Castello Branco Diniz, n. 08-11-1951 no Rio de Janeiro. Casou-se.
40871X-3João Paulo Castello Branco Diniz, n. 1959 no Rio de Janeiro. Casou-se.
40872X-4Antônio Luiz Castello Branco Diniz, n. 1962 no Rio de Janeiro. Casou-se.
40873IX-2PAULO VIANNA CASTELLO BRANCO, n. 16-12-1924 em Belo Horizonte, f. 21-08-1988 no Rio de Janeiro. Oficial da Marinha. Comandante. Capitão de mar e guerra. Em 1972, no auge do governo ditatorial do general Emílio Garrastazu Médici, tornou públicos os principais documentos do arquivo pessoal de seu pai, em que tanto o marechal Humberto de Alencar Castello Branco como as origens do movimento de 1964 mostravam-se liberais, contra a censura e a tortura. Casou-se no Rio de Janeiro com MARIA LUÍZA CARVALHO ALVIM [NENA] [40.873a], n. no Rio de Janeiro, na rua das Laranjeiras. Residente no Rio de Janeiro em 2011. Filha de Afonso Cesário de Faria Alvim (n. 1900 em Minas Gerais, f. no Rio de Janeiro) e de Mirene Canabarro de Carvalho (n. no Rio Grande do Sul, f. no Rio de Janeiro). Neta paterna de José Cesário de Faria Alvim Sobrinho (n. 08-06-1874 em Ubá MG, f. 05-07-1940 em Belo Horizonte) e de Maria de Oliveira Lage. Pais de:
40874X-1Heloisa Alvim Castello Branco, n. 19-01-1953 no Rio de Janeiro. Casou-se. Reside na Holanda.
40875X-2Helena Alvim Castello Branco, n. 1955 em São Paulo. Economista. Publicou Família: Indicadores sociais, v. 1: 1981-1987 [Rio de Janeiro: IBGE, 1989]. Solteira.
40876X-3Cristina Alvim Castello Branco [Kiki], n. 1958 no Rio de Janeiro. Solteira.
40877VIII-6ANNA DE ALENCAR CASTELLO BRANCO [NINA], n. <1899> em Messejana. Casou-se com MANOEL SANTOS DIAS [40.877a].
40878VIII-7BEATRIZ DE ALENCAR CASTELLO BRANCO, n. em Messejana. Casou-se com ALARICO GONÇALVES [40.878a].
40879VIII-8LAURO DE ALENCAR CASTELLO BRANCO, n. em Messejana. Participou da comitiva que instalou o posto de Redenção de Santa Isabel, no sul do Pará; entre 1928 e 1930 essa unidade prosperou, mas, com a revolução de Getúlio Vargas, a obra de assistência aos índios foi levada ao abandono. Funcionário do Ministério da Fazenda. Casou-se com YOLANDA BORELLI [40.879a]. Deixaram descendência.
40880VII-3BEATRIZ CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com RICARDO JOSÉ TEIXEIRA [40.880a], n. no município de Campo Maior. Irmão de Francisco José Teixeira [coronel Teixeira], casado com Úrsula Maria de Santa Rita da Costa [v. 42.779]. Pais de:
40881VIII-1José Ricardo Teixeira, n. em Campo Maior.
40882VIII-2Raymundo José Teixeira, n. em Campo Maior.
40883VIII-3Maria de Lourdes Teixeira, n. em Campo Maior.
40884VIII-4Antônio Ricardo Teixeira, n. em Campo Maior.
40885V-6BENEDICTO JOSÉ DE CARVALHO E ALMEIDA, n. no antigo município de Barras. Casou-se com sua prima MARIANA ROSA CASTELLO BRANCO E SILVA [40.885a], n. em Campo Maior [v. 41.133]. Filha de Antônio Lopes Castello Branco e Silva (capitão; proprietário da fazenda Tapera, lugar muito conhecido entre os habitantes de Barras e famoso pelas grandes riquezas que possuíam seus primeiros proprietários) e de Anna Rosa de São José. Neta paterna de Francisco Gil Castello Branco e de Maria Eugênia Lopes Castello Branco. Bisneta paterno-materna de José Lopes da Cruz e de Francisca Maria de Jesus Castello Branco [Borges, 1878, p. 69; Ferraz et al., 1926, p. 41-2].
40886V-7MARIA JOAQUINA DE JESUS CASTELLO BRANCO CARVALHO DE ALMEIDA, n. provavelmente no sítio-fazenda do Meio, no município de Barras, f. 20-02-1856 na fazenda Esperança, tb. em Barras (quando do nascimento de seu filho Antônio), s. no pequeno cemitério ao lado da casa-grande da fazenda Esperança [Dilson Lages Monteiro, comunicação pessoal]. Casou-se em 1833, no município de Barras, com JOSÉ PIRES FERREIRA [segundo do nome] [neto] [40.886a] [... primeiras núpcias deste], n. 16-08-1809 no sítio-fazenda de Santa Cruz das Pedras Preguiças, no município de Barreirinhas MA, f. 1908 no Rio de Janeiro [v. 43.810]. Fazendeiro e tenente-coronel da Guarda Nacional. Filho de Maria da Assumpção Pires Ferreira e de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [primeiro do nome] [... primeiras núpcias deste] [v. 43.888]. [V. descendência do casal em 43.812.]
40887V-8JOÃO FRANCISCO DE CARVALHO E ALMEIDA, n. no sítio-fazenda do Meio, no município de Barras, f. 06-03-1902 na fazenda Cabeceiras, tb. no então município de Barras. Proprietário de grande quantidade de escravos, razão pela qual sua esposa, Anna de Deus [Don'Anna], era conhecida como Sinhá Grande.
OBS.: Em 1992 e 1993, publiquei equivocadamente que a fazenda Cabeceiras estava localizada na antiga data de Sussuapara, no atual município de Luzilândia. [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 296; 1993, v. 3, t. 2, p. 20, 22]. Segundo Afonso Ligório Pires de Carvalho, a fazenda Cabeceiras, com sua casa-grande e senzala - que pertenceu a João Francisco de Carvalho e Almeida e que certamente fazia parte do espólio deixado por Manuel da Cunha Carvalho [v. 42.963] e Manuel José da Cunha [v. 42.583] e que mais tarde iria para as mãos de seu pai, José Carvalho de Almeida - foi o local onde se originou o atual município de Cabeceiras, desmembrado do município de Barras [Carvalho, 2007, p. 107].
João Francisco de Carvalho e Almeida casou-se em 1841 na fazenda Beiru, no município de Barras, atual Esperantina, com ANNA DE DEUS PIRES FERREIRA [DON'ANNA] [40.887a], n. 1825 na fazenda Beiru, f. na fazenda Cabeceiras; estava viva em 1887 [v. 43.855]. Filha de João de Deus Pires Ferreira [v. 43.853] e de Clarinda Maria de Jesus Rodrigues de Carvalho. Foram pais de:
40888VI-1Carolina de Deus Pires de Carvalho [v. 40.902].
40889VI-2João Francisco de Carvalho e Almeida Filho [v. 40.903].
40890VI-3Alexandre de Carvalho e Almeida [v. 40.904].
40891VI-4Liduína Pires de Carvalho [v. 40.905].
40892VI-5Clarindo de Deus Pires de Carvalho [v. 40.906].
40893VI-6José Pires de Carvalho e Almeida, n. 1854 na fazenda Cabeceiras, f. criança.
40894VI-7Raymundo Victorino de Carvalho, n. 08-05-1855 na fazenda Cabeceiras. s/g
40895VI-8José Carvalho de Almeida [neto] [v. 40.907].
40896VI-9Antônio Carvalho de Almeida [segundo do nome]. [v. 40.908].
40897VI-10Marianna Carvalho de Almeida, n. 08-02-1862 na fazenda Sussuapara. s/g
40898VI-11Rosa Pires de Carvalho [v. 40.909].
40899VI-12Fernando Carvalho de Almeida [v. 40.910].
40900VI-13Valdivino Francisco de Carvalho [v. 40.911].
40901VI-14Lina Pires de Carvalho [v. 40.912].
40902VI-1CAROLINA DE DEUS PIRES DE CARVALHO [SINHÁ MOÇA], n. 1843 na fazenda Cabeceiras, f. no município de Luzilândia PI. Casou-se em 1859, na casa-grande da fazenda Cabeceiras, com seu tio afim BERNARDO LOPES DA COSTA E SILVA [40.902a] [... segundas núpcias deste] [v. 43.860a], n. em Viçosa da Feitoria, no município de Buriti dos Lopes (?), f. no município de Luzilândia.
40903VI-2JOÃO FRANCISCO DE CARVALHO E ALMEIDA FILHO, n. 06-05-1846 na fazenda Cabeceiras, f. 31-12-1917 em Luzilândia. Fazendeiro. Casou-se em primeiras núpcias, em 05-08-1872, com sua prima CÂNDIDA JOSEFINA MENDES [40.903a].
[V. descendência dos filhos de João Francisco de Carvalho e Almeida e de Anna de Deus Pires Ferreira [Don'Anna] em: Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 17, 20-105.]
40903_2nVI-2... JOÃO FRANCISCO DE CARVALHO E ALMEIDA FILHO casou-se em segundas núpcias em 13-09-1888, em Luzilândia, com MARIA BENVINDA MENDES BRAGA [MAROCA] [40.903b]. [V. descendência dos filhos de João Francisco de Carvalho e Almeida e de Anna de Deus Pires Ferreira [Don'Anna] em: Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 17, 20-105.]
40904VI-3ALEXANDRE DE CARVALHO E ALMEIDA, n. 20-02-1850, na fazenda Cabeceiras, f. em Barras. Fazendeiro. Casou-se em 24-06-1872, no município de Barras, com sua prima JOAQUINA CLARA BORGES LEAL [40.904a], n. no município de Barras, f. tb. em Barras.
40905VI-4LIDUÍNA PIRES DE CARVALHO, n. 1851, na fazenda Cabeceiras, f. 1875. Casou-se na casa-grande da fazenda Cabeceiras com seu primo CLARINDO FORTES DE SÁ MENEZES, n. 1845. [40.905a].
40906VI-5CLARINDO DE DEUS PIRES DE CARVALHO, n. 11-07-1853 na fazenda Cabeceiras. Fazendeiro. Coronel da Guarda Nacional. Casou-se em primeiras núpcias em 03-10-1875, na casa-grande da fazenda Cabeceiras, com sua prima CLARINDA LOPES DA COSTA E SILVA [40.906a], n. 1852 em Parnaíba, f. 17-05-1902 em Luzilândia.
40906_2nVI-5... CLARINDO DE DEUS PIRES DE CARVALHO casou-se em segundas núpcias em 19-12-1907, em Luzilândia, com ROSA RODRIGUES BACELLAR [40.906b], n. 1855 em Porto Alegre (atual Luzilândia).
40907VI-8JOSÉ CARVALHO DE ALMEIDA [neto], n. 01-01-1856 na fazenda Cabeceiras, f. em Luzilândia. Fazendeiro em Luzilândia. Casou-se em 22-01-1877, no município de Barras, com PHILOMENA ROSA BORGES LEAL [40.907a] [v. 40.633], n. em Barras, f. em Luzilândia.
40908VI-9ANTÔNIO CARVALHO DE ALMEIDA [segundo do nome], n. 15-01-1858 na fazenda Cabeceiras (hoje sede do município de Cabeceiras do Piauí), no município de Barras, f. 1935 tb. em Barras. Coronel da Guarda Nacional. Fazendeiro em Barras. Casou-se em 22-02-1879, em Barras, com sua prima ROSA FORTES PIRES FERREIRA [SINHAZINHA] [40.908a], n. 03-08-1860 em Barras, f. 23-07-1902 tb. em Barras [v. 42.529].
40909VI-11ROSA PIRES DE CARVALHO, n. 1863 na fazenda Cabeceiras. Casou-se na casa-grande da fazenda Cabeceiras com seu primo e cunhado CLARINDO FORTES DE SÁ MENEZES [40.909a] [... segundas núpcias deste], viúvo de Liduína Pires de Carvalho [v. 40.891].
40910VI-12FERNANDO CARVALHO DE ALMEIDA, n. 08-06-1864 na fazenda Cabeceiras, f. 04-01-1948 em Barras. Fazendeiro. Coronel. Industrial e comerciante em Barras [Gonçalves, 2006, p. 26-7]. Casou-se em 09-07-1887, em Barras, com sua prima VICTORIA PIRES FERREIRA [40.910a], n. 1867 em Barras, f. tb. em Barras [v. 42.534].
40911VI-13VALDIVINO FRANCISCO DE CARVALHO, n. 11-01-1866 na fazenda Cabeceiras. Fazendeiro. Tenente-coronel da Guarda Nacional. Casou-se em 22-02-1888, em Batalha, com MARIA THEODORA DE MELLO [DORA] [40.911a], n. na fazenda Araçás, no município de Batalha.
40912VI-14LINA PIRES DE CARVALHO, n. 1868 na fazenda Cabeceiras, f. 22-06-1906 em Luzilândia. Casou-se em 16-05-1886, na casa-grande da fazenda Cabeceiras, com seu primo ANTÔNIO CARVALHO DE OLIVEIRA [40.912a], n. 1866 em Luzilândia, f. 22-08-1911 tb. em Luzilândia. Fazendeiro.
40913III-3MIGUEL DE CARVALHO E SILVA, n. <1737> em Jacobina (ou Jacobina do Norte, ou Jacobina Velha), na Bahia, f. 11-09-1835, com idade muito avançada, na fazenda da Limpeza, então pertencente ao município de Parnaíba. Seu inventário está arquivado no Cartório do 1º Ofício da cidade de Parnaíba e traz a idade de seus cinco filhos. Estudou em colégio de padres jesuítas em Salvador.
Por serviços prestados ao reino de Portugal, o capitão-mor Antônio Carvalho de Almeida pleiteou em 13-07-1739, em nome de um de seus filhos, Miguel de Carvalho e Silva, uma carta de data e sesmaria do sítio chamado Boa Esperança, no atual município de Esperantina. O pleito, que seria atendido, fundamentou-se no fato de ele ali ter fundado, havia mais de 33 anos, uma fazenda de gado vacum conhecida como Boa Esperança. Tal fazenda começava nas testadas do sítio-fazenda Tranqueira e seguia na parte direita do rio Longá, rio acima, até lindar com a antiga fazenda Taquary, na confluência do riacho Taquary, medindo 1 légua de largo (6.600 metros) por 3 léguas de terra de comprido (19.800 metros), chegando onde se encontra a divisa com o atual município de Matias Olímpio, depois do sítio-fazenda conhecido hoje [2006] como Olho d'Água dos Negros (antiga fazenda Olho d'Água dos Pires, antes conhecida simplesmente como Olho d'Água), no qual existe um assentamento quilombola. Miguel de Carvalho e Silva recebeu em 03-08-1790, do desembargador dr. José Pereira da Silva Manoel, carta de data e sesmaria na região onde se encontram hoje os municípios de Batalha-Esperantina, estando tal documentação depositada no Arquivo Público de Belém no Pará. Essas terras mais tarde incluiriam, além da própria fazenda Olho d'Água, as antigas e conhecidas fazendas Jatobá, Limpeza e Chapada da Limpeza, entre outras, todas na realidade fundadas por descendentes de Miguel de Carvalho e Silva [Castro, 1999, Anexos].
Miguel de Carvalho e Silva casou-se em <1786> com sua prima ANNA ROSA CLARA CASTELLO BRANCO [40.913a], n. no antigo município de Campo Maior; estava viva em 16-11-1832, quando do batizado de seu neto Viriato Rosendo Castello Branco na matriz de Parnaíba [v. 41.117]. Filha de Francisco da Cunha e Silva Castello Branco e de Anna Rosa Pereira Teresa do Lago [Ferraz et al., 1926, p. 20, 185-7]. O casal foi residir na casa-grande do sítio Taboca (depois fazenda), situada na margem esquerda do rio Longá, no então município de Parnaíba, atual Esperantina [Pereira da Costa, 1909, p. 335-6]. Foram pais de:
40914IV-1Leonardo de Carvalho Castello Branco [v. 40.919].
40915IV-2Marianno de Carvalho Castello Branco [v. 41.016].
40916IV-3Simplício de Carvalho Castello Branco [v. 41.023].
40917IV-4Raymundo de Carvalho Castello Branco [v. 41.030].
40918IV-5Miguel de Carvalho Castello Branco [v. 41.071].
40919IV-1LEONARDO DE CARVALHO CASTELLO BRANCO [LEONARDO DE CARVALHO; LEONARDO CASTELLO BRANCO; LEONARDO DE NOSSA SENHORA DAS DORES CASTELLO BRANCO; LEONARDO DA SENHORA DAS DORES CASTELLO BRANCO], n. 1788 no sítio Taboca, depois fazenda, f. 12-06-1873 no sítio Barro Vermelho (próximo à fazenda da Limpeza), no atual município de Esperantina PI, s. provavelmente no cemitério da Limpeza. Fez os estudos primários na casa paterna, como era hábito naqueles tempos no Piauí. Desde bem jovem apreciava muito a leitura e mostrava dotes para a poesia, mas foi na agricultura que começou a vida. Com o tempo, foi se envolvendo na política e se tornou revolucionário. Foi escritor, poeta, filósofo e inventor. Por volta de 1807 fundou a fazenda Caiçara, na Lagoa Grande, e mais tarde, por volta de 1817, fundou a fazenda da Limpeza, a primeira na data e sesmaria da Tranqueira e a segunda na data e sesmaria da Boa Esperança. A fazenda da Limpeza, com sua casa-grande, distava cerca de 10 quilômetros da atual cidade de Esperantina, direção oeste da estrada PI-117, que liga Esperantina à cidade de Matias Olímpio.
Leonardo de Carvalho Castello Branco teve uma intensa vida política. Em 1821 tomou parte em Oeiras, como eleitor de paróquia, na votação que elegeu seu parente Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco [primeiro do nome] [v. 43.023] deputado pela província do Piauí, junto às Cortes Constituintes de Lisboa.
Em 1822, ano da independência do Brasil, era alferes secretário da Divisão Auxiliar do Piauí. Atuou ativamente, desde os primeiros movimentos, em prol da independência. Em 22-01-1823 aprisionou o destacamento que o major português João José da Silva Fidié deixara em Piracuruca. Em 05-02-1823 apoderou-se da vila de Campo Maior. Em 01-03-1823, ao se dirigir para Brejo dos Anapurus, no Maranhão, foi preso ao tentar sublevar a região, depois de passar pelo porto das Melancias, ao atravessar o rio Parnaíba. Recolhido à cadeia pública, foi imediatamente remetido para São Luís e encarcerado na fortaleza de Santo Antônio da Barra, na Ponta da Areia. De São Luís foi transportado no brigue Sociedade Feliz para Lisboa, onde foi recolhido à cadeia do Limoeiro. Nos cárceres de Lisboa foi confortado por seu parente Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco [v. 43.023], o ilustre deputado piauiense. Em 06-06-1823 foi indultado com todos os outros presos políticos, graças ao ato de anistia promulgado pelo governo português. Ao sair da prisão, em pagamento de uma promessa feita à sua padroeira, Leonardo de Carvalho mudou seu nome para LEONARDO DA SENHORA DAS DORES CASTELLO BRANCO. Imediatamente retornou ao Brasil, via Recife, e do Recife passou a Salvador, na Bahia, em agosto de 1823, ocasião em que ficou sabendo da rendição do major Fidié em Caxias, no Maranhão. O governo do Piauí mantinha-se fiel a Portugal. A chamada "guerra de Fidié" foi o maior conflito armado da história do Piauí, tendo sido motivado pela adesão da província à independência do Brasil, em 19 de outubro de 1822, na vila de Parnaíba. Os portugueses ali residentes ofereceram forte resistência à subordinação ao novo império, sob o comando do major Fidié. Em março de 1823, em Campo Maior, houve violenta batalha nos campos de Jenipapo, com o envolvimento de cerca de 4 mil homens, terminando com a vitória dos portugueses. Apesar disso, as forças dos independentes do Piauí, do Ceará e do Maranhão cercaram Caxias e impuseram a capitulação do major Fidié em 30-07-1823. Entre as figuras que lutaram pela independência do Brasil naquela região, encontravam-se o coronel Antônio Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.119], pai de Lívio Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.126]. Em 1824, já no Piauí e pouco tempo depois de retornar à sua província, Leonardo de Carvalho Castello Branco foi preso ao se envolver no movimento libertador pernambucano conhecido como Confederação do Equador, liderado por Frei Caneca. Depois de um ano preso em Oeiras, foi remetido em 1825 para São Luís, onde recobrou a liberdade. Foi certamente um dos vultos mais grandiosos da luta pela independência do Brasil no Piauí, embora até hoje não tenha recebido nenhum reconhecimento das autoridades federais. Em 1838, é certo que não se envolveu no movimento conhecido como Revolução dos Balaios ou Balaiada, à diferença de seu parente Lívio Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.126], por não se encontrar no Piauí. Desde muito cedo mostrou grande interesse pela mecânica, que mais tarde se tornaria uma ideia fixa para ele, um tormento em sua vida, a preocupação dominante de sua longa existência. Em 1833, partiu do Piauí para Lisboa com o intuito de retomar o projeto de criação de um moto-contínuo, para o qual julgava ter encontrado a solução definitiva. Dominado por essa obsessão, deixou a família no Piauí, partindo para concretizar seu grande sonho. Permaneceu em Portugal até 1850, ocasião em que retornou ao Brasil, indo para São Luís. Passou pela fazenda Chapada da Limpeza em visita à família e foi para Salvador, na Bahia, onde se estabeleceu por dois anos, sempre trabalhando na realização de sua grande obra, o moto-contínuo. Desiludido, partiu de Salvador para o Rio de Janeiro. Ali, apesar do auxílio do conselheiro José Antônio Saraiva, não conseguiu o apoio do imperador Pedro II para o projeto. Em 1860, já no Piauí, e até sua morte, Leonardo de Carvalho dedicaria o resto de suas forças à construção de uma enorme máquina de madeira que ele dizia ser o moto-contínuo. Também construiu uma máquina para descaroçar algodão. Sacramento Blake, no seu Dicionário Bibliográfico Brasileiro, enumera trabalhos publicados por Leonardo, escapando-lhe, porém, os que ficaram inéditos. No Brasil, segundo alguns autores, foi o primeiro a tentar a "poesia científica". Entre outros trabalhos, deixou:
- O ímpio confundido: Primeiro canto [Lisboa: Tipographia A. I. S. de Bulhões, 1835] - O ímpio confundido: Três cantos [Lisboa: Tipographia da Viúva Silva e Filhos, 1837] - O santíssimo milagre: Canção [Lisboa: Tipographia Carvalhense, 1839] - O santíssimo milagre: Poema [Lisboa: Tipographia Carvalhense, 1839] - Memória que contém a sexta parte da obra intitulada Tesouro descoberto no Rio Máximo Amazonas, de autoria do jesuíta João Daniel [manuscrito inédito datado de 15-05-1841/Lisboa, depositado no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro] - Memória acerca das abelhas da provícia do Piauí no Império do Brasil [manuscrito datado de 1842/Lisboa, depositado no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro] - Astronomia e mecânica leonardina [Lisboa: Tipographia de G. M. Martins, 1843; publicação em tomos fragmentados] - Juízo ou parecer dado em Lisboa em 1845 [Maranhão: Tipographia I. J. Ferreira, 1847] - A criação universal [Rio de Janeiro: Tipographia Nacional, 1856] [Borges, 1878, p. 138-44; Chaves, 2005, p. 150-1, 290-3, 298, 432-4, 447, 452; Freitas, 1998, p. 89-103; Freitas, 2010, p. 19-30, 53, 89-100; Gonçalves, 2006, p. 61-8; Pereira da Costa, 1909, p. 148, 162, 164, 166, 170, 172, 209, 335-6; Valdemir Miranda de Castro, comunicação pessoal - v. 40.950]. Leonardo de Carvalho Castello Branco casou-se em 1807 com JUDITH MÃE DE DEUS [40.919a]. Nesse mesmo ano fundou a fazenda Lagoa Grande, mais tarde conhecida como fazenda da Lagoa da Caiçara. Desconhecemos a exata ordem cronológica do nascimento de seus filhos. Foram pais de:
40920V-1Rosa Castello Branco [primeira do nome] [v. 40.929].
40921V-2Rosa Lina Castello Branco [v. 40.930].
40922V-3Maria Leonor de Carvalho Castello Branco.
40923V-4Thereza de Carvalho Castello Branco [v. 40.999].
40924V-5Cândida Maria Castello Branco [v. 41.000].
40925V-6Leonardo de Carvalho Castello Branco [filho] [Leonardinho], n. 1817 na fazenda da Limpeza (?). Tenente. Há registro de que em 20-08-1852 foi testemunha, na matriz de Barras, do casamento dos escravos Roque e Lourença, que moravam na fazenda Barro Vermelho, de propriedade de Domingos Moreira de Carvalho [v. 41.000a].
40926V-7Constantino de Carvalho Castello Branco, n. 1821 na fazenda da Limpeza (?). Escrivão em Barras. Há registro de que em 20-08-1852 foi testemunha do casamento de Bernardo José de Souza e Maria de Jesus, na matriz de Barras. Solteiro.
40927V-8Angélica Maria Castello Branco [v. 41.014].
40928V-9Theodoro de Carvalho e Silva Castello Branco [v. 41.015].
40929V-1ROSA CASTELLO BRANCO [primeira do nome], n. na fazenda da Lagoa da Caiçara, na Lagoa Grande, a cerca de 16 quilômetros da atual cidade de Esperantina PI, perto da cachoeira do Urubu. Casou-se com seu tio paterno MIGUEL DE CARVALHO CASTELLO BRANCO [40.929a], n. na fazenda Taboca, f. na fazenda Chapada da Limpeza [v. 40.918]. Filho de Miguel de Carvalho e Silva e de Anna Rosa Clara Castello Branco. [V. descendência do casal em 41.071.]
40930V-2ROSA LINA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda da Lagoa da Caiçara, na Lagoa Grande, a cerca de 16 quilômetros da atual cidade de Esperantina PI, perto da cachoeira do Urubu, f. na cidade de Esperantina, s. aparentemente cemitério velho de Esperantina, em sepultura localizada no terreno do Arraial do Povo, de propriedade da Igreja católica. Casou-se com FRANCISCO JOSÉ DO REGO CASTRO [primeiro do nome] [40.930a], s. no cemitério da Limpeza, em Esperantina. Capitão. Fundou a fazenda Jatobá em 1900, localizada mais ou menos a 2 léguas (cerca de 13 quilômetros) da atual cidade de Esperantina, na rodovia PI-117, que vai à cidade de Matias Olímpio, entre as fazendas Limpeza e Olho d'Água dos Pires, atual Olho d'Água dos Negros. Foram pais de:
40931VI-1Felinta Maria Castello Branco [v. 40.936].
40932VI-2Lina Rosa Castello Branco [v. 40.958].
40933VI-3Rosa Lina do Rego Castello Branco [v. 40.963].
40934VI-4Adelaide Rosa Castello Branco [v. 40.970].
40935VI-5Francisco José do Rego Castro [segundo do nome] [filho] [v. 40.990].
40936VI-1FELINTA MARIA CASTELLO BRANCO, n. 17-12-1863 na Lagoa da Caiçara, f. 20-02-1934 na fazenda Mariquita, próxima à cachoeira do Urubu (fazenda que em 2006 ainda estava nas mãos da família - tronco Lustosa de Castro). Casou-se com FILOMENO DA SILVA LUSTOSA [40.936a], n. 1865 provavelmente em Lages, no município de Batalha PI, f. 04-08-1929 na Limpeza, ao campear gado, s. no cemitério da Limpeza. Residia nessa ocasião na fazenda Mariquita. Filho de Jerônimo Martins Lustosa e de Angelina Rosa da Silva. Foram pais de:
40937VII-1Francisco Lustosa de Castro, n. no lugar Saco, no município de Batalha. Casou-se.
40938VII-2Alvina Lustosa de Castro, n. na fazenda Mariquita. Casou-se.
40939VII-3Maria de Lourdes Lustosa de Castro, n. na fazenda Mariquita. Casou-se.
40940VII-4Vivina Lustosa de Castro, n. na fazenda Mariquita. Casou-se.
40941VII-5Antero Lustosa de Castro [v. 40.943].
40942VII-6Judith Lustosa de Castro, n. na fazenda Mariquita. Casou-se.
40943VII-5ANTERO LUSTOSA DE CASTRO, n. 19-12-1905 na fazenda Mariquita, f. 30-05-1981 na cidade de Esperantina PI. Casou-se em 15-10-1931 na fazenda Taboca, na freguesia de São Gonçalo de Batalha, com MARIA DE SALES CASTRO [40.943a], n. 15-01-1909 no lugar Lagoa da Barra, município de Batalha, f. 18-07-1993 em Esperantina. Foram pais de:
40944VIII-1Geraldo Lustosa de Castro [v. 40.945].
40945VIII-1GERALDO LUSTOSA DE CASTRO, n. 09-08-1932 no lugar Riacho Fundo, no município de Esperantina PI. Casou-se em primeiras núpcias em 28-11-1958, no lugar Ladeiro da Veneranda, município de Buriti dos Lopes, com MARIANA RODRIGUES [40.945a]. Pais de:
40946IX-1Sônia Rodrigues Lustosa, n. em Esperantina. Casou-se.
40947IX-2Oswaldo Rodrigues Lustosa, n. em Esperantina. Casou-se.
40948IX-3Célia Rodrigues Lustosa, n. em Esperantina. Casou-se.
40949IX-4Marilene Rodrigues Lustosa, n. em Esperantina. Casou-se.
40945_2nVIII-1... GERALDO LUSTOSA DE CASTRO casou-se em segundas núpcias em 09-09-1968, na igreja de Esperantina, com ALZIRA MIRANDA DE CARVALHO [40.945b], n. 10-02-1939 no lugar Tapera, município de Esperantina. Filha de Francisco Quaresma de Carvalho e de Liduína Miranda. Pais de:
40950IX-5Valdemir Miranda de Castro [v. 40.956].
40951IX-6Valmir Miranda de Castro, n. em Esperantina. Casou-se.
40952IX-7Waldemar Miranda de Castro, n. em Esperantina. Casou-se.
40953IX-8Valdinar Miranda de Castro, n. em Esperantina. Casou-se.
40954IX-9Geraldo Lustosa de Castro Filho, n. em Esperantina. Casou-se.
40955IX-10Valdenir Miranda de Castro, n. em Esperantina. Casou-se.
40956IX-5VALDEMIR MIRANDA DE CASTRO, n. 21-08-1969 em Esperantina PI. Licenciado em letras (português). Professor do município de Esperantina e do estado do Piauí. Advogado. Pós-graduado em metodologia do ensino e em ciências criminais. Ator. Humorista. Escritor. Publicou: - Lamentos de Francisco José do Rego Castro [antologia poética], 1990 - Princesa do Longá. Coletânea lítero-musical, 1991 - Guia turístico Cachoeira do Urubu, 1992 - O repente da Totonha, 1993 - Leonardo: Um homem e sua história, 1996 - Aspectos de Esperantina, 1999.
Casou-se em 28-06-2001, no município de Esperantina, com MARILDA ARAÚJO BARROS [40.956a], n. 29-05-1967 no lugar Poço dos Tinguis, em Esperantina. Filha de João Ferreira Barros e de Maria das Graças Fernandes Araújo. Neta paterna de Jerônimo Ferreira Barros e de Maria Pinto Fontenele. Neta materna de Francisco do Vale Araújo e de Luíza Rodrigues Fernandes. Pais de:
40957X-1Leonardo Castello Branco Barros de Castro, n. 08-12-2001 em Esperantina.
40958VI-2LINA ROSA CASTELLO BRANCO [LINA CASTIEL], n. em Lagoa da Caiçara, f. provavelmente no lugar Colibris, município de Piracuruca PI. Lina Castiel residiu atrás da igreja matriz de Esperantina. Numa certidão de venda de imóvel de Esperantina, encontramos uma carta assinada por ela e endereçada ao sr. Toni Ramos. No final da segunda década do século XX, mudou-se para o lugar Colibris, no município de Piracuruca. Valdemir Miranda de Castro [v. 40.950] possui documentos, correspondência, poemas e fotografias de Lina Castiel e filhos. Casou-se com [...] [40.958a]. Foram pais de:
40959VII-1Rosa Castello Branco [terceira do nome] [v. 40.962].
40960VII-2Lavina Castello Branco, n. no município de Esperantina.
40961VII-3Simith Castello Branco, n. no município de Esperantina.
40962VII-1ROSA CASTELLO BRANCO [terceira do nome], n. no município de Esperantina. Casou-se com [...] BANDEIRA (?) [40.962a]. Provavelmente residiu em Belém do Pará, de onde envia uma fotografia datada de 22-09-1912 aos seus tios residentes em Esperantina. Nessa foto, do Studio Odilon de Belém, aparece de pé um homem identificado como "Bandeira", que provavelmente seria seu marido; na foto estão também a mãe de Rosa, Lina Castiel [Lina Rosa Castello Branco], e a irmã, Lavina.
40963VI-3ROSA LINA DO REGO CASTELLO BRANCO, n. 1867 na fazenda Lagoa da Caiçara, f. 08-05-1924 em Luzilândia PI. Casou-se em primeiras núpcias, em 1884, com JOSÉ PIRES FERREIRA [segundo do nome] [neto] [40.963a] [... quartas núpcias deste], n. 16-08-1809 no sítio-fazenda de Santa Cruz das Pedras Preguiças, no município de Barreirinhas MA, f. 1908 no Rio de Janeiro [v. 43.819]. Passara a residir no Rio de Janeiro em 1901, na casa de seu filho Firmino Pires Ferreira (marechal; senador pelo Piauí [v. 43.819]) fruto de seu primeiro matrimônio, com Maria Joaquina de Jesus Castello Branco Carvalho de Almeida. Fazendeiro dos mais importantes nos antigos municípios de Barras e Parnaíba, residia em 1884 na fazenda Olho d'Água dos Pires, hoje [2012] Olho d'Água dos Negros, no município de Esperantina. Tenente-coronel da Guarda Nacional. Filho de Maria da Assumpção Pires Ferreira e de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [primeiro do nome] [v. 43.888] [... primeiras núpcias deste] [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 18-20, 242-52].
Rosa Lina do Rego Castello Branco e José Pires Ferreira [segundo do nome] [neto] foram pais de: [V. descendência das duas núpcias de Rosa Lina do Rego Castello Branco em: Pires Ferreira,1992, v. 2, p. 18-20, 242-52.]
40964VII-1Rosa Castello Branco Pires Ferreira [v. 40.967].
40965VII-2Judith Pires Ferreira [v. 40.968].
40963_2nVI-3... ROSA LINA DO REGO CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com FRANCISCO PEREIRA DE ARAÚJO [40.963b]. Irmão de Maria Pereira de Araújo, casada com Francisco José do Rego Castro [filho] [v. 40.990]. Foram pais de: [V. descendência das duas núpcias de Rosa Lina do Rego Castello Branco em: Pires Ferreira,1992, v. 2, p. 18-20, 242-52.]
40966VII-3Francisca Castello Branco [terceira do nome] [v. 40.969].
40967VII-1ROSA CASTELLO BRANCO PIRES FERREIRA [ROSINHA], n. 08-07-1885 na casa-grande da fazenda Olho d'Água dos Pires, hoje no município de Esperantina, f. 11-09-1974 em Belo Horizonte. Casou-se no Rio de Janeiro com JOÃO JOSÉ DE SOUZA MENEZES [40.967a], n. no Rio Grande do Sul, f. em Salvador. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Tabelião em Salvador.
40968VII-2JUDITH PIRES FERREIRA, n. 17-04-1887 na casa-grande da fazenda Olho d'Água dos Pires, hoje no município de Esperantina, f. 10-02-1971 no Rio de Janeiro. Casou-se em 11-05-1907, no Rio de Janeiro, com ALBERTO TOLEDO BANDEIRA DE MELLO [40.968a], n. no Rio de Janeiro, f. tb. no Rio de Janeiro. Dentista formado na Faculdade de Odontologia do Rio de Janeiro. Tabelião no Rio de Janeiro.
40969VII-3FRANCISCA CASTELLO BRANCO [terceira do nome], n. 24-01-1900 na fazenda Morro do Chapéu, no atual município de Morro do Chapéu do Piauí, f. 11-03-1983 em Parnaíba. Casou-se em 1914 no município de Barras, atual Esperantina, com DOMINGOS RUBEN UCHÔA [DOMINGUINHO] [40.969a], n. 13-11-1896 em Pedro II PI, f. 16-05-1989 em Parnaíba. Tabelião em Luzilândia.
40970VI-4ADELAIDE ROSA CASTELLO BRANCO [DEDÉ], n. 1868 na fazenda Lagoa da Caiçara, f. 26-07-1926 no Araçá, município de Esperantina. Casou-se com JOSÉ FERNANDES DA SILVA [40.970a]. Filho de João Antônio de Carvalho e de Teresa Fernandes da Silva. Foram pais de:
40971VII-1Francisco Gomes da Silva [v. 40.974].
40972VII-2Teresa Maria de Castro [v. 40.978].
40973VII-3João José de Castro [v. 40.983].
40974VII-1FRANCISCO GOMES DA SILVA, n. no município de Esperantina. Casou-se com VIVENDA [...] [40.974a]. Foram pais de:
40975VIII-1Benedito da Silva, n. em Esperantina.
40976VIII-2José da Silva, n. em Esperantina.
40977VIII-3Adelaide da Silva, n. em Esperantina.
40978VII-2TERESA MARIA DE CASTRO, n. no município de Esperantina. Casou-se com JOSÉ PAULINO DE MORAES [40.978a]. Pais de:
40979VIII-1Cássio José de Castro, n. em Esperantina.
40980VIII-2Lúcia Maria de Castro, n. em Esperantina.
40981VIII-3Domingos José de Castro, n. em Esperantina.
40982VIII-4Luís Gonzaga de Castro, n. em Esperantina.
40983VII-3JOÃO JOSÉ DE CASTRO [JOÃO DELAIDE], n. no município de Esperantina. Casou-se com ROSA JOAQUINA [...] [40.983a]. Foram pais de:
40984VIII-1Raimundo de Castro, n. em Esperantina.
40985VIII-2Bernardo de Castro, n. em Esperantina.
40986VIII-3Eurípides de Castro, n. em Esperantina.
40987VIII-4Maria de Castro [Maricota], n. em Esperantina.
40988VIII-5Francisca de Castro, n. em Esperantina.
40989VIII-6Domingos de Castro, n. em Esperantina.
40990VI-5FRANCISCO JOSÉ DO REGO CASTRO [segundo do nome] [filho] [REGUINHO], n. 26-11-1869 na fazenda Lagoa da Caiçara, no município de Esperantina, f. 16-03-1947 no lugar Amargosa, tb. em Esperantina, s. no cemitério da Limpeza. Fazendeiro. Herdou a fazenda Jatobá. Casou-se com MARIA PEREIRA ARAÚJO [40.990a], n. 10-07-1872, f. 14-01-1958. Irmã de Francisco Pereira de Araújo, casado com Rosa Lina do Rego Castello Branco [... segundas núpcias desta] [v. 40.963]. Foram pais de:
40991VII-1Ana Maria do Rego Castro [Neném], n. na fazenda Jatobá. s/g
40992VII-2Francisco Bento do Rego Castro, n. na fazenda Jatobá.
40993VII-3João do Rego Castro, n. na fazenda Jatobá.
40994VII-4Ananias do Rego Castro, n. na fazenda Jatobá.
40995VII-5Maria de Araújo Castro [Maricota] , n. na fazenda Jatobá.
40996VII-6Joaquina de Araújo Castro [Quinca], n. na fazenda Jatobá.
40997VII-7Ana Tereza de Araújo Castro [Tetê], n. na fazenda Jatobá.
40998VII-8Antônia de Araújo Castro [Totonha], n. na fazenda Jatobá.
40999V-4THEREZA DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. na fazenda da Lagoa da Caiçara, em Lagoa Grande, f. 1864 em Barras. Casou-se com seu primo FRANCISCO BORGES DE CARVALHO [FRANCISCO BORGES] [40.999a] [v. 40.928]. Quando do falecimento de Thereza, irmã de Francisco Borges, Theodoro de Carvalho e Silva Castello Branco dedica um soneto ao cunhado [Valdemir Miranda de Castro, comunicação pessoal, abril de 2012].
41000V-6CÂNDIDA MARIA CASTELLO BRANCO, n. <1822> na fazenda da Limpeza, f. no sítio-fazenda Barro Vermelho, em Barras (próximo à fazenda da Limpeza), no atual município de Esperantina. Casou-se com DOMINGOS MOREIRA DE CARVALHO [41.000a], f. em sua fazenda Barro Vermelho. Irmão de João de Deus Moreira de Carvalho, casado com Angélica Maria Castello Branco [v. 40.927]. Filho de Francisco Xavier Moreira de Carvalho (n. em Parnaíba, f. provavelmente na atual cidade de Esperantina; alferes do regimento da antiga vila (depois município) de São João da Parnaíba; construiu as duas primeiras casas de telha do povoado de Boa Esperança, atual Esperantina, em fins da década de 1830; em 1843 deu início à construção da capela consagrada a Nossa Senhora da Boa Esperança, capela que seria concluída por seu filho Domingos Moreira de Carvalho em 1847) [Castro, 1999, p. 21]; há registro de que Francisco Moreira de Carvalho [Cabrita] foi casado com Guiomar Maria de Souza Pires (n. 1876 no município de Barras, f. 1930 em Campo Maior) [Pires Ferreira, 1993, v. 13, t. 1, p. 217-8]. Cândida Maria Castello Branco e Domingos Moreira de Carvalho foram pais de:
41001VI-1Maria Thereza de Jesus Castello Branco Moreira de Carvalho [v. 41.002].
41002VI-1MARIA THEREZA DE JESUS CASTELLO BRANCO MOREIRA DE CARVALHO, n. na fazenda Fortaleza, no antigo município de Barras, f. em Brejo dos Anapurus MA.
OBS.: Em 1992, no volume 2 (p. 211, n. 10.656) de A mística do parentesco, publiquei o nome de Maria Thereza de Jesus incompleto, isto é, como Maria Thereza de Jesus Moreira de Carvalho, e registrei incorretamente o nome de sua mãe, como Cândida Rosa Castello Branco.
Maria Thereza de Jesus Castello Branco Moreira de Carvalho casou-se em primeiras núpcias em 11-09-1878, na fazenda Fortaleza, com seu primo PHILOMENO PIRES FERREIRA [41.002a], n. 1861 na fazenda Desunido, no município de Barras, b. 28-09-1861, f. 1898, em emboscada indígena quando abria uma estrada entre Manaus e Boa Vista, no Amazonas (atualmente em Roraima) [v. 43.826] [Ferraz et al., 1926, p. 46; Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 211-7]. Filho de José Pires Ferreira [segundo do nome] [neto] [v. 40.812] e de Umbelina Antônia de Lima Castello Branco.
41002_2nVI-1... MARIA THEREZA DE JESUS CASTELLO BRANCO MOREIRA DE CARVALHO casou-se em segundas núpcias, no Buriti de Inácia Vaz, atual município de Buriti MA, com ANTÔNIO PESSOA DE FARIA [41.002b], n. no Porto, f. no Buriti de Inácia Vaz. Comerciante. Foram pais de:
41003VII-1Cândida Rosa Castello Branco de Faria [v. 41.006].
41004VII-2Cassiana Castello Branco de Faria, n. no Buriti de Inácia Vaz.
41005VII-3Judith Castello Branco de Faria, n. no Buriti de Inácia Vaz.
41006VII-1CÂNDIDA ROSA CASTELLO BRANCO DE FARIA, n. 1899 no Buriti de Inácia Vaz, atual município de Buriti MA, f. tb. no Buriti de Inácia Vaz. Casou-se no Buriti de Inácia Vaz com BENEDICTO GONÇALVES MACHADO [41.006a], n. 1899 em Brejo dos Anapurus, f. no Buriti de Inácia Vaz. Foram pais de:
41007VIII-1Alcino de Faria Machado, n. 10-01-1916 no Buriti de Inácia Vaz, atual município de Buriti MA.
41008VIII-2Elza de Faria Machado, n. 15-10-1917 no Buriti de Inácia Vaz.
41009VIII-3Elzamar de Faria Machado, n. 28-06-1919 no Buriti de Inácia Vaz.
41010VIII-4José Ribamar de Faria Machado, n. 07-10-1922 no Buriti de Inácia Vaz.
41011VIII-5Maria de Jesus Faria Machado, n. 11-06-1926 em Duque Bacelar MA. Residente no Rio de Janeiro em 2011.
41012VIII-6Benedicto Gonçalves Machado, n. 11-02-1929 em Duque Bacelar MA.
41013VIII-7Therezinha de Jesus Faria Machado, n. 05-06-1930 em Duque Bacelar MA.
41014V-8ANGÉLICA MARIA CASTELLO BRANCO, n. <1825> na fazenda da Limpeza, f. 1872. Casou-se com JOÃO DE DEUS MOREIRA DE CARVALHO [41.014a], f. 1872. Tenente-coronel.
Irmão de Domingos Moreira de Carvalho, casado com Cândida Maria Castello Branco [v. 41.000]. Irmão de Manoel Azevedo Moreira de Carvalho, casado com Angélica Ferreira Braga, sendo estes pais de João de Deus Moreira de Carvalho [sobrinho] (membro da junta de governo do Piauí em 1889; em 1897 residia em Teresina, onde possuía uma casa na esquina da rua da Glória, atual rua Lisandro Nogueira, com a rua Barroso; a casa era conhecida como "quartel da rua da Glória"); irmão de Gregório Taumaturgo de Azevedo, governador do Piauí em 1889-90) [Castello Branco Filho, 1983, p. 33]. Filho de Francisco Xavier Moreira de Carvalho (n. em Parnaíba, f. provavelmente na atual cidade de Esperantina; alferes do regimento do antigo município e da vila de São João da Parnaíba; construiu as duas primeiras casas de telha do povoado de Boa Esperança, atual cidade de Esperantina, em fins da década de 1830; em 1843 deu início à construção da capela consagrada a Nossa Senhora da Boa Esperança, capela que seria concluída por seu filho Domingos Moreira de Carvalho em 1847). Theodoro de Carvalho e Silva Castello Branco [v. 40.928] dedica o poema Lamentos à sua irmã Angélica Maria, em tributo de gratidão à memória do tenente-coronel João de Deus Moreira de Carvalho, seu cunhado e amigo, quando do falecimento deste [Castello Branco, 1996, p. 79-80; Castro, 1999, p. 21; Valdemir Miranda de Castro, comunicação pessoal, agosto de 2012].
41015V-9THEODORO DE CARVALHO E SILVA CASTELLO BRANCO, conhecido como o Poeta Caçador", n. 08-01-1829 na fazenda da Limpeza, no atual município de Esperantina, f. 10-07-1891 em Barras [Valdemir Miranda de Castro, comunicação pessoal, abril de 2012]. Theodoro foi entregue em 1832 pelos pais (antes que seu pai, Leonardo de Carvalho Castello Branco, partisse para Lisboa, em 1833), a seus tios e padrinhos Rosa Maria Pires Ferreira e Marianno de Carvalho Castello Branco [v. 41.016], este, irmão de Leonardo de Carvalho Castello Branco [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 16]. Theodoro, na casa de seus tios e padrinhos, certamente recebeu uma esmerada educação primária para a época e no contexto rural piauiense de meados do século XIX. Recebeu a mesma educação que receberam seus primos-irmãos - Viriato Rosendo, Belisário Olympio, Eudoro Emiliano e Adelaide Rosa -, filhos de Rosa Maria e Marianno. Entretanto, ignoramos por que Theodoro não continuou a estudar, dado que recursos financeiros não faltavam aos seus tios e padrinhos. Todos os seus primos-irmãos homens adquiriram educação superior, sendo que Viriato Rosendo formou-se em engenharia em Paris. Nessa mesma época, o primo-irmão de Viriato Rosendo, Fernando Pires Ferreira formava-se em medicina e se especializava em oftalmologia em Paris [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 16; 1990, v. 4, p. 91-2]. Provavelmente Theodoro não continuou os estudos porque na época as profissões se limitavam ao direito (no Recife ou em São Paulo), à medicina (em Salvador ou Rio de Janeiro), à engenharia (no Rio de Janeiro), ao sacerdócio ou à vida militar. Theodoro certamente optou ficar na terra, na agricultura, e por isso tornou-se um Caçador, por ser um Poeta! Viveu a primeira infância com seus quatro primos no lugar Satisfeito, no antigo município de Barras. O lugar (sítio-fazenda) Satisfeito foi uma doação de José Pires Ferreira e Marianna de Deus Castro Diniz a sua filha Rosa Maria Pires Ferreira, ao casar-se com Marianno de Carvalho Castello Branco. Por volta de 1847, Marianno de Carvalho fundou a sua fazenda Olho d'Água, coberta de telha, em terras da data e sesmaria concedida em nome de seu pai em 1739, no sítio chamado Boa Esperança, hoje no município de Esperantina. Em fins da década de 1830, o então lugar onde hoje está localizada a cidade de Esperantina, possuía somente duas ou três casas cobertas de telha, sendo que duas eram de Francisco Xavier Moreira de Carvalho. A fazenda da Limpeza distava aproximadamente 9 quilômetros da atual cidade de Esperantina, e a fazenda Olho d'Água (depois Olho d'Água dos Pires) distava outros 9 quilômetros da fazenda da Limpeza, isto é, a aproximadamente 18 quilômetros da atual cidade de Esperantina. A fazenda Chapada da Limpeza distava umas duas léguas, aproximadamente 12 quilômetros da atual cidade de Esperantina, e uns 3 quilômetros da fazenda da Limpeza. A fazenda Olho d'Água, depois Olho d'Água dos Pires, teve como ultimo proprietário da família Pires Ferreira, Jacy Coelho Pires [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 196]. Em fins da década de 1980 Jacy Coelho Pires vendeu a fazenda ao dr. Francisco Linhares. Em 1989 o governo do estado do Piauí desapropriou a fazenda e tombou a casa-grande. A fazenda passou a ser chamada de Olho d'Água dos Negros, e nela foi criado um assentamento quilombola, com descendentes de escravos. A casa-grande do Olho d'Água ainda estava em pé em princípios de 2006, em estado precário. Dois dos primos homens de Theodoro nunca mais voltaram ao Olho d'Água. Belisário Olympio faleceu em 1869 na Guerra do Paraguai, e o outro, o preferido, o mais chegado e querido, Eudoro Emiliano, poeta como Theodoro, faleceu no Rio de Janeiro em 1878 [Pires Ferreira, 1992, v. 3, t. 1, p. 16]. Theodoro partiu para a Guerra do Paraguai em 19-05-1865, no primeiro corpo de voluntários que deixou o Piauí. Militou no Exército durante quatorze meses, ocasião em que foi acometido de febre tifoide, que o deixou parcialmente surdo. Retornou ao Piauí, atormentado pela surdez que o torturou durante o resto de sua vida. Theodoro, que se autodenominava "o Poeta Caçador", publicou em 1884 A Harpa do caçador, em São Luís, depois que seu sobrinho e primo Hermínio Castello Branco organizou-a e ajudou na publicação. Somente quatro anos depois de publicada, Theodoro apareceu em Teresina com a obra, cabendo a Clodoaldo de Freitas fazer a primeira apresentação do poeta piauiense ao público. Segundo Celso Pinheiro Filho [1996], Theodoro possuía uma boa cultura para a época, equivalente mesmo à dos intelectuais de seu tempo no Piauí. Theodoro proveio de um tronco da família Castello Branco que produziu mais três poetas: seu pai, Leonardo de Carvalho Castello Branco [v. 40.919], Eudoro Emiliano de Carvalho Castello Branco [v. 40.021] [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 16] e Hermínio Castello Branco [v. 41.076] [Chaves, 2005, p. 213-5; Freitas, 1998, p. 161-72; Gonçalves, 2006, p. 69-72; Pinheiro Filho, 1996, p. 3-13; Sá, 1996, p. 115-21, in Castello Branco, 1996]. Theodoro viveu a maior parte da vida no sítio-fazenda Olho d'Água e acompanhou todo o sofrimento de seus tios e padrinhos Rosa Maria e Marianno, quando da partida de seus filhos, como vemos em Tua ausência, de A harpa do caçador: "A tua cara irmã vive saudosa,/ Teu extremoso pai se acha prostrado/ E tua terna mãe - sempre chorosa!" Aparentemente deixou o sítio Olho d'Água com o casamento da prima Adelaide Rosa de Carvalho Castello Branco, em 24-06-1878, com o primo desta José Pires Ferreira [neto]. Adelaide Rosa viria a morrer poucos anos depois, em 1883. Assim, com a morte de sua última prima e quase irmã, acabava sua verdadeira família [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 18-20]. A reedição de A harpa do caçador somente se deu em 1996, graças à Fundação Cultural Monsenhor Chaves, depois de mais de cem anos. Theodoro é patrono de cadeiras da Academia Piauiense de Letras e da Academia de Letras do Vale do Longá.
THEODORO DE CARVALHO E SILVA CASTELLO BRANCO casou-se em 02-09-1882, em Barras, com HONORINA ROSA DE CASTRO [41.015a] [... segundas núpcias desta], viúva de Francisco Xavier Vieira de Carvalho (f. 23-10-1851 no município de Barras) [Valdemir Miranda de Castro, comunicação pessoal, abril de 2012]. Ignoramos se Theodoro deixou descendência, embora alguns autores afirmem que teve três filhos, certamente não de seu casamento.
41016IV-2MARIANNO DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. 08-09-1800 no sítio, depois fazenda, Taboca, f. na fazenda Olho d'Água (em 07-07-1852 o encontramos como testemunha de casamento de Geraldo Joaquim da Silva Morais com Carolina Rita de Jesus, na fazenda Esperança, no município de Barras; sabemos que estava vivo em 22-10-1858, quando do falecimento de seu filho Viriato Rosendo). A fazenda Olho d'Água, depois Olho d'Água dos Pires, foi fundada por Marianno de Carvalho Castello Branco por volta de 1847, em terras de uma da data de sesmaria concedida em nome de seu pai [1739], no sítio chamado Boa Esperança, no atual município de Esperantina. A casa-grande da fazenda Olho d'Água foi tombada pelo patrimônio histórico do estado do Piauí e passou a ser conhecida como Olho d'Água dos Negros, local de um assentamento quilombola. A antiga fazenda distava 18 quilômetros da atual Esperantina, rumo oeste, na PI-117, que liga a cidade a Matias Olímpio, passando pela antiga fazenda da Limpeza.
Marianno de Carvalho Castello Branco foi um abastado fazendeiro, político influente e tenente-coronel da Guarda Nacional. Combateu os balaios em Buriti dos Lopes. Casou-se em 1831 na Barra do Longá, antigo município de Buriti dos Lopes, com ROSA MARIA PIRES FERREIRA [41.016a], n. na Barra do Longá, f. na fazenda Olho d'Água [v. 43.805]. Filha de José Pires Ferreira e de Marianna de Deus Castro Diniz [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 11-2, 16]. Instalaram-se no lugar sítio Satisfeito [Alencastre, 1981]. Foram pais de:
41017V-1Viriato Rosendo Castello Branco, n. 1832 no lugar Satisfeito, no antigo município de Barras, b. em 16-11-1832 na matriz de Parnaíba, f. 22-10-1858 na fazenda Olho d'Água, pouco tempo depois de retornar da França, onde havia se formado em engenharia em Paris. Foram padrinhos de batismo seu tio tenente Raymundo de Carvalho Castello Branco e a avó paterna, Anna Rosa Clara Castello Branco. Solteiro.
41018V-2Belisário Olympio de Carvalho Castello Branco, n. 1834 no lugar Satisfeito, em Barras, f. ??-01-1869 na Guerra do Paraguai. Capitão do Exército. Solteiro.
41019V-3Eudoro Emiliano de Carvalho Castello Branco [v. 41.021].
41020V-4Adelaide Rosa de Carvalho Castello Branco [v. 41.022].
41021V-3EUDORO EMILIANO DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. 09-06-1839 no lugar Satisfeito, em Barras, f. 21-01-1878 no Rio de Janeiro. Engenheiro militar formado no Rio de Janeiro. Major. Em 1874 foi lotado no Arquivo Militar. Ingressou no Exército em 1860. Lutou na Guerra do Paraguai, sendo condecorado com as medalhas do Mérito Militar e de Campanha. Comendador da Ordem da Rosa e conselheiro do Cruzeiro do Sul e da Ordem de Cristo. Poeta, escreveu O assalto do estabelecimento, dedicado ao Duque de Caxias em 1868 (trata-se de uma composição poética publicada no Correio Mercantil, do Rio de Janeiro) e outros trabalhos inéditos. Casou-se no Rio de Janeiro com ISABEL DE AQUINO CASTRO [41.021a], f. no Rio de Janeiro [Chaves, 2005, p. 107-8; Gonçalves, 2006, p. 41-2]. s/g
41022V-4ADELAIDE ROSA DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. 1842 no lugar Satisfeito, em Barras, f. 1883 na fazenda Olho d'Água, depois Olho d'Água dos Pires, no atual município de Esperantina. Foram padrinhos de batismo seus tios Antônio Pires Ferreira e esposa, Lina Carlota de Jesus Rodrigues de Carvalho [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 18 ss.]. Casou-se em 14-06-1878, na fazenda Olho d'Água, com seu primo legítimo JOSÉ PIRES FERREIRA [segundo do nome] [neto] [41.022a] [... terceiras núpcias deste], n. 16-08-1809 no sítio-fazenda de Santa Cruz das Pedras Preguiças, em Barreirinhas MA, f. 1908 no Rio de Janeiro [v. 43.812]. Filho de Maria da Assumpção Pires Ferreira e de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [... primeiras núpcias deste] [v. 43.808]. [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 16, 18, 20; 1993, v. 3, t. 1, p. 16]. s/g
41023IV-3SIMPLÍCIO DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. 1803 no sítio, depois fazenda, Taboca. Radicou-se em Campo Maior. Casou-se com sua prima UMBELLINA CASTELLO BRANCO [41.023a], n. em Campo Maior [v. 41.122]. Filha de Francisco Gil Castello Branco e de Maria Eugênia Lopes Castello Branco. Neta materna de José Lopes da Cruz e de Francisca Maria de Jesus Castello Branco [Ferraz et al., 1926, p. 41, 43, 63, 185]. Foram pais de:
41024V-1Anna de Carvalho Castello Branco [v. 41.027].
41025V-2Maria Francisca de Carvalho Castello Branco [v. 41.028].
41026V-3Raymunda de Carvalho Castello Branco [v. 41.029].
41027V-1ANNA DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com seu primo LIBERATO LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA [41.027a], n. em Campo Maior [v. 41.128]. Irmão de Antônio Lopes Castello Branco e Silva [filho]. Filho de Antônio Lopes Castello Branco e Silva e de Anna Rosa de São José [Ferraz et al., 1926, p. 42, 63]. [V. descendência do casal em 41.169.]
41028V-2MARIA FRANCISCA DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com seu primo ANTÔNIO LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA [filho] [41.028a] [v. 41.128]. Irmão de Liberato Lopes Castello Branco e Silva. Filho de Antônio Lopes Castello Branco e Silva e de Anna Rosa de São José [Ferraz et al., 1926, p. 43, 63]. [V. descendência do casal em 41.179.]
41029V-3RAYMUNDA DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com seu primo CLEMENTE LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA [41.029a], n. em Campo Maior [v. 41.131]. Irmão de Liberato Lopes Castello Branco e Silva e de Antônio Lopes Castello Branco e Silva [filho]. Filho de Antônio Lopes Castello Branco e Silva e de Anna Rosa de São José [Ferraz et al., 1926, p. 43, 63]. s/g
41030IV-4RAYMUNDO DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. 1807 no sítio Taboca, depois fazenda. Radicou-se em Campo Maior. Tenente da Guarda Nacional. Casou-se com sua prima JOAQUINA ROSA CASTELLO BRANCO [41.030a], n. na fazenda Contente [v. 42.033]. Filha de Marcellino José da Cunha Castello Branco e de Maria Florência Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 20, 75, 166]. Foram pais de:
41031V-1Miguel Carlos de Carvalho Castello Branco [v. 41.039].
41032V-2Maria da Glória Castello Branco.
41033V-3Raymundo de Jesus Castello Branco.
41034V-4Anna Cherubina de Jesus Castello Branco.
41035V-5Guilhermina Castello Branco [v. 41.047].
41036V-6Odorico de Carvalho e Silva Castello Branco [v. 41.070].
41037V-7Belarmina Castello Branco.
41038V-8Juvenal Castello Branco.
41039V-1MIGUEL CARLOS DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com sua prima AMÉLIA CAROLINA LEAL CASTELLO BRANCO [41.039a], n. em Campo Maior [v. 41.144]. Filha de Lívio Lopes Castello Branco e Silva e de Bárbara Maria de Jesus Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 78, 80, 166]. Foram pais de:
41040VI-1Cassiana de Carvalho Castello Branco, n. em Campo Maior.
41041VI-2Bárbara de Carvalho Castello Branco, n. em Campo Maior.
41042VI-3Adélia de Carvalho Castello Branco, n. em Campo Maior.
41043VI-4Joaquim de Carvalho Castello Branco, n. em Campo Maior.
41044VI-5Odorico de Carvalho Castello Branco [v. 41.045].
41045VI-5ODORICO DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. 1876 em Campo Maior. f. 21-01-1921 em Fortaleza. Professor. Fundou em 1900 o Colégio Castello Branco, com o nome de Instituto Miguel Borges, em Fortaleza. Publicou, entre outros: No túmulo de Arina [sonetos] - Odorina Castelo e Zeneida Mota [poesia]. Casou-se em Fortaleza com ARINA [...] [41.045a], f. em Fortaleza, em decorrência de parto. Foram pais de:
41046VII-1Odorina Castello Branco, n. em Fortaleza.
41047V-5GUILHERMINA CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com FRANCISCO BORGES LEAL [segundo do nome] [41.047a] [Ferraz et al., 1926, p. 166]. Foram pais de:
41048VI-1Artemísia Castello Branco.
41049VI-2Teresa Castello Branco [v. 41.050].
41050VI-2TERESA CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo maior com DEOLINDO DE MIRANDA ROCHA [41.050a]. Foram pais de:
41051VII-1Anna de Jesus da Rocha [v. 41.062].
41052VII-2José Antônio da Rocha [v. 41.066].
41053VII-3João Baptista da Rocha, n. em Campo Maior.
41054VII-4Maria José da Rocha, n. em Campo Maior.
41055VII-5Sophia da Rocha, n. em Campo Maior.
41056VII-6Maria de Lourdes da Rocha, n. em Campo Maior.
41057VII-7Esther da Rocha [v. 41.069].
41058VII-8Antônio Castello Branco da Rocha.
41059VII-9Mercedes da Rocha.
41060VII-10Victoria da Rocha.
41061VII-11Gil Castello Branco da Rocha.
41062VII-1ANNA DE JESUS DA ROCHA, n. em Campo Maior. Casou-se em primeiras núpcias, em Campo Maior, com SILVÉRIO JOSÉ DE MOURA [41.062a]. Foram pais de:
41063VIII-1José da Rocha Moura, n. em Campo Maior.
41064VIII-2João da Rocha Moura, n. em Campo Maior.
41062_2nVII-1... ANNA DE JESUS DA ROCHA casou-se em segundas núpcias, em Campo Maior, com ARTHUR PAIVA [41.062b]. Foram pais de:
41065VIII-3Arthur Salvador Paiva, n. em Campo Maior.
41066VII-2JOSÉ ANTÔNIO DA ROCHA, n. em Campo Maior. Médico formado em Salvador. Casou-se em Teresina com sua prima MARIA VICTORIA CASTELLO BRANCO [41.066a], n. 1878 em Teresina [v. 41.602]. Filha de Mariano Gil Castello Branco [filho], barão de Castello Branco, e de Cândida Burlamaqui Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 108-9, 167]. Foram pais de:
41067VIII-1José Virgílio Castello Branco Rocha, n. em Teresina. Advogado. Desembargador no Paraná. Residia em Curitiba. Casou-se.
41068VIII-2Maria Vitctoria Castello Branco Rocha [Maroquinha], n. em Teresina. Residia em Fortaleza em 2006. Casou-se.
41069VII-7ESTHER DA ROCHA, n. em Campo Maior. Casou-se com SEBASTIÃO PORTELLA [41.069a].
41070V-6ODORICO DE CARVALHO E SILVA CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com sua prima BENVINDA DORIA LEAL CASTELLO BRANCO [41.070a], n. em Campo Maior [v. 41.146]. Filha de Lívio Lopes Castello Branco e Silva e de Bárbara Maria de Jesus Castello Branco, primos entre si.
41071IV-5MIGUEL DE CARVALHO CASTELLO BRANCO, n. 1811 no sítio Taboca (depois fazenda), f. na fazenda Chapada da Limpeza. Fundou em 1827 a fazenda Chapada da Limpeza, que distava aproximadamente 12 quilômetros da atual cidade de Esperantina. Major da Guarda Nacional. Fez parte da primeira Câmara Municipal de Barras, instalada em 19-04-1842 [Borges, 1878, p. 85; Pereira da Costa, 1909, p. 255-6]. Casou-se na fazenda da Limpeza com sua sobrinha paterna ROSA CASTELLO BRANCO [primeira do nome] [41.071a], n. na fazenda Lagoa da Caiçara, na Lagoa Grande, no atual município de Esperantina [v. 40.920]. Filha de Leonardo de Carvalho Castello Branco e de Judith da Mãe de Deus. Foram pais de:
41072V-1Belarmino de Carvalho Castello Branco, n. no sítio-fazenda Chapada da Limpeza.
41073V-2Hermínio de Paula Castello Branco [v. 41.076].
41074V-3Eduardo de Carvalho Castello Branco, n. no sítio Chapada da Limpeza.
41075V-4Raymundo Emílio Castello Branco, n. no sítio Chapada da Limpeza.
41076V-2HERMÍNIO DE PAULA CASTELLO BRANCO [HERMÍNIO CASTELLO BRANCO], n. 20-05-1851 no sítio-fazenda Chapada da Limpeza, f. 18-12-1889 em Teresina. Aparentemente não conheceu os dias de fartura de seus ancestrais. Desde menino se afeiçoou aos caboclos, vaqueiros e lavradores, assimilando a linguagem, os costumes, as crenças, ao frequentar festas sertanejas e aprendendo os segredos dos desafios (disputa poética em forma de diálogo, cantando e improvisando). Hermínio desde muito jovem demonstrou ter sido um autentico cantador, versou a sua lira sertaneja em molde de poesia popular, conquistando posição de destaque entre os cultores da poesia sertaneja. Hermínio publicou suas poesias em jornais de Teresina, como O Semanário, O Telefone e A Época. Agrupou, mais tarde, o que já havia publicado em jornais e os reuniu em um pequeno livro, com o título de Ecos do coração, em Teresina [1881]. Várias edições foram impressas. Hermínio mudou o título do seu livro Ecos do coração para Lira sertaneja, em sua reedição publicada em Fortaleza [1887]. Várias reedições da Lira sertaneja se sucederam: no Rio de Janeiro [1906] pela Livraria Quaresma; em São Luís [1928] pela Livraria Universal; em Teresina [1972] pela Companhia Editora do Piauí e em nova edição [1988] pelo Projeto Petrônio Portela, com coordenação da Academia Piauiense de Letras e ilustrada pelo seu bisneto Mino, Hermínio Macedo Castello Branco [v. 41.098]. Hermínio Castello Branco era primo e sobrinho do poeta Theodoro de Carvalho e Silva Castello Branco [v. 41.015] e primo do poeta Eudoro Emiliano de Carvalho Castello Branco [v. 41.021]. Patrono de uma das cadeiras da Academia Piauiense de Letras [Chaves, 2005, p. 540-4; Freitas, 2010, p. 53-61; Gonçalves, 2006, p. 56-60; Pinheiro Filho, in Castello Branco, 1988].
Hermínio Castello Branco, com 18 anos de idade, em 15-01-1869, embarcou para participar na guerra do Paraguai como Voluntário da Pátria. Por atos de bravura e heroísmo, recebeu a patente de alferes. Serviu posteriormente em guarnições do Exército em Manaus, Uruguaiana, Porto Alegre e no Rio de Janeiro, quando deu baixa, retornando ao Piauí em 11-06-1881. Em Teresina, filiou-se ao Partido Liberal, dedicando-se à política partidária. Desiludido e perseguido por sua participação na política, deixou Teresina e refugiou-se em Manaus, no Amazonas, com sua família, onde havia vivido como soldado. Ali viveu do jornalismo. Voltou a Teresina em 1889, onde veio a falecer em 18-12-1889.
Hermínio de Paula Castello Branco casou-se em 06-05-1872, em Teresina, com CLARINDA BENVINDA DE MELO [41.076a]. Aparentemente foram pais de três filhos, entre os quais:
41077VI-1Hermínio Castello Branco Filho, n. 1873 em Teresina.
41078VI-2Maria Leonor Castello Branco [v. 41.079].
41079VI-2MARIA LEONOR CASTELLO BRANCO, n. <1874> em Teresina, f. 1922 em Caxias MA. Casou-se em Caxias com BENEDITO LUCAS DE ALMEIDA [41.079a], n. em Caxias, f. no Amazonas, para onde fora atraído pelo ciclo da borracha. Filho de índios da região de Caxias MA. Foram pais de:
41080VII-1João Castello Branco de Almeida [v. 41.085].
41081VII-2Odila Castello Branco de Almeida [v. 41.086].
41082VII-3Olinda Castello Branco de Almeida [v. 41.088].
41083VII-4Ozima Castello Branco de Almeida [v. 41.089].
41084VII-5Raimundo Castello Branco de Almeida [v. 41.090].
41085VII-1JOÃO CASTELLO BRANCO DE ALMEIDA, n. em Caxias MA, f. no Rio de Janeiro. Funcionário do Banco do Brasil. Casou-se com ALICE BRANDÃO [41.085a]. Deixaram descendência.
41086VII-2ODILA CASTELLO BRANCO DE ALMEIDA, n. em Caxias MA, f. em Volta Redonda RJ. Casou-se com JOSÉ CAVALCANTI [41.086a], n. em Palmeira dos Índios AL. Tiveram onze filhos, entre os quais:
41087VIII-1Leonor de Almeida Cavalcanti, n. 1917 em Lábrea AM. Residia no Rio de Janeiro em 2006. Funcionária pública da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Solteira.
41088VII-3OLINDA CASTELLO BRANCO DE ALMEIDA, n. em Caxias MA, f. tb. em Caxias. Casou-se com NACHOR CARVALHO [41.088a], n. em Caxias, f. tb. em Caxias. Comerciante. Deixaram descendência.
41089VII-4OZIMA CASTELLO BRANCO DE ALMEIDA, n. em Caxias MA, f. no Rio de Janeiro. Casou-se com JOSÉ FONSECA MARANHÃO [41.089a], n. em Caxias, f. no Rio de Janeiro. Funcionário público do Instituto Nacional do Café. Deixaram descendência.
41090VII-5RAIMUNDO CASTELLO BRANCO DE ALMEIDA, n. em Caxias MA, f. em Fortaleza. Funcionário do Banco do Brasil. Casou-se com FRANCISCA DE MACEDO [41.090a], n. em Caxias, f. em Fortaleza. Foram pais de:
41091VIII-1Leonor Macedo Castello Branco, n. em Timon MA. xxx
41091.VIII-2Leonir Macedo Castello Branco, n. em Caxias MA. ATENÇÃO: NÚMERO REPETIDO
41092VIII-3Leonildes Macedo Castello Branco, n. em Caxias MA.
41093VIII-4Alinilde Macedo Castello Branco, n. em Caxias MA.
41094VIII-5Leonice Macedo Castello Branco, n. em Caxias MA.
41095VIII-6Marionor Macedo Castello Branco, n. em Campina Grande PB.
41096VIII-7Marionir Macedo Castello Branco, n. em Salvador.
41097VIII-8Hermínio Macedo Castello Branco [Mino], n. 03-05-1944 em Fortaleza. Escritor, poeta, humorista, pintor, cartunista e publicitário. Editor da Rivista, revista de humor lançada em "Fortaleza Ceará Brasil" no ano 2000, já alcançando mais de uma centena de números. Antes dela, em 1973, Hermínio lançou o Almanaque MINO, hoje com mais de duas centenas de números publicados. MINO tem "como prazo até dezembro de 2012 plano de dominar o mundo publicando peças valiosas de seus brilhantes colaboradores (The Best). O Editor". Ilustrou a Lira Sertaneja, de seu bisavô Hermínio Castello Branco, na edição de 1988 [Castello Branco, 1988]. Residia em Fortaleza em 2012.
41098III-5ANNA MARIA DE MESQUITA, n. muito provavelmente na fazenda Taboca. Casou-se em 24-07-1778 no sítio Batalha, na freguesia de Nossa Senhora do Carmo, distrito da vila de Parnaíba (passando em 1853 a fazer parte do distrito de Piracuruca), com seu parente em terceiro grau JOSÉ DE MIRANDA, n. na freguesia de São João Batista, arcebispado de Braga, Portugal. Coronel. Filho de João de Miranda e de Mariana de Almeida [Valdemir Miranda de Castro, comunicação pessoal, agosto de 2012]. Foram pais de:
41099IV-1Anna Rosa de Miranda [v. 41.100].
41100IV-1ANNA ROSA DE MIRANDA, n. no sítio Batalha, f. na vila de Batalha. Casou-se em Batalha com FRANCISCO JOSÉ RODRIGUES [41.100a], n. em Portugal.
Cabe aqui uma digressão sobre os Rodrigues. Encontramos Francisco José Rodrigues, Anna Maria da Conceição Rodrigues [v. 40.619a]; Manuel Rodrigues Lages [primeiro do nome] (bem como os filhos deste) [v. 43.924] radicados em uma mesma região geográfica, isto é, entre Batalha, Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios) e Brejo dos Anapurus (no Maranhão). Seriam esses Rodrigues parentes entre si?

41101I-1MANUEL CARVALHO DE ALMEIDA, n. na freguesia de Videmonte, orago de São João Baptista, concelho de Linhares (hoje extinto), em Portugal, f. certamente depois de 1741, na casa-grande da fazenda Boa Esperança, localizada no antigo distrito da povoação de Santo Antônio do Surubim do Campo Maior, mais tarde pertencente ao município de Livramento, atual José de Freitas. Segundo Cláudio Bastos, a fazenda Boa Esperança, que originalmente se localizava no antigo município de Campo Maior, já era propriedade de Manuel Carvalho de Almeida em 1697 [Bastos, 1994]. Essa fazenda foi fundada no primeiro quartel do século XVIII, nas nascentes do rio Marataoã, formador do Longá, e sua casa-grande foi construída no lugar que mais tarde daria origem à cidade de Livramento, atual José de Freitas. A capela adjunta à casa-grande foi construída provavelmente em 1740. A atual matriz de Livramento foi edificada em 1777. Manuel Carvalho de Almeida participou, por própria conta, de guerras contra os índios do Piauí, principalmente os que ocupavam as cabeceiras dos rios do norte do estado até a barra do rio Parnaíba, bem como aldeamentos na margem esquerda do rio, que lindava com o nordeste do Maranhão até se abrir em delta no Atlântico. Em 1713, o governador-geral da capitania do Grão-Pará e Maranhão, Christovão da Costa Freire, nomeou-o para o posto de comissário-geral da cavalaria do Piauí, certamente pelo sucesso de suas guerras contra os índios aldeados no norte da capitania, na região conhecida hoje como Baixo Parnaíba. Manuel Carvalho de Almeida era até então oficial da conquista, auxiliar imediato do capitão Bernardo Carvalho de Aguiar. Em 1721, as tribos indígenas do norte do Piauí haviam sido "pacificadas" por Bernardo Carvalho de Aguiar, seu filho Miguel Carvalho de Aguiar e Manuel Carvalho de Almeida.
Em nome de Manuel Carvalho de Almeida e de sua esposa, Clara da Cunha e Silva Castello Branco [primeira do nome], foram requeridas e as sesmarias São Pedro e Boa Esperança respectivamente, em terras onde haviam instalado suas fazendas. Receberam em 03-08-1741, por intermédio do governador e capitão-geral do estado do Maranhão, João Abreu de Castello Branco, as datas concedidas pelo governo de Portugal. Nelas está hoje localizado o município de José de Freitas, antes Livramento.
Manuel Carvalho de Almeida era irmão de Antônio Carvalho de Almeida [v. 40.612] (casado com Maria Eugênia de Mesquita Castello Branco [v. 40.024]), do padre Miguel de Carvalho, do padre Thomé de Carvalho e Silva e do padre Inocêncio Carvalho de Almeida [Mello, 1991, p. 28-29, 32, 78, 85]. Filho de Belchior Gomes da Cunha e de Isabel Rodrigues. Segundo alguns autores, sobrinho de Bernardo Carvalho de Aguiar (n. em vila Pouca de Aguiar, em Portugal, f. 1730 no Maranhão; em 1696 residia na fazenda Bitorocara, atual município de Campo Maior, situada na confluência dos rios Longá e Surubim; nela construiu uma igrejinha inaugurada em 12 de novembro de 1712, com celebração da primeira missa pelo padre Thomé de Carvalho e Silva; capitão comandante da conquista do Piauí em <1713>, encarregado de fazer guerra às tribos indígenas da região hoje conhecida como Baixo Parnaíba). O padre Miguel de Carvalho, o primeiro vigário do Piauí, construiu em 1697 uma igrejinha de taipa no povoado da Mocha, criando a primeira freguesia (povoado, sob o aspecto eclesiástico), a de Nossa Senhora da Vitória. O povoado veio a se chamar vila da Mocha em 1717. O licenciado padre Miguel de Carvalho deixou um documento referente à colonização do Piauí, considerado o mais antigo de que se tem conhecimento: "Descrição do sertão do Piauí". Oeiras, 02 de Março de 1697". Endereçado ao bispo de Pernambuco, esse relatório está arquivado no Conselho Ultramarino, em Lisboa [Ennes, 1938, p. 370-89].
O padre Thomé de Carvalho e Silva, entre 1728-1773, construiu a catedral da Mocha, vila que posteriormente deu origem à cidade de Oeiras. Em 1762, Oeiras passou a ser a sede da capitania do Piauí. A freguesia do Longá foi a segunda freguesia criada no Piauí, em 1713. Em 1723 existiam somente três freguesias no Piauí: Oeiras, Longá e Piracuruca. Nesta época a freguesia de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior pertencia ao bispado de Pernambuco. O padre Thomé de Carvalho e Silva [v. 40.612], que havia sido o vigário da Mocha, atual Oeiras, recebeu terras na freguesia do Longá por serviços prestados à capitania do Piauí e à Igreja, tendo fundado ali as fazendas Victoria e Tranqueira, ao longo do rio Longá, do lado direito do rio acima. O padre Inocêncio Carvalho de Almeida foi nessa época pároco da freguesia de São Francisco da Barra do Rio Grande e da freguesia de Paranaguá, que estavam sob jurisdição pernambucana. Existe um relatório do ano de 1697, do padre Inocêncio, em que este diz ser irmão do padre Miguel de Carvalho, primeiro vigário e fundador da freguesia de Nossa Senhora da Vitória, em terras desmembradas da paróquia de Cabrobó, em Pernambuco [Carvalho, 1697 (1838), 1993; Carvalho, 1970; Carvalho, 2005; Carvalho, 2007, p. 65-70, 82-4, 89-114; Castello Branco Filho, 1984, p. 21, 39; Chaves, 2005, p. 137, 146, 418-21; Machado, 2002; Melo, 1983; Mello, 1988, p. 18].
Manuel Carvalho de Almeida casou-se em <1714>, em São Luís, com CLARA DA CUNHA E SILVA CASTELLO BRANCO [primeira do nome] [41.101a], n. <1685> em Lisboa, f. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, em Livramento, atual José de Freitas [v. 40.003]. Filha de Francisco da Cunha Castello Branco e de Maria Eugênia de Mesquita. Foram pais de:
41102II-1Francisco da Cunha e Silva Castello Branco [v. 41.111].
41103II-2Manuel Carvalho de Almeida [filho], n. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, f. solteiro.
41104II-3Belchior Carvalho de Almeida, n. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, f. solteiro.
41105II-4Antônio Carvalho de Almeida [sobrinho], n. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, f. solteiro.
41106II-5Isabel da Cunha e Silva Castello Branco [v. 42.963].
41107II-6Archangela Úrsula da Cunha Mesquita Castello Branco [v. 42.964].
41108II-7Francisca da Cunha Mesquita Castello Branco [v. 42.973].
41109II-8Anna Eugênia de Castello Branco [v. 42.977].
41110II-9Clara da Cunha e Silva Castello Branco [segunda do nome] [v. 42.979].
41111II-1FRANCISCO DA CUNHA E SILVA CASTELLO BRANCO, n. <1716> na casa-grande da fazenda Boa Esperança, no município de Livramento [atual José de Freitas], f. em Livramento. Capitão do Regimento de Cavalaria Auxiliar da Guarnição de Oeiras PI. Com o sequestro de bens dos jesuítas no Piauí, em 10-02-1760, foi legado a ele a fazenda Água Verde por serviços prestados à província do Piauí, aparentemente pelo ano de 1777. Atesta-se que Francisco da Cunha e Silva Castello Branco estava vivo quando pediu ajuda a seu sobrinho, o cônego Antônio Borges Leal Castello Branco [v. 42.980] para que este enviasse um pedreiro da Bahia, para ajudar na recuperação da capela da fazenda Boa Esperança, em Livramento (hoje José de Freitas) [Borges, 1878, p. 48; Pereira da Costa, 1909, p. 61-93]. Casou-se na casa-grande da fazenda Taboca, no atual município de Esperantina, com sua prima ANNA ROSA PEREIRA TEREZA DO LAGO [41.111a] n. em Jacobina [Jacobina do Norte; Jacobina Velha], na Bahia [v. 40.613]. Filha de Antônio Carvalho de Almeida e de Maria Eugênia de Mesquita Castello Branco. Neta paterna de Belchior Gomes da Cunha e de Isabel Rodrigues. Neta materna de João Gomes do Rego Barros [v. 40.023] e de Anna Castello Branco de Mesquita.
Francisco da Cunha e Silva Castello Branco e Anna Rosa Pereira Tereza do Lago foram pais de:
41112III-1Antônio da Cunha e Silva Castello Branco, n. no antigo município de Campo Maior, f. criança.
41113III-2Francisco Gil Castello Branco [v. 41.118].
41114III-3Marcellino José da Cunha Castello Branco [primeiro do nome] [v. 42.022].
41115III-4Ignacia Pereira Tereza Castello Branco [v. 42.583].
41116III-5Luiz Mariz Castello Branco [v. 42.584].
41117III-6Anna Rosa Clara Castello Branco [v. 42.962].
41118III-2FRANCISCO GIL CASTELLO BRANCO, n. no antigo município de Campo Maior. Opulento fazendeiro, proprietário de enormes boiadas no antigo município de Campo Maior. Casou-se em Buriti dos Lopes com sua prima MARIA EUGÊNIA LOPES DA CRUZ [41.118a], n. em Buriti dos Lopes [v. 40.507]. Filha de José Lopes da Cruz e de Francisca Maria de Jesus Castello Branco [Chaves, 2005, p. 157, 328; Ferraz et al., 1926, p. 20, 41, 75]. Francisco Gil Castello Branco e Maria Eugênia Lopes Castello Branco foram pais de:
41119IV-1Antônio Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.125].
41120IV-2Anna Rosa do Lago Castello Branco [v. 41.222].
41121IV-3Veneranda Clara Castello Branco [v. 41.223].
41122IV-4Umbellina Castello Branco [v. 41.533].
41123IV-5Mariana Castello Branco [v. 41.534].
41124IV-6Francisco Gil Castello Branco Júnior [v. 41.563].
41125IV-1ANTÔNIO LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA, n. em Campo Maior. Coronel. Homem de grande fortuna, e proprietário da famosa fazenda Tapera, em Campo Maior. Participou bravamente pela independência do Brasil no Piauí [1822-23]. Casou-se em primeiras núpcias, em <1810>, com ANNA ROSA DE SÃO JOSÉ [41.125a] [Borges, 1878, p. 69; Chaves, 2005, p. 303, 390; Ferraz et al., 1926, p. 41-3]. Foram pais de:
41126V-1Lívio Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.138].
41127V-2Liberato Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.169].
41128V-3Antônio Lopes Castello Branco e Silva [filho] [v. 41.179].
41129V-4Luiz Lopes Castello Branco e Silva, f. solteiro. Advogado formado no Recife em 1848. Promotor público de Piracuruca e Pedro II PI. s/g
41130V-5Lidvina Castello Branco e Silva [v. 41.183].
41131V-6Clemente Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.184].
41132V-7Manuel Thomaz Ferreira e Silva [v. 41.185].
41133V-8Mariana Rosa Castello Branco e Silva [v. 41.190].
41125_2nIV-1... ANTÔNIO LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA casou-se em segundas núpcias com sua prima DOROTHEA EFIGÊNIA CASTELLO BRANCO [41.125b], n. na fazenda Contente [v. 42.034]. Filha de Marcellino José da Cunha Castello Branco e de Maria Florência Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 42, 76, 168]. Foram pais de: 11134
41125b_2n... DOROTHEA EFIGÊNIA CASTELLO BRANCO, ao enviuvar, casou-se em segundas núpcias com seu primo ANTÔNIO DA CUNHA MACHADO [41.125ba]. Filho de Francisco da Cunha Machado e de Raymunda Castello Branco. Foram pais de:
41135V-10Marcellino da Cunha Machado [v. 41.192].
41136V-11Luiz da Cunha Machado [v. 41.199].
41137V-12Dorothea da Cunha Machado [v. 41.221].
41138V-1LÍVIO LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA, n. 11-09-1811 em Santo Antônio de Campo Maior (dois anos antes de o lugar se tornar vila), f. 05-12-1869 em Parnaíba. Em 1825 começou a frequentar a escola particular do frei Antônio de Jesus Maria Faya, no povoado de Nossa Senhora da Conceição das Barras, hoje cidade de Barras. Aos 17 anos de idade, isto é, em 1828, foi nomeado pelo governador da província do Piauí para o posto de alferes. Advogado provisionado por mais de 22 anos. Exerceu por várias vezes, no antigo município e comarca de Campo Maior, os cargos de vereador, juiz de paz e promotor público. Em 1836 exercia importante função na inspetoria da Fazenda Pública de Campo Maior. Em 1837 já era comandante do destacamento da cidade de Campo Maior. Recebeu o título de coronel da Guarda Nacional em 19-03-1858.
Em 1838, estourou no Maranhão a guerra civil que se denominaria "revolução dos balaios", a qual teve grande repercussão na província do Piauí. A Balaiada, que durou de dezembro de 1838 a fevereiro de 1840, foi na realidade um levante da classe social baixa, composta de cafuzos, caboclos, mulatos e negros ex-escravos e seus descendentes no Maranhão, contra senhores detentores de terras, portugueses ou seus descendentes, por seus desmandos e abusos. Lívio Lopes Castello Branco e Silva, que pertencia à elite de proprietários de terras no Piauí, era aparentemente um homem liberal, avançado para a época e cônscio desses problemas sociais. O Piauí tinha uma estrutura social similar à do Maranhão, e Lívio Lopes Castello Branco e Silva era fruto de gerações passadas [v. 40.027, João do Rego Castello Branco, 1o. do nome] que, no Piauí, com outras famílias de descendentes de portugueses, envolveram-se em vários movimentos para "apaziguar", "domesticar" ou mesmo, por que não dizer?, "exterminar" os índios em seus aldeamentos, na conquista de novas terras. Ao participar da Balaiada, Lívio Lopes tentou redirecionar essa revolta social espontânea, sem motivação ideológica, mas não teve êxito. Ele abandona o movimento e paga um alto preço por esse envolvimento.
"Em janeiro de 1839, o movimento já se estendia até o Piauí, para onde seguiu Raimundo Gomes Vieira Jatahy, principal líder da Balaiada, a fim de entrar em contato com Lívio Lopes Castello Branco e Silva, um liberal de Campo Maior" [Santos, 1983, p. 79]. No transcorrer do primeiro semestre de 1839, o movimento rebelde alcançou proporções gigantescas, culminando com a tomada de Caxias em 1º de julho daquele ano. A cidade, na época, era o maior centro comercial do sertão maranhense. Os balaios ampliaram suas ações por toda a região oriental da província, ramificando-se pela margem piauiense do rio Parnaíba. Aparentemente, o pretexto de Lívio Lopes para ir a Caxias era retirar uma irmã e duas cunhadas da zona de conflito. Ao chegar lá, em 30 de maio de 1839, encontrou a cidade sitiada. Surpreso, julga conveniente "aderir" aos balaios, juntando-se a Raimundo Gomes Vieira Jatahy. E, com efeito, em breve se achou à frente de uma força de 6.500 homens enquanto rumava para Caxias. Passados alguns dias, assumindo o comando das forças sitiantes, Lívio Lopes coordena o cerco e a tomada da cidade, no intuito de evitar desatinos e atos de barbaridade por parte dos balaios. Caxias resistiu até 1º de julho, dia em que capitulou, cansada de esperar pela ajuda do governo da província do Maranhão. Colocando-se à frente dos revoltosos por ocasião do assédio e da capitulação, o propósito de Lívio Lopes parece ter sido levantar o cerco à cidade e pacificar os insurgentes, o que não logrou realizar, dada a exaltação e a insubordinação da maior parte das hostes e dos líderes balaios. Conseguiu, entretanto, depois da capitulação de Caxias, estabelecer alguma ordem entre os revoltosos, salvando, assim, a vida de um grande número de famílias, que graças à sua energia deixaram de ser vítimas da mais execrável perversidade. Conseguiu, ainda, que uma deputação nomeada pelo conselho militar das forças insurgentes e integrada também por algumas pessoas graduadas de Caxias fosse a São Luís, capital da província, entender-se com o presidente.
Lívio Lopes, desgostoso com o procedimento do presidente da província do Maranhão - que perdia a ocasião mais oportuna de promover a pacificação -, vendo que não manteria por mais tempo o controle das tropas revoltosas e tendo já se desavindo com alguns chefes mais intolerantes e imprudentes da revolução balaia, deliberou deixar Caxias, retirando-se com as tropas de seu comando. Percebeu que deixar a cidade era a forma de não passar pelo dissabor de testemunhar as cenas de ferocidade e violência que necessariamente iriam vitimar a população de Caxias, como realmente acabou por acontecer, contribuindo para tanto o fato de a província do Maranhão ter um presidente fraco. Retirando-se de Caxias, procurou ainda evitar o pior, por meio de uma contra-revolução, e nesse sentido tentou se entender oficialmente com os chefes das forças do governo da província do Maranhão, expondo-lhes suas intenções e oferecendo-lhes seus serviços, pois não encontrou interlocutor nos chefes das forças do governo.
Nessas circunstâncias, não podendo ver realizado nenhum dos seus planos salvadores, determinou-se a abandonar a revolução quando ela se achava no auge - na verdade, prosseguiria ainda por cerca de dois anos. Assim, no dia 10 de julho de 1839, no lugar denominado Barra dos Pombos, na margem do rio Parnaíba, na província do Maranhão, passou revista em suas tropas e na madrugada seguinte, atravessando o rio, retirou-se, dando a um oficial de sua confiança a incumbência de debandar a força ao amanhecer do dia. Assim, retirou-se ocultamente da revolução balaia, sem a glória de tê-la abafado ou encerrado pelos meios pacíficos. Pouco depois começariam os atos de terrível ferocidade e selvageria contra a população de Caxias, até que finalmente, em 7 de fevereiro de 1840, sob o comando do coronel Luiz Alves de Lima e Silva, depois Duque de Caxias, tomaram-se as providências para terminar a guerra e pacificar a província.
Lívio Lopes Castello Branco e Silva, depois de abandonar a revolução e atravessar o Piauí, passando por Sobral, no Ceará, e entrar no Rio Grande do Norte, no seu trajeto pelos sertões teve de vencer grandes dificuldades para se desembaraçar da perseguição de seus inimigos, que, auxiliados pelas forças governamentais, procuravam-no por toda parte. Prenderam-no por fim no interior da província do Rio Grande do Norte, em 30 de outubro de 1839. Lívio Lopes, contudo, conseguiu se desfazer dessa prisão às 9 horas da noite do mesmo dia e, internando-se novamente pelos sertões, foi ter à capital da província da Paraíba. Em janeiro de 1840, passou dali para o Recife, onde pretendia embarcar para a Inglaterra, na expectativa de dias melhores. Desistiu da viagem à Europa a conselho de pessoas amigas e se recolheu no interior da província de Pernambuco, onde permaneceu por vários meses. Conforme esperado, em 22-08-1840 foi publicado no Diário de Pernambuco um decreto que anistiava todos os crimes políticos cometidos no Império.
Em março de 1841, Lívio Lopes decidiu voltar ao Piauí, via Sobral. Foi novamente preso em Sobral e, desta vez, remetido para Fortaleza, capital da província do Ceará, cujo governador, após examinar os documentos apresentados por Lívio, reconheceu que ele já não se achava sujeito a penalidade alguma. Entretanto, para evitar problemas com o governo do Piauí, mandou que fosse recolhido a bordo da escuna de guerra Victoria e, no dia seguinte, transportado para o Recife, onde, tão logo chegou, foi posto em liberdade por ordem do presidente da província. Lívio Lopes Castello Branco e Silva, ao retornar ao Piauí, teve uma infatigável e distinta militância na imprensa, publicando cerca de dez jornais em vinte anos: A Malagueta Maranhense, São Luís, 1844 - O Liberal Piauhyense, Caxias MA, 1846 - Correio dos Municípios, Caxias, 1848 - Aucapura, Oeiras PI, 1850 - Anjos Piauhyenses, Oeiras, 1851 e 1852 - Patuléa, Teresina, 1855 - Correio Piauhyense, Teresina, 1856 - Conciliador Piauhyense, Teresina, 1857. - O Propagador [com Deolindo Mendes da Silva, integrou de janeiro de 1858 a dezembro de 1864 a redação desse importante órgão do antigo Partido Liberal da província do Piauí] - O Povo [meramente eleitoral e restrito ao município de Campo Maior; impresso em Teresina], 1863. Escreveu ainda uma exposição documentada sobre sua participação na Balaiada e nela incluiu um honroso parecer do grande jurisconsulto e estadista José Thomaz Nabuco de Araújo, trabalho que não publicou e que provavelmente se perdeu. Em 22 de dezembro de 1869, A Imprensa, órgão do Partido Liberal da província do Piauí, publicou um editorial rendendo-lhe grande homenagem por ocasião de seu falecimento. [Araújo, 2001; Assunção, 1988; Borges, 1878, p. 100-17; Borges, 1880; Castello Branco Filho, 1983, p. 59-66; Castelo Branco Neto, 1989, p. 19-22; Chaves, 2005, p. 461-5; Corrêa, 1928; Ferraz et al., 1926, p. 19, 41, 77, 79; Magalhães, 2001; Nunes, 1975; Oliveira, 1985; Pereira da Costa, 1909, p. 242-3, 245, 247, 256, 259; Santos, 1983.] Lívio Lopes Castello Branco e Silva casou-se em 15-06-1834, na vila de Campo Maior, com sua prima BÁRBARA MARIA DE JESUS CASTELLO BRANCO [41.138a], n. na fazenda de São Pedro, no município de Campo Maior (depois Livramento, atual José de Freitas), f. em Parnaíba [v. 43.028]. Filha de Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco [primeiro do nome] e de Maria de Jesus Castello Branco, primos entre si. Ignoramos a exata cronologia do nascimento dos filhos que será apresentada a seguir. Foram pais de:
41139VI-1Cândida Rosa Leal Castello Branco, f. solteira. s/g
41140VI-2Sephora Lima Leal Castello Branco, f. solteira. s/g
41141VI-3Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco [segundo do nome] [v. 41.147].
41142VI-4Francisco Lopes Castello Branco, f. solteiro. s/g
41143VI-5Antônio Lopes Castello Branco [segundo do nome], f. em Lomas Valentinas, na Guerra do Paraguai. Capitão. s/g
41144VI-6Amélia Carolina Leal Castello Branco [v. 41.166].
41145VI-7Maria de Jesus Leal Castello Branco [primeira do nome] [v. 41.167].
41146VI-8Benvinda Doria Leal Castello Branco [v. 41.168].
41147VI-3MIGUEL DE SOUZA BORGES LEAL CASTELLO BRANCO [segundo do nome] [MIGUEL BORGES], n. 15-06-1836 em Campo Maior, f. 22-04-1887 em Teresina, s. no cemitério público. Ao que parece, somente em 1847 começou a frequentar a escola, tendo como professor o português José Alves Barbosa, radicado em Campo Maior. Em 1855, em companhia do irmão mais moço, foi levado para Oeiras por um parente e benfeitor, Antônio Borges Leal Castello Branco [v. 43.043], que acabara de ser nomeado juiz de direito da comarca. Mais tarde, foi levado pelo dr. Antônio Borges de Oeiras para o Recife, para que estudasse direito. Por problemas de saúde, retornou logo ao Piauí. Em 1862, tendo enviuvado prematuramente, mudou-se de Campo Maior para Teresina. Exerceu vários cargos na administração pública: Nomeado amanuense da Secretaria de Polícia de Teresina em janeiro de 1863. Nomeado escrivão da coletoria de Teresina em 1865. Vereador em Teresina. Deputado provincial no Piauí [1866-67]. Gerente da Companhia de Navegação a Vapor. Procurador da Fazenda do Piauí. Delegado de polícia de Teresina. Teve participação ativa no jornalismo, a exemplo de seu pai, Lívio Lopes Castello Branco e Silva, deixando publicações importantes para a história do Piauí. Fundou em 1862 o jornal literário e recreativo Theresinense. Em 1865, com seu primo Antônio de Sampaio Almendra [v. 45.086], ex-vice-presidente da província do Piauí, foi um dos redatores no jornal Liga e Progresso. Em 1872, foi para a redação do jornal A Imprensa. Em 1881, publicou um volume sobre a nova lei eleitoral. Publicou poesias e, já nos últimos tempos, redigiu Mocidade Piauhyense, com trabalhos históricos. Outras publicações: Apontamentos biographicos de alguns piauhyenses ilustres, 1878 - Revista Mensal [dedicada ao comércio], 1884. - Almanaque Piauhyense, v. 1, 1879; v. 2, 1880; v. 3, 1881.
Teve intensa atividade como educador: Em 1864, foi nomeado para a cadeira de francês do Liceu de Teresina. Em 1882 fundou o Colégio Nossa Senhora das Dores, que dirigiu com dedicação apaixonada. Foi professor de várias disciplinas. Em 1878, com a autorização do vice-presidente da província, Augusto da Cunha Castello Branco [v. 42.596], barão de Campo Maior, seu parente, integrou a comissão de socorro às vítimas da seca no Piauí, albergando em seu sítio Guandu a princípio 150 pessoas, depois 200 e finalmente 800 pessoas. Educador, humanista, jornalista, escritor, historiador, funcionário público, comerciante, era conhecido como um homem que tinha tempo para tudo e para todos. Em 1883 foi a Fortaleza, no Ceará, em busca de recursos médicos para o terrível glaucoma que o perseguia; pouco tempo depois, sobreveio-lhe a completa cegueira [Chaves, 2005, p. 466-8; Freitas, 1998, p. 143-9]. Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco [segundo do nome] [Miguel Borges] casou-se em primeiras núpcias em 30-09-1860, na fazenda Victoria de Baixo, em Campo Maior, com sua prima CASSIANA FERREIRA DE ARAÚJO [41.147a], n. na fazenda Victoria de Baixo, f. 14-07-1861 em Campo Maior. Filha de Marcelino José Ferreira (capitão) e de Bernardina Luzia da Silva. s/g
41147_2nVI-3... MIGUEL DE SOUZA BORGES LEAL CASTELLO BRANCO [segundo do nome] [MIGUEL BORGES] casou-se em segundas núpcias em 10-01-1863, em Caxias MA, com EMYGDIA HENRIQUETA VIANA DE NORONHA [41.147b], n. em Caxias, f. em Teresina. Foram pais de:
41148VII-1Wladimir Castello Branco. s/g
41149VII-2Gilson Castello Branco. s/g
41150VII-3Maria Emygdia Castello Branco [Sinhá Borges]. Diretora do Grupo Escolar Teodoro Pacheco e do Colégio Nossa Senhora das Dores, em Teresina. s/g
41151VII-4Antônio Borges Castello Branco, f. 09-05-1884 em Teresina. s/g
41152VII-5Raymundo Borges Leal Castello Branco [segundo do nome]. Oficial do Exército.
41153VII-6Celina Emygdia Castello Branco.
41154VII-7Lívio Borges Castello Branco, n. 1876. Sentou praça em 18-02-1893. Chegou a capitão em 15-12-1922. Medalha de Ouro por bons serviços militares [Almanak do Ministério da Guerra de 1928, p. 523].
41155VII-8Wladimir Borges Castello Branco [v. 41.157].
41156VII-9Raymundo Borges Castello Branco [v. 41.163].
41157VII-8WLADIMIR BORGES CASTELLO BRANCO. Dentista. Casou-se com MARIA LABRE [41.157a]. Foram pais de:
41158VIII-1Wladimir Labre Castello Branco.
41159VIII-2Amelita Labre Castello Branco.
41160VIII-3Emie Labre Castello Branco.
41161VIII-4Miguel Labre Castello Branco.
41162VIII-5Wladina Labre Castello Branco. Religiosa da Ordem de Jesus Crucificado.
41163VII-9RAYMUNDO BORGES CASTELLO BRANCO. Casou-se no Rio Grande do Sul com ANTONINA FALCÃO [41.163a]. Foram pais de:
41164VIII-1Emygdia Falcão Castello Branco.
41165VIII-2Christóvão Falcão Castello Branco, n. 1900, f. 1947. General. Teve participação destacada nos combates à coluna Prestes no Piauí, em 1925 [Castello Branco Filho, 1983, p. 41]. Professor da Escola Militar. Deixou publicações sobre geodésia.
41166VI-6AMÉLIA CAROLINA LEAL CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com seu primo MIGUEL CARLOS DE CARVALHO CASTELLO BRANCO [41.166a], n. em Campo Maior [v. 41.031]. Filho de Raymundo de Carvalho Castello Branco e de Joaquina Rosa Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 80, 166]. [V. descendência do casal em 41.039.]
41167VI-7MARIA DE JESUS LEAL CASTELLO BRANCO [primeira do nome], n. 15-05-1847 em Campo Maior, f. 01-11-1910 em União. Casou-se em 26-07-1873, em Campo Maior, com seu primo MANUEL THOMAZ FERREIRA [segundo do nome] [41.167a] [... segundas núpcias deste] [v. 44.203], n. 27-03-1826 na fazenda Peixão, no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios), f. 07-11-1907 no município de Livramento (atual José de Freitas). Filho de Joaquim José do Rego e de Rosa Florinda Castello Branco. [V. descendência do casal em 44.214.]
41168VI-8BENVINDA DORIA LEAL CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com seu primo ODORICO DE CARVALHO E SILVA CASTELLO BRANCO [41.168a], n. em Campo Maior [v. 41.036]. Filho de Raymundo de Carvalho Castello Branco e de Joaquina Rosa Castello Branco, primos entre si. (Ignoramos se deixaram descendentes.)
41169V-2LIBERATO LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com sua prima ANNA DE CARVALHO CASTELLO BRANCO [41.169a], n. em Campo Maior [v. 41.024]. Filha de Simplício de Carvalho Castello Branco e de Umbellina Castello Branco, primos entre si. Neta paterna de Miguel de Carvalho e de Anna Rosa Clara de Castello Branco, primos entre si. Neta materna de Francisco Gil Castello Branco e de Maria Eugênia Lopes Castello Branco [Ferraz et al., 1926, p. 41-3, 63, 185]. Liberato Lopes Castello Branco e Silva e Anna de Carvalho Castello Branco foram pais de:
41170VI-1Umbellina Rosa de Jesus Castello Branco e Silva, n. em Campo Maior.
41171VI-2Anna Castello Branco e Silva, n. em Campo Maior.
41172VI-3Liberato Castello Branco.
41173VI-4Antônio Lopes Castello Branco e Silva [sobrinho], n. em Campo Maior, f. em Lomas Valentinas, na Guerra do Paraguai. Tenente [Chaves, 2005, p. 107, 229, 231].
41174VI-5Persio Lopes Castello Branco, n. em Campo Maior, f. em Lomas Valentinas, na Guerra do Paraguai. Capitão.
41175VI-6Maria Celeste Castello Branco e Silva, n. em Campo Maior.
41176VI-7Lydia Castello Branco e Silva, n. em Campo Maior.
41177VI-8Filomena Castello Branco e Silva, n. em Campo Maior.
41178VI-9José Liduíno Castello Branco, n. em Campo Maior. Oficial da Marinha.
41179V-3ANTÔNIO LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA [filho], n. em Campo Maior. Capitão. Casou-se em Campo Maior com sua prima MARIA FRANCISCA DE CARVALHO CASTELLO BRANCO [41.179a], n. em Campo Maior [v. 40.025]. Irmã de Anna de Carvalho Castello Branco. Filha de Simplício de Carvalho Castello Branco e de Umbellina Castello Branco, primos entre si. Neta paterna de Miguel de Carvalho e Silva e de Anna Rosa Clara de Castello Branco, primos entre si. Neta materna de Francisco Gil Castello Branco e de Maria Eugênia Lopes Castello Branco [Ferraz et al., 1926, p. 41, 43, 63, 185]. Antônio Lopes Castello Branco e Silva [filho] e Maria Francisca de Carvalho Castello Branco foram pais de vários filhos, entre os quais:
41180VI-1Antônio Lopes Castello Branco e Silva Júnior, n. em Campo Maior. xxx
41180VI-2Maria Lopes Castello Branco, n. em Campo Maior. ATENÇÃO: NÚMERO REPETIDO
41181VI-3Raimundo Nonato Lopes Castello Branco [v. 41.182].
41182VI-3RAIMUNDO NONATO LOPES CASTELLO BRANCO, n. <1836> em Campo Maior PI, f. em Bom Jesus RS. Fuzileiro naval. Alferes. Participou da Guerra do Paraguai, depois da qual se radicou no Rio Grande do Sul. Comerciante. Casou-se em <1870> com RITA FERNANDES [41.182a], n. <1858> em Lagoa do Sombrio SC, f. em Bom Jesus RS. Segundo relato de tradição familiar, Rita se casou aos 12 anos de idade. O casal teve doze filhos, todos nascidos em Bom Jesus [Carlos Augusto Coelho de Souza Sobrinho, bisneto de Raimundo Nonato e residente em Vacaria RS, comunicação pessoal, janeiro de 2013].
41183V-5LIDVINA CASTELLO BRANCO E SILVA, n. em Campo Maior. Casou-se com ANTÔNIO JOSÉ MARTINS [41.183a].
41184V-6CLEMENTE LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com sua prima RAYMUNDA DE CARVALHO CASTELLO BRANCO [41.184a], n. em Campo Maior [v. 41.026]. Irmã de Anna de Carvalho Castello Branco e de Maria Francisca de Carvalho Castello Branco. Filha de Simplício de Carvalho Castello Branco e de Umbellina Castello Branco, primos entre si. Neta materna de Francisco Gil Castello Branco e de Maria Eugênia Lopes Castello Branco [Ferraz et al., 1926, p. 41-2, 63, 185]. s/g
41185V-7MANUEL THOMAZ FERREIRA E SILVA, n. em Campo Maior. Casou-se com CELESTE EULÁLIO [41.185a]. Foram pais de:
41186VI-1Salustiano Eulálio Castello Branco [v. 41.187].
41187VI-1SALUSTIANO EULÁLIO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com CRISTÁLIA [...] [41.187a]. Foram pais de:
41188VII-1Celeste Castello Branco [v. 41.189].
41189VII-1CELESTE CASTELLO BRANCO. Casou-se com GRACILIANO DE SOUSA MILHOMEN [41.188a].
41190V-8MARIANA ROSA CASTELLO BRANCO E SILVA, n. em Campo Maior. Casou-se com seu primo BENEDICTO JOSÉ DE CARVALHO E ALMEIDA [41.190a], n. no antigo município de Barras (atual Esperantina) [v. 40.627]. Filho de José Carvalho de Almeida e de Francisca Castello Branco [Borges, 1878, p. 69; Ferraz et al., 1926, p. 41-2].
41191V-9MARIA FLORÊNCIA DA PURIFICAÇÃO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com seu primo CÂNDIDO BORGES DE CARVALHO [41.191a], n. em Barras [v. 40.657]. Filho de Francisco Borges de Carvalho e Almeida e de Cândida Rosa Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 162, 168-9]. [V. descendência do casal em 40.659.]
41192V-10MARCELLINO DA CUNHA MACHADO, n. em Campo Maior, f. 24-05-1876 em Barras. Fazendeiro. Casou-se em 10-02-1867, em Barras, com sua prima LINA PIRES FERREIRA [41.192a] [... primeiras núpcias desta], n. 14-05-1851 na fazenda Buriti, em Barras (atual Esperantina), f. 04-04-1900 em Coari AM [v. 43.843]. Filha de José Pires Ferreira [neto] e de Maria Joaquina de Jesus Castello Branco Carvalho de Almeida [v. 43.812]. Neta paterna de Maria da Assumpção Pires Ferreira e de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [... primeiras núpcias deste] [v. 43.808] [Pires Ferreira, 1922, v. 2, p. 16, 18, 202]. Marcellino da Cunha Machado e Lina Pires Ferreira foram pais de: [V. descendência das filhas de Marcellino da Cunha Machado e de Lina Pires Ferreira em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 202-10.]
41193VI-1José Pires da Cunha Machado, n. em 10-03-1868 em Barras, f. 13-06-1868 tb. em Barras. s/g
41194VI-2Antônio Pires da Cunha Machado, n. 18-06-1859 em Barras, f. 28-06-1869 tb. em Barras. s/g
41195VI-3José Pires da Cunha Machado, n. 22-01-1870 em Barras, f. 02-10-1876 em tb. Barras. s/g
41196VI-4Adélia Pires da Cunha Machado, n. 23-12-1873 em Barras. Casou-se.
41197VI-5Maria de Jesus Pires da Cunha Machado [v. 41.198].
41198VI-5MARIA DE JESUS PIRES DA CUNHA MACHADO [SINHAZINHA], n. 10-12-1875 em Barras. Casou-se em 05-10-1900, em Barras, com seu primo HERÁCLITO FORTES CASTELLO BRANCO [41.198a], n. 23-10-1872 em Livramento, hoje José de Freitas. Coronel [v. 41.290].
41199V-11LUIZ DA CUNHA MACHADO, n. em Campo Maior. Casou-se com DAMIANA [...] [41.199a]. Foram pais de:
41200VI-1Antônio Machado, n. em Campo Maior.
41201VI-2Alfredo da Cunha Machado [v. 41.213].
41202VI-3Luiz Machado, n. em Campo Maior.
41203VI-4José Machado Castello Branco, n. em Campo Maior. Médico formado em Salvador.
41204VI-5Joaquim Machado Castello Branco, n. em Campo Maior.
41205VI-6Maria Serva de Deus Machado [v. 41.220].
41206VI-7Dorothea Machado, n. em Campo Maior.
41207VI-8Archangela Machado, n. em Campo Maior.
41208VI-9Adélia Machado, n. em Campo Maior.
41209VI-10Cândida Machado, n. em Campo Maior.
41210VI-11Victoria Machado, n. em Campo Maior.
41211VI-12Marcellino Machado, n. em Campo Maior.
41212VI-13Péricles Machado, n. em Campo Maior.
41213VI-2ALFREDO DA CUNHA MACHADO, n. em Campo Maior. Casou-se com JÚLIA DE SOUZA LIMA [41.213a]. Foram pais de:
41214VII-1Evandro de Souza Lima Machado.
41215VII-2Antônio de Souza Lima Machado.
41216VII-3Luiz de Souza Lima Machado.
41217VII-4Inalda de Souza Lima Machado.
41218VII-5Maria Carmelita Machado.
41219VII-6Alfredo da Cunha Machado [filho].
41220VI-6MARIA SERVA DE DEUS MACHADO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com seu primo MODESTO TITO CASTELLO BRANCO [41.220a], n. em Campo Maior [v. 42.422]. Filho de Marcellino Tito Castello Branco Filho e de Dorothea da Cunha Machado. Neto paterno de Marcellino Tito Castello Branco e de Victoria Rosa de Jesus [Ferraz et al., 1926, p. 155-6, 170].
41221V-12DOROTHEA DA CUNHA MACHADO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com seu primo MARCELLINO TITO CASTELLO BRANCO FILHO [41.221a], n. em Campo Maior [v. 42.410]. Filho de Marcellino Tito Castello Branco e de Victoria Rosa de Jesus. Neto paterno de Marcellino José da Cunha Castello Branco e de Maria Florência de Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 155, 168]. [V. descendência do casal em 42.417.]
41222IV-2ANNA ROSA DO LAGO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com LUIZ DE SOUZA FORTES BUSTAMANTE DE SÁ MENEZES [primeiro do nome] [41.222a] [... segundas núpcias deste], n. em Minas Gerais, f. em Livramento (atual José de Freitas) [v. 43.888]. [V. descendência do casal em 43.888.]
41223IV-3VENERANDA CLARA CASTELLO BRANCO. n. em Campo Maior. Casou-se em <1819>, em Campo Maior, com JOSÉ JOAQUIM DE SANT'ANNA [41.223a], n. no Peixe. Filho de José Francisco de Sant'Anna (do Peixe, atual município de Nossa Senhora dos Remédios) [v. 44.199] [Ferraz et al., 1926, p. 51]. Foram pais de:
41224V-1Francisco Gil Castello Branco Neto, n. em Campo Maior.
41225V-2José Francisco de Sant'Anna [segundo do nome] [v. 41.235].
41226V-3Antônio José de Sampaio Sobrinho [v. 41.250].
41227V-4Lina Joaquina Castello Branco [v. 41.362].
41228V-5Marcellino de Sant'Anna, n. no Peixe. s/g
41229V-6Rosa Castello Branco [segunda do nome], n. no Peixe.
41.223a_2n... JOSÉ JOAQUIM DE SANT'ANNA casou-se em segundas núpcias com FELISBELLA PORTELLA [41.223b]. s/g
41.223a_3n... JOSÉ JOAQUIM DE SANT'ANNA casou-se em terceiras núpcias com sua cunhada FLORINDA PORTELLA [41.223c]. Foram pais de:
41230V-7Josephina Sant'Anna [v. 41.502].
41231V-8José Sant'Anna [v. 41.503].
41232V-9Florinda Rosa de Sant'Anna [v. 41.504].
41233V-10Francisco Sant'Anna [v. 41.505].
41234V-11Raymunda Nonata Florinda Sant'Anna [v. 41.532].
41235V-2JOSÉ FRANCISCO DE SANT'ANNA [segundo do nome], n. no Peixe. Casou-se em Livramento com sua prima MARIANNA DE SOUZA FORTES [41.235a], n. 1815 em Livramento (atual José de Freitas), f. 1910 [v. 43.893]. Filha de Anna Rosa do Lago Castello Branco e de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [Ferraz et al., 1926, p. 44, 52]. Foram pais de: [V. descendência dos filhos de José Francisco de Sant'Anna e de Marianna de Souza Fortes em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 265, 275.]
41236VI-1Lydia Cherubina Sant'Anna Castello Branco [v. 41.246].
41237VI-2Enéas Fortes Castello Branco, n. no Peixe. Casou-se.
41238VI-3Alípio Fortes Castello Branco [v. 41.247].
41239VI-4Lina Sant'Anna, n. no Peixe. Casou-se.
41240VI-5Anna Rosa Sant'Anna, n. no Peixe. Casou-se.
41241VI-6Florinda Sant'Anna, n. no Peixe. Casou-se [v. 43.914b].
41242VI-7Vivina Sant'Anna [v. 41.248].
41243VI-8Raymunda Sant'Anna, n. no Peixe, f. solteira. s/g
41244VI-9Felisbella Sant'Anna [v. 41.249].
41245VI-10Francisca Sant'Anna, n. no Peixe, f. solteira. s/g
41246VI-1LYDIA CHERUBINA SANT'ANNA CASTELLO BRANCO, n. no Peixe, hoje Nossa Senhora dos Remédios, f. 16-09-1905 em Barras. Casou-se em 1864, no Peixe, com seu primo RAYMUNDO DE CARVALHO PIRES FERREIRA [41.246a], n. 06-06-1841 no sítio-fazenda Buriti, no município de Barras, f. 21-12-1903 tb. em Barras. Fazendeiro no município de Barras. Tenente-coronel da Guarda Nacional [v. 43.815].
41247VI-3ALÍPIO FORTES CASTELLO BRANCO, n. no Peixe. Casou-se em primeiras núpcias com sua prima MARIA DA CONCEIÇÃO COSTA [41.247a] [v. 43.908].
41247_2nVI-3... ALÍPIO FORTES CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com sua prima e cunhada MARIA DOS ANJOS COSTA [41.247b] [v. 43.909].
41248VI-7VIVINA SANT'ANNA, n. no Peixe. Casou-se no Peixe com seu primo HOSANNO COSTA [41.248a] [... primeiras núpcias deste], n. em Livramento [v. 43.904].
41249VI-9FELISBELLA SANT'ANNA, n. no Peixe. Casou-se no Peixe com ALEXANDRE DE CARVALHO [41.249a].
41250V-3ANTÔNIO JOSÉ DE SAMPAIO SOBRINHO, n. 09-03-1821 no Peixe, f. 26-06-1889 em Livramento. Casou-se em 04-11-1842 com sua prima ROSA MEROLINA CASTELLO BRANCO [41.250a], n. 09-11-1823 na fazenda Ininga, em Livramento, f. 03-08-1915 [v. 42.301]. Filha de Lina Rosa de Jesus e de Estevão Lopes Castello Branco Neto [Ferraz et al., 1926, p. 51, 118-9]. Foram pais de:
41251VI-1José Sampaio Castello Branco [primeiro do nome] [v. 41.268].
41252VI-2Estevão Lopes Sampaio [v. 41.280].
41253VI-3Lina Veneranda de Sampaio Castello Branco, n. 21-07-1847 em Livramento, f. solteira. s/g
41254VI-4Veneranda Sampaio Castello Branco [v. 41.287].
41255VI-5Maria Sampaio Castello Branco [primeira do nome] [v. 41.310].
41256VI-6Francisca Sampaio Castello Branco [v. 41.311].
41257VI-7Rosa Sampaio Castello Branco [primeira do nome], n. 10-01-1853 n. em Livramento, f. solteira.
41258VI-8Felisbella Sampaio Castello Branco [v. 41.318].
41259VI-9Antônio José Sampaio [v. 41.338].
41260VI-10Rosa Sampaio Castello Branco [segunda do nome] [v. 41.341].
41261VI-11Joaquim José Sampaio Castello Branco, n. 13-12-1860 em Livramento, f. 17-08-1892 no Rio de Janeiro. Sacerdote. Bacharel em teologia e doutor em direito canônico. Orador sacro. Patrono de uma cadeira da Academia Piauiense de Letras. Publicou O padre deve ser casado?
41262VI-12Marcellino Sampaio Castello Branco [v. 41.348].
41263VI-13Anna Lina Sampaio Castello Branco, n. 26-08-1864 em Livramento, f. 13-06-1893. Solteira.
41264VI-14Antônio José Sampaio Castello Branco, n. 1866 em Livramento, f. no Rio de Janeiro. Industrial.
41265VI-15Raymundo Sampaio Castello Branco, n. 22-09-1870 em Livramento.
41266VI-16Estevão Sampaio Castello Branco, n. em Livramento, f. criança.
41267VI-17Antônio Sampaio Castello Branco, n. em Livramento, f. criança.
41268VI-1JOSÉ SAMPAIO CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. 23-10-1843 em Livramento. Casou-se em 06-05-1871, em Livramento, com sua prima ANNA ROSA DE MENEZES FORTES [41.268a], n. em Livramento (atual José de Freitas) [v. 42.316]. Filha de Antônio de Souza Fortes e de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco, primos entre si [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 253-6]. Foram pais de:
41269VII-1João Sampaio Castello Branco, n. 05-02-1873 em Livramento, f. solteiro. s/g
41270VII-2Joaquim Sampaio Castello Branco [v. 41.279].
41271VII-3Maria Sampaio Castello Branco [terceira do nome], n. 06-05-1876 em Livramento, f. 06-06-1880 tb. em Livramento. s/g
41272VII-4Archangela Sampaio Castello Branco, n. 07-01-1878 em Livramento, f. solteira. s/g
41273VII-5José Sampaio Castello Branco [segundo do nome] [filho], n. 09-01-1880 em Livramento, f. solteiro.
41274VII-6Luiz Sampaio Castello Branco, n. 09-11-1881, f. 17-09-1892 em Livramento. s/g
41275VII-7Anna Lina Sampaio Castello Branco, n. 05-12-1882 em Livramento, f. solteira. s/g
41276VII-8Maria Sampaio Castello Branco [quarta do nome], n. 25-02-1884 em Livramento, f. solteira.
41277VII-9Pio Sampaio Castello Branco, n. 05-05-1885 em Livramento, f. solteiro. s/g
41278VII-10Luiz Sampaio Castello Branco, n. 14-08-1886 em Livramento, f. solteiro. s/g
41279VII-2JOAQUIM SAMPAIO CASTELLO BRANCO, n. 26-03-1874. Casou-se em primeiras núpcias com sua prima ANNA GENEROSA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [41.279a], n. 02-12-1876 em Livramento [v. 41.284]. Filha de Estevão Lopes Sampaio e de Dorothea Rosa Castello Branco. s/g
41279_2nVII-2... JOAQUIM SAMPAIO CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com sua prima e cunhada MARIA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [segunda do nome] [41.279b], n. 22-07-1874 [v. 41.283] [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 256]. s/g
41280VI-2ESTEVÃO LOPES SAMPAIO, n. 13-01-1846 em Livramento. Casou-se em 24-02-1870 com sua prima DOROTHEA ROSA CASTELLO BRANCO [41.280a]. Foram pais de:
41281VII-1Lina Sampaio Castello Branco, n. 12-01-1871 em Livramento.
41282VII-2Elvira Sampaio Castello Branco, n. 07-03-1873 em Livramento.
41283VII-3Maria Sampaio Castello Branco [segunda do nome] [v. 41.285].
41284VII-4Anna Generosa Sampaio Castello Branco [v. 41.286].
41285VII-3MARIA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. 22-07-1874 em Livramento. Casou-se com seu primo e cunhado JOAQUIM SAMPAIO CASTELLO BRANCO [41.285a] [... segundas núpcias deste], n. em 26-03-1874 [v. 41.270]. Filho de José Sampaio Castello Branco e de Anna Rosa de Menezes Fortes. s/g
41286VII-4ANNA GENEROSA SAMPAIO CASTELLO BRANCO, n. em 02-12-1876 em Livramento. Casou-se com seu primo JOAQUIM SAMPAIO CASTELLO BRANCO [41.286a] [... primeiras núpcias deste], n. 26-03-1874 [v. 41.270]. Filho de José Sampaio Castello Branco e de Anna Rosa de Menezes Fortes [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 256]. s/g
41287VI-4VENERANDA SAMPAIO CASTELLO BRANCO, n. 05-02-1849 em Livramento. Casou-se em 07-08-1869 com seu primo PACÍFICO FORTES CASTELLO BRANCO [41.287a], n. em Livramento (atual José de Freitas), f. tb. em Livramento [v. 42.315]. Filho de Antônio de Souza Fortes e de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco, primos entre si. Foram pais de: [V. descendência dos filhos de Veneranda Sampaio Castello Branco e de Pacífico Fortes Castello Branco em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 253-6.]
41288VII-1Antônio Fortes Castello Branco [segundo do nome], n. 13-06-1870 em Livramento, f. criança.
41289VII-2Pacífico Fortes Castello Branco Filho [v. 41.303].
41290VII-3Heráclito Fortes Castello Branco [v. 41.304].
41291VII-4Hermógenes Fortes Castello Branco, n. 23-03-1874 em Livramento, f. solteiro.
41292VII-5Eurico Fortes Castello Branco, n. 25-02-1876 em Livramento, f. solteiro.
41293VII-6Leopoldo Fortes Castello Branco, n. 11-09-1877 em Livramento, f. 17-03-1878 tb. em Livramento.
41294VII-7Jayme Fortes Castello Branco, f. criança em Livramento.
41295VII-8Maria Fortes Castello Branco [primeira do nome], n. 05-10-1881 em Livramento, f. solteira.
41296VII-9Anna Fortes Castello Branco [primeira do nome], n. 14-06-1883 em Livramento, f. solteira.
41297VII-10Heli Fortes Castello Branco [v. 41.305].
41298VII-11Raymunda Fortes Castello Branco [primeira do nome], n. em Livramento, f. 1888 tb. em Livramento.
41299VII-12Raymunda Fortes Castello Branco [segunda do nome] [v. 41.306].
41300VII-13Jayme Fortes Castello Branco [v. 41.307].
41301VII-14Joaquina Fortes Castello Branco [v. 41.308].
41302VII-15Álvaro Fortes Castello Branco [v. 41.309].
41303VII-2PACÍFICO FORTES CASTELLO BRANCO FILHO, n. 07-05-1871 em Livramento. Casou-se em Livramento com sua prima HERMENGARDA FORTES CASTELLO BRANCO [41.303a], n. 27-01-1877 em Livramento [v. 41.314].
41304VII-3HERÁCLITO FORTES CASTELLO BRANCO, n. 23-10-1872 em Livramento. Coronel. Casou-se em 05-10-1900 com sua prima MARIA DE JESUS PIRES DA CUNHA MACHADO [SINHAZINHA] [41.304a], n. 30-12-1875 em Barras [v. 41.197].
41305VII-10HELI FORTES CASTELLO BRANCO, n. 22-02-1887 em Livramento. Advogado formado no Recife em 1908. Casou-se em 05-02-1910, em Teresina, com GUIOMAR DE ABREU [41.305a], n. em Teresina, f. tb. em Teresina [v. 43.556]. s/g
41306VII-12RAYMUNDA FORTES CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. 22-06-1889 em Livramento. Casou-se em 30-06-1910, em Livramento, com seu primo JOAQUIM FORTES CASTELLO BRANCO [41.306a], n. na fazenda Ininga, em Livramento [v. 41.325].
41307VII-13JAYME FORTES CASTELLO BRANCO, n. 11-05-1890 em Livramento. Casou-se com sua prima EMIR COSTA CARVALHO [41.307a].
41308VII-14JOAQUINA FORTES CASTELLO BRANCO, n. 19-01-1892 em Livramento. Casou-se em Livramento com seu primo BRAZ FORTES CASTELLO BRANCO [41.308a], n. na fazenda Ininga, em Livramento [v. 41.329].
41309VII-15ÁLVARO FORTES CASTELLO BRANCO, n. 19-02-1895 em Livramento, f. no Rio de Janeiro. Casou-se com JOSEPHINA [...] [41.309a], n. na Áustria, f. no Rio de Janeiro.
41310VI-5MARIA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [primeira do nome], n. 07-07-1850 em Livramento. Casou-se com seu primo FRANCISCO SANT'ANNA [41.310a] [v. 41.233]. Filho de Florinda Portella e de José Joaquim de Sant'Anna. [V. descendência do casal em 41.505.]
41311VI-6FRANCISCA SAMPAIO CASTELLO BRANCO, n. 17-09-1851 em Livramento. Casou-se em 20-05-1871 com seu primo FRANCISCO FORTES CASTELLO BRANCO [41.311a], n. em Livramento (atual José de Freitas) [v. 42.319]. Filho de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco e de Antônio de Souza Fortes, primos entre si. Foram pais de: [V. descendência dos filhos de Francisca Sampaio Castello Branco e de Francisco Fortes Castello Branco em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 258.]
41312VII-1Raymundo Fortes Castello Branco [primeiro do nome] [v. 41.315].
41313VII-2Estevão Fortes Castello Branco Sobrinho [v. 41.316].
41314VII-3Hermengarda Fortes Castello Branco [v. 41.317].
41315VII-1RAYMUNDO FORTES CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. 12-05-1872 em Livramento. Casou-se com BLANDINA MOTTA [41.315a].
41316VII-2ESTEVÃO FORTES CASTELLO BRANCO SOBRINHO, n. 02-09-1875 em Livramento, f. tb. em Livramento, na fazenda Bacuri. Casou-se na fazenda Ininga com sua prima MARIA DA CONCEIÇÃO FORTES CASTELLO BRANCO [41.316a], n. em Livramento, na fazenda Ininga [v. 41.322].
41317VII-3HERMENGARDA FORTES CASTELLO BRANCO, n. 27-01-1877 em Livramento. Casou-se em Livramento com seu primo PACÍFICO FORTES CASTELLO BRANCO FILHO [41.317a], n. 07-05-1871 em Livramento [v. 41.289].
41318VI-8FELISBELLA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [BELINHA], n. 01-04-1854 em Livramento, f. em União PI. Casou-se em 08-09-1873, em Livramento, com seu primo MARIANNO FORTES CASTELLO BRANCO [41.318a], n. em Livramento, f. em União [v. 42.320]. Fazendeiro. Proprietário da fazenda Ininga, em Livramento. Filho de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco e de Antônio de Souza Fortes, primos entre si. Foram pais de: [V. descendência dos filhos de Felisbella Sampaio Castello Branco [Belinha] e de Marianno Fortes Castello Branco em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 258-60.]
41319VII-1Antônio Fortes Castello Branco [terceiro do nome], n. 13-06-1874 na fazenda Ininga, f. 22-06-1879 tb. na fazenda Ininga.
41320VII-2Raymundo Fortes Castello Branco [segundo do nome] [v. 41.331].
41321VII-3José Fortes Castello Branco [primeiro do nome], n. 09-04-1877 na fazenda Ininga, f. 08-02-1878 tb. na fazenda Ininga.
41322VII-4Maria da Conceição Fortes Castello Branco [v. 41.332].
41323VII-5Anna Fortes Castello Branco [segunda do nome] [v. 41.333].
41324VII-6Lina Fortes Castello Branco [segunda do nome] [v. 41.334].
41325VII-7Joaquim Fortes Castello Branco [v. 41.335].
41326VII-8Archangela Fortes Castello Branco, n. na fazenda Ininga, f. com 15 anos em União. s/g
41327VII-9Gil Fortes Castello Branco [v. 41.336].
41328VII-10Rosa Fortes Castello Branco [terceira do nome], n. 1891 na fazenda Ininga, f. 1980 no Rio de Janeiro. s/g
41329VII-11Braz Fortes Castello Branco [v. 41.337].
41330VII-12Pery Fortes Castello Branco, n. na fazenda Ininga, f. criança em União.
41331VII-2RAYMUNDO FORTES CASTELLO BRANCO [segundo do nome], n. 27-11-1875 na fazenda Ininga. Advogado formado no Recife em 1894. Casou-se na fazenda Veremos com sua prima MARIA AMÉLIA FERREIRA CASTELLO BRANCO [41.331a], n. 06-09-1880 no município de Barras, na fazenda Veremos, f. 13-01-1963 em União [v. 44.230]. s/g.
41332VII-4MARIA DA CONCEIÇÃO FORTES CASTELLO BRANCO, n. 07-02-1879 na fazenda Ininga, f. em Livramento. Casou-se na fazenda Ininga com seu primo ESTEVÃO FORTES CASTELLO BRANCO SOBRINHO [41.332a], n. 02-09-1875 em Livramento, f. tb. em Livramento, na fazenda Bacuri [v. 41.313].
41333VII-5ANNA FORTES CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. na fazenda Ininga. Casou-se na fazenda Ininga com seu primo FENELON FERREIRA CASTELLO BRANCO [41.333a] [... primeiras núpcias deste], n. 22-05-1874 na fazenda Veremos, em Barras, f. 27-02-1925 em União. Advogado formado no Recife em 1884. Juiz de direito. Promotor. Jornalista. Escritor. Foi um dos fundadores da Academia Piauiense de Letras [v. 44.226]. s/g
41334VII-6LINA FORTES CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. 14-10-1882 na fazenda Ininga, f. 16-11-1962 no Rio de Janeiro. Casou-se em 07-06-1902, em União, com seu primo e cunhado FENELON FERREIRA CASTELLO BRANCO [41.334a] [... segundas núpcias deste], n. 22-05-1874 na fazenda Veremos, em Barras, f. 27-02-1925 em União. Advogado formado no Recife em 1884 [v. 44.226].
41335VII-7JOAQUIM FORTES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Ininga. Casou-se em 30-06-1910, em Livramento, com sua prima RAYMUNDA FORTES CASTELLO BRANCO [segunda do nome] [41.335a], n. 22-06-1889 em Livramento [v. 41.299].
41336VII-9GIL FORTES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Ininga. Casou-se em Teresina com sua prima AURISTELLA FORTES CASTELLO BRANCO [41.336a], n. em Teresina [v. 41.352].
41337VII-11BRAZ FORTES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Ininga. Casou-se em Livramento com sua prima JOAQUINA FORTES CASTELLO BRANCO [41.337a], n. 19-01-1892 em Livramento [v. 41.301].
41338VI-9ANTÔNIO JOSÉ SAMPAIO, n. 09-04-1857 em Livramento. Médico. Casou-se em 22-07-1893 com AUGUSTA HERMÍNIA FRANCO DE SÁ [41.338a]. Foram pais de:
41339VII-1Anna Rosa Sampaio Franco de Sá [v. 41.340].
41340VII-1ANNA ROSA SAMPAIO FRANCO DE SÁ. Casou-se com ELEYSON CARDOSO [41.340a]. Médico.
41341VI-10ROSA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. 05-02-1859 em Livramento. Casou-se em 05-02-1876, em Monção MA, com seu primo MARCELINO FORTES CASTELLO BRANCO [41.341a], n. em Livramento [v. 42.322]. Filho de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco e de Antônio de Souza Fortes, primos entre si. Foram pais de:
41342VII-1Otília Fortes Castello Branco [v. 41.347].
41343VII-2Rosa Fortes Castello Branco [primeira do nome], n. 19-08-1880, f. solteira.
41344VII-3Adélia Fortes Castello Branco, n. 12-08-1881, f. 24-10-1881.
41345VII-4Agripina Fortes Castello Branco, n. 09-11-1882, f. solteira.
41346VII-5Antônio Fortes Castello Branco [quarto do nome], n. 17-12-1884, f. solteiro.
41347VII-1OTÍLIA FORTES CASTELLO BRANCO, n. 06-04-1877. Casou-se com seu primo ESTEVÃO LOPES FORTES CASTELLO BRANCO [41.347a], n. 06-04-1877 [v. 42.341]. Advogado formado no Recife em 1894. Filho de Estevão Lopes Castello Branco Júnior e de Rosa Lina de Jesus Castello Branco. [V. descendência do casal em 42.348.]
41348VI-12MARCELLINO SAMPAIO CASTELLO BRANCO, n. 29-11-1862 em Livramento, f. no Recife. Casou-se em 17-10-1891 com sua prima MARIA FORTES CASTELLO BRANCO [41.348a], n. em Livramento, f. no Recife [v. 42.325]. Filha de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco e de Antônio de Sousa Fortes, primos entre si. Foram pais de: [V. descendência dos filhos de Marcellino Sampaio Castello Branco e de Maria Fortes Castello Branco em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 253, 263.]
41349VII-1Walter Fortes Castello Branco, n. 13-08-1892 no Recife.
41350VII-2Otto Fortes Castello Branco, n. 05-10-1893 no Recife.
41351VII-3Odon Fortes Castello Branco [v. 41.360].
41352VII-4Auristella Fortes Castello Branco [v. 41.361].
41353VII-5Walker Fortes Castello Branco, n. 18-10-1897 no Recife.
41354VII-6Maria José Fortes Castello Branco, n. 05-09-1899 no Recife.
41355VII-7Waldeck Fortes Castello Branco, n. 05-01-1901 no Recife.
41356VII-8Aderita Fortes Castello Branco, n. 28-01-1902 no Recife.
41357VII-9Maria Julieta Fortes Castello Branco, n. no Recife.
41358VII-10Luiz Fortes Castello Branco, n. no Recife.
41359VII-11José Fortes Castello Branco [quarto do nome], n. 1905 no Recife, f. 1972. Engenheiro militar. General. Participou da Revolução de 1932 ao lado das forças constitucionalistas.
41360VII-3ODON FORTES CASTELLO BRANCO, n. 01-01-1895 em Teresina. Casou-se em 23-02-1927, em União, com sua prima ANNA FORTES CASTELLO BRANCO [terceira do nome] [41.360a], n. 12-04-1903 em União [v. 44.547].
41361VII-4AURISTELLA FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Casou-se em Teresina com seu primo GIL FORTES CASTELLO BRANCO [41.361a], n. na fazenda Ininga, no município de Livramento (atual José de Freitas) [v. 41.327].
41362V-4LINA JOAQUINA CASTELLO BRANCO, n. no Peixe. Casou-se em primeiras núpcias com JOAQUIM GONÇALVES PEREIRA [41.362a] [Ferraz et al., 1926, p. 55-62]. Foram pais de:
41363VI-1Pompeu Castello Branco Pereira, f. solteiro.
41364VI-2Alexandre Castello Branco Pereira, f. solteiro.
41362_2nV-4... LINA JOAQUINA CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com JOÃO DA CRUZ [primeiro do nome] [SANTOS] [41.362b]. Proprietário da fazenda Engenho d'Água, no município de Caxias MA. Fundador da Casa Cruz, em Teresina. Irmão de Firmino, José João, Leocádio, Custódio, Augusto César, Constança Emília, Inocência, Luíza, Honorata e Joaquim Antônio dos Santos Filho. Filho de Joaquim Antônio dos Santos (n. em Portugal; grande proprietário rural) e de Cândida Vieira. Neto materno de Manuel Lázaro de Carvalho e de Helena do Espírito Santo, nascidos em Portugal e estabelecidos na vila do Poti em 1850 [Castello Branco Filho, 1982, p. 86]. Lina Joaquina Castello Branco e João da Cruz [Santos] foram pais de:
41365VI-3Raymunda da Cruz [v. 41.377].
41366VI-4Joaquim Antônio da Cruz [v. 41.391].
41367VI-5José Castello Branco da Cruz [primeiro do nome] [v. 41.405].
41368VI-6Veneranda Castello Branco da Cruz [primeira do nome], n. em Caxias, f. criança.
41369VI-7Germana da Cruz, n. em Caxias.
41370VI-8João Christino da Cruz [primeiro do nome], n. 24-07-1857 em Caxias, f. 07-04-1914 no Rio de Janeiro. Engenheiro agrônomo. Usineiro. Deputado federal pelo Maranhão [1906-09]. Foi um dos articuladores da criação, em 1909, do Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio.
41371VI-9Verônica Castello Branco da Cruz [v. 41.449].
41372VI-10Veneranda Castello Branco da Cruz [segunda do nome] [v. 41.471].
41373VI-11Lina Castello Branco da Cruz [v. 41.476].
41374VI-12Christino da Cruz [v. 41.477].
41375VI-13Felisbella da Cruz [v. 41.483].
41376VI-14Aniceto Castello Branco da Cruz [v. 41.492].
41377VI-3RAYMUNDA DA CRUZ, n. em Caxias. Casou-se com seu primo CUSTÓDIO ALVES DOS SANTOS [41.377a]. Advogado formado no Rio de Janeiro. Irmão de João da Cruz e Santos, barão de Urussuí, casado com Verônica Castello Branco da Cruz [v. 41.371]. Filho de Joaquim Antônio dos Santos e de Marcolina Portelada. Sobrinho de João da Cruz [Santos] [primeiro do nome], casado com Lina Joaquina Castello Branco [... segundas núpcias desta] [v. 41.362]. Neto de Joaquim Antônio dos Santos e de Cândida Vieira [Castello Branco Filho, 1982, p. 79, 86; Chaves, 2005, p. 43; Moya, 1941, v. 3, p. 521]. Raymunda da Cruz e Custódio Alves dos Santos foram pais de:
41378VII-1Cândida dos Santos [v. 41.383].
41379VII-2Flora dos Santos [v. 41.387].
41380VII-3João dos Santos.
41381VII-4Lina dos Santos [v. 41.389].
41382VII-5Firmino da Cruz dos Santos.
41383VII-1CÂNDIDA DOS SANTOS. Casou-se com JOSÉ CALHEIROS DE MELLO [41.383a]. Foram pais de:
41384VIII-1Maria Consuelo da Cruz Santos Calheiros [v. 41.386].
41385VIII-2José Custódio da Cruz Calheiros.
41386VIII-1MARIA CONSUELO DA CRUZ SANTOS CALHEIROS. Casou-se com seu primo JOÃO DA CRUZ [segundo do nome] [41.386a] [... segundas núpcias deste] [v. 41.450]. Filho de Verônica Castello Branco da Cruz e de João da Cruz e Santos, barão de Urussuí, primos entre si.
41387VII-2FLORA DOS SANTOS. Casou-se com MARCOS PEREIRA DE ARAÚJO [41.387a]. Médico. Filho de Miguel Pereira de Araújo. Foram pais de:
41388VIII-1Marieta Pereira de Araújo.
41389VII-4LINA DOS SANTOS. Casou-se com RAYMUNDO NOGUEIRA [41.389a]. Médico. Foram pais de:
41390VIII-1Raymundo Heleno dos Santos Nogueira.
41391VI-4JOAQUIM ANTÔNIO DA CRUZ, n. 06-01-1846 em Caxias MA, f. 10-10-1912 no Rio de Janeiro. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1872. Serviu na comissão demarcadora dos limites entre o Brasil e a Argentina [1900-04]. Fundou um hospital em São Tomé, cidade na fronteira com a Argentina. Serviu como médico do Exército até o posto de major. Senador pelo estado do Piauí de 1891 a 1900, tendo sido um dos signatários da primeira Constituição do Brasil. Deputado federal de 1906 a 1911.
Casou-se em primeiras núpcias, em Fortaleza, com FRANCISCA ADELAIDE BRAGA TORRES [41.391a], n. em Fortaleza, f. no Rio de Janeiro. Filha de Francisco Xavier Torres Júnior (n. 03-03-1803 em Fortaleza, f. 25-03-1873 no Rio de Janeiro; brigadeiro; atuou ativamente pela independência do Brasil no Piauí e no Maranhão [1822-23]; como oficial do Exército, serviu em vários estados: Ceará, Piauí, Maranhão, Pará, Pernambuco e Rio de Janeiro; condecorado com a Comenda de Cristo; oficial da Ordem da Rosa) e de Maria Pinto Braga. Neta paterna de Francisco Xavier Torres (n. em Pernambuco, f. em Fortaleza; chegou em 1799 a Fortaleza, procedente de Lisboa, onde era sargento do Regimento de Artilharia do Exército português, para exercer o cargo de primeiro-tenente e comandante de linha da guarnição de Fortaleza; cavalheiro da ordem de São Bento de Avis; atuou ativamente pela independência do Brasil [1822]; em 1823 enviou ao Piauí e ao Maranhão a chamada "expedição auxiliadora", para expulsão das tropas portuguesas e prisão do major português João José da Silva Fidié [v. 40.919, Leonardo de Carvalho Castello Branco]; primeiro governador do Ceará após a independência) e de Anna Theodora [...] (n. em Portugal, f. em Fortaleza).
Joaquim Antônio da Cruz e Francisca Adelaide Braga Torres foram paisde:
41392VII-1Maria Lina Torres Cruz.
41393VII-2João Torres Cruz. Estudou na Escola Militar de Fortaleza. Coronel do Exército. Casou-se com uma prima [v. 41.475].
41394VII-3Milton Torres Cruz [v. 41.397].
41395VII-4Affonsina Torres Cruz, f. solteira.
41396VII-5Eurico Torres Cruz [v. 41.403].
41391_2nVI-4... JOAQUIM ANTÔNIO DA CRUZ casou-se em segundas núpcias com FLORENTINA COSTA [41.391b]. s/g
41397VII-3MILTON TORRES CRUZ. Estudou no Colégio Militar do Rio de Janeiro [1895]. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Casou-se com MARIA AMANDA [...] [41.397a]. Foram pais de:
41398VIII-1Maria Adelaide Torres Cruz.
41399VIII-2Maria Affonsina Torres Cruz.
41400VIII-3Joaquim Antônio Torres Cruz.
41401VIII-4Milton Torres Cruz Filho.
41401.VIII-5Maria Amanda Torres Cruz. ATENÇÃO - NÚMERO REPETIDO
41402VII-5EURICO TORRES CRUZ, n. 14-03-1880 em Santana do Ipiabas, no município de Barra do Piraí RJ, f. 13-03-1928 no Rio de Janeiro, s. no cemitério de São João Baptista. Estudou no Colégio Militar do Rio de Janeiro de 1891 a 1897. Tendo participado da rebelião da Escola Militar, foi desligado da instituição e preso na fortaleza de Santa Cruz, no Rio d Janeiro. Advogado formado na Faculdade de Direito do Rio de Janeiro em 1902. Delegado de polícia. Juiz de direito no Rio de Janeiro. Jornalista. A rua Eurico Cruz, no bairro do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, foi batizada em sua homenagem. Casou-se em 26-09-1911, no Rio de Janeiro, com sua prima MARTHA WASHINGTON TORRES CAVALCANTI [41.402a] [... primeiras núpcias desta] [v. 41.476a, Benjamim Liberato Barroso]. Filha de Domingos Olympio Braga Cavalcanti (advogado; jornalista; diplomata; escritor) e de Anna Braga Torres (sobrinha de Francisca Adelaide Braga Torres [v. 41.391a]). Foram pais de:
41403VIII-1Benjamim Eurico Cruz [v. 41.404].
41404VIII-1BENJAMIM EURICO CRUZ, n. 02-05-1915 no Rio de Janeiro, f. 01-07-1992 tb. no Rio de Janeiro, s. no cemitério de São João Baptista. Advogado formado no Rio de Janeiro em 1937. Procurador da União junto à Justiça do Trabalho. Ministro do Trabalho e da Previdência Social no governo de João Goulart [1962-63]. Casou-se em primeiras núpcias em 01-01-1940, no Rio de Janeiro, com ALDA MALLET SOARES [41.404a], n. 1916 no Rio de Janeiro, f. 01-08-1942 tb. no Rio de Janeiro. Professora no Colégio Mallet Soares, de propriedade familiar, fundado em 1925 e localizado no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro. Filha de Alberto Mallet Soares e de Rachel Watson. Tiveram um filho.
41404_2nVIII-1... BENJAMIM EURICO CRUZ casou-se em segundas núpcias em 14-09-1947, em Santos SP, com STELLA MARIE-LOUISE LECKIE SILVEIRA [41.404b], n. 15-06-1920 em Paris, f. 08-06-1978 no Rio de Janeiro, s. no cemitério de São João Baptista. Funcionária pública federal. Filha de Luís Silveira. Tiveram cinco filhos.
41405VI-5JOSÉ CASTELLO BRANCO DA CRUZ [primeiro do nome], n. em Caxias MA. Casou-se com sua prima MARIA GERMANA DA CRUZ BELLEZA [41.405a]. Filha de Frederico Ferreira de Gouvêa Pimentel Belleza (membro da Assembleia Legislativa da província do Maranhão em 1859, eleito pela freguesia de Nossa Senhora da Conceição e São José da cidade de Caxias) e de Hermenegilda da Cruz. Foram pais de:
41406VII-1Maria José Belleza da Cruz [v. 41.413].
41407VII-2Alice Belleza da Cruz [v. 41.419].
41408VII-3João Castello Branco da Cruz [v. 41.421].
41409VII-4Corina Belleza da Cruz [v. 41.433].
41410VII-5Lina Belleza da Cruz [v. 41.441].
41411VII-6José Castello Branco da Cruz [filho].
41412VII-7Hermenegilda Belleza da Cruz [v. 41.444].
41413VII-1MARIA JOSÉ BELLEZA DA CRUZ, n. no Maranhão. Casou-se com JOSÉ LIBERATO BARROSO [41.413a], n. em Fortaleza. Sobrinho-neto de José Liberato Barroso (n. 21-09-1830 em Aracati CE, f. 02-10-1885 no Rio de Janeiro; advogado formado no Recife em 1852; presidente da província do Ceará em 1859; casado com Ângela Alves Ribeiro). Sobrinho de Benjamim Liberato Barroso (casado com Lina Castello Branco da Cruz) [v. 41.476a]. Maria José Belleza da Cruz e José Liberato Barroso foram pais de:
41414VIII-1Liberato da Cruz Barroso, n. em Fortaleza. Coronel. Comandante do 28° Batalhão de Caçadores [1945-47].
41415VIII-2José Liberato Barroso Filho, n. em Fortaleza. Engenheiro. Empresário.
41416VIII-3Nilo Liberato da Cruz Barroso, n. em Fortaleza. Advogado formado em Fortaleza em 1919.
41417VIII-4Maria Antonieta da Cruz Barroso, n. em Fortaleza.
41418VIII-5Maria Teresa da Cruz Barroso, n. em Fortaleza.
41419VII-2ALICE BELLEZA DA CRUZ, n. no Maranhão. Casou-se com seu primo JOÃO DA CRUZ [segundo do nome] [41.419a] [v. 41.450] [... primeiras núpcias deste]. Filho de João da Cruz e Santos, barão de Urussuí, e de Verônica Castello Branco da Cruz, primos entre si. Foram pais de:
41420VIII-1Maria Amanda da Cruz.
41421VII-3JOÃO CASTELLO BRANCO DA CRUZ [JOÃO CASTELLO], n. no Maranhão. Casou-se com ALMERINDA RAMOS [41.421a]. Filha de Lúcio Ramos e de Leonília [...]. Foram pais de:
41422VIII-1José Castello Branco da Cruz [segundo do nome].
41423VIII-2Alice Castello Branco da Cruz.
41424VIII-3Aline Castello Branco da Cruz.
41425VIII-4Berenice Castello Branco da Cruz.
41426VIII-5Laura Castello Branco da Cruz.
41427VIII-6Antônio Castello Branco da Cruz.
41428VIII-7João Castello Branco da Cruz [filho].
41429VIII-8Antonieta Castello Branco da Cruz [v. 41.430].
41430VIII-8ANTONIETA CASTELLO BRANCO DA CRUZ. Casou-se com THALES AMARANTINO RIBEIRO GONÇALVES [41.430a]. Descendente de um dos genearcas da família Ribeiro Gonçalves (Manuel, João e Luiz). Portugueses do Douro, estabeleceram-se em 1840 em Regeneração, no sul do Piauí [Castello Branco Filho, 1982, p. 56-7]. Foram pais de:
41431IX-1João Castello Branco Ribeiro Gonçalves [v. 41.432].
41432IX-1JOÃO CASTELLO BRANCO RIBEIRO GONÇALVES [JOÃO CASTELLO], n. 19-10-1937 em Caxias MA. Cursou administração no Rio de Janeiro. Advogado formado em Brasília. Deputado federal [1970-78]. Governador do Maranhão [1978-82]. Senador [1983-91]. Prefeito de São Luís [2009-12]. Casou-se com GARDÊNIA CLEMENTINO [41.432a]. Filha de Galileu Clementino dos Santos.
Galileu Clementino dos Santos era primo em quarto grau de Eurípedes Clementino de Aguiar, governador do Piauí [1916-20]; de Elvira Rosa de Aguiar, casada com Antonino Freire da Silva (governador do Piauí [1912-14]); de Emygdia Rosa de Aguiar, casada com João de Deus Pires Leal (governador do Piauí [1928-30]). Eurípedes Clementino, Elvira Rosa e Emygdia Rosa eram filhos do desembargador Helvídio Clementino de Aguiar e de Genoveva Nogueira Lobão. Helvídio Clementino de Aguiar, por sua vez, era primo do coronel Clementino de Souza Coelho [coronel Quelé] (n. 23-12-1885 na fazenda Pedra, em Petrolina PE, f. 08-06-1952 no Riachão do Jacuípe BA), descendente de importante família de empresários e políticos estabelecida em Petrolina, originária da importante família Coelho Rodrigues de Portugal, que, tendo aportado em Salvador, na Bahia, passou para o sul do Piauí na primeira metade do século XVIII [Barata, Cunha Bueno, 2000, t. 2, v. 1, p. 2130; Castello Branco Filho, 1982, p. 38-9, 42; Pires Ferreira, v. 4, p. 107-8, 146; v. 6, p. 147-55].
41433VII-4CORINA BELLEZA DA CRUZ, n. no Maranhão. Casou-se com JOSÉ FERREIRA GUIMARÃES [41.433a]. Industrial da área têxtil. Foram pais de:
41434VIII-1Nilo da Cruz Guimarães [v. 41.435].
41435VIII-1NILO DA CRUZ GUIMARÃES, n. no Maranhão. Casou-se em Pelotas RS com MERCEDES SOARES [41.435a], n. no Rio Grande do Sul. Foram pais de:
41436IX-1Nilcedes Soares Guimarães [v. 41.437].
41437IX-1NILCEDES SOARES GUIMARÃES [GLÓRIA MENEZES], n. 19-10-1934 em Pelotas RS. Atriz de teatro, cinema e telenovelas. Casou-se em primeiras núpcias, em 1951, com ARNALDO BRITO [41.437a], n. no Rio Grande do Sul. Desquitaram-se em 1959. Pais de:
41438X-1Maria Amélia Guimarães Brito, n. 1957.
41439X-2João Paulo Guimarães Brito, n. 1959.
41437_2nIX-1... NILCEDES SOARES GUIMARÃES [GLÓRIA MENEZES] casou-se em segundas núpcias em 1962, em São Paulo, com TARCÍSIO DE MAGALHÃES SOBRINHO [TARCÍSIO MEIRA] [41.437b], n. 05-10-1935 em São Paulo. Ator de teatro, cinema e telenovelas. Fazendeiro. Filho de Raul Pompéia de Magalhães (n. 04-07-1885 em Guaxupé MG, f. 01-05-1972 em João Pessoa) e de Maria do Rosário Meira (n. 08-02-1907 em Rio Claro SP, f. 22-08-1964 em São Paulo). Glória Menezes e Tarcísio Meira são pais de:
41440X-3Tarcísio de Magalhães Filho [Tarcísio Filho], n. 22-08-1964 em São Paulo. Ator de teatro, cinema e telenovelas.
41441VII-5LINA BELLEZA DA CRUZ. Casou-se com CARLOS MIRANDA [41.441a]. Foram pais de:
41442VIII-1Carlos Miranda Filho.
41443VIII-2Lucilla da Cruz Miranda.
41444VII-7HERMENEGILDA BELLEZA DA CRUZ. Casou-se em Caxias com MANUEL SATYRO LOPES DE CARVALHO [41.444a]. Foi vice-presidente da Associação Comercial do Maranhão. Filho de Francisco Lopes de Carvalho e de Antônia Satyro. Pais de:
41445VIII-1Maria Lopes de Carvalho.
41446VIII-2Franco Lopes de Carvalho.
41447VIII-3Alice Lopes de Carvalho.
41448VIII-4José Lopes de Carvalho.
41449VI-9VERÔNICA CASTELLO BRANCO DA CRUZ, n. em Caxias MA, f. em Teresina. Casou-se em Caxias com seu tio JOÃO DA CRUZ E SANTOS [41.449a], n. 1841 em Parnaíba, f. 1896 em Teresina. Embora fosse filiado ao Partido Liberal no Piauí - oponente do Partido Conservador, que apoiava a Monarquia -, recebeu em 02-10-1889 o título de barão de Urussuí. Coronel da Guarda Nacional. Foi vice-presidente da província do Piauí, exercendo a presidência interinamente de 10 a 12 de outubro de 1889. Com a proclamação da República, em 15 de novembro de 1889, integrou a junta governativa provisória do Piauí, de 18 a 26 de dezembro de 1889. Foi vice-governador do Piauí no regime republicano, assumindo o governo interinamente de 19 de outubro a 27 de dezembro de 1890.
Teresina abrigou na época algumas firmas poderosas. A de João da Cruz & Irmãos fazia transações bancárias para o próprio governo do estado. Quando, em 1890, o governador Gregório Taumaturgo de Azevedo providenciava a contratação de técnicos suíços para o Piauí, dirigiu-se em ofício a João da Cruz & Irmãos: "[...] necessitando pôr à disposição de nosso Cônsul em Genebra a quantia de 20 mil francos, peço-vos para servides de intermediários nesta operação, ordenando aos vossos correspondentes no Maranhão que deem carta de crédito até aquela quantia, paga em ouro ao câmbio do dia do recebimento, a um banco ou casa comercial de Paris, a favor do citado Cônsul, ficando este Estado responsável pelo pagamento da importância adiantada e mais os juros razoáveis, até o real reembolso" [Gonçalves, 2006, p. 33-40].
João da Cruz e Santos era irmão de Custódio Alves dos Santos, casado com sua prima Raymunda da Cruz [v. 41.377]. Irmão de Joaquim Antônio dos Santos Filho [Quincas Santos] (grande comerciante em Parnaíba), casado com Marcolina Portelada. Filho de Joaquim Antônio dos Santos (n. em Portugal, f. no Piauí; grande fazendeiro e proprietário rural) e de Cândida Vieira. Neto materno de Manuel Gonçalves Portelada (n. em Portugal, f. em Teresina; estabeleceu-se em Teresina com uma grande casa comercial; proprietário da única indústria de fiação, ou tecelagem, no Piauí, localizada em Teresina, de onde mandava matéria-prima para processamento em Caxias, no Maranhão. Participou da diretoria da Companhia de Navegação a Vapor no Rio Parnaíba; comendador) e de Antônia Alves Lobão Veras [Castello Branco Filho, 1982, p. 79, 86; Chaves, 2005, p. 43, 81-2, 87, 92; Moya, 1941, v. 3, p. 521].
Verônica Castello Branco da Cruz e João da Cruz e Santos, barão de Urussuí, foram pais de:
41450VII-1João da Cruz [segundo do nome] [v. 41.455].
41451VII-2Joaquim da Cruz Santos [v. 41.457].
41452VII-3Lina Amanda da Cruz [v. 41.459].
41453VII-4Cândida da Cruz [v. 41.460].
41454VII-5Christina da Cruz [v. 41.469].
41455VII-1JOÃO DA CRUZ [segundo do nome], n. em Teresina. Advogado formado no Recife em 1893. Casou-se em primeiras núpcias com sua prima ALICE BELLEZA DA CRUZ [41.455a] [v. 41.407]. Filha de José Castello Branco da Cruz e de Maria Germana da Cruz Belleza, primos entre si. Foram pais de:
41456VIII-1Maria Amanda da Cruz.
41455_2nVII-1... JOÃO DA CRUZ casou-se em segundas núpcias com sua prima MARIA CONSUELO DA CRUZ SANTOS CALHEIROS [41.455b] [v. 41.386]. Filha de José Calheiros de Mello e de Cândida da Cruz Santos.
41457VII-2JOAQUIM DA CRUZ SANTOS, n. em Teresina. Casou-se em primeiras núpcias com sua prima HONORATA DOS SANTOS [41.457a]. Filha de Augusto César dos Santos e de Maria Lopes. s/g
41457_2nVII-2... JOAQUIM DA CRUZ SANTOS casou-se em segundas núpcias com MARIA FELIZARDO [41.457b]. Foram pais de:
41458VIII-1Maria Lina Felizardo da Cruz.
41459VII-3LINA AMANDA DA CRUZ, n. em Teresina. Casou-se com seu tio CHRISTINO DA CRUZ [41.459a], n. em Caxias MA [v. 41.374]. Médico. Filho João da Cruz [primeiro do nome] e de Lina Joaquina Castello Branco. Neto paterno de Joaquim Antônio dos Santos Cruz e de Luísa Vieira. [V. descendência do casal em 41.477.]
41460VII-4CÂNDIDA DA CRUZ, n. em Teresina. Casou-se com ELIAS FIRMINO DE SOUSA MARTINS [41.460a]. Advogado formado no Recife em 1890. Deputado federal pelo Piauí. Filho de Firmino de Sousa Martins e de Júlia de Souza. Foram pais de:
41461VIII-1Maria Júlia da Cruz Martins.
41462VIII-2João Elias da Cruz Martins.
41463VIII-3Luiz da Cruz Martins.
41464VIII-4Raymundo Firmino da Cruz Martins [v. 41.468].
41465VIII-5Ângelo Miguel da Cruz Martins.
41466VIII-6Verônica Maria da Cruz Martins.
41467VIII-7Lina da Cruz Martins.
41468VIII-4RAYMUNDO FIRMINO DA CRUZ MARTINS, n. em Caxias MA. Engenheiro formado no Rio de Janeiro. Casou-se com MARIA DE NAZARETH LOBO [41.468a]. Filha de Leonor do Amaral Lapa e de Paulo Álvares Lobo (f. 1932). Neta materna de Adolpho Augusto do Amaral Lapa (n. em Campinas SP, f. 07-02-1881) e de Maria Alves da Silva (n. em Niterói RJ). Bisneta materna de Petronilha de Souza Aranha (n. 1836, f. 1869) e de Francisco Ignacio do Amaral Lapa (f. 1868). Trineta materna de Maria Luíza de Souza Aranha e de Francisco Egydio de Souza Aranha, viscondes de Campinas [em 19-08-1879], [Lago, 1948, p. 7-8; Moya, 1939, v. 1, p. 115, 123, 125; 1941, v. 3, p. 521; Silva Leme, 1903, v. 1, p. 166]. Raymundo Firmino da Cruz Martins e Maria de Nazareth Lobo deixaram descendência.
41469VII-5CHRISTINA DA CRUZ, n. em Teresina. Casou-se com POMPILIO DE LIMA E ALMEIDA [41.469a]. Médico. Filho de João de Castro Lima e de Innocencia dos Santos. Foram pais de:
41470VIII-1Innocencia da Cruz Lima
41471VI-10VENERANDA CASTELLO BRANCO DA CRUZ [segunda do nome], n. em Caxias MA. Casou-se em 13-08-1878, em Caxias, com JOÃO PAULO DA SILVA BRITO [DOUTOR] [41.471a]. Filho de João da Silva Brito e de Constância Emília do Espírito Santo. Foram pais de:
41472VII-1João Paulo da Cruz Brito [v. 41.474].
41473VII-2Constância da Cruz Brito [v. 41.475].
41474VII-1JOÃO PAULO DA CRUZ BRITO. Casou-se com MARIA AMÉLIA DE FREITAS [41.474a]. Filha de Júlio Miguel de Freitas (comendador).
41475VII-2CONSTÂNCIA DA CRUZ BRITO. Casou-se com seu primo JOÃO TORRES CRUZ [41.475a] [v. 41.393]. Estudou na Escola Militar de Fortaleza. Coronel do Exército.
41476VI-11LINA CASTELLO BRANCO DA CRUZ, n. em Caxias MA. Casou-se com BENJAMIM LIBERATO BARROSO [41.476a], n. 31-03-1859 em Quixeramobim CE, f. 17-10-1933 no Rio de Janeiro. Estudou no Colégio Militar do Rio de Janeiro. General. Engenheiro. Governador do Ceará [1891-92; 1914-16]. Senador pelo Ceará [1918-27].
Filho de Joaquim Liberato Barroso Filho (n. em Aracati) e de Antônia [...]. Sobrinho de José Liberato Barroso [v. 41.413a] (n. 21-09-1830 em Aracati, f. 02-10-1885 no Rio de Janeiro; advogado formado no Recife em 1852; presidente da província do Ceará [1859]), casado Ângela Alves Ribeiro). Neto de Joaquim Liberato Barroso (n. em Aracati) e de Francisca Ludovina [...]. Bisneto de José Fidelis Barroso de Mello (n. <1776> no Recife; transferiu-se para o Ceará, indo residir em Aracati; tenente-coronel da Guarda Nacional; cavalheiro professo da Ordem de Cristo) e de Rosa Joaquina da Costa Barros (n. 08-05-1778 em Aracati, b. 20-05-1778 na igreja matriz de Nossa Senhora do Rosário de Aracati). Trineto de Antônio Gonçalves Barroso e de Maria de Albuquerque e Mello (n. em Sirinhaém PE).
Benjamim Liberato Barroso era primo legítimo do pai de Gustavo Barroso [Gustavo Dodt Barroso] (n. 29-12-1888 em Fortaleza, f. 30-12-1959 no Rio de Janeiro; escritor, ensaísta e romancista, tendo deixado uma grande obra literária; membro da Academia Brasileira de Letras [1923-59]; diretor do Museu Histórico Nacional no Rio de Janeiro [1929-59]; foi um dos líderes nacionais da Ação Integralista Brasileira e um de seus mais destacados ideólogos [Nava, 1978, p.80-81]).
... BENJAMIM LIBERATO BARROSO casou-se em segundas núpcias, no Rio de Janeiro, com MARTHA WASHINGTON TORRES CAVALCANTI [41.476ab], viúva de Eurico Torres Cruz [v. 41.403].
41477VI-12CHRISTINO DA CRUZ, n. em Caxias MA. Em 1891, implantou com José Castello Branco da Cruz o primeiro serviço de água encanada da cidade de Teresina [Chaves, 2005, p. 46]. Casou-se com sua sobrinha LINA AMANDA DA CRUZ [41.477a] [v. 41.452]. Filha de Verônica Castello Branco da Cruz e de João da Cruz e Santos, barão de Urussuí, primos entre si. Neta paterna de Joaquim Antônio dos Santos Filho e de Cândida Vieira. Foram pais de:
41478VII-1João Christino da Cruz [segundo do nome] ["Doutor"], n. em Teresina. Casou-se.
41479VII-2José Christino da Cruz, n. em Teresina. s/g
41480VII-3Christino da Cruz Filho, n. em Teresina. s/g
41481VII-4Verônica da Cruz, n. em Teresina. s/g
41482VII-5Julia da Cruz, n. em Teresina.
41483VI-13FELISBELLA DA CRUZ, n. em Caxias MA. Casou-se com JOÃO PEDRO RIBEIRO FILHO [41.483a]. Filho de João Pedro Ribeiro e de Afra de Sá. Foram pais de:
41484VII-1Dora da Cruz Ribeiro [v. 41.487].
41485VII-2João da Cruz Ribeiro [v. 41.488].
41486VII-3Zélia da Cruz Ribeiro [v. 41.490].
41487VII-1DORA DA CRUZ RIBEIRO. Casou-se com ISIDORO GOMES DA SILVA [41.487a].
41488VII-2JOÃO DA CRUZ RIBEIRO. Casou-se com MARIA JOSÉ BASTOS [41.488a]. Pais de:
41489VIII-1Fernando Bastos Ribeiro.
41490VII-3ZÉLIA DA CRUZ RIBEIRO. Casou-se com LEONEL ROSÁRIO [41.490a]. Pais de:
41491VIII-1Felisbella Ribeiro Rosário.
41492VI-14ANICETO CASTELLO BRANCO DA CRUZ, n. 1860 em Caxias, f. 28-10-1891. Casou-se em 12-01-1886, em Sobral CE, com JOAQUINA SABÓIA DE ALBUQUERQUE [QUININHA] [41.492a], n. 23-03-1868 em Sobral, f. 1945. Filha de Ernesto Deocleciano de Albuquerque (n. 20-05-1841 em Aracati CE, f. 22-11-1923 em Sobral CE, s. no cemitério São José, em Sobral; fundou a fábrica de tecidos de Sobral; presidente da Câmara Municipal de Sobral; vice-presidente da província do Ceará) e de Francisca Carolina Figueira de Sabóia (n. 19-09-1843 em Sobral, f. 16-01-1933 tb. em Sobral). Neta paterna de Deocleciano Ernesto de Albuquerque Mello e de Carolina Sancha de Sabóia. Neta materna de José Baltazar Augeri de Sabóia (n. 17-07-1800 em Aracati CE, f. 1870 em Sobral; juiz municipal de Sobral; coronel da Guarda Nacional) e de Joaquina Ignacia Figueira de Mello. Bisneta materno-paterna de Vicente Maria Carlos de Sabóia e de Maria Clara da Conceição de Castro e Silva [Pires Ferreira, 2011, v. 6, p. 346-7]. Aniceto Castello Branco da Cruz e Joaquina Sabóia de Albuquerque [Quininha] foram pais de:
41493VII-1Lina Sabóia da Cruz [v. 41.496].
41494VII-2Maria Luíza Sabóia da Cruz [v. 41.497].
41495VII-3Francisca Sabóia da Cruz [v. 41.498].
41496VII-1LINA SABÓIA DA CRUZ, n. em Sobral CE. Casou-se em Sobral com LUIZ COSTA [41.496a]. Médico.
41497VII-2MARIA LUÍZA SABÓIA DA CRUZ, n. em Sobral CE. Casou-se em Sobral com ERNESTO MARINHO [41.497a].
41498VII-3FRANCISCA SABÓIA DA CRUZ [CHIQUITA], n. <1895> em Sobral CE, f. 1982. Casou-se em 03-08-1910, em Sobral, com JOÃO DA SILVA SANTOS [41.498a], n. em Teresina, f. 1929. Advogado formado no Recife em 1892. Filho de José João dos Santos e de Lydia da Silva. Pais de:
41499VIII-1Aniceto Cruz Santos, [v. 41.501].
xxx
41499.VIII-2João da Silva Santos Filho, n. 1911 em Sobral. ATENÇÃO: NÚMERO MANUAL REPETIDO
41500VIII-3Maria Lydia Cruz Santos, n. em Sobral.
41501VIII-1ANICETO CRUZ SANTOS, n. 21-05-1911 em Sobral. Almirante. Fundador-presidente da Sociedade Brasileira de Engenharia Naval - Sobena, sociedade civil sem fins lucrativos criada no Rio de Janeiro em 1962. Casou-se com CLOTILDE ALBERTINA CORDEIRO RODRIGUES PEREIRA [TIDINHA] [41.501a], n. 14-10-1916. Filha de Washington Barbosa Rodrigues Pereira (n. 05-04-1882, f. 24-01-1957 no Rio de Janeiro) e de Beatriz Heloisa Guimarães Cordeiro (n. 19-06-1888, f. 04-11-1964 no Rio de Janeiro). Aniceto Cruz Santos e Clotilde Albertina Cordeiro Rodrigues Pereira tiveram dois filhos.
41502V-7JOSEPHINA SANT'ANNA, n. no Peixe.Casou-se com FÉLIX PEREIRA DA SILVA [41.502a] [Ferraz et al., 1926, p. 51].
41503V-8JOSÉ SANT'ANNA, n. no Peixe. Casou-se com LINA [...] [41.503a] [Ferraz et al., 1926, p. 51].
41504V-9FLORINDA ROSA DE SANT'ANNA, n. no Peixe. Casou-se com SOLON PEREIRA DA SILVA [41.504a] [... primeiras núpcias deste] [v. 43.437]. Filho de Félix Pereira da Silva [filho] e de Augusta Ferraz [Ferraz et al., 1926, p. 51, 82].
41505V-10FRANCISCO SANT'ANNA, n. no Peixe. Casou-se em 19-05-1871 com sua prima MARIA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [41.505a], n. 07-07-1850 em Livramento [v. 41.255]. Filha de Antônio José Sampaio Sobrinho e de Rosa Merolina Castello Branco, primos entre si. Foram pais de:
41506VI-1Florinda Sant'Anna Castello Branco [Flora], n. 10-10-1872 em Teresina, f. tb. em Teresina. Solteira.
41507VI-2Maria Sant'Anna Castello Branco, n. 19-01-1874 em Teresina, f. criança.
41508VI-3José Sant'Anna Castello Branco, n. 19-10-1876 em Teresina.
41509VI-4Joaquim Sant'Anna Castello Branco, n. 14-08-1878 em Teresina.
41510VI-5Antônio Sant'Anna Castello Branco [v. 41.516].
41511VI-6Hugo Sant'Anna Castello Branco [v. 41.517].
41512VI-7Christino Sant'Anna Castello Branco [primeiro do nome], n. 25-02-1883 em Teresina, f. ??-08-1883, com seis meses.
41513VI-8Christino Sant'Anna Castello Branco [segundo do nome], n. 20-20-1884 em Teresina. Solteiro.
41514VI-9Helena Sant'Anna Castello Branco, n. 19-04-1887, f. em Teresina. Solteira.
41515VI-10Cleópatra Sant'Anna Castello Branco, n. 20-01-1889 em Teresina, f. criança.
41516VI-5ANTÔNIO SANT'ANNA CASTELLO BRANCO, n. 18-08-1879 em Teresina. Casou-se com ZENÓBIA [...] [41.516a]. Aparentemente tiveram muitos filhos.
41517VI-6HUGO SANT'ANNA CASTELLO BRANCO, n. 1881 em Teresina, f. tb. em Teresina. Casou-se em primeiras núpcias com RAYMUNDA DE SOUZA [41.517a], n. no Piauí, f. em Teresina. Foram pais de:
41518VII-1Delna de Souza Castello Branco [v. 41.526].
41519VII-2Hugo Sant'Anna Castello Branco Filho, n. em Teresina, f. tb. em Teresina. Solteiro. s/g
41520VII-3Ondina de Souza Castello Branco [v. 41.527].
41521VII-4Maria Dalva de Souza Castello Branco [v. 41.531].
41522VII-5Ada de Souza Castello Branco, n. em Teresina, f. tb. em Teresina. Solteira.
41523VII-6Sansão de Souza Castello Branco, n. em Teresina, f. tb. em Teresina. Pintor, artista plástico. s/g
41517_2nVI-6... HUGO SANT'ANNA CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com MARIA DA CONCEIÇÃO NOGUEIRA [MARIQUINHA] [41.517b]. Foram pais de:
41524VII-7Raul Nogueira Castello Branco, n. em Teresina.
41525VII-8Ondina Nogueira Castello Branco, n. em Teresina.
41526VII-1DELNA DE SOUZA CASTELLO BRANCO, n. em Teresina, f. tb. em Teresina. Casou-se em Teresina com seu primo ARSELINO DE CARVALHO SANT'ANNA [41.526a]. Filho de Sophia de Sant'Anna Carvalho e de Horácio Sant'Anna, primos entre si [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 274-5].
41527VII-1ONDINA DE SOUZA CASTELLO BRANCO, n. em Teresina, f. no Rio de Janeiro. Casou-se em Teresina com RAUL FREIRE BARATA [41.527a], n. 1897 em Belém do Pará, f. 31-09-1958 no Rio de Janeiro. Médico.
Filho de Júlio da Rocha Freire Barata (n. em Belém) e de Júlia de Sousa Franco (neta de Bernardo de Sousa Franco, visconde de Sousa Franco, n. 28-04-1805 em Belém, f. 08-05-1875 no Rio de Janeiro, e de Thereza de Jesus da Gama e Silva, esta, por sua vez, irmã de Maria José da Gama e Silva, casada com Ambrósio Leitão da Cunha, barão de Mamoré, n. 21-08-1821 em Belém, f. 05-12-1898 no Rio de Janeiro). Neto paterno de Custódio Pedro de Mello Freire Barata (n. 1812 no Pará; deputado provincial no Pará; oficial da Imperial Ordem da Rosa; tenente-coronel da Guarda Nacional; fazendeiro; proprietário de seringais e de vários imóveis em Belém; irmão do capitão Manuel José de Mello Freire Barata, n. 1816 em Belém, f. 12-03-1874 em sua fazenda Teso, na ilha de Marajó). Bisneto paterno de Francisco José Rodrigues Barata Freire (n. 24-06-1770 na vila de Álvaro, comarca de Tomar, em Portugal, f. 13-02-1838 em São Luís). Francisco José Rodrigues Barata Freire chegou ao Pará por volta de 1780 e, por ter prestado grandes serviços a Portugal, recebeu em 29-12-1800 o título de fidalgo de cota e armas, sendo considerado o patriarca dos Barata Freire estabelecidos no Pará [Barata, Cunha Bueno, 2000, t. 1, v. 1, p. 356-66].
Ondina de Souza Castello Branco e Raul da Rocha Freire Barata foram pais de:
41528VIII-1Irene Castello Branco Barata, n. no Rio de Janeiro, f. tb. no Rio de Janeiro. Solteira.
41529VIII-2Alice Castello Branco Barata [v. 41.530].
41530VIII-2ALICE CASTELLO BRANCO BARATA, n. no Rio de Janeiro. Casou-se no Rio de Janeiro com OCTAVIO RAINHO DA SILVA NEVES [41.530a]. Diplomata. Embaixador. Presidiu o Instituto Brasileiro do Café IBC. Residiam no Rio de Janeiro em 2006. Têm descendência.
41531VII-4MARIA DALVA DE SOUZA CASTELLO BRANCO, n. em Teresina, f. tb em Teresina. Casou-se em Teresina com ANTÔNIO DE CASTRO FRANCO [41.531a], n. em Batalha PI. Médico. Irmão de Francisco das Chagas de Castro Franco (n. em Batalha; dentista no Rio de Janeiro) e de Kerma Moreira (n. em Além Paraíba MG, f. no Rio de Janeiro), pais de Wellington Moreira Franco (n. em Teresina; governador do estado do Rio de Janeiro [1987-91]; deputado federal pelo PMDB do Rio de Janeiro [1998-2006], casado com Celina Vargas do Amaral Peixoto (filha de Ernane do Amaral Peixoto e de Alzira Dornelles Vargas, esta, por sua vez, filha do presidente Getúlio Vargas). Filho de Eliseu Franco e de Zulmira de Castro [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 2, p. 95]. Maria Dalva de Souza Castello e Antônio de Castro Franco deixaram descendência.
41532V-11RAYMUNDA NONATA FLORINDA SANT'ANNA, n. em Livramento. Casou-se com seu primo JOSÉ ANTÔNIO NOGUEIRA CASTELLO BRANCO [41.532a] [v. 43.034]. Filho de Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco e de Maria de Jesus Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 51, 81]. [V. descendência do casal em 43.258.]
41533IV-4UMBELLINA CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com seu primo SIMPLÍCIO DE CARVALHO CASTELLO BRANCO [41.533a], n. na fazenda Taboca [v. 40.916]. Filho de Miguel de Carvalho e Silva e de Anna Rosa Clara de Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 63]. [V. descendência do casal em 41.023.]
41534IV-5MARIANA CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com ANTÔNIO DA SILVA COUTINHO [41.534a], n. em Livramento [Ferraz et al., 1926, p. 64]. Foram pais de:
41535V-1Antônio da Silva Coutinho Filho [v. 41.545].
41536V-2Francisco do Carmo Coutinho, n. em Livramento.
41537V-3Frajain da Silva Coutinho, n. em Livramento.
41538V-4Cândida da Silva Coutinho, n. em Livramento.
41539V-5Joaquim da Silva Coutinho, n. em Livramento.
41540V-6Manuel da Silva Coutinho [v. 41.561].
41541V-7Rosa da Silva Coutinho, n. em Livramento.
41542V-8Custódia da Silva Coutinho, n. em Livramento.
41543V-9Maria da Silva Coutinho [v. 41.562].
41544V-10Anna da Silva Coutinho, n. em Livramento.
41545V-1ANTÔNIO DA SILVA COUTINHO FILHO, n. em Livramento. Casou-se com CARLOTA LINA DE CASTRO [41.545a]. Foram pais de:
41546VI-1Aureliana de Castro Coutinho [v. 41.547].
41547VI-1AURELIANA DE CASTRO COUTINHO, n. em Livramento. Casou-se com seu primo LUIZ DE SOUZA FORTES [terceiro do nome] [neto] [41.547a], n. em Livramento [v. 42.317]. Filho de Antônio de Souza Fortes e de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco, primos entre si. Neto paterno de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [v. 43.888] e de Anna Rosa do Lago Castello Branco [v. 40.625] [Ferraz et al., 1926, p. 127-8; Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 16, 253, 256-7]. Aureliana de Castro Coutinho e Luiz de Souza Fortes [terceiro do nome] [neto] foram pais de:
41548VII-1Aureliano Fortes Castello Branco [v. 41.556].
41549VII-2Carlota Fortes [v. 41.557].
41550VII-3Maria Fortes [v. 41.558].
41551VII-4Adelina Fortes, n. em Livramento. Solteira.
41552VII-5Raymundo Fortes [v. 41.559].
41553VII-6Diva Fortes [v. 41.560].
41554VII-7Adla Fortes, n. em Livramento. Solteira.
41555VII-8Tito Fortes. Solteiro.
41556VII-1AURELIANO FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Livramento. Casou-se em Livramento com CLEMENTINA RESENDE ROCHA [41.556a].
41557VII-2CARLOTA FORTES, n. em Livramento. Casou-se em Livramento com seu primo EVANDRO LOPES FORTES CASTELLO BRANCO [41.557a], n. em Livramento [v. 42.342].
41558VII-3MARIA FORTES [COTINHA], n. em Livramento. Casou-se em Livramento com seu primo BENEDICTO JOSÉ DO REGO FILHO [41.558a] [... segundas núpcias deste], n. em União. Escritor [v. 45.317].
41559VII-5RAYMUNDO FORTES, n. em Livramento. Casou-se com ANNA GONÇALVES [41.559a].
41560VII-6DIVA FORTES, n. em Livramento. Casou-se com BENJAMIM MOURA BAPTISTA [41.560a]. [V. descendência dos filhos de Aureliana de Castro Coutinho e de Luiz de Souza Fortes [neto] em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 256-7.]
41561V-6MANUEL DA SILVA COUTINHO, n. em Livramento. Casou-se com sua prima AMÂNCIA FLORINDA DE MENEZES FORTES [41.561a], n. 1820 em Livramento (atual José de Freitas), f. tb. em Livramento [v. 43.895]. Filha de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes e de Anna Rosa do Lago Castello Branco. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 16, 286.]
41562V-9MARIA DA SILVA COUTINHO, n. em Livramento. Casou-se com seu primo CLEMENTE DE SOUZA FORTES [41.562a] [... segundas núpcias deste], n. 1814 em Livramento (atual José de Freitas), f. 14-07-1893 [v. 43.892]. Filho de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes e de Anna Rosa do Lago Castello Branco. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 16, 264.]
41563IV-6FRANCISCO GIL CASTELLO BRANCO JÚNIOR, n. 15-09-1790 em Campo Maior, f. 05-02-1844 n. em Livramento. Casou-se em <1816>, no Peixe, com ANNA JOAQUINA DE SANT'ANNA [41.563a], n. 09-04-1793 no Peixe, f. 05-02-1844 em Livramento [Ferraz et al., 1926, p. 65]. Foram pais de:
41564V-1Mariano Gil Castello Branco [v. 41.569].
41565V-2Cândido Gil Castello Branco [primeiro do nome] [v. 41.888].
41566V-3Maria Olympia Castello Branco [v. 42.018].
41567V-4Gil Castello Branco, n. em Livramento, f. criança.
41568V-5Francisco Gil Castello Branco [primeiro do nome], n. em Livramento, f. criança.
41569V-1MARIANO GIL CASTELLO BRANCO, n. 15-10-1817 na vila de Livramento (atual José de Freitas), f. 09-09-1848 tb. em Livramento, s. na capela (hoje, uma igreja) da vila de Livramento. Proprietário da fazenda Contendas. Tenente-coronel da Guarda Nacional. Casou-se em <1844> com sua prima VICTORIA PERPÉTUA DE JESUS CASTELLO BRANCO [41.569a] [... primeiras núpcias desta], n. no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios), no município de Barras [v. 42.083]. Filha de Archangela Castello Branco e de João Barbosa Ferreira [Ferraz et al., 1926, p. 65, 107; Moya, 1939, v. 1, p. 157-9]. Foram pais de:
41570VI-1Francisco Gil Castello Branco [segundo do nome], n. na fazenda Contendas, f. criança.
41571VI-2Anna Castello Branco [terceira do nome], n. na fazenda Contendas, f. criança.
41572VI-3Balbina Castello Branco [v. 41.587].
41573VI-4Francisco Gil Castello Branco [terceiro do nome] [v. 41.590].
41574VI-5Mariano Gil Castello Branco [filho] [v. 41.595].
41569a_2n... VICTORIA PERPÉTUA DE JESUS CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias, em Caxias MA, com FAUSTINO FERNANDES DA SILVA [41.569b]. Foram pais de:
41575VI-6Urbano Faustino da Silva, n. em Caxias.
41576VI-7José Faustino da Silva [primeiro do nome], n. em Caxias, f. criança.
41577VI-8Filomena Victoria da Silva, n. em Caxias.
41578VI-9José Faustino da Silva [segundo do nome] [v. 41.834].
41579VI-10Maria Victoria da Silva [v. 41.860].
41580VI-11Anna Victoria da Silva [primeira do nome], n. em Caxias, f. criança.
41581VI-12Archangela Victoria da Silva, n. em Caxias, f. criança.
41582VI-13Anna Victoria da Silva [segunda do nome] [v. 41.879].
41583VI-14Archangela Victoria da Silva, n. 1865 em Caxias. Em 1948 residia em Teresina. Solteira.
41584VI-15João Faustino da Silva, n. em Caxias.
41585VI-16João Barbosa da Silva, n. em Caxias.
41586VI-17Manuel Faustino da Silva, n. em Caxias.
41587VI-3BALBINA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Contendas. Casou-se com GERALDO DE SÁ COUTINHO [41.587a]. Foram pais de:
41588VII-1Raymundo de Sá Coutinho.
41589VII-2Victoria de Sá Coutinho.
41590VI-4FRANCISCO GIL CASTELLO BRANCO [terceiro do nome], n. ??-12-1848 na fazenda Contendas, f. 06-09-1891 em Marselha, na França, sendo seu corpo transportado para o Rio de Janeiro e inumado no cemitério de São João Baptista. Advogado. Graduou-se em letras na França. Diplomata. Cônsul-geral do Brasil em Marselha. Escritor. Publicou: A pérola do lodo, 1874 - Contos a esmo, 1876 - Ataliba, o vaqueiro, 1878 - Os gansos sociais, 1878 - A mulher de ouro, 1880 - Pobreza não é vício, 1884 - Ataliba, o vaqueiro, que trata da seca no Piauí, sendo considerado o primeiro romance nordestino a abordar o tema [Carvalho, 2007, p. 86]. Herdou do pai a fazenda Contendas. Casou-se com THEODORA DE BRITO [41.590a]. Foram pais de:
41591VII-1Francisco Gil Castello Branco [filho] [v. 41.593].
41592VII-2Dora Antonieta Castello Branco, f. solteira.
41593VII-1FRANCISCO GIL CASTELLO BRANCO [filho], n. 1886, f. 1956 no Rio de Janeiro. General de divisão. Governador da ilha de Fernando de Noronha de 18-05-1942 a 12-02-1943, durante a II Guerra Mundial. Adido militar na França. Chefe da Casa Militar do presidente João Café Filho [1954-55]. Ministro do Superior Tribunal Militar. Membro da Ordem do Mérito Militar. Casou-se com CELITA PERALVA SANTOS [41.593a]. Pais de:
41594VIII-1Celita Castello Branco.
41595VI-5MARIANO GIL CASTELLO BRANCO [filho], n. 01-01-1848 na fazenda Contendas, em Livramento (atual José de Freitas), f. 10-03-1935 em Teresina. Capitão da Guarda Nacional. Chefe do Partido Liberal no Piauí. Deputado provincial [1884-85] e vice-governador do Piauí [1889]. Recebeu o título de barão de Castello Branco em 02-01-1889, por relevantes serviços prestados à sua província. Na República, filiou-se ao Partido Democrático, ao lado do governador Gregório Taumaturgo de Azevedo [Gonçalves, 2006, p. 33-40]. Abandonou a política em fins do século XIX. Proprietário da data Marataoã, em Livramento (atual José de Freitas). Possuía as fazendas 96 e Alívio, no município de Campo Maior, entre outras propriedades. Em 1887 fez parte da comissão para estudar a criação de uma indústria de charque na província do Piauí. Fundou com seu filho Heitor Gil Castello Branco, em princípios do século XX, a sociedade Castello & Cia., para comércio de gado (engorda e posterior venda no comércio de Belém), que era transportado do Piauí, via Tutóia, no Maranhão, para sua fazenda Gurupatuba, na ilha de Marajó, no Pará. Como jornalista, fundou A Reforma, O Democrata e O Combate, em Teresina. Em 15-01-1890, Gabriel Luís Ferreira (que viria a ser governador do estado do Piauí em 1891) instalou em Teresina o Instituto Karnak, colégio de ensino secundário. Mais tarde essa instituição passou para as mãos de Mariano Gil Castello Branco, que a vendeu ao governo do estado na gestão de João Luís Ferreira [1920-24]. Em 1926, durante a gestão de Matias Olímpio de Mello [1924-28], foi instalado na propriedade o Palácio Karnak, sede oficial do governo do estado. O barão de Castello Branco vendeu a Mansão Karnak por 100 mil contos de réis, importância da qual nem ele nem seus herdeiros nada receberam até hoje [2007] [Castello Branco Filho, 1985, p. 42-3; Castello Branco Filho et al., 2000, p. 14-7; Chaves, 2005, p. 81-2, 90, 96].
Mariano Gil Castello Branco [filho] casou-se em 1869 em Teresina, na igreja de Nossa Senhora do Amparo, com sua prima CÂNDIDA BURLAMAQUI CASTELLO BRANCO [41.595a], n. 05-05-1852 em Oeiras PI, f. 28-12-1928 em Teresina [v. 41.891]. Filha de Cândido Gil Castello Branco e de Lavínia César Burlamaqui [Castelo Branco, 1948, p. 9-15; Moya, 1939, v. 1, p. 157-9; Pereira da Costa, 1909, p. 363]. Foram pais de:
41596VII-1João Gil Castello Branco, n. em Teresina, f. criança.
41597VII-2José Gil Castello Branco [v. 41.610].
41598VII-3Cândido Gil Castello Branco [segundo do nome] [v. 41.638].
41599VII-4Antenor Gil Castello Branco [v. 41.639].
41600VII-5Heitor [Gil] Castello Branco [primeiro do nome] [v. 41.642].
41601VII-6Oscar Gil Castello Branco [v. 41.709].
41602VII-7Maria Victoria Castello Branco [v. 41.811].
41603VII-8Paulílio Gil Castello Branco [v. 41.814].
41604VII-9Elmira Castello Branco, n. em Teresina, f. jovem.
41605VII-10Lavínia Castello Branco [primeira do nome], n. em Teresina, f. criança.
41606VII-11Cynira Castello Branco, n. em Teresina, f. jovem.
41607VII-12Sophia Castello Branco [v. 41.826].
41608VII-13Lavínia Castello Branco [segunda do nome], n. em Teresina, f. solteira.
41609VII-14Eurídice Castello Branco [v. 41.833].
41610VII-2JOSÉ GIL CASTELLO BRANCO, n. 14-08-1872 em Teresina, f. 13-01-1905 no Rio de Janeiro. Advogado formado em 1892 no Recife. Juiz de direito em São Luís. Chefe de polícia do Piauí. Promotor público em Cataguases MG. Diretor do Colégio D. Pedro II no Rio de Janeiro. Casou-se em Valença RJ com FRANCISCA LEITE PINTO [41.610a], n. <1876> em Santa Isabel do Rio Preto MG. Ao enviuvar, Francisca abriu uma fábrica de queijos em sua cidade natal.
Filha de Francisca de Paula de Almeida Magalhães (n. em São João del Rei, f. 02-03-1885) e de Antônio Teixeira Leite Pinto [coronel Tonico] (n. 10-01-1843 em Santa Isabel do Rio Preto, f. 20-11-1917 tb. em Santa Isabel do Rio Preto; comendador; coronel da Guarda Nacional; foi homem de vultosa fortuna e grande influência eleitoral na região de Valença, nos conturbados anos da virada de século XIX, controlando a política da região; em todos os cargos que exerceu, promoveu realizações progressistas, o que lhe rendeu incontestável liderança; em Santa Isabel do Rio Preto, foi juiz de paz, vereador, vice-presidente e presidente da Câmara Municipal; dentre as diversas fazendas que possuía na região de Valença e Conservatória, no estado do Rio de Janeiro, e em Santa Rita de Jacutinga e Rio Preto, no estado de Minas Gerais, estavam a Forquilha, a Jaraguá, a Vista Alegre e a Cachoeira; foi grande produtor e exportador de café; casou-se em segundas núpcias com Maria Magdalena Sobral Pinto, filha de Luiz Sobral Pinto e de Cândida Rosa de Albuquerque Cavalcanti). Primo de Francisco José Teixeira Leite, barão de Vassouras. Neta materna de Francisco de Paula de Almeida Magalhães (comendador; comerciante em São João del-Rei, presidente da Câmara Municipal e conselheiro da Sociedade Defensora da Liberdade e da Independência Nacional) e de Marianna Carolina de Magalhães Pinto. Neta paterna de Antônio Leite Pinto (n. 1815 em Nazareth, em São João del Rei, nas Minas Gerais, f. 08-06-1863; major da Guarda Nacional; comendador da Ordem da Rosa; provedor da Santa Casa da Misericórdia; proprietário da fazenda Morro Redondo, no distrito de Conservatória, em Valença RJ) e de Maria Jesuína Leite Ribeiro (filha de Floriano Leite Ribeiro, capitão, proprietário de fazendas nos distritos de Conservatória e Rio Bonito, em Valença, e de Anna Josepha de Souza Rios), primos entre si. [Moraes, 1985; Moya, 1941, v. 3, p. 532-5; Nunes, 1986; Silva Leme, 1905, v. 6, p. 272, 274, 278].
José Gil Castello Branco e Francisca Leite Pinto foram pais de:
41611VIII-1Cirene Castello Branco [v. 41.616].
41612VIII-2Gilda Castello Branco [v. 41.621].
41613VIII-3Antônio Leite Castello Branco [v. 41.627].
41614VIII-4Rubem Leite Castello Branco [v. 41.631].
41615VIII-5Gilberto Gil Castello Branco, f. solteiro.
41616VIII-1CIRENE CASTELLO BRANCO, n. 1896 em Teresina, na Mansão Karnak, f. 1983 no Rio de Janeiro. Casou-se no Rio de Janeiro com JOSÉ FÉLIX ALVES DE SOUZA [41.616a], n. em São José dos Antigos RN, f. no Rio de Janeiro. Advogado. Jornalista. Funcionário público federal no Rio de Janeiro. Filho de José Francisco Alves de Souza e de Maria [Pinheiro?] [Mariquinha]. Foram pais de:
41617IX-1Maria Thereza Castello Branco Alves de Souza, n. 19-05-1930 no Rio de Janeiro. Casou-se.
41618IX-2José Francisco Castello Branco Alves de Souza, n. 22-02-1932 em Niterói RJ. Casou-se.
41619IX-3Francisco Gil Castello Branco Alves de Souza, n. 22-02-1932 em Niterói RJ. Casou-se.
41620IX-4Beatriz Helena Castello Branco Alves de Souza, n. 03-07-1934 em São Paulo. Casou-se.
41621VIII-2GILDA CASTELLO BRANCO, n. 06-04-1898 em Cataguases MG, f. 01-12-1991 no Rio de Janeiro. Casou-se no Rio de Janeiro com FÁBIO JOAQUIM EDUARDO CARNEIRO DE MENDONÇA [41.621a], n. 06-06-1896 em Cataguases MG, f. 06-03-1982 no Rio de Janeiro. Médico formado em 1919 na Faculdade Nacional de Medicina do Rio de Janeiro. Presidente do Fluminense Football Club.
Irmão de Marcos Cláudio Phillippe Carneiro de Mendonça (n. 25-12-1894 em Cataguases, f. 19-10-1988 no Rio de Janeiro; famoso goleiro do Fluminense, também conhecido como Marcos Mendonça, atuou no Rio de Janeiro entre os anos de 1913 e 1919, chegando a tricampeão carioca e campeão sul-americano), casado com Anna Amélia de Queiroz; foram pais, entre outros, de Heliodora Carneiro de Mendonça (n. 29-08-1923 no Rio de Janeiro; crítica de teatro com o nome de Bárbara Heliodora). Filho de Alberto Carneiro de Mendonça (n. 28-08-1860, f. 11-09-1940 no Rio de Janeiro; fazendeiro em Cataguases; estudou engenharia na Bélgica, mas não se formou) e de Leocadie Procureur (n. 11-12-1860 na Bélgica, f. 14-02-1943 no Rio de Janeiro). Neto de Joaquim Carneiro de Mendonça (n. 26-02-1816 na fazenda Saudade, em Paracatu MG, f. 15-03-1895 no Rio de Janeiro) e de Maria Augusta Rodrigues Loures [Bueno, 2010, p. 475-8].
Gilda Castello Branco e Fábio Joaquim Eduardo Carneiro de Mendonça foram pais de:
41622IX-1José Gil Carneiro de Mendonça [v. 41.623].
41623IX-1JOSÉ GIL CARNEIRO DE MENDONÇA, n. 21-07-1924 no Rio de Janeiro, Presidente do Fluminense Football Club. Casou-se em primeiras núpcias, no Rio de Janeiro, com IRENE TSCHANNERL [41.623a], n. 28-11-1926 em São Paulo. Residia em Saquarema RJ em 2006. Filha de Frantisek Tschannerl (n. na Tchecoslováquia, f. no Rio de Janeiro) e de Paulina Seide (n. em Viena, Áustria, f. no Rio de Janeiro). Foram pais de:
41624X-1Cláudia Kitty Carneiro de Mendonça, n. 06-05-1950 no Rio de Janeiro. Casou-se.
41625X-2Fábio Carneiro de Mendonça, n. 14-09-1952 no Rio de Janeiro, f. 07-05-2007 no Rio de Janeiro. Casou-se.
41623_2nIX-1... JOSÉ GIL CARNEIRO DE MENDONÇA casou-se em segundas núpcias, no Rio de Janeiro, com ANA LILIAN STEPHEN [41.623b], n. 11-07-1950 em Santa Catarina. Pais de:
41626X-3Aline Gil Carneiro de Mendonça, n. 23-06-1975 no Rio de Janeiro.
41627VIII-3ANTÔNIO LEITE CASTELLO BRANCO [CASTELLO], n. no Rio de Janeiro, f. tb. no Rio de Janeiro. Proprietário da fazenda Jaraguá, no município de Santa Isabel do Rio Preto MG. Casou-se com MARIA DO CARMO FERRAZ [MARIINHA] [41.627a], n. na fazenda Entureia, em Santa Isabel do Rio Preto, f. no Rio de Janeiro. Pais de:
41628IX-1Antônio Carlos Ferraz Castello Branco [Castelinho], n. na fazenda Jaraguá, a cerca de 4 quilômetros da fazenda Vista Alegre, no município de Santa Isabel do Rio Preto. Casou-se.
41629IX-2Gilda Ferraz Castello Branco, n. na fazenda Jaraguá. Solteira.
41630IX-3Vera Ferraz Castello Branco, n. na fazenda Jaraguá. Solteira.
41631VIII-4RUBEM LEITE CASTELLO BRANCO, n. no Rio de Janeiro, f. tb. no Rio de Janeiro. Pecuarista, proprietário da fazenda Vista Alegre, no município de Valença RJ. Casou-se com MARIA DO CARMO MILLWARD [41.631a], n. em Santa Isabel do Rio Preto MG, f. em Valença, na fazenda Vista Alegre. Foram pais de:
41632IX-1José Gil Millward Castello Branco, n. na fazenda Vista Alegre, no município de Valença RJ. Casou-se.
41633IX-2Thereza Millward Castello Branco [Therezinha], n. na fazenda Vista Alegre. Casou-se.
41634IX-3Maria do Carmo Millward Castello Branco, n. na fazenda Vista Alegre. Casou-se.
41635IX-4Aparecida Millward Castello Branco, n. na fazenda Vista Alegre. Solteira.
41636IX-5Maria Isabel Millward Castello Branco, n. na fazenda Vista Alegre. Solteira.
41637IX-6Maria José Millward Castello Branco, n. na fazenda Vista Alegre. Casou-se.
41638VII-3CÂNDIDO GIL CASTELLO BRANCO [segundo do nome], n. 1873 em Teresina, f. tb. em Teresina. Professor de inglês no Liceu Piauiense, em Teresina. Casou-se com MARIA RIBEIRO [41.638a]. s/g
41639VII-4ANTENOR GIL CASTELLO BRANCO, n. 1874 em Teresina, f. no Piauí. Pecuarista no Piauí. Casou-se com JOANA DE CASTRO LIMA [41.639a]. Pais de:
41640VIII-1Maria do Carmo de Lima Castello Branco [v. 41.641].
41641VIII-1MARIA DO CARMO DE LIMA CASTELLO BRANCO, n. no Piauí. Casou-se com RAIMUNDO ALVES GUIMARÃES [41.641a].
41642VII-5HEITOR [GIL] CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] [HEITOR GIL CASTELLO BRANCO], n. 18-03-1875 em Teresina, f. 16-11-1952 no Rio de Janeiro, s. em Teresina, no cemitério São José. Conforme declaração pela imprensa em 20-08-1912, suprimiu "Gil" de seu nome e passou a assinar apenas "Heitor Castello Branco". Estudou no Liceu Piauiense, hoje Colégio Estadual Zacarias de Góis, em Teresina, terminando o curso secundário no Colégio Pedro II do Rio de Janeiro. Advogado formado no Recife em 1898. Segundo Clóvis Bevilaqua, tinha sólida formação jurídica. Em Belém do Pará, foi professor do Liceu Paraense. Diretor da Faculdade de Direito do Pará, onde lecionou teoria e prática do processo. Desembargador da Relação do Pará. Secretário de Segurança Pública do Pará. Deputado estadual, deputado federal e senador da República pelo Pará. Procurador-geral da Justiça no Piauí. Coronel da Guarda Nacional [20-03-1912].
Fazendeiro em Campo Maior. Como jornalista, fundou A Província do Pará em Belém. Em Teresina fundou A Notícia [1889] e A Reação [1922]. Patrono da Academia Piauiense de Letras. Publicou, entre outras obras: - Reminiscências - O tigre da Abolição - Barão de Castello Branco. O centenário de seu nascimento [1948] - Páginas da saudade - Crônicas e confidências.
Em 1918, adquiriu de Eulina Júlia Ferreira da Silva [v. 45.119a] e dos filhos de João Henrique Gayoso e Almendra, então representados por Josephina Pires de Castro [Zuzu] [v. 45.135a], três quartas partes da fazenda Foge Homem, em Campo Maior [Silva, 1991, p. 135]. Possuía também as fazendas Angical e Alívio, esta no município de Campo Maior, vizinha à fazenda Lagoa do Cajueiro, de Clemente Pires Ferreira.
Heitor [Gil] Castello Branco [primeiro do nome] casou-se em primeiras núpcias em 14-09-1899, em Teresina, com sua prima NERINA MOURA BAPTISTA BURLAMAQUI [41.642a], n. 14-09-1876 em Teresina, f. 24-12-1909 em Fortaleza [v. 43.595]. Filha de Newton César Burlamaqui e de Raimunda Moura Baptista. Foram pais de:
41643VIII-1Cândida Castello Branco [quarta do nome] [v. 41.654].
41644VIII-2Dídimo do Pará Castello Branco [v. 41.656].
41645VIII-3Flavio Piauiense Castello Branco [v. 41.664].
41646VIII-4Heitor Gil Castello Branco Filho, n. 13-07-1904 em Belém, f. 13-01-1926 em São Luís. Acadêmico de direito.
41647VIII-5Maria de Nazareth Castello Branco [v. 41.667].
41648VIII-6Nerina Castello Branco, n. 1909 em Belém, f. criança tb. em Belém.
41642_2nVII-5... HEITOR [GIL] CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] casou-se em segundas núpcias em <1912>, em Belém, com ÁUREA MATUTINA FERREIRA DA SILVA [41.642b], n. 1888 em Belém, f. 1949 em São Paulo. Foram pais de:
41649VIII-7Carlos Heitor Castello Branco [v. 41.668].
41650VIII-8Gil Castello Branco, n. <1914> em Belém, f. criança tb. em Belém.
41642_3nVII-5... HEITOR [GIL] CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] casou-se em terceiras núpcias em 20-09-1917, em Belém, com EMÍLIA GONÇALVES LEITE [LILI] [41.642c], n. 11-02-1896 no distrito de São Martinho dos Silvestres, na cidade de Fafe, no norte de Portugal, f. 25-11-1993 em Teresina. Diretora da Casa Anísio de Brito em 1957-59 e 1970, em Teresina. Fez parte do Conselho Estadual de Cultura do Piauí. Foi agraciada com a Medalha do Mérito Conselheiro Saraiva. Membro da Academia Piauiense de Letras. Escritora, deixou crônicas publicadas em jornais de Belém, do Piauí e do Rio de Janeiro, além de vários livros, como: Ermelinda, 1950 - Os amores de Tomaz, 1968 - Os mistérios do castelo, 1979 - Qual será afinal o nosso fim?, 1981 - A vida de cada um, 1984 - Fases do meu passado, 1983 - Miscelânia literária, 1985 - A vida romanceada de Simplício de Sousa Mendes - A estranha passageira - Feliz arrependimento, 1992. Filha de José Gonçalves Leite (n. em Portugal; iniciou suas atividades comerciais no ramo de secos e molhados e mais tarde passou ao comércio de borracha, tornando-se um importante comerciante em Belém) e de Ermelinda Barros de Oliveira; o casal veio para o Brasil em princípios de 1896 e se fixou em Belém do Pará.
Heitor [Gil] Castello Branco [primeiro do nome] e Emília Gonçalves Leite [Lili] foram pais de:
41651VIII-9Emília Leite Castello Branco [v. 41.671].
41652VIII-10Cláudio Leite Castello Branco [v. 41.677].
41653VIII-11Heitor Castello Branco Filho [v. 41.696].
41654VIII-1CÂNDIDA CASTELLO BRANCO [quarta do nome] [CANDY], n. 19-07-1900 em Teresina, f. 1929 em Fortaleza. Casou-se em Teresina com ELIAS DE OLIVEIRA E SILVA [41.654a], n. em Piripiri PI, f. em Fortaleza. Advogado. Deixou a obra A criminologia das multidões. Deputado estadual no Piauí. Foram pais de:
41655IX-1Elias de Oliveira e Silva Filho, n. em Teresina, f. em Fortaleza. Casou-se e deixou descendência.
41656VIII-2DÍDIMO DO PARÁ CASTELLO BRANCO, n. 02-05-1902 em Belém, f. 27-06-1967 em Teresina. Advogado formado em Fortaleza em 1925. Procurador da Fazenda Nacional. Chefe de polícia no Piauí. Suplente de senador [1947-55] de Joaquim de Lima Pires Ferreira pela UDN [União Democrática Nacional] [v. Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 235]. Casou-se em Teresina com ESTHER MARIA DE NORONHA PESSOA [41.656a], n. no Piauí, f. em Teresina. Foram pais de:
41657IX-1Afrânio Pessoa Castello Branco [Afrânio Pessoa; Aidim], n. 29-09-1930 em Teresina. Pintor. Formou-se em artes plásticas na Escola Nacional de Belas Artes da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro, em 1958. Professor da UFPI [1979-2001]. Deixou vários paineis em Teresina, realizados a convite de instituições públicas estaduais e federais. Realizou inúmeras exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior (Dinamarca, Holanda, Espanha, Suíça, Alemanha, Suécia, Itália, França e Estados Unidos). Residia em Teresina em 2007. Solteiro.
41658IX-2Rubens Pessoa Castello Branco [v. 41.660].
41659IX-3Maria Nerina Pessoa Castello Branco [Nerina Castelo Branco], n. 09-12-1934 em Teresina. Estudou no Colégio Sagrado Coração de Jesus em Teresina e no Colégio Gentil Bittencourt em Belém do Pará. Concluiu o ginásio em Teresina. Ingressou na Faculdade de Direito do Piauí e, em 1956-57, cursou a Faculdade de Direito do Ceará, em Fortaleza, formando-se na Faculdade de Direito do Piauí em 1958. Em Fortaleza aderiu ao movimento concretista de poesia, que revolucionava a cultura no Ceará. Ingressou no curso de filosofia da Faculdade Católica do Piauí, formando-se em 1964; mais tarde, viria a integrar o corpo docente da instituição. Professora titular da Universidade Federal do Piauí. Foi jornalista militante, com contribuições nos jornais de Teresina, como O Dia, Jornal do Piauí e Jornal do Comércio. Conferencista, folclorista e poeta. Foi condecorada com a Medalha do Mérito Conselheiro Saraiva, da prefeitura de Teresina, e a Comenda do Mérito Da Costa e Silva, da União Brasileira dos Escritores/Piauí. Membro do Conselho Estadual de Cultura do Piauí e diretora da Biblioteca Estadual Cromwell de Carvalho. Professora emérita da Universidade Federal do Piauí. Membro da Academia Piauiense de Letras eleita em 1966, aos 32 anos, sendo a segunda mulher a entrar para essa academia. Entre outras obras, publicou: - Poesias modernas I - Poesias modernas II - Outras poesias - Cruviana [contos] - Além do silêncio. Solteira. Tem como filha adotiva Maria de Fátima Martins Dias, historiadora formada na Universidade Estadual do Piauí. Nerina Castello Branco residia em Teresina em 2011.
41660IX-2RUBENS PESSOA CASTELLO BRANCO, n. 16-08-1932 em Teresina. Dentista. Casou-se com DURCILA DE CARVALHO SÁ [41.660a]. Pais de:
41661X-1Esther Maria de Sá Castello Branco, n. 26-02-1964 em Teresina. Advogada.
41662X-2Dídimo Castello Branco, n. 02-04-1965 em Teresina.
41663X-3Rubens Luciano de Sá Castello Branco, n. 28-04-1968 em Teresina.
41664VIII-3FLAVIO PIAUIENSE CASTELLO BRANCO, n. 03-07-1903 em Teresina, f. em Belém. Engenheiro agrônomo e engenheiro civil formado no Rio de Janeiro. Funcionário do Ministério da Agricultura. Casou-se em Teresina com ROSÁLIA DE CARVALHO [41.664a], n. em Teresina, f. em Belém. Foram pais de:
41665IX-1Nídia Carvalho Castello Branco, n. no Rio de Janeiro. Casou-se. Residia em Belém em 2007.
41666IX-2Maria Isabel Carvalho Castello Branco, n. em Teresina. Casou-se. Residia em Belém em 2007.
41667VIII-5MARIA DE NAZARETH CASTELLO BRANCO, n. 19-05-1905 em Belém, f. 1945 em Campo Maior PI. Casou-se em Teresina com JOSÉ FERREIRA DA CUNHA [41.667a]. s/g
41668VIII-7CARLOS HEITOR CASTELLO BRANCO, n. 06-06-1913 em Belém, f. 21-07-1984 em São Paulo. Estudou no Colégio Pedro II no Rio de Janeiro. Advogado formado no Rio de Janeiro. Empresário em São Paulo. Jornalista. Historiador. Escritor. Deixou várias obras, entre as quais: - Macunaíma e a viagem grandota. Com cartas inéditas de Mario de Andrade e capa de Clovis Graciano. São Paulo: 1970 - Monteiro Lobato e a parapsicologia. São Paulo: Quatro Artes, 1977 - A gloriosa e trágica viagem de Cabral ao Brasil e à Índia. São Paulo: Editora do Escritor, 1974 - Padrão de Porto Seguro. São Paulo: Editora do Escritor, 1977 - A conquista da Amazônia. São Paulo: Editora do Escritor, 1978 - Salusse, o poeta dos cisnes. São Paulo: Hucitec, 1979 - Como Jesus empurrou o Marques Rebelo, 1981 - Monteiro Lobato e a sobrevivência. Revista 10. São Paulo, 1982. Casou-se em 15-08-1935, no Rio de Janeiro, com ZELINA MORAES RODRIGUES MOREIRA [41.668a], n. 1913 em Barra do Piraí RJ. Livreira. Sua empresa, a livraria Leart, de livros raros, fundada em São Paulo no ano de 1970, continuava em pleno funcionamento em 2006. Filha de Álvaro Rodrigues Moreira (n. em Minas Gerais) e de Carolina Moraes Costa (n. no Rio de Janeiro). Foram pais de:
41669IX-1Lenisa Moreira Castello Branco, n. 1936 no Rio de Janeiro. Psicóloga junguiana em São Paulo. Casou-se e tem descendência.
41670IX-2Sergio Carlos Castello Branco, n. 1941 em São Paulo. Economista. Navegador. Sobre as grandes viagens que fez em seu iate MS San Marino, escreveu um diário de bordo em três volumes: - v. 1: 1993-96 - De Santos (Brasil) a Porto San Giorgio (Itália) - v. 2: 1997-99 - De Porto San Giorgio à Córsega (França) - v. 3: 2000-04 - Da Córsega a Santos. Casou-se e tem descendência.
41671VIII-9EMÍLIA LEITE CASTELLO BRANCO [LILIZINHA], n. 26-12-1919 no Rio de Janeiro, f. 15-10-1980 em Teresina. Romancista, contista e cronista. Publicou: - Sinhazinha do Karnak - A mendiga do Amparo - O morcego azul - O secretário e o grande juramento - Quinze anos depois, 1977. Membro da Academia Piauiense de Letras. Membro do Conselho de Cultura. Herdou do pai parte da fazenda Foge Homem. Casou-se em Teresina com HERMÓGENES FERREIRA DE CARVALHO [41.671a], n. no Piauí, f. em Teresina. Médico formado no Rio de Janeiro. Foram pais de:
41672IX-1Genival Castello Branco de Carvalho [v. 41.673].
41673IX-1GENIVAL CASTELLO BRANCO DE CARVALHO, n. em Teresina. Médico. Herdeiro de parte da fazenda Foge Homem. Casou-se com MARIA ESTHER FERRAZ [41.673a]. Foram pais de:
41674X-1Liana Ferraz Castello Branco. Advogada. Juíza do trabalho.
41675X-2Emília Ferraz Castello Branco. Advogada. Delegada de polícia no Amazonas.
41676X-3Cláudia Ferraz Castello Branco. Médica oftalmologista.
41677VIII-10CLÁUDIO LEITE CASTELLO BRANCO, n. 15-01-1922 em Teresina. Dentista. Residiu por longos anos em Belém do Pará, onde foi funcionário do Banco da Borracha. Em 2007 residia em Teresina. Casou-se com ZINALDA PINHEIRO DA SILVA [41.677a]. Pais de:
41678IX-1Zinalda Maria Silva Castello Branco [v. 41.683].
41679IX-2Emílio Gil Castello Branco [v. 41.687].
41680IX-3Afonso Gil Castello Branco, n. em Belém. Advogado. Casou-se. Residia em Belém em 2007.
41681IX-4Marcelo Gil Castello Branco [v. 41.691].
41682IX-5Maurício Gil Castello Branco [v. 41.695].
41683IX-1ZINALDA MARIA SILVA CASTELLO BRANCO, n. em Belém. Casou-se em Belém com ALBERTO PUTY [41.683a]. Engenheiro civil. Pais de:
41684X-1Cláudio Alberto Castello Branco Puty, n. em Belém. Economista. Deputado federal pelo Pará [2012].
41685X-2Fabiola Castello Branco Puty, n. em Belém. Médica.
41686X-3Marília Castello Branco Puty, n. em Belém. Normalista. Professora.
41687IX-2EMÍLIO SILVA CASTELLO BRANCO, n. em Belém. Comandante da Marinha de Guerra. Casou-se em primeiras núpcias com ELIZABETE CRESPO [41.687a]. Pais de:
41688X-1Ricardo Gil Castello Branco. Arquiteto. Engenheiro civil.
41689X-2Bernardo Gil Castello Branco. Publicitário.
41687_2nIX-2... EMÍLIO SILVA CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com MARTA OLIVEIRA [41.687b]. Pais de:
41690X-3Bárbara Oliveira Castello Branco, n. em Belém. Advogada formada em Belém.
41687_3nIX-2... EMÍLIO SILVA CASTELLO BRANCO casou-se em terceiras núpcias com BEATRIZ BORGES RODRIGUES [41.687c]. Residiam em Belém em 2012.
41691IX-4MARCELO GIL CASTELLO BRANCO, n. em Belém. Engenheiro civil. Casou-se com SÍLVIA MELO [41.691a]. Pais de:
41692X-1Leonardo Gil Mello Castello Branco, n. em Belém. Engenheiro civil.
41693X-2Renato Gil Melo Castello Branco, n. em Belém. Estudante.
41694X-3Marcela Melo Castello Branco, n. em Belém. Estudante.
41695IX-5MAURÍCIO GIL CASTELLO BRANCO, n. em Belém. Advogado. Delegado da Polícia Federal no Pará. Casou-se com SÍLVIA MOURÃO CAVALCANTE [41.695a]. s/g
41696VIII-11HEITOR CASTELLO BRANCO FILHO, n. 20-06-1929 em Teresina. Engenheiro civil formado em Belém em 1958. Herdou de seu pai parte da fazenda Foge Homem e a fazenda Angical, no atual município de Sigefredo Pacheco PI. Dirigiu o Departamento Estadual de Estradas de Rodagem no Piauí. Superintendente da Estrada de Ferro Central do Piauí. Diretor regional do Departamento Nacional de Portos e Vias Navegáveis no Piauí e no Maranhão. Diretor da construção do porto de Itaqui, em São Luís. Jornalista. Escritor. Membro da Academia Piauiense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico Piauiense. Publicou uma vasta obra historiográfica e literária: - Rio Parnaíba - Providências suplementares à construção do porto de Luís Corrêa - Heitor Castello Branco: Perfil de um republicano - O sócio da onça - Paz e guerra na terra dos carnaubais, 1992; 2a. ed. 2011 - Viz cômica - Rei meu senhor. O pinto calçudo e outras histórias infantis - Crônicas marajoaras - Petrônio, uma vocação - Coronel Pedro Freitas, uma lição de vida - Afinal, quem é Clidenor de Freitas Santos - Crônicas jornalísticas [no jornal O Estado] - Piauí para principiantes - Amor de uma vida, vida de um amor - Porque estava escrito - José Gayoso, um cidadão de elite - Genu, a musa de uma geração - Crônicas da vida [no jornal O Estado] - As academias: História e importância - O marisqueiro da Amazônia, 1993 - Arrematei um zumbi - O micro para principiantes - Crônicas hodiernas [no jornal Meio Norte] - Nádia Noskovieska - A capela de Nossa Senhora do Livramento [em coautoria com Antônio Manoel Gayoso e Almendra Castello Branco Filho], 2000 - Desagravo ao major João do Rego Castello Branco - Crônicas dos tempos idos, 2010.
Heitor Castello Branco Filho casou-se com ANGÉLICA MIRANDA PACHECO [41.696a], n. 20-10-1940 em Campo Maior PI. Irmã de Hyedda de Miranda Pacheco (n. 17-01-1936 em Campo Maior), casada com Carlos Pires Ferreira [Carlito] [... segundas núpcias deste] (n. 04-05-1926 em Campo Maior) [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 60-5]. Filha de Ivon Pacheco (n. 02-09-1907 em Campo Maior, f. 28-02-1988 em Teresina; farmacêutico formado em São Luís; farmacêutico em Campo Maior) e de Dagmar Miranda. Sobrinha paterna de Sigefredo Pacheco (n. 22-05-1904 em Campo Maior, f. 11-02-1980 tb. em Campo Maior; formou-se em farmácia em 1927 e em medicina em 1930, na Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro; professor da Faculdade de Medicina em Niterói RJ; médico do Exército no Piauí; prefeito de Campo Maior de 1935 a 1937; deputado federal pelo Piauí de 1946 a 1959; senador da República pelo Piauí de 1963 a 1971). Sobrinha paterna de Cláudio Pacheco (n. 1909 em Campo Maior; advogado formado na Faculdade de Direito da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro; diretor do Banco do Brasil em Brasília; deixou um tratado em catorze volumes sobre as constituições brasileiras). Neta de Vicente Pacheco e de Inês da Costa Araújo.
Heitor Castello Branco Filho e Angélica Miranda Pacheco são pais de:
41697IX-1Heitor Gil Castello Branco [segundo do nome] [v. 41.700].
41698IX-2Josias Pacheco Castello Branco [v. 41.703].
41699IX-3Ermelinda Pacheco Castello Branco [v. 41.706].
41700IX-1HEITOR GIL CASTELLO BRANCO [segundo do nome], n. em Teresina. Engenheiro civil. Casou-se com MÁRCIA MIRANDA [41.700a]. Pais de:
41701X-1Maria Fernanda Miranda Castello Branco, n. em Teresina.
41702X-2Maria Valentina Miranda Castello Branco, n. em Teresina.
41703IX-2JOSIAS PACHECO CASTELLO BRANCO, n. no Rio de Janeiro. Engenheiro civil. Casou-se em 09-06-1995, em Teresina, com sua prima MARIA CRISTINA CASTELLO BRANCO LAGES REBÊLLO [41.703a], n. 02-10-1970 em Teresina. Engenheira civil. Advogada. Fiscal de renda do estado do Piauí.
Cabe aqui uma digressão sobre os ancestrais de Josias e Maria Cristina e seus entrelaçamentos familiares. Pelo lado paterno, Josias Pacheco Castello Branco tem por ascendente direto o patriarca dos Castello Branco no Brasil, Francisco da Cunha Castello Branco [v. 40.001], e, pelo lado materno, os Pacheco estabelecidos em Campo Maior PI. Maria Cristina, por sua vez, tem também ascendência Castello Branco e, ao mesmo tempo a seguir, ascendência de outras velhas famílias estabelecidas no Baixo Parnaíba piauiense: Irmã de Adriana Castello Branco Lages Rebêllo (n. 14-05-1968 em Teresina; advogada), casada com Humberto Costa e Castro (n. em São Raimundo Nonato PI). Irmã de Maria Celina Castello Branco Lages Rebêllo (n. 24-10-1975 em Teresina; dentista), casada com José de Andrade Maia Filho (n. em Picos PI). Filha de Geraldo de Margela Lages Rebêllo (n. 20-08-1937 em Esperantina; médico; cirurgião plástico em Teresina) e de Lina Josefina de Almendra Freitas Castello Branco (n. 06-10-1949 em Teresina; dentista). Neta paterna de Gervásio Lages Rebêllo (n. 07-05-1900 em Esperantina) e de Francisca Pires Lages [Neném] (n. 01-07-1909 em Batalha). Bisneta paterna de Maria de Assumpção Pires Lages e de Umbellino Gomes Rebêllo. Trineta paterna de Maria da Assumpção Pires Ferreira e de Manoel Rodrigues Lages [v. 43.839 e 43.982] [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 74-101]. Neta materna de Antônio Manoel Gayoso e Almendra Castello Branco (n. 21-12-1922 em Teresina, f. 03-05-1983 tb. em Teresina) e de Alda Maria de Almendra Freitas (n. 18-03-1931 em José de Freitas, f. 09-01-2010 em Teresina; advogada; funcionária do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí). Bisneta materna de Lina Leonor Gayoso e Almendra [Linoca] e de Manoel Castello Branco [Mano]. Trineta materno-materna de João Henrique de Souza Gayoso e Almendra [v. 45.135] e de Josephina Pires de Castro [Zuzu]. Trineta materno-paterna de Lina Josephina Pires de Sampaio [Noca] e de Epaminondas Demétrio Castello Branco [v. 40.529] [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 34-6, 50-5]. Tetraneta, pelo lado de Josephina Pires de Castro [Zuzu], de Anna Lina Pires Ferreira e de Francisco Florindo de Souza Castro [v. 43.886]. Tetraneta, pelo lado de Lina Josephina Pires de Sampaio [Noca], de Carlota Lina Pires Ferreira e de Manoel Rodrigues de Sampaio [Mano] [v. 43.881]. Josias Pacheco Castello Branco e Maria Cristina Castello Branco Lages Rebêllo são pais de:
41704X-1Lina Josefina Lages Rebêllo Castello Branco, n. 02-08-1998 em Teresina.
41705X-2Emília Lages Pacheco Castello Branco, n. 16-12-2000 em Teresina.
41706IX-3ERMELINDA PACHECO CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Economista, Empresária. Casou-se em Teresina com ROBERTO THÉOPHILE JACOB [41.706a], n. em Parnaíba. Economista. Empresário.
Irmão de Constance, David, Gustavo e Roger Jacob, este casado em Parnaíba com Luana Pires Rebelo Araújo (n. 05-02-1980 em Parnaíba; filha de Francisco de Assis Souza Araújo e de Thereza Christina Correia Pires Rebelo, sendo esta irmã de Alberto de Moraes Correia Neto, casado com Ana Carlota Nunes Amorim Rego [v. 43.191]; neta materna de Maria Thereza Marques Correia e de Helvécio Bastos Pires Rebelo) [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 228-9]. Filho de Marc Théophile Jacob (n. em Parnaíba; residia em Fortaleza em 2012; empresário) e de Ileni de Carvalho Corrêa (n. em Parnaíba; filha de Athestlan Ozires da Motta Corrêa [v. 42.453] e de Yone Furtado de Carvalho, sendo esta irmã de Carlos Furtado de Carvalho [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 208-9]). Neta paterna de Maria Lourença Ozório Porfírio da Motta [Loló] e de Sesóstris José Corrêa [v. 42.436]. Bisneta paterno-materna de Joaquim Ricardo Porfírio da Motta e de Maria Victoria Basson de Miranda Ozório. Trineta paterno-materno-materna do coronel José Francisco de Miranda Ozório e de sua segunda esposa, Lourença Francisca Basson (filha de Thomaz Joaquim Basson, de família do Maranhão [v. 42.448]).Sobrinho de Rosemary Parnaibana Jacob [Rose] (n. em Parnaíba), casada em Parnaíba com Alfredo Simoni Molina (n. no Rio Grande do Sul) e pais de Sérgio, Ricardo, Jeanne, Lorraine e Guilherme Jacob Molina.
Neto paterno de Roland Gabriel Jacob (n. 15-09-1899 em Schalbach, na região da Lorena, na França, f. 20-03-1971 no Rio de Janeiro, onde possuía uma residência; comerciante; empresário; chegou a ser a maior fortuna do Piauí) e de Suzanne Geissmann (n. na Suíça, f. 16-01-1938 no Rio de Janeiro), casados em Strasbourg, na França.
Roland Gabriel Jacob casou-se em segundas núpcias em 11-12-1948, em Parnaíba, com Ozitha Bastos de Carvalho Motta (n. 26-09-1922 na Ilha Grande de Santa Isabel, em Parnaíba; residia no Rio de Janeiro em 2012). Ozitha é filha de Sebastião Ozório de Carvalho Motta (n. 20-01-1885 em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba; estudou em São Luís) e de Alzira Bastos (n. em Campo Maior). Neta paterna de Egídio Ozório Porfírio da Motta (n. em Parnaíba; oficial da Alfândega de Parnaíba em 1889; tenente-coronel) e de Maria Angélica Alves Ozório de Carvalho (n. em Parnaíba), primos entre si. Bisneta paterno-paterna de Joaquim Ricardo Porfírio da Motta e de Maria Victoria Basson de Miranda Ozório. Bisneta paterno-materna de Luíza de Miranda Ozório (n. em Parnaíba) e de Felippe Alves de Carvalho (n. em Brejo dos Anapurus MA, f. 15-08-1870 em Parnaíba; advogado formado no Recife em 1840; juiz de direito em Parnaíba) [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 243]. Trineta paterno-paterno-materna do coronel José Francisco de Miranda Ozório e de sua segunda esposa, Lourença Francisca Basson. Também trineta paterno-materno-materna do coronel José Francisco de Miranda Osório e de sua primeira esposa, Angélica Rosa Umbelina da Silva Henriques. Tetraneta de Francisco Xavier de Miranda Machado (capitão do Exército) e de Maria Bárbara da Anunciação [Ozório]. Tetraneta do coronel Manoel Antônio da Silva Henriques (n. em Portugal, f. em Parnaíba; certamente descendente de cristãos-novos; comerciante; capitalista; dono de grandes propriedades na vila de Parnaíba; em 07-05-1799, solicitava à rainha dona Maria a confirmação de carta de data e sesmaria pela qual lhe eram concedidas terras da vila de São João da Parnaíba, assim como mais tarde requereria ao príncipe regente, d. João, a confirmação de carta de data e sesmaria que lhe conferia terras na freguesia de Piracuruca, estando tal documentação depositada no Arquivo Público de Belém, no Pará) e de Maria Victoria Thomazia Clara.
Vale destacar aqui um interessante conjunto de vínculos genealógicos. A mãe de Roberto Théophile Jacob, Ileni de Carvalho Corrêa, e a segunda esposa de seu avô Roland Gabriel Jacob, Ozitha Bastos de Carvalho Motta, são primas e descendem de antigas e importantes famílias estabelecidas em Parnaíba, como a Joaquim Ricardo Porfírio da Motta (n. em Granja CE, f. em Parnaíba; comerciante; possuía em Parnaíba um palacete conhecido como "a casa grande dos Motta") e sobretudo a de José Francisco de Miranda Ozório (n. 19-03-1800 em Oeiras, f. 15-12-1877 em Parnaíba; alferes; participou da batalha do Jenipapo em Campo Maior, deflagrada em 13-03-1823; participou da Confederação do Equador, em 1824; entre 1839 e 1841, comandou a luta contra os balaios na região de Parnaíba, liquidando o movimento no Piauí [v. 41.138]; comandante militar da vila de Parnaíba; tenente-coronel comandante da Guarda Nacional; vereador em Parnaíba; deputado provincial; vice-presidente da província do Piauí [1872-73]; dignitário da Imperial Ordem da Rosa e da comenda da Ordem de Cristo). José Francisco de Miranda Ozório foi genro de Manoel Antônio da Silva Henriques, sendo sobrinho de Domingos da Silva e este, por sua vez, parente próximo de João Paulo Diniz [v. 45.386]. Aqui se formou, portanto, um grande liame genealógico entre essas quatro personalidades que residiram em Parnaíba, com Ileni de Carvalho Corrêa e Ozitha Bastos de Carvalho Motta, ambas Jacob por casamento, irmanando a todos em uma teia de parentesco. [Ailton Vasconcelos Ponte, comunicação pessoal, 2012. V. testamento de José Francisco de Miranda Ozório, datado de 16-08-1870, que fala de sua descendência, publicado na Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí, n. 5, ano 56, dezembro de 1974. V. também testamento de Manoel Antônio da Silva Henriques, em cópia datilografada de posse de Ailton Vasconcelos Ponte, em Parnaíba.] Bisneto paterno de Théophile Jacob (n. em Schalbach, f. na França) e de Constance [...]. Bisneto materno de Jules Geissmann e de Jeanne Berthe Lucie Levy. Sobrinho-bisneto paterno de Myrthil François Jacob (n. 1865 na Lorena, f. 17-10-1892 em Parnaíba, s. no cemitério da Igualdade; chegou à Parnaíba em princípios de 1892, para trabalhar com seus irmãos); de Charles Jacob (n. na Lorena; foi para Parnaíba em <1886>; em 1891, é encontrado como comerciante em Nova York); de Lazare Jacob (n. na Lorena, f. 1923 na França; solteiro; comerciante em Parnaíba, aonde chegou em <1881> juntamente com seu irmão Marc Desiré Jacob [Marc Jacob]; residiu em Parnaíba por mais de quarenta anos; deixou seus bens para o irmão Marc Jacob); e de Marc Desiré Jacob [Marc Jacob] (n. na Lorena, f. 1927 na França, depois de ter residido por mais de quarenta anos em Parnaíba; solteiro). Trineto paterno de Joseph Jacob (n. na Lorena; agricultor em Schalbach) e de Marie Beatrix [...].
Os Jacob são provenientes de Schalbach, na região da Alsácia-Lorena, que fazia parte da França e que em 1872 passara ao domínio da Alemanha. Por volta de 1885 o tio-bisavô de Roberto Théophile, Marc Desiré Jacob, instalou em Parnaíba a Casa Marc Jacob, que se tornaria de enorme importância comercial e econômica para o município e para o estado do Piauí. Em 1921 chegava a Parnaíba Roland Gabriel Jacob, sobrinho de Marc Jacob, que herdou o patrimônio do tio e o consolidou. Sobre a história e a importância das atividades comerciais dos Jacob em Parnaíba, é indispensável consultar a tese de doutoramento de Júnia Motta Antonaccio Napoleão do Rego [Rego, 2010, p. 174-220]. Ermelinda Pacheco Castello Branco e Roberto Théophile Jacob são pais de:
41707X-1Roland Gabriel Théophile Jacob, n. em Teresina.
41708X-2Elise Castello Branco Jacob, n. em Teresina.
41709VII-6OSCAR GIL CASTELLO BRANCO, n. 1876 em Teresina, f. tb. em Teresina. Farmacêutico. Administrador dos correios no Piauí. Foi nomeado para o Tribunal de Contas do estado do Piauí em 1916. Fazendeiro. Herdou a fazenda Abelheiras e parte da fazenda Foge Homem, em Campo Maior. Casou-se em Teresina com sua prima ALICE DE ALMENDRA GAYOSO [41.709a] [v. 45.121], n. em Teresina, f. 16-02-1930 tb. em Teresina. Filha de Jacob Almendra de Souza Gayoso e de Eulina Júlia Ferreira da Silva [Barbosa, Silva, 1984, p. 86-8; Castelo Branco Filho, 2011, p. 124-5]. Foram pais de:
41710VIII-1Mariano de Almendra Gayoso Castello Branco [v. 41.718].
41711VIII-2Ilza Gayoso Castello Branco [v. 41.736].
41712VIII-3Jacob Gayoso Castello Branco [v. 41.757].
41713VIII-4Eulina Gayoso Castello Branco [v. 41.781].
41714VIII-5Maria Dulce Gayoso Castello Branco [v. 41.783].
41715VIII-6Oscar Castello Branco Filho [v. 41.791].
41716VIII-7Fausto Gayoso Castello Branco [v. 41.804].
41717VIII-8Cândida Gayoso Castello Branco [v. 41.808].
41718VIII-1MARIANO DE ALMENDRA GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. em Teresina, f. tb. em Teresina. Médico. Herdou a casa-grande da fazenda Abelheiras. Casou-se com LÍSIA DE LOBÃO [41.718a]. Filha de Anfrísio de Lobão Veras e de Alzira Maranhão. Foram pais de:
41719IX-1Mariano Gil Castello Branco [bisneto], n. em Teresina.
41720IX-2Anfrísio Neto Lobão Castello Branco [v. 41.735].
41721IX-3Alice Gayoso Castello Branco, n. em Teresina.
41722IX-4Teresinha de Jesus Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41723IX-5Maria Madalena Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41724IX-6Lísia Maria Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41725IX-7Oscar Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41726IX-8Alzira Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41727IX-9Agnelo Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41728IX-10Luiz Gonzaga Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41729IX-11José Mariano Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41730IX-12Dulce Gayoso Castello Branco, n. em Teresina.
41731IX-13Antônio Mariano Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41732IX-14Iracema Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41733IX-15Jacob Mariano Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41734IX-16Humberto Mariano Lobão Castello Branco, n. em Teresina.
41735IX-2ANFRÍSIO NETO LOBÃO CASTELLO BRANCO, n. 13-10-1944 em Teresina. Médico formado na Universidade Federal da Bahia. Especializou-se em psiquiatria na Universidade Federal do Rio de Janeiro e na Universidad Complutense de Madrid, na Espanha. Secretário estadual de Saúde. Reitor da Universidade Federal do Piauí. Presidente do Tribunal de Contas do estado do Piauí [2007]. Publicou vários trabalhos na área de medicina, como Manual de psicologia médica [Teresina: Comedi, 1983]. Publicou também o romance Mandu ladino [Teresina: Harley, 2006]. Casou-se com NÍSIA NOGUEIRA PAES [41.735a], n. no Ceará. Filha de família tradicional do vale do Jaguaribe, no Ceará. Pais de quatro filhos.
41736VIII-2ILZA GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. em Teresina, f. tb. em Teresina. Herdou parte da fazenda Abelheiras e a denominou Santa Fé. Casou-se em <1934>, em Teresina, com JOSÉ BARBOSA E SILVA [41.736a], n. em Campo Maior, f. em Teresina. Comerciante. Foram pais de:
41737IX-1Edison Gayoso Castello Branco Barbosa [v. 41.740].
41738IX-2José Gayoso Castello Branco Barbosa, n. 24-03-1936 em Teresina. Solteiro.
41739IX-3Guido Gayoso Castello Branco Barbosa [v. 41.752].
41740IX-1EDISON GAYOSO CASTELLO BRANCO BARBOSA, n. 04-03-1935 em Teresina. Professor da UFPI. Historiador. Publicou, entre outras obras: - O Parnaíba: Contribuição à história de sua navegação - A casa-grande de São Domingos. Casou-se em Teresina com MARIA EDUVIGES PINHEIRO [41.740a], n. em Teresina. Filha de João Brito Passos Pinheiro (n. no Maranhão) e de Maria do Socorro Costa. Pais de:
41741X-1Ilza Pinheiro Barbosa [v. 41.745].
41742X-2Isabelle Pinheiro Barbosa, n. 14-10-1969 em Teresina.
41743X-3Gabriela Pinheiro Barbosa [v. 41.748].
41744X-4Melissa Pinheiro Barbosa, n. 14-02-1975 em Teresina.
41745X-1ILZA PINHEIRO BARBOSA, n. 14-10-1969 em Teresina. Casou-se em Teresina com DILNER NOGUEIRA SANTOS [41.745a], n. em Teresina. Advogado. Juiz do trabalho em Natal. Filho de Wilson Freitas Santos e de Nenedja Nogueira. Pais de:
41746XI-1Camille Barbosa Nogueira Santos, n. 20-03-1993 em Teresina.
41747XI-2Breno Barbosa Nogueira Santos, n. 22-10-2001 em Natal.
41748X-3GABRIELA PINHEIRO BARBOSA, n. 15-12-1972 em Teresina. Casou-se no Rio de Janeiro com seu primo ALUIZIO NAPOLEÃO DE FREITAS REGO NETO [41.748a], n. 15-06-1973 no Rio de Janeiro. Advogado [v. 45.353]. Filho de Hugo Napoleão do Rego Neto [... primeiras núpcias deste] (n. 31-10-1943 em Portland, Oregon EUA, brasileiro de nacionalidade; advogado; deputado federal [1975-82]; governador do Piauí [1983-87]; ministro da Educação no governo José Sarney [1987-89]; senador pelo Piauí [1987-95]) e de Tânia Luíza Mascarenhas. Neto paterno de Aluízio Napoleão de Freitas Rego e de Regina Margarida Pecegueiro Alves. Bisneto paterno de Hugo Napoleão do Rego [v. 45.345] e de Matilde de Almendra Freitas [Tidinha]. Trineto de Delphina de Menezes Fortes e de Antônio Florêncio da Costa. Tetraneto de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [primeiro do nome] [v. 43.888] e de Anna Rosa do Lago Castello Branco [v. 40.625] [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 16, 276-9].
Gabriela Pinheiro Barbosa e Aluízio Napoleão de Freitas Rego Neto são pais de:
41749XI-1Maria Pinheiro Barbosa Mascarenhas Napoleão, n. 06-09-2001 no Rio de Janeiro.
41750XI-2Vitória Pinheiro Barbosa Mascarenhas Napoleão, n. 20-10-2003 no Rio de Janeiro.
41751XI-3Ana Luíza Pinheiro Barbosa Mascarenhas Napoleão, n. 18-10-2011 no Rio de Janeiro.
41752IX-3GUIDO GAYOSO CASTELLO BRANCO BARBOSA, n. 29-03-1945 em Teresina. Tabelião. Casou-se com TANYA MARIA PIRES BRANDÃO [41.752a], n. 05-06-1949 em Teresina. Historiadora. Doutora em história social pela USP [1993]. Professora da UFPI. Professora da UFPE [2012]. Entre outros trabalhos, publicou: - A elite colonial piauiense: Família e poder, 1995 - O escravo na formação social do Piauí: Perspectiva histórica do século XVIII, 1999 - "O vaqueiro: Símbolo da liberdade e mantenedor da ordem no sertão" [in História, cultura e sentimento: Outras histórias do Brasil, org. Leny Caselli Anzai], 2008. Filha de Simplícia Pires [Cecy] e de Álvaro Brandão Filho (advogado; juiz e desembargador no Piauí). Neta materna de Álvaro Pires Ferreira e de Marina Coelho de Souza [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 20-2]. Pais de:
41753X-1Carla Beatriz de Brandão Barbosa, n. 18-03-1969 em Teresina.
41754X-2Renata Isabel de Brandão Barbosa, n. 26-06-1972 em Teresina.
41755X-3Maria Célia de Brandão Barbosa, n. 19-05-1981 em Teresina.
41756X-4Maria Cristina de Brandão Barbosa, n. 02-12-1982 em Teresina.
41757VIII-3JACOB GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. 17-01-1918 em Teresina. Dentista. Herdou parte da fazenda Abelheiras e a denominou Altamira. Casou-se em <1946> com sua prima MARIA PIRES DE CASTRO FORTES [MARIQUINHA] [41.757a], n. 23-06-1925 em Parnaíba. Filha de Adalgisa Pires de Castro [Sinhá] (n. 09-03-1901 em Parnaíba, f. 08-06-1932 tb. em Parnaíba) e de Alceu Fortes Castello Branco (n. 15-02-1897 em União, f. 17-06-1964 em Parnaíba). Tia de Adalgisa Fortes Carvalho (n. 02-10-1950 em Parnaíba), casada com Francisco de Assis de Moraes Souza [Mão Santa] (n. 13-10-1942 em Parnaíba; médico formado na UFCE; governador [1995-2001] e senador pelo Piauí [2003-2010]). Neta materna de Lino Pires de Castro e de Maria da Rocha Soares. Bisneta materno-paterna de Anna Lina Pires Ferreira e de Francisco Florindo de Souza Castro [Ferraz et al., p. 108; Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 129-34].
Jacob Gayoso Castello Branco e Maria Pires de Castro Fortes [Mariquinha] foram pais de:
41758IX-1Francisco de Assis Gayoso Castello Branco [v. 41.765].
41759IX-2Roberto Gayoso Castello Branco [v. 41.766].
41760IX-3Rômulo Gayoso Castello Branco [v. 41.770].
41761IX-4Suzana Gayoso Castello Branco [v. 41.773].
41762IX-5Haroldo Gayoso Castello Branco [v. 41.774].
41763IX-6Jacob Gayoso Castello Branco Filho [v. 41.776].
41764IX-7Carlos Gayoso Castello Branco [v. 41.779].
41765IX-1FRANCISCO DE ASSIS GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. 04-10-1947 em Teresina. Funcionário público federal. Casou-se em Teresina com MARIA DO SOCORRO TEIXEIRA DE ARAÚJO [41.765a], n. em Barras. Funcionária pública estadual. s/g
41766IX-2ROBERTO GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. 10-12-1948 em Teresina. Comerciante. Funcionário público estadual. Casou-se em 10-12-1948, em Teresina, com MARIA IVANILDE LIMAVERDE [41.766a], n. em Elesbão Veloso PI. Pais de:
41767X-1Maria do Perpétuo Socorro Gayoso Castello Branco, n. 18-11-1972 em Teresina. Casou-se.
41768X-2Roberto Gayoso Castello Branco Filho, n. 04-02-1974 em Teresina. Casou-se.
41769X-3Daniele Gayoso Castello Branco, n. 12-09-1975 em Teresina. Casou-se.
41770IX-3RÔMULO GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. 21-11-1949 em Parnaíba. Engenheiro civil. Fazendeiro, proprietário da fazenda Pedra Grande, em Campo Maior. Casou-se em Teresina com VIRGÍNIA CAMILLO DA SILVEIRA [41.770a], n. 27-05-1953 em Teresina. Filha de José Camillo da Silveira (advogado) e de Terezinha de Jesus Barbosa. Pais de:
41771X-1Alessandra Camillo da Silveira Castello Branco, n. 01-05-1979 em Teresina. Casou-se.
41772X-2Suzana Camillo da Silveira Castello Branco, n. 21-09-1983 em Teresina. Advogada formada em Teresina. Defensora pública no estado do Maranhão.
41773IX-4SUZANA GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. 14-05-1953 em Parnaíba, f. 07-08-1980 em Teresina. Funcionária pública federal em Teresina. Casou-se em Teresina com ANTÔNIO DE PÁDUA FURTADO [41.773a]. Advogado. s/g
41774IX-5HAROLDO GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. 28-07-1955 em Parnaíba. Engenheiro civil. Casou-se em Teresina com MONICA NAPOLEÃO DO REGO [41.774a], n. em Teresina. Médica. Filha de Hélio Napoleão do Rego [v. 45.198] e de Noêmia Fortes. Pais de:
41775X-1Hélio Napoleão do Rego Neto, n. em Teresina.
41776IX-6JACOB GAYOSO CASTELLO BRANCO FILHO, n. 31-01-1960 em Parnaíba. Comerciante em Teresina. Casou-se em Campo Maior com NOÉLIA LEITE [41.776a], n. em Campo Maior. Pais de:
41777X-1Jacob Gayoso Castello Branco Neto, n. em Campo Maior.
41778X-2Jivago Gayoso Castello Branco, n. em Campo Maior.
41779IX-7CARLOS GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. 20-02-1962 em Teresina. Casou-se em Teresina com JOANA D'ARC MAGALHÃES [41.779a], n. em Teresina. Pais de:
41780X-1Letícia Magalhães Castello Branco, n. em Teresina.
[V. descendência dos filhos de Jacob Gayoso Castello Branco e de Maria Pires de Castro Fortes [Mariquinha] em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 133.]
41781VIII-4EULINA GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. em Teresina, f. tb. em Teresina. Casou-se com ROBERT WALL DE CARVALHO [41.781a], n. em Caxias MA, f. em Teresina. Advogado. Desembargador no Piauí. Adotaram um sobrinho, filho de Oscar Castello Branco Filho [v. 41.791] e de Haydée Sampaio Melo. Pais adotivos de:
41782IX-1Robert Melo Castello Branco de Carvalho, n. em Teresina.
41783VIII-5MARIA DULCE GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. em Teresina, f. tb. em Teresina. Herdou parte da fazenda Abelheiras e a denominou Santa Alice. Casou-se em Teresina com VICENTE RIBEIRO GONÇALVES [41.783a], n. no sul do Piauí, f. em Teresina. Advogado. Juiz de direito em Campo Maior. Desembargador no Piauí. Os filhos do casal nasceram entre Campo Maior e Teresina. Pais de:
41784IX-1Paulo Castello Branco Gonçalves.
41785IX-2Alice Castello Branco Gonçalves.
41786IX-3Oscar Castello Branco Gonçalves.
41787IX-4Vicente Ribeiro Gonçalves Filho.
41788IX-5Luiz Alberto Castello Branco Gonçalves.
41789IX-6Ana Maria Castello Branco Gonçalves.
41790IX-7Fausto Castello Branco Gonçalves.
41791VIII-6OSCAR CASTELLO BRANCO FILHO, n. em Teresina, f. tb. em Teresina. Funcionário público estadual no Piauí. Prefeito de Campo Maior. Herdou parte da fazenda Abelheiras e a denominou Abelheirinha. Casou-se em Campo Maior com HAYDÉE SAMPAIO MELO [41.791a], n. em Campo Maior, f. em Teresina. Os filhos do casal nasceram entre Campo Maior e Teresina. Pais de:
41792IX-1Deusdedith Melo Castello Branco.
41793IX-2Henrique Melo Castello Branco.
41794IX-3Américo Melo Castello Branco.
41795IX-4Miriam Melo Castello Branco.
41796IX-5Oscar Castello Branco Neto.
41797IX-6Marcelo Melo Castello Branco.
41798IX-7Eulina Melo Castello Branco.
41799IX-8Robert Melo Castello Branco de Carvalho.
41800IX-9Alexandre Melo Castello Branco.
41801IX-10Marcos Melo Castello Branco.
41802IX-11Rosa Alice Melo Castello Branco.
41803IX-12Guilherme Melo Castello Branco.
41804VIII-7FAUSTO GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. 05-03-1925 em Teresina, f. 2008 no Rio de Janeiro. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Foi diretor do Serviço Nacional de Lepra do Ministério da Saúde. Deixou várias publicações, como: - Doença de Fordyce, 1956 - Eritema poliformo, 1958 - Erupção fixa por Cibalena, 1958 - Hiperceratosis follicularis et parafollicularis in cutem penetrans, 1959 - Subsídios para glossário de termos do controle da lepra. Deputado federal pelo Piauí [1967-70]. Senador pelo Piauí [1971-79]. Tendo herdado a fazenda São Domingos de sua tia materna Dulce, vendeu aos irmãos a parte que lhe tocou da fazenda Abelheiras. Casou-se com MARIA DO CARMO TÁVORA [41.804a], n. em Pernambuco, f. no Rio de Janeiro. Médica. Irmã do bispo d. José Távora, da arquidiocese de Aracaju. Foram pais de:
41805IX-1Fausto Gayoso Castello Branco Filho, n. no Rio de Janeiro. Economista. Residia no Rio de Janeiro.
41806IX-2Leonardo Távora Castello Branco, n. no Rio de Janeiro. Advogado. Procurador da República. Residia no Rio de Janeiro.
41807IX-3Dulce Távora Castello Branco, n. no Rio de Janeiro. Psicóloga. Residia no Rio de Janeiro.
41808VIII-8CÂNDIDA GAYOSO CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Herdou parte da fazenda Abelheiras e a denominou Tucuns. Casou-se com JÚLIO GUIMARÃES SANTANA [41.808a]. Pais de:
41809IX-1Júlio Guimarães Santana Júnior.
41810IX-2Primo Guimarães Santana Neto.
418
41811VII-7MARIA VICTORIA CASTELLO BRANCO, n. 1878 em Teresina. Casou-se em Teresina com seu primo JOSÉ ANTÔNIO DA ROCHA [41.811a], n. em Campo Maior [v. 41.052]. Médico formado em Salvador. Funcionário público federal. Filho de Teresa Castello Branco e de Deolindo de Miranda Rocha [Ferraz et al., 1926, p. 108-9, 167]. Foram pais de:
41812VIII-1José Virgílio Castello Branco Rocha, n. em Teresina. Advogado; desembargador no Paraná. Residia em Curitiba. Casou-se.
41813VIII-2Maria Victoria Castello Branco Rocha [Maroquinha], n. em Teresina. Residia em Fortaleza em 2006. Casou-se.
41814VII-8PAULÍLIO GIL CASTELLO BRANCO, n. 1880 em Teresina, f. 1946 tb. em Teresina. Funcionário público federal no Piauí. Casou-se com HYPACIA AVELINO [41.814a], n. em Oeiras. Foram pais de:
41815VIII-1Elmira Avelino Castello Branco [v. 41.824].
41816VIII-2Maria José Avelino Castello Branco, n. em Teresina. Funcionária pública federal. Solteira.
41817VIII-3Cinira Avelino Castello Branco, n. em Teresina. Normalista. Solteira.
41818VIII-4José Gil Avelino Castello Branco, n. em Teresina. Funcionário público estadual no Piauí.
41819VIII-5Francisco Avelino Castello Branco, n. em Teresina. Dentista.
41820VIII-6Raimundo Nonato Avelino Castello Branco, n. em Teresina. Comerciante.
41821VIII-7Demóstenes Avelino Castello Branco, n. em Teresina. Professor do Colégio Estadual do Piauí (antigo Liceu Piauiense).
41822VIII-8Tancredo Avelino Castello Branco, n. em Teresina. Comerciante.
41823VIII-9Luzia Avelino Castello Branco [v. 41.825].
41824VIII-1ELMIRA AVELINO CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Casou-se com JOÃO SENA RODRIGUES [41.824a].
41825VIII-9LUZIA AVELINO CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Casou-se com JOÃO FERRO GOMES [41.825a].
41826VII-12SOPHIA CASTELLO BRANCO, n. 1885 em Teresina. Casou-se em Teresina com seu primo RAYMUNDO LOPES CASTELLO BRANCO [41.826a]. Foram pais de:
41827VIII-1José Lopes Castello Branco, n. em Teresina. Advogado. Juiz de direito no Piauí.
41828VIII-2Raymundo Lopes Castello Branco Filho, n. em Teresina. Médico.
41829VIII-3Wortigern Lopes Castello Branco, n. em Teresina. Residia em Belém, no Pará.
41830VIII-4Lavínia Lopes Castello Branco, n. em Teresina.
41831VIII-5Eurídice Lopes Castello Branco [v. 41.832].
41832VIII-5EURÍDICE LOPES CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Casou-se em Teresina com LUIZ NEVES [41.832a] [... segundas núpcias deste], f. em Teresina. Viúvo de Eurídice Castello Branco, tia de sua segunda esposa [v. 41.833]. Advogado. Funcionário público federal. Fiscal de renda no Piauí. s/g
41833VII-14EURÍDICE CASTELLO BRANCO [DIDICE], n. 1888 em Teresina, f. tb. em Teresina. Casou-se em Teresina com LUIZ NEVES [41.833a], f. em Teresina. Advogado. Funcionário público federal. Fiscal de renda no Piauí. s/g LUIZ NEVES, depois de enviuvar, casou-se em segundas núpcias, em Teresina, com EURÍDICE LOPES CASTELLO BRANCO [41.833ab], sobrinha de sua primeira esposa [v. 41.832]. s/g
41834VI-9JOSÉ FAUSTINO DA SILVA [segundo do nome], n. 10-11-1854 em Caxias MA, f. 24-08-1919. Engenheiro militar. Professor catedrático de matemática da Escola Militar do Ceará e no Rio de Janeiro, então distrito federal e capital da República. Diretor da Estrada de Ferro de Baturité, no Ceará. Chefe da Comissão Brasileira de Limites com a Guiana Francesa. General. Condecorado com a Ordem Militar de Avis. Casou-se em primeiras núpcias, em 03-08-1883, com ELISA DE MORAES AVELINO [41.834a], n. 03-08-1863 em Oeiras, f. 13-01-1901. Filha de José Joaquim Avelino e de Josephina de Moraes. Pais de:
41835VII-1Victoria Avelino da Silva, n. 19-07-1884, f. 07-06-1898.
41836VII-2Godofredo Faustino da Silva, n. 03-10-1885, f. 25-02-1886.
41837VII-3Tancredo Faustino da Silva [v. 41.851].
41838VII-4José Faustino da Silva Filho, n. 1888, f. 05-05-1889. f/c
41839VII-5João de Deus Faustino da Silva [v. 41.853].
41840VII-6Josephina Avelino da Silva [v. 41.856].
41841VII-7Maria Elisa Avelino da Silva [primeira do nome], n. 17-05-1891, f. 1892. f/c
41842VII-8Edith Avelino da Silva, n. 12-06-1892.
41843VII-9José Faustino da Silva [terceiro do nome] [filho], n. 19-06-1893. s/g
41844VII-10Oscar Faustino da Silva, n. 20-10-1894, f. 29-03-1909. f/c
41845VII-11Maria Elisa Avelino da Silva [segunda do nome], n. 13-11-1895.
41846VII-12Eduardo Faustino da Silva [v. 41.857].
41847VII-13Francisco Faustino da Silva, n. 13-01-1901.
41834_2nVI-9... JOSÉ FAUSTINO DA SILVA [segundo do nome] casou-se em segundas núpcias, em 10-11-1902, com sua cunhada SOPHIA DE MORAES AVELINO [41.834b], n. 14-12-1873 em Oeiras. Irmã de Elisa de Moraes Avelino. Filha de José Joaquim Avelino e de Josephina de Moraes. Foram pais de:
41848VII-14Elisa Avelino da Silva, n. 12-09-1903.
41849VII-15Christovão Colombo Faustino da Silva, n. 12-10-1904.
41850VII-16Maria da Glória Avelino da Silva, n. 28-02-1907.
41851VII-3TANCREDO FAUSTINO DA SILVA, n. 05-03-1887. Oficial do Exército. Casou-se em primeiras núpcias, em 06-07-1912, com ERNESTINA AZAMBUJA [41.851a], n. 08-08-1893, f. 15-06-1914. Filha de Antônio Boaventura de Azambuja e de Anna [...]. Pais de:
41852VIII-1Oscar Azambuja Faustino da Silva, n. 25-10-1913.
41851_2nVII-3... TANCREDO FAUSTINO DA SILVA casou-se em segundas núpcias, em 07-10-1922, com ALZIRA AZAMBUJA DE OLIVEIRA VALLE [41.851b]. Filha de Thomaz Antônio de Oliveira Valle e de Maria Leonor Azambuja.
41853VII-5JOÃO DE DEUS FAUSTINO DA SILVA, n. 08-03-1889. Médico. Casou-se em 06-11-1912 com NOÊMIA BHERING [41.853a], n. 26-01-1889. Filha de Álvaro Rorenberg Bhering e de Leonor [...]. Pais de:
41854VIII-1Jaldyr Bhering Faustino da Silva, n. 24-05-1914 no Rio de Janeiro, f. 08-07-1994 em Florianópolis. Militar. Advogado. Professor. Dá nome à escola agrícola CEDUP - Centro de Educação Profissional Jaldyr Bhering Faustino da Silva, em Água Doce SC.
41855VIII-2Julcyr Bhering Faustino da Silva, n. <1916>.
41856VII-6JOSEPHINA AVELINO DA SILVA, n. 04-04-1890. Casou-se com seu primo JOSÉ FAUSTINO DOS SANTOS E SILVA [41.856a] [v. 41.865]. Oficial do Exército. Filho de Maria Victoria da Silva e de José dos Santos e Silva. [V. descendência do casal em 41.870.]
41857VII-12EDUARDO FAUSTINO DA SILVA. Oficial do Exército. Casou-se com SALVADORA DE CASTRO [41.857a]. Pais de:
41858VIII-1Maria José de Castro da Silva.
41859VIII-2Miriam de Castro da Silva.
41860VI-10MARIA VICTORIA DA SILVA, n. 1861 em Caxias MA. Casou-se em Caxias com JOSÉ DOS SANTOS E SILVA [41.860a]. Pais de:
41861VII-1Maria José dos Santos e Silva.
41862VII-2Raymundo dos Santos e Silva.
41863VII-3Victoria dos Santos e Silva [v. 41.868].
41864VII-4Philomena dos Santos e Silva.
41865VII-5José Faustino dos Santos e Silva [v. 41.870].
41866VII-6Francisco de Assis dos Santos e Silva [v. 41.875].
41867VII-7Olinda dos Santos e Silva.
41868VII-3VICTORIA DOS SANTOS E SILVA. Casou-se em primeiras núpcias com JOSÉ GONÇALVES DE ALMEIDA [41.868a]. Pais de:
41869VIII-1José Gonçalves de Almeida Filho.
41868_2nVII-3... VICTORIA DOS SANTOS E SILVA casou-se em segundas núpcias com JOSÉ CLEMENTE GUEDES [41.868b].
41870VII-5JOSÉ FAUSTINO DOS SANTOS E SILVA. Oficial do Exército. Casou-se com sua prima JOSEPHINA AVELINO DA SILVA [41.870a], n. 04-04-1890 [v. 41.840]. Filha de José Faustino da Silva [segundo do nome] e de Elisa de Moraes Avelino [v. 41.834]. Pais de:
41871VIII-1Luiz dos Santos e Silva.
41872VIII-2Edith dos Santos e Silva.
41873VIII-3Augusto dos Santos e Silva.
41874VIII-4Dagmar dos Santos e Silva.
41875VII-6FRANCISCO DE ASSIS DOS SANTOS E SILVA. Casou-se com CELSA VERAS [41.875a]. Pais de:
41876VIII-1José Veras da Silva.
41877VIII-2Daura Veras da Silva.
41878VIII-3Francisca Veras da Silva.
41879VI-13ANNA VICTORIA DA SILVA [segunda do nome], n. em Caxias MA. Casou-se em Caxias com CORIOLANO DE CASTRO LIMA [41.879a]. Pais de:
41880VII-1José Coriolano de Castro Lima [v. 41.886].
41881VII-2Faustino de Castro Lima.
41882VII-3Paulo de Castro Lima.
41883VII-4João de Castro Lima.
41884VII-5Mário de Castro Lima [v. 41.887].
41885VII-6Delphino de Castro Lima.
41886VII-1JOSÉ CORIOLANO DE CASTRO LIMA. Cursou a Escola Militar do Ceará, em Fortaleza, na última década do século XIX. Casou-se com RICARDA GOIABEIRA [41.886a].
41887VII-5MÁRIO DE CASTRO LIMA. Casou-se com MARIA AUGUSTA [...] [41.887a].
41888V-2CÂNDIDO GIL CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. 02-01-1820 em Livramento (atual José de Freitas), f. 04-04-1887 em Teresina. Advogado formado no Recife em 1841. Juiz de direito. Desembargador no Piauí. Presidente da Companhia de Navegação do Rio Parnaíba em 1858. Deputado provincial no Piauí [1844-49]. Chefe de polícia em Teresina [1867]. Deputado-geral pelo Piauí [1885]. Era proprietário da data Covas, onde o conselheiro José Antônio Saraiva implantou a cidade de Teresina [Chaves, 2005, p. 66-8, 111-3]. Casou-se em 01-03-1848, em Oeiras, com LAVÍNIA CÉSAR BURLAMAQUI [41.888a], n. 14-04-1834 em Oeiras [v. 43.523]. Filha de Tibério César Burlamaqui e de Raimunda César de Melo. Foram pais de:
41889VI-1Urbano Burlamaqui Castello Branco [primeiro do nome] [v. 41.897].
41890VI-2Anna Burlamaqui Castello Branco [v. 41.951].
41891VI-3Cândida Burlamaqui Castello Branco [v. 41.987].
41892VI-4Tibério Burlamaqui Castello Branco, n. em Oeiras. Almirante. Solteiro.
41893VI-5Francisco Burlamaqui Castello Branco [v. 41.988].
41894VI-6Sophia Burlamaqui Castello Branco, n. em Oeiras, f. solteira.
41895VI-7Raymunda Burlamaqui Castello Branco, n. em Oeiras, f. criança.
41896VI-8Hortênsia Burlamaqui Castello Branco [v. 42.004].
41897VI-1URBANO BURLAMAQUI CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. 16-10-1850 em Oeiras, f. 14-09-1900 no Rio de Janeiro. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Vice-reitor do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, então capital do país. Casou-se no Rio de Janeiro com MARIA DA CONCEIÇÃO DO AMARAL GURGEL [41.897a]. Pais de:
41898VII-1José do Amaral Castello Branco [v. 41.907].
41899VII-2Ermelinda Castello Branco [v. 41.941].
41900VII-3Maria Castello Branco, f. jovem.
41901VII-4Cândida Castello Branco [segunda do nome] [v. 41.945].
41902VII-5Corina Castello Branco, f. jovem.
41903VII-6Manfredo do Amaral Castello Branco, f. criança.
41904VII-7Altair Castello Branco [primeiro do nome], f. criança.
41905VII-8Urbano Burlamaqui Castello Branco [segundo do nome]. Funcionário da Câmara dos Deputados, no Rio de Janeiro. Solteiro.
41906VII-9Altair Castello Branco [segundo do nome]. Solteiro.
41907VII-1JOSÉ DO AMARAL CASTELLO BRANCO, n. em Minas Gerais, f. no Rio de Janeiro. Oficial da Marinha. Casou-se no Rio de Janeiro com NOÊMIA TEIXEIRA SOARES [41.907a], n. no Rio de Janeiro. Pais de:
41908VIII-1Aloysio Soares Castello Branco [v. 41.911].
41909VIII-2Mário Soares Castello Branco [v. 41.926].
41910VIII-3Regina Soares Castello Branco [v. 41.936].
41911VIII-2ALOYSIO SOARES CASTELLO BRANCO, n. 12-11-1915 no Rio de Janeiro, f. 03-10-1977 tb. no Rio de Janeiro. Oficial da Aeronáutica. Casou-se no Rio de Janeiro com BEATRIZ PLATT [41.911a], n. 31-07-1918 no Rio de Janeiro, f. 31-01-2005 tb. no Rio de Janeiro. Filha de Guilherme Bonamy Platt e de Isabel Brotero de Souza Queiroz [Pires Ferreira, v. 6, p. 319-20]. Pais de:
41912IX-1Regina Beatriz Castello Branco [v. 41.915].
41913IX-2Eduardo Castello Branco [primeiro do nome] [v. 41.920].
41914IX-3Aloísio Castello Branco [v. 41.923].
41915IX-1REGINA BEATRIZ CASTELLO BRANCO, n. 14-07-1944 no Rio de Janeiro. Casou-se em 28-02-1965, no Rio de Janeiro, com JOÃO MAURÍCIO DE MELLO FRANCO NABUCO [41.915a], n. 09-02-1942 no Rio de Janeiro. Advogado. Filho de José Thomaz Nabuco de Araújo (n. 27-04-1902 em South Kensigton, Londres, f. 13-01-1994 no Rio de Janeiro; advogado) e de Maria do Carmo Cesário Alvim de Mello Franco [Miminha] (n. 17-09-1907 em Belo Horizonte, f. 24-08-2001 no Rio de Janeiro). Neto de Joaquim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo [Joaquim Nabuco] e de Evelina Torres Soares Ribeiro [Pires Ferreira, 2011, v. 6, p. 314-20]. Pais de:
41916X-1João Maurício de Nabuco, n. 22-07-1966 no Rio de Janeiro. Músico. Casou-se.
41917X-2Evelina Castello Branco Nabuco, n. 22-07-1966 no Rio de Janeiro. Fotógrafa.
41918X-3Pedro Alberto Nabuco, n. 03-12-1967 no Rio de Janeiro. Advogado.
41919X-4Isabel Castello Branco Nabuco, n. 16-06-1971 no Rio de Janeiro. Fisioterapeuta. Residia em Brasília. Casou-se.
41920IX-2EDUARDO CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. 24-01-1946 no Rio de Janeiro. Economista. Casou-se no Rio de Janeiro com LÚCIA DA MOTTA GEMBAROWSKI [41.920a], n. 14-05-1952 no Rio de Janeiro. Psicóloga. Pais de:
41921X-1Rodrigo Castello Branco, n. 07-05-1981 no Rio de Janeiro. Médico.
41922X-2Guilherme Castello Branco, n. 17-04-1982 no Rio de Janeiro. Engenheiro.
41923IX-3ALOÍSIO CASTELLO BRANCO, n. 24-01-1946 no Rio de Janeiro. Advogado. Casou-se no Rio de Janeiro com SÔNIA MARIA DE PAULA [41.923a], n. 21-03-1950 em Leopoldina MG. Pais de:
41924X-1Bruno Castello Branco, n. 13-08-1978 no Rio de Janeiro. Engenheiro. Casou-se.
41925X-2Raphael Castello Branco, n. 30-08-1982 no Rio de Janeiro. Engenheiro.
41926VIII-2MÁRIO SOARES CASTELLO BRANCO, n. 29-11-1914 no Rio de Janeiro, f. 28-04-1968 tb. no Rio de Janeiro. Casou-se no Rio de Janeiro com LYGIA SABOYA [41.926a], n. 23-04-1921 em São Paulo. Residente no Rio de Janeiro [2011]. Pais de:
41927IX-1Maria Lúcia Saboya Castello Branco [v. 41.930].
41928IX-2Mário Saboya Castello Branco, n. 1946 em São Paulo, f. 1950 no Rio de Janeiro.
41929IX-3José Eduardo Saboya Castello Branco [v. 41.933].
41930IX-1MARIA LÚCIA SABOYA CASTELLO BRANCO, n. 18-09-1943 em São Paulo. Casou-se no Rio de Janeiro com LUIZ HERMANNY [41.930a], n. 11-02-1939 no Rio de Janeiro. Agente de investimento. Pais de:
41931X-1Felipe Hermanny, n. 19-07-1975 no Rio de Janeiro. Advogado.
41932X-2Sílvia Castello Branco Hermanny, n. 03-10-1977 no Rio de Janeiro. Estilista.
41933IX-3JOSÉ EDUARDO SABOYA CASTELLO BRANCO, n. 01-12-1949 em São Paulo. Engenheiro. Casou-se no Rio de Janeiro com ÂNGELA DE SALLES CUNHA [41.933a], n. 24-03-1953 no Rio de Janeiro. Publicitária. Pais de:
41934X-1Eduardo Cunha Castello Branco, n. 18-05-1979 no Rio de Janeiro. Psicólogo.
41935X-2Aline Cunha Castello Branco, n. 02-02-1984 no Rio de Janeiro.
41936VIII-3REGINA SOARES CASTELLO BRANCO, n. 10-04-1917 no Rio de Janeiro, f. 17-07-1965 tb. no Rio de Janeiro. Casou-se em 30-12-1937, no Rio de Janeiro, com PAULO MENDES DE OLIVEIRA CASTRO [41.936a], n. 09-11-1910 em Petrópolis RJ, f. 07-07-1984 no Rio de Janeiro. Engenheiro da Petrobras.
Irmão de Francisco Mendes de Oliveira Castro Filho, casado com Marina Burlamaqui de Moura [v. 43.687], prima de Regina Soares Castello Branco. Filho de Francisco Mendes de Oliveira Castro (n. 13-03-1870 no Rio de Janeiro, f. 03-05-1923 em Petrópolis RJ) e de Hortense Marinho de Azevedo (n. 09-05-1884 em Petrópolis), casados em 20-07-1901 em Petrópolis. Neto paterno de José Mendes de Oliveira Castro, 1o barão de Oliveira Castro (n. 04-10-1842 no Rio de Janeiro, f. 10-01-1896 em Paris; capitalista; banqueiro no Rio de Janeiro) e de Carlota Deolinda de Carvalho Ribeiro (n. 14-08-1845 em Cabo Frio RJ, f. 10-11-1883 no Rio de Janeiro), casados em 22-05-1865 na matriz da Lagoa [Livro 4, fl. 6], no Rio de Janeiro. Bisneto paterno de Antônio Mendes de Oliveira Castro (n. 1810 na freguesia de Santa Eulália de Tafe, arcebispado de Braga, em Portugal, f. 27-11-1859 no Rio de Janeiro) e de Castorina Angélica Alves Pereira (n. 09-04-1814 no Rio de Janeiro, f. 20-05-1880 tb. no Rio de Janeiro). Neto materno de João Marinho de Azevedo (n. 16-05-1844, f. 31-08-1905) e de Maria Francisca de Valadão (n. 04-10-1847 no Rio de Janeiro, f. 31-08-1888). Bisneto materno de Manoel de Valadão Pimentel, barão de Petrópolis (n. 04-03-1812 em Cachoeira de Macacu RJ, f. 30-09-1882 na ilha de Paquetá, no Rio de Janeiro) e de Joaquina Eleodora de Souza (n. 1906, f. 23-06-1955 no Rio de Janeiro) [Moya, 1941, v. 3, p. 202-7; v. 4, p. 183-7]. Regina Soares Castello Branco e Paulo Mendes de Oliveira Castro foram pais de:
41937IX-1Mauro Castello Branco de Oliveira Castro [v. 41.938].
41938IX-1MAURO CASTELLO BRANCO DE OLIVEIRA CASTRO, n. 28-07-1940 no Rio de Janeiro. Engenheiro. Casou-se no Rio de Janeiro com HELOISA MARIA VIEIRA [41.938a], n. 25-09-1945 no Rio de Janeiro. Educadora. Pais de:
41939X-1Adriana de Oliveira Castro, n. 25-04-1968 no Rio de Janeiro. Designer. Casou-se.
41940X-2Daniela de Oliveira Castro, n. 10-03-1970 no Rio de Janeiro. Economista. Casou-se.
41941VII-2ERMELINDA CASTELLO BRANCO, n. no Rio de Janeiro. Casou-se em 1911 no Rio de Janeiro, na igreja de São João Baptista da Lagoa, com seu primo RAYMUNDO BURLAMAQUI DA CUNHA [41.941a]. Oficial de Marinha. Pais de:
41942VIII-1Luiz Fernando Castello Branco da Cunha, n. <1913> no Rio de Janeiro.
41943VIII-2Ermelinda Castello Branco da Cunha, n. no Rio de Janeiro.
41944VIII-3Lia Castello Branco da Cunha, n. no Rio de Janeiro.
41945VII-4CÂNDIDA CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. no Rio de Janeiro. Casou-se em 1914 no Rio de Janeiro, na igreja de São João Baptista da Lagoa, com HENRIQUE FERREIRA [41.945a]. Pais de:
41946VIII-1Heloisa Castello Branco Ferreira, n. <1916> no Rio de Janeiro.
41947VIII-2Helena Castello Branco Ferreira, n. no Rio de Janeiro.
41948VIII-3Haroldo Castello Branco Ferreira, n. no Rio de Janeiro.
41949VIII-4Maria Luíza Castello Branco Ferreira, n. no Rio de Janeiro.
41950VIII-5Lúcia Castello Branco Ferreira, n. no Rio de Janeiro.
41951VI-2ANNA BURLAMAQUI CASTELLO BRANCO, n. 14-07-1855 em Oeiras, f. 05-09-1915 no Rio de Janeiro. Casou-se em 1877, no Rio de Janeiro, com FAUSTO CARLOS BARRETO [41.951a], n. 19-12-1852 na fazenda da Cajazeira, na vila de Tauá CE, f. 27-08-1915 no Rio de Janeiro. Advogado formado no Rio de Janeiro. Em 1879 foi nomeado professor de português no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro; em 1886 foi nomeado professor de português na Escola Normal; em 1892 foi nomeado professor da mesma matéria no Colégio Militar. Colaborou na Tribuna Liberal, órgão do Partido Liberal da cidade do Rio de Janeiro, em 1888 e 1889, ao lado do visconde de Ouro Preto (mais tarde, conde de Afonso Celso), de Carlos de Laet, de Gama Rosa e outros. Em 07-06-1889 foi nomeado presidente da província do Rio Grande do Norte. Também em 1889 foi eleito deputado-geral pelo Ceará. Irmão de Alexandre Carlos Barreto, casado com Hortênsia Burlamaqui Castello Branco [v. 42.004]. Filho de Antônio Carlos Barreto e de Maria José de Oliveira.
Anna Burlamaqui Castello Branco e Fausto Carlos Barreto foram pais de:
41952VII-1Mário Castello Branco Barreto [v. 41.959].
41953VII-2Maria José Castello Branco Barreto [v. 41.965].
41954VII-3Cândido Castello Branco Barreto, n. no Rio de Janeiro, f. criança.
41955VII-4Fausto Carlos Barreto Filho, n. no Rio de Janeiro, f. com meses.
41956VII-5Raul Fausto Castello Branco Barreto [v. 41.975].
41957VII-6Lavínia Castello Branco Barreto [v. 41.984].
41958VII-7Maria Dulce Castello Branco Barreto, n. no Rio de Janeiro. Solteira.
41959VII-1MÁRIO CASTELLO BRANCO BARRETO, n. <1876> no Rio de Janeiro. Advogado formado no Rio de Janeiro. Professor catedrático de português no Colégio Militar e no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Autor de vários livros sobre língua portuguesa. Condecorado pelo governo de Portugal com a Ordem de São Tiago. Sócio do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e da Academia de Ciências de Lisboa. Casou-se em <1909> com [...] [41.959a]. Foram pais de:
41960VIII-1Antônio Castello Branco Barreto, n. 26-02-1910 no Rio de Janeiro.
41961VIII-2Maria de Lourdes Barreto, n. 15-11-1911 no Rio de Janeiro.
41962VIII-3Dora Barreto, n. 16-11-1912 no Rio de Janeiro.
41963VIII-4Marcello Castello Branco Barreto, n. 18-02-1914 no Rio de Janeiro.
41964VIII-5Jorge Castello Branco Barreto, n. 19-07-1915 no Rio de Janeiro.
41965VII-2MARIA JOSÉ CASTELLO BRANCO BARRETO, n. <1877> no Rio de Janeiro. Casou-se no Rio de Janeiro com THOMAZ FRANCISCO DE MADUREIRA PARÁ [41.965a]. Advogado formado no Rio de Janeiro. Auditor de guerra da Região Militar de Pernambuco em 1926. Foram pais de:
41966VIII-1Maria do Carmo de Madureira Pará.
41967VIII-2Anna Barreto de Madureira Pará.
41968VIII-3Thomaz Francisco de Madureira Pará Filho.
41969VIII-4Laura de Madureira Pará.
41970VIII-5José de Madureira Pará.
41971VIII-6Altair de Madureira Pará.
41972VIII-7Maria Barreto de Madureira Pará.
41973VIII-8Fausto de Madureira Pará.
41974VIII-9Gabriel de Madureira Pará.
41975VII-5RAUL FAUSTO CASTELLO BRANCO BARRETO, n. 07-12-1884 no Rio de Janeiro. Comerciante. Casou-se em 23-12-1905, no Rio de Janeiro, com MARIA JOSÉ THEDIM COSTA [41.975a], n. 28-04-1888 no Rio de Janeiro. Filha de José Maria Pereira da Costa e de Maria do Carmo Thedim. Pais de:
41976VIII-1Paulo Costa Barreto, n. 02-10-1906 no Rio de Janeiro.
41977VIII-2Maria da Glória Costa Barreto, n. 17-08-1907 no Rio de Janeiro.
41978VIII-3José Costa Barreto, n. 23-01-1909 no Rio de Janeiro.
41979VIII-4Maria Helena Costa Barreto, n. 19-06-1910 no Rio de Janeiro.
41980VIII-5Maria Teresa Costa Barreto, n. 07-02-1912 no Rio de Janeiro.
41981VIII-6João Costa Barreto, n. 11-07-1913 no Rio de Janeiro.
41982VIII-7Oswaldo Costa Barreto, n. 08-07-1918 no Rio de Janeiro.
41983VIII-8Pedro Costa Barreto, n. 31-10-1919 no Rio de Janeiro.
41984VII-6LAVÍNIA CASTELLO BRANCO BARRETO, n. <1886> no Rio de Janeiro. Casou-se no Rio de Janeiro com HERMETO LIMA [41.984a]. Advogado formado no Rio de Janeiro. Escritor e funcionário público federal. Foram pais de:
41985VIII-1Stella Barreto Lima, f. criança.
41986VIII-2Hermeto Lima Filho.
41987VI-3CÂNDIDA BURLAMAQUI CASTELLO BRANCO, n. 05-05-1852 em Oeiras, f. 28-12-1928 em Teresina. Casou-se em 1869, em Teresina, com seu primo MARIANO GIL CASTELLO BRANCO [filho] [41.987a], n. 01-01-1848, na fazenda Contendas, em Livramento (atual José de Freitas), f. 10-03-1935 em Teresina [v. 41.574]. Barão de Castello Branco. Filho de Mariano Gil Castello Branco e de Victoria Perpétua de Jesus Castello Branco, primos entre si. [V. descendência do casal em 41.595.]
41988VI-5FRANCISCO BURLAMAQUI CASTELLO BRANCO, n. 17-09-1861 em Oeiras, f. 13-03-1916 no Rio de Janeiro. Contra-almirante. Pai de uma geração de oficiais da Marinha. Casou-se com LUÍZA NOVAES [41.988a]. Foram pais de:
41989VII-1Luiz Novaes Castello Branco [v. 41.996].
41990VII-2Joaquim Novaes Castello Branco [v. 41.999].
41991VII-3Francisco Novaes Castello Branco, n. no Rio de Janeiro. Oficial da Marinha.
41992VII-4Maria Novaes Castello Branco.
41993VII-5Urbano Novaes Castello Branco [v. 42.002].
41994VII-6Lavínia Novaes Castello Branco [v. 42.003].
41995VII-7Cândida Novaes Castello Branco, n. no Rio de Janeiro, f. criança tb. no Rio de Janeiro.
41996VII-1LUIZ NOVAES CASTELLO BRANCO, n. no Rio de Janeiro. Formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Médico da Marinha. Casou-se com ELISA BRAGA [41.996a]. Foram pais de:
41997VIII-1José Luiz Castello Branco.
41998VIII-2Paulo César Braga Castello Branco.
41999VII-2JOAQUIM NOVAES CASTELLO BRANCO, n. no Rio de Janeiro. Oficial da Marinha. Casou-se com NAZARETH SOUSA REIS [41.999a]. Foram pais de:
42000VIII-1Maria Luíza Castello Branco.
42001VIII-2Maria Teresa Castello Branco.
42002VII-5URBANO NOVAES CASTELLO BRANCO, n. no Rio de Janeiro. Oficial da Marinha. Casou-se com MARIA TORRES [42.002a].
42003VII-6LAVÍNIA NOVAES CASTELLO BRANCO, n. no Rio de Janeiro. Casou-se no Rio de Janeiro com CINCINATO FERREIRA CHAVES [42.003a].
42004VI-8HORTÊNSIA BURLAMAQUI CASTELLO BRANCO, n. em Oeiras, f. no Rio de Janeiro. Casou-se com ALEXANDRE CARLOS BARRETO [42.004a], n. na fazenda da Cajazeira, na vila de Tauá, no Ceará, f. no Rio de Janeiro. General do Exército. Engenheiro geógrafo. Professor do Colégio Militar no Rio de Janeiro. Irmão de Fausto Carlos Barreto, casado com Anna Burlamaqui Castello Branco [v. 41.951]. Filho de Antônio Carlos Barreto e de Maria José de Oliveira. Foram pais de:
42005VII-1Alaíde Barreto [v. 42.012].
42006VII-2Maria da Glória Barreto [primeira do nome], n. no Rio de Janeiro, f. com meses.
42007VII-3Eurídice Barreto, n. no Rio de Janeiro, f. com meses.
42008VII-4Alexandre Carlos Barreto Filho, n. no Rio de Janeiro.
42009VII-5Maria da Glória Barreto [segunda do nome], n. no Rio de Janeiro. Solteira.
42010VII-6Hortênsia Barreto [v. 42.015].
42011VII-7Gabriel Barreto, n. no Rio de Janeiro, f. com meses tb. no Rio de Janeiro.
42012VII-1ALAÍDE BARRETO, n. no Rio de Janeiro, f. tb. no Rio de Janeiro. Casou-se com FENELON BOMILCAR DA CUNHA [NETO] [42.012a], n. em Fortaleza, f. no Rio de Janeiro. Oficial do Exército. Professor do Colégio Militar e da Escola Normal do Rio de Janeiro. Neto de Fenelon Bomilcar da Cunha (n. 03-06-1836 em Crato CE, f. 07-07-1884 em Fortaleza; advogado formado no Recife; jornalista em Crato e Fortaleza; deputado provincial) e de Anna de Antunes Alencar [v. 40.853] [Alencar, 1943; Moreira, 2005, p. 217, 232]. Foram pais de:
42013VIII-1Magdalena Barreto da Cunha, n. no Rio de Janeiro.
42014VIII-2Beatriz Barreto da Cunha, n. no Rio de Janeiro.
42015VII-6HORTÊNSIA BARRETO, n. no Rio de Janeiro, f. tb. no Rio de Janeiro. Casou-se no Rio de Janeiro com DULCÍDIO DO ESPÍRITO SANTO CARDOSO [42.015a], n. 05-11-1896 no Rio de Janeiro, f. 14-02-1978 no Rio de Janeiro. General. Político. Durante a ditadura de Getúlio Vartas, em 1937, assumiu a Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo. Prefeito do Rio de Janeiro de 1952 a 1954, entregando o cargo com o suicídio de Vargas [agosto de 1954]. Filho de Augusto Ignacio do Espírito Santo Cardoso (general de brigada) e de Anna Fernandes. Sobrinho de Ciro do Espírito Santo Cardoso (general). Neto de Felicíssimo do Espírito Santo Cardoso (general).
Os Cardoso aqui tratados são da mesma família do presidente Fernando Henrique Cardoso (n. 18-06-1931 no Rio de Janeiro; ocupou a Presidência da República de 01-01-1995 a 01-01-2003). Filho de Leônidas Cardoso (foi um dos tenentes de 1930; general; militar liberal de esquerda). Sobrinho paterno de Felicíssimo Cardoso (general). Neto de Joaquim Ignacio Baptista Cardoso (general). Bisneto de Felicíssimo do Espírito Santo Cardoso (general, citado acima). Por conseguinte, os descendentes de Dulcídio do Espírito Santo Cardoso são, ao mesmo tempo, parentes dos presidentes Humberto de Alencar Castello Branco [v. 40.865] e Fernando Henrique Cardoso.
Hortênsia Barreto e Dulcídio do Espírito Santo Cardoso foram pais de:
42016VIII-1Duljacy do Espírito Santo Cardoso, n. no Rio de Janeiro. Oficial de registro civil e tabelião. Casou-se.
42017VIII-2Ivan do Espírito Santo Cardoso, n. no Rio de Janeiro. Funcionário do Ministério da Aeronáutica. Casou-se.
42018V-3MARIA OLYMPIA CASTELLO BRANCO, n. em Livramento. Casou-se com JOSÉ CÂNDIDO DE AGUIAR [42.018a]. Foram pais de:
42019VI-1Raymunda Joaquina de Aguiar [v. 42.021].
42020VI-2Ermelinda Castello Branco de Aguiar, f. solteira.
42021VI-1RAYMUNDA JOAQUINA DE AGUIAR. Casou-se com seu primo RAYMUNDO BORGES LEAL CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] [42.021a], n. 26-03-1825 em Campo Maior, f. 20-12-1899 em Belém, no Pará [... primeiras núpcias deste] [v. 43.357]. Filho de Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco e de Maria de Jesus Castello Branco, primos entre si. s/g
42022III-3MARCELLINO JOSÉ DA CUNHA CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. no antigo município do Campo Maior, f. 1812. Dono da fazenda Contente (no município de Livramento), cuja casa-grande se tornou lendária por abrigar um grande número de familiares do proprietário. Casou-se em Buriti dos Lopes com sua prima MARIA FLORÊNCIA CASTELLO BRANCO [42.022a], n. em Buriti dos Lopes, f. 1833 em Campo Maior [v. 40.520]. Filha de Estevão Lopes Castello Branco e de Anna Marques. Sobrinha materna de Rosa Marques (casada com Francisco José do Rego) e de Francisca Marques. Neta materna de Domingos Marques e de Anna Maria [...], que, nascidos em Portugal, foram da Bahia para o Piauí com suas três filhas. Neta paterna de José Lopes da Cruz e de Francisca Maria de Jesus Castello Branco [Ferraz et al., 1926, p. 75].
Marcellino José da Cunha Castello Branco e Maria Florência Castello Branco foram pais de:
42023IV-1Maria de Jesus Castello Branco [primeira do nome] [v. 42.035].
42024IV-2Victoria Castello Branco [v. 42.036].
42025IV-3Archangela Castello Branco [v. 42.299].
42026IV-4Estevão Lopes Castello Branco Neto [v. 42.300].
42027IV-5Anna Rosa Castello Branco [segunda do nome] [v. 42.407].
42028IV-6Rosa Florinda Castello Branco [v. 42.408].
42029IV-7Marcellino Tito Castello Branco [v. 42.409].
42030IV-8Cândida Rosa Castello Branco [v. 42.556].
42031IV-9Teresa Castello Branco, n. na fazenda Contente, f. solteira.
42032IV-10Silvestre José da Cunha Castello Branco [v. 42.557].
42033IV-11Joaquina Rosa Castello Branco [primeira do nome] [v. 42.581].
42034IV-12Dorothea Efigênia Castello Branco [v. 42.582].
42035IV-1MARIA DE JESUS CASTELLO BRANCO [primeira do nome] , n. na fazenda Contente. Casou-se com seu primo MIGUEL DE SOUZA BORGES LEAL CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] [42.035a], n. 1778 na fazenda São Pedro, no antigo distrito de Santo Antônio de Campo Maior (somente em 1878 as terras da fazenda São Pedro passariam a pertencer ao município de Nossa Senhora do Livramento, atual José de Freitas), f. 31-01-1844, s. na pequena igreja de Livramento [v. 43.023]. Filho de Clara da Cunha Maria de Jesus Castello Branco e de Felipe de Souza Nogueira. [V. descendência do casal em 43.025.]
42036IV-2VICTORIA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Contente. Casou-se em <1815> com JOÃO BARBOSA FERREIRA [42.036a], n em Portugal, f. na fazenda Contente [v. 44.199]. Irmão de José Francisco de Sant'Anna (do Peixe), do padre Antônio José de Sampaio, de Manuel Thomaz Ferreira [primeiro do nome] e de Gonçalo Luiz Ferreira [v. 44.199]. Tio de Joaquim José do Rego [v. 44.199], ... casado em primeiras núpcias com Anna Rosa Castello Branco [v. 42.027] [Ferraz et al., 1926, p. 119-37]. Foram pais de:
42037V-1Torquata da Cunha e Silva [v. 42.046].
42036a_2n... JOÃO BARBOSA FERREIRA casou-se em segundas núpcias com sua cunhada ARCHANGELA CASTELLO BRANCO [42.036b], n. na fazenda Contente [v. 42.025]. Irmã de Victoria Castello Branco [v. 40.036]. Filha de Marcellino José da Cunha Castello Branco e de Maria Florência Castello Branco. Foram pais de:
42038V-2Victoria Perpétua de Jesus Castello Branco [v. 42.214].
42039V-3Simpliciano Barbosa Ferreira [primeiro do nome], n. no Peixe. Padre.
42040V-4Francisco Barbosa Ferreira [primeiro do nome] [v. 42.215].
42041V-5Olívia Clara Castello Branco [v. 42.239].
42042V-6Norberto Barbosa Ferreira [v. 42.240].
42043V-7Guiomar Jandira Castello Branco [v. 42.251].
42044V-8Archangela Barbosa Ferreira [primeira do nome], n. em Remanso PI.
42045V-9João Barbosa Ferreira Filho [v. 42.252].
42046V-1TORQUATA DA CUNHA E SILVA, n. 11-09-1816 na fazenda Contente, f. 21-03-1892 na fazenda Maracujá, no município de Barras. Administrava pessoalmente os bens herdados do marido, os quais compreendiam fazendas de gado e algodão e embarcações que navegavam pelo rio Parnaíba. Residia na casa-grande da fazenda Maracujá, um imenso sobrado de portas e janelas envidraçadas que deslumbrava os fazendeiros vizinhos. Mandou buscar no exterior professores estrangeiros de língua, piano e pintura, a fim de educar convenientemente as filhas.
Torquata da Cunha e Silva casou-se em 1833 com seu primo DOMINGOS JOSÉ GONÇALVES [42.046a], n. em Brejo dos Anapurus MA, f. na fazenda Maracujá, em Barras PI. Rico fazendeiro no município de Barras. Mandou construir a casa-grande da fazenda Maracujá. Filho de Feliciana Rodrigues e de José Antônio Gonçalves [v. 44.044] [Castello Branco Filho, 1982, p. 57; Costa, 1978, p. 141, 165-7]. Foram pais de:
42047VI-1José Gonçalves, n. 23-01-1834 em Brejo dos Anapurus, f. jovem.
42048VI-2Feliciana Mathilde Gonçalves [v. 42.058].
42049VI-3Victoria Antônia Gonçalves [v. 42.059].
42050VI-4Elvira Antônia Gonçalves [v. 42.122].
42051VI-5José Antônio Gonçalves, n. 07-08-1840 na fazenda Maracujá, f. 31-05-1920. Solteiro.
42052VI-6Sigismundo Gonçalves, n. 19-12-1841, f. 1842 na fazenda Maracujá.
42053VI-7Torquata Gonçalves [v. 42.125].
42054VI-8Sigismundo Antônio Gonçalves [v. 42.126].
42055VI-9Malaquias Antônio Gonçalves [v. 42.183].
42056VI-10Mathilde Antônia Gonçalves, n. 12-04-1848 na fazenda Maracujá. Solteira.
42057VI-11Filomena Gonçalves [v. 42.199].
42058VI-2FELICIANA MATHILDE GONÇALVES, n. 29-09-1835 em Brejo dos Anapurus MA, f. 07-04-1873 no Maranhão. Casou-se em 20-02-1851 na fazenda Maracujá, em Barras, com seu primo ANTÔNIO BORGES LEAL CASTELLO BRANCO [segundo do nome] [ANTÔNIO BORGES] [42.058a], n. 31-03-1816 na fazenda do Brejo, em Campo Maior PI, f. 07-04-1871 no Maranhão [v. 43.029]. Advogado formado no Recife em 1838. Filho de Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco [primeiro do nome] e de Maria de Jesus Castello Branco, primos entre si [Borges, 1878, p. 48]. [V. descendência do casal em 43.043.]
42059VI-3VICTORIA ANTÔNIA GONÇALVES, n. 11-02-1837 em Brejo dos Anapurus MA, f. 31-01-1914. Casou-se em 17-02-1854 na fazenda Maracujá, em Barras, com LINO JOSÉ RODRIGUES [42.059a], n. 23-05-1827 em Brejo dos Anapurus, f. 13-10-1879 [v. 44.049]. Fazendeiro. Filho de Paulino José Rodrigues e de Anna Rosa de Jesus.
Victoria Antônia Gonçalves e Lino José Rodrigues eram os proprietários da famosa fazenda Santa Cruz, cuja casa-grande situava-se em área do município de Brejo dos Anapurus, hoje município de Buriti de Inácia Vaz MA. Adquirida pelo avô de Victoria em 1812, a fazenda Santa Cruz, fazia parte da sesmaria concedida a Manuel Francisco de Azevedo em 1768. A casa-grande da Santa Cruz não ostentava luxo, mas era de dimensões invulgares, com quase 1200 metros quadrados de área coberta de telha, possuindo capela, salão de festas, dez quartos etc. Em 1851 foi instalado ali um engenho de ferro adquirido em Liverpool, na Inglaterra. Antônio Pires Ferreira, na mesma época, instalou idêntico tipo de engenho no engenho Paraíso, no município de São Bernardo [v. 43.861]. A importância econômica, histórica e social da fazenda Santa Cruz para o Maranhão de sua época é muito bem descrita em Arraial e coronel, de Lena Castello Branco Ferreira Costa [Costa, 1978, p. 107-99; Ferraz et al., 1926, p. 94-9 e 135; Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 18].
Victoria Antônia Gonçalves e Lino José Rodrigues foram pais de:
42060VII-1Domingos Gonçalves Rodrigues, n. 01-12-1853 na fazenda Santa Cruz, f. criança.
42061VII-2Anna Lina Gonçalves Rodrigues, n. 20-01-1857 na fazenda Santa Cruz, f. solteira.
42062VII-3Victoria Gonçalves Rodrigues [v. 42.070].
42063VII-4Domingos Gonçalves Rodrigues [v. 42.071].
42064VII-5Paulino Gonçalves Rodrigues, n. 24-01-1862 na fazenda Santa Cruz.
42065VII-6Torquata Gonçalves Rodrigues [v. 42.072].
42066VII-7José Gonçalves Rodrigues, n. 09-01-1866 na fazenda Santa Cruz, f. 26-11-1884. s/g
42067VII-8Lina Gonçalves Rodrigues [v. 42.107].
42068VII-9Maria Esther Gonçalves Rodrigues [v. 42.120].
42069VII-10Feliciana Gonçalves Rodrigues [v. 42.121].
42070VII-3VICTORIA GONÇALVES RODRIGUES, n. 14-09-1858 na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA. Casou-se na fazenda Santa Cruz com EUSÉBIO DE ALMEIDA MARTINS COSTA [42.070a] [... segundas núpcias deste]. Médico. [V. descendência das duas núpcias de Eusébio de Almeida Martins Costa em 42.107 e seguintes.]
42071VII-4DOMINGOS GONÇALVES RODRIGUES, n. 16-04-1860 na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA, f. 15-03-1926 em São Luís. Rico fazendeiro. Comerciante; marchante (negociante de gado para açougues). Primo, co-tutor e futuro cunhado de Domingos Pacífico Castello Branco [v. 42.378] [Costa, 1978, p. 123; Ferraz et al., 1926, p. 135]. Casou-se no engenho Paraíso, em São Bernardo MA, com MARIA PIRES FERREIRA [MARICAS] [42.071a], n. 19-10-1873 no engenho Paraíso,. Filha de Maria de Deus Pires Ferreira e de João de Deus Pires Ferreira [v. 43.885] [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 127, 242; Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 106, 126].
42072VII-6TORQUATA GONÇALVES RODRIGUES, n. 03-01-1864 na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA. Casou-se na fazenda Santa Cruz com seu primo FREDERICO GONÇALVES MACHADO [42.072a], n. 07-08-1856, f. 31-08-1907. Filho de Marcelino Gonçalves Machado e de Isabel Maria Novaes. Foram pais de:
42073VIII-1Marcellino Rodrigues Machado [v. 42.083].
42074VIII-2Frederico Rodrigues Machado [v. 42.090].
42075VIII-3Maria Amélia Rodrigues Machado.
42076VIII-4Lino Rodrigues Machado [v. 42.099].
42077VIII-5Torquato Rodrigues Machado, f. com dias.
42078VIII-6José Rodrigues Machado, f. com meses.
42079VIII-7Torquato Rodrigues Machado, n. 02-05-1897. Médico.
42080VIII-8Edith Rodrigues Machado [v. 42.103].
42081VIII-9José Rodrigues Machado, n. 29-05-1901.
42082VIII-10Hilda Rodrigues Machado.
42083VIII-1MARCELLINO RODRIGUES MACHADO, n. 22-12-1886 na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA, f. 02-07-1977 no Rio de Janeiro. Médico. Deputado estadual e deputado federal pelo Maranhão em várias legislaturas. Membro do Partido Federalista. Rompeu com o governador do Maranhão, José Maria Magalhães de Almeida, aproximando-se do Partido Republicano no estado. Casou-se em 30-03-1911, em São Luís, com sua prima ANNA ELVIRA PIRES FERREIRA LEITE [42.083a], n. 11-12-1891 em São Luís, f. 29-09-1938 no Rio de Janeiro. Filha de Benedicto Pereira Leite (n. 04-10-1857 na vila do Rosário MA, f. 06-03-1909 em Hyères, pequeno arquipélago francês no Mediterrâneo, na altura da cidade de Toulon; advogado formado no Recife em 1882; governador do Maranhão [1906-09]) e de Angélica Gonçalves Pires Ferreira [v. 42.124] [Ferraz et al., 1926, p. 97; Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 45-6]. Marcellino Rodrigues Machado e Anna Elvira Pires Ferreira Leite foram pais de:
42084IX-1Lys Leite Machado [v. 42.088].
42085IX-2Lyse Leite Machado, n. 06-05-1913 em São Luís, f. 07-12-1915 tb. em São Luís, com 2 anos e sete meses.
42086IX-3Benedito Leite Machado, n. 29-10-1914 em São Luís, f. 07-12-1915 tb. em São Luís, com 1 ano e pouco.
42087IX-4Benedito Leite Neto [v. 42.089].
42088IX-1LYS LEITE MACHADO, n. 05-02-1919 em São Luís. Assistente social. Casou-se em 1937, no Rio de Janeiro, com SAUL ALVES CARNEIRO [42.088a], n. 16-04-1905 em Campos dos Goytacazes RJ, f. 26-05-1973 no Rio de Janeiro. Médico formado na Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro.
42089IX-4BENEDITO LEITE NETO [BENÊ], n. 19-11-1916 em São Luís, f. 28-08-1982 no Rio de Janeiro. Advogado formado na Faculdade de Direito da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro. Casou-se com CELINA MERCEDES ESCH [42.089a], n. 20-09-1919 em Petrópolis RJ. Descendente dos primeiros colonos alemães fixados em Petrópolis na década de 1840. [V. descendência dos filhos de Marcellino Rodrigues Machado e de Anna Elvira Pires Ferreira Leite em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 47-8.]
42090VIII-2FREDERICO RODRIGUES MACHADO, n. 11-03-1889 em São Luís, f. no Rio de Janeiro. Médico. Casou-se em 28-04-1915, no Rio de Janeiro, com sua prima JACY DE CASTRO PIRES FERREIRA [42.090a], n. 05-06-1897 no Rio de Janeiro, f. 24-02-1961 tb. no Rio de Janeiro. Filha de Marianna Sianes Drummond de Castro e de Joaquim de Lima Pires Ferreira (advogado formado no Recife em 1890; deputado federal; senador pelo Piauí [1947-55] [v. 43.846]) [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 235]. Foram pais de:
42091IX-1Frecy Pires Ferreira Machado [v. 42.095].
42092IX-2Maria da Pompéia Pires Ferreira Machado [v. 42.096].
42093IX-3Marianna Pires Ferreira Machado [v. 42.097].
42094IX-4Jaderico Pires Ferreira Machado [v. 42.098].
42095IX-1FRECY PIRES FERREIRA MACHADO, n. 08-09-1916 no Rio de Janeiro. Residia no Rio de Janeiro em 2012. Pintora. Escultora. Casou-se em 18-12-1942, no Rio de Janeiro, com JÚLIO RODRIGUES FILHO [42.095a], n. 04-04-1917 em Salvador. Advogado.
42096IX-2MARIA DA POMPÉIA PIRES FERREIRA MACHADO, n. 06-09-1917 no Rio de Janeiro, f. 26-06-1940 tb. no Rio de Janeiro, em decorrência de parto. Casou-se em 28-04-1937, no Rio de Janeiro, com GILBERTO FERREIRA CARDOSO [42.096a], n. 01-11-1914 em Campos dos Goytacazes RJ, f. no Rio de Janeiro. Médico formado na Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro. Diretor-geral do Hospital dos Servidores do Estado. Presidente do Clube de Regatas Flamengo, do Rio de Janeiro.
42097IX-3MARIANNA PIRES FERREIRA MACHADO, n. 20-10-1918 no Rio de Janeiro. Residente no Rio de Janeiro em 2012. Fazendeira, com a fazenda Santa Rosa, em Piraí RJ. Casou-se em 23-07-1943, no Rio de Janeiro, com ROBERTO MENEZES ROCHA [42.097a], n. 29-07-1918 no Rio de Janeiro, f. 1989 tb. no Rio de Janeiro. Engenheiro.
42098IX-4JADERICO PIRES FERREIRA MACHADO, n. 27-11-1920 no Rio de Janeiro, f. 2000 tb. no Rio de Janeiro. Engenheiro civil. Industrial. Casou-se em 08-05-1954, no Rio de Janeiro, com MARIA AUGUSTA FERREIRA LANDIN [LIU] [42.098a], n. 29-05-1928 em Campos dos Goytacazes RJ. Professora. [V. descendência dos filhos de Frederico Rodrigues Machado e Jacy de Castro Pires Ferreira em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 235, 240].
42099VIII-4LINO RODRIGUES MACHADO, n. 02-06-1892 no Maranhão. Médico. Casou-se em 15-12-1917 com JANDYRA SEREJO [42.099a]. Filha de Joaquim de Albuquerque Serejo (almirante) e de Almira de Carvalho. Foram pais de:
42100IX-1Frederico Serejo Machado, n. 04-10-1918, f. criança.
42101IX-2Maria Yedda Serejo Machado, n. 05-04-1920.
42102IX-3Lino Serejo Machado Filho, n. 27-01-1921.
42103VIII-8EDITH RODRIGUES MACHADO, n. 16-03-1899. Casou-se em 05-05-1921 com ANTÔNIO BONA [42.103a], n. em Campo Maior. Médico. Foram pais de:
42104IX-1Eline Bona Machado, n. 25-02-1922.
42105IX-2Heloisa Bona Machado, n. 14-09-1923.
42106IX-3Alkinda Bona Machado, n. 20-12-1924.
42107VII-8LINA GONÇALVES RODRIGUES, n. 07-03-1870 na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA, f. 08-04-1894. Casou-se em 1887, na fazenda Santa Cruz, com EUSÉBIO DE ALMEIDA MARTINS COSTA [42.107a]. Médico. Foram pais de:
42108VIII-1Julieta Rodrigues Martins Costa, n. 05-12-1888.
42109VIII-2Victoria Rodrigues Martins Costa [v. 42.116].
42110VIII-3Justina Rodrigues Martins Costa, n. 27-11-1891.
42111VIII-4Lina Rodrigues Martins Costa [v. 42.117].
42107a_2n... EUSÉBIO DE ALMEIDA MARTINS COSTA casou-se em segundas núpcias, na fazenda Santa Cruz, com sua cunhada VICTORIA GONÇALVES RODRIGUES [42.107b], n. 14-09-1858 na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA [v. 42.062]. Filha de Victoria Antônia Gonçalves e de Lino José Rodrigues. Foram pais de:
42112VIII-5Domingos Rodrigues Martins Costa [v. 42.118].
42113VIII-6Maria Luíza Rodrigues Martins Costa, n. 10-07-1897.
42114VIII-7Benedicta Rodrigues Martins Costa, n. 10-07-1897.
42115VIII-8Anna Rodrigues Martins Costa.
42116VIII-2VICTORIA RODRIGUES MARTINS COSTA, n. 01-07-1890. Casou-se em 12-05-1914 com PAULO RAMOS RODRIGUES [42.116a].
42117VIII-4LINA RODRIGUES MARTINS COSTA, n. 14-10-1893. Casou-se em 16-01-1915 com PAULO DE ARAÚJO LIMA [42.117a].
42118VIII-5DOMINGOS RODRIGUES MARTINS COSTA. Casou-se com JOSEPHA FERREIRA [42.118a]. Foram pais de:
42119IX-1Neusa Ferreira Martins Costa.
42120VII-9MARIA ESTHER GONÇALVES RODRIGUES, n. 05-04-1872 na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA. Casou-se em 25-07-1891, na fazenda Santa Cruz, com JOSÉ BARBOSA FERREIRA [42.120a] [v. 42.241]. Filho de Anna Lina de Jesus e de Norberto Barbosa Ferreira. [V. descendência do casal em 42.243.]
42121VII-10FELICIANA GONÇALVES RODRIGUES, n. 05-04-1879 na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA, f. <1953> no Rio de Janeiro. Casou-se em 28-01-1899, na fazenda Santa Cruz, com seu primo DOMINGOS PACÍFICO CASTELLO BRANCO [42.121a], n. 07-03-1877 na fazenda Desígnio, em União PI, f. <1937> na fazenda Santa Cruz [v. 42.374] [Costa, 1978]. Filho de Pacífico da Silva Castello Branco e de Torquata Gonçalves, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 87, 95, 134-6]. [V. descendência do casal em 42.378.]
42122VI-4ELVIRA ANTÔNIA GONÇALVES, n. 20-10-1838 na fazenda Maracujá, no município de Barras PI, f. 16-10-1920 em São Luís. Casou-se em 07-03-1868, na fazenda Maracujá, com ANTÔNIO PIRES FERREIRA FILHO [42.122a], n. 28-08-1838 em Parnaíba PI, b. na matriz de Parnaíba, f. 01-06-1871 em Parnaíba, s. na matriz de Nossa Senhora das Graças, hoje catedral de Parnaíba [v. 43.869]. Advogado formado no Recife em 1864. Juiz de direito em Parnaíba. Filho de Antônio Pires Ferreira [primeiro do nome] e de Lina Carlota de Jesus Rodrigues de Carvalho [v. 43.861]. Foram pais de:
42123VII-1Angélica Gonçalves Pires Ferreira [v. 42.124].
42124VII-1ANGÉLICA GONÇALVES PIRES FERREIRA, n. 15-04-1870 em Parnaíba PI. Casou-se em 30-11-1889, em Parnaíba, com BENEDICTO PEREIRA LEITE [42.124a], n. 04-10-1857 na vila do Rosário MA. Governador do Maranhão. [V. descendência da filha de Elvira Antônia Gonçalves e de Antônio Pires Ferreira Filho em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 18, 45-8.]
42125VI-7TORQUATA GONÇALVES, n. 02-02-1844 na fazenda Maracujá, no município de Barras PI, f. 08-02-1879 em Brejo dos Anapurus MA. Casou-se em 20-11-1873, na fazenda Maracujá, com seu primo PACÍFICO DA SILVA CASTELLO BRANCO [42.125a], n. 06-01-1829, f. 26-03-1888 [... segundas núpcias deste] [v. 42.309]. Filho de Estevão Lopes Castello Branco e de Lina Rosa de Jesus [Ferraz et al., 1926, p. 134-6]. [V. descendência do casal em 42.367.]
42126VI-8SIGISMUNDO ANTÔNIO GONÇALVES, n. 29-09-1845 na fazenda Maracujá, no município de Barras, f. 25-01-1915 no Recife. Advogado formado no Recife em 1866. Promotor da comarca de Alcântara MA. Em 1871 foi nomeado juiz de direito de Alcântara. Em 1873 foi promovido a juiz de direito de Bragança PA. Em 1878 foi chefe de polícia em Pernambuco. Em 1879 foi deputado-geral por Goiás. Em 1882 foi juiz de direito em Bom Jardim PE. Em 1889 voltou a exercer o cargo de juiz de direito em Pernambuco. Em 1884-85 foi juiz de direito em São José dos Campos SP. Nomeado desembargador da Relação de Pernambuco em 1897. Por ocasião da proclamação da República, em 15-11-1889, era presidente da província de Pernambuco. Eleito deputado-geral por Pernambuco. Em 1904, eleito governador de Pernambuco. Eleito senador estadual em 1898. Eleito senador federal por Pernambuco em 1906, tendo o mandato renovado em 1909.
Sigismundo Antônio Gonçalves casou-se em 11-09-1876, no Recife, com MARIA DAS DORES DE SOUZA LEÃO [42.126a], n. 01-10-1859 no Recife, f. 10-11-1888 tb. no Recife, em decorrência do parto de sua filha Maria da Glória. Filha de Luiz Felipe de Souza Leão (n. 20-07-1832, f. 30-08-1898; advogado formado no Recife em 1851; senador do Império [1880-89]; conselheiro do Império; proprietário do engenho Santo Ignacio) e de Maria Anunciada Adelaide Alves da Silva, sobrinha paterna de José Felipe de Souza Leão (n. 1817, b. no oratório do engenho Tapera, na freguesia de Santo Amaro de Jaboatão, f. 22-10-1886 no Rio de Janeiro; advogado formado no Recife em 1840; desembargador da Relação de Pernambuco), de Joaquim de Souza Leão, visconde de Campo Alegre [em 09-08-1884], e de Antônio de Souza Leão, barão de Moreno [em 24-08-1870]. Neta paterna de Felipe de Souza Leão (n. 1784, f. 1832) e de Rita de Cássia Pessoa de Mello (n. 1785, f. 1855). Neta materna de Herculano Alves da Silva e de Anunciada Camila [Auler, 1943, p. 104-7; Barata, Cunha Bueno, 2000, t. 1, v. 2, p. 1722, 2137-40; Moya, 1939, v. 1, p. 133; Moya, 1941, v. 3, p. 185; Pires Ferreira, 1987, v. 1, p. 290-1; Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 21, 45-8; Pires Ferreira, 2011, v. 6, p. 339-56; Souza Leão Filho, 1968; Valle, 1983, p. 423-4].
Sigismundo Antônio Gonçalves e Maria das Dores de Souza Leão foram pais de:
42127VII-1Domingos de Souza Leão Gonçalves [v. 42.135].
42128VII-2Maria Anunciada de Souza Leão Gonçalves [v. 42.154].
42129VII-3Maria Luíza de Souza Leão Gonçalves [v. 42.157].
42130VII-4Luiz Felipe de Souza Leão Gonçalves, n. 15-09-1880, f. 04-06-1913 no Recife. s/g
42131VII-5Maria dos Anjos de Souza Leão Gonçalves [v. 42.175].
42132VII-6Torquato de Souza Leão Gonçalves, n. 31-08-1883, f. criança no Recife.
42133VII-7Sigismundo Antônio Gonçalves Filho, n. 10-08-1885, f. criança no Recife.
42134VII-8Maria da Glória de Souza Leão, n. 06-09-1888, f. 08-09-1888 no Recife, com dois dias.
42135VII-1DOMINGOS DE SOUZA LEÃO GONÇALVES, n. 04-06-1877 em Bragança PA, f. <1950> no Recife. Advogado formado no Recife em 1903. Casou-se em 01-02-1906, no Recife, com sua prima MARIA ANUNCIADA DE SOUZA LEÃO COIMBRA [42.135a], n. 25-03-1885 no Recife, f. 14-12-1914 tb. no Recife. Filha de José Gomes Coimbra (desembargador) e de Maria Rita de Souza Leão. Foram pais de:
42136VIII-1Marina Coimbra Gonçalves, n. 19-04-1908 no Recife.
42137VIII-2Danilo de Souza Leão Coimbra Gonçalves [v. 42.138].
42138VIII-2DANILO DE SOUZA LEÃO COIMBRA GONÇALVES, n. 07-05-1914 no Recife, f. 16-11-1983 no Rio de Janeiro. Cirurgião ortopedista. Em 1951 especializou-se em cirurgia das mãos em Londres, recebendo bolsa do British Council e tornando-se um dos pioneiros dessa área no Brasil. Foi o primeiro presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão, em 1959. Presidiu o II Congresso Brasileiro de Cirurgia da Mão. Chefiou a Ortopedia do Hospital Souza Aguiar, cargo alcançado por meio do primeiro concurso público de méritos, assim como o Serviço de Mão do Hospital da Lagoa, ambos no Rio de Janeiro. Casou-se em primeiras núpcias com ELIZABETH SPRINGEFELDT [42.138a], n. no Rio Grande do Sul. Foram pais de:
42139IX-1Maria Cecília Springefeldt Gonçalves [v. 42.142].
42138_2nVIII-2... DANILO DE SOUZA LEÃO COIMBRA GONÇALVES casou-se em segundas núpcias em Londres, em 1952, com GILLIAN ROSEMARY GOODCHILD [42.138b], n. 11-06-1916 em Londres. Jornalista. Oficial do Exército britânico durante a Segunda Guerra Mundial. Trabalhou como voluntária na igreja Christ Church no Rio de Janeiro. Foram pais de:
42140IX-2Vivien de Souza Leão Gonçalves [v. 42.147].
42141IX-3Dominique de Souza Leão Gonçalves [v. 42.150].
42142IX-1MARIA CECÍLIA SPRINGEFELDT GONÇALVES. Casou-se com ATTILA SAYOL DE SÁ PEIXOTO [42.142a]. Advogado formado no Rio de Janeiro. Procurador-geral do Ministério Público do Distrito Federal. Pais de:
42143X-1Elisabeth Springefeldt Gonçalves de Sá Peixoto, n. no Rio de Janeiro.
42144X-2Attila Sayol de Sá Peixoto Filho, n. no Rio de Janeiro.
42145X-3Bruno Springefeldt Gonçalves de Sá Peixoto, n. no Rio de Janeiro.
42146X-4Ana Cecília Springefeldt Gonçalves de Sá Peixoto, n. no Rio de Janeiro.
42147IX-2VIVIEN DE SOUZA LEÃO GONÇALVES, n. 01-08-1954 no Rio de Janeiro. Estudou idiomas. Foi manequim de moda e publicidade. Publicitária no Rio de Janeiro e em Milão, na Itália. Trabalha no ramo imobiliário entre a Espanha e o Brasil. Casou-se em 1983 com JAN NIKOLAJ JENSEN [42.147a], n. 30-04-1951 em Copenhagem, Dinamarca. Divorciados em 1999. Pais de:
42148X-1Nicholas de Souza Leão Jensen, n. 27-10-1983 no Rio de Janeiro. Formado em marketing e administração em Copenhagem.
42149X-2Diana de Souza Leão Jensen, n. 17-05-1988. Cursou marketing e espanhol em Copenhagem.
42150IX-3DOMINIQUE DE SOUZA LEÃO GONÇALVES, n. 13-07-1958 no Rio de Janeiro. Formou-se em economia na PUC-RJ. Casou-se em primeiras núpcias, em 1982, com BRIAN SWETTE [42.150a], n. 12-03-1954 nos Estados Unidos. Divorciados em 1997. Pais de:
42151X-1Karina de Souza Leão Swette, n. 31-12-1982 no Rio de Janeiro. Estudou na Wharton School - University of Pennsylvania. Consultora de empresas em Nova York.
42152X-2Richard de Souza Leão Swette, n. 01-11-1985 na Flórida. Estudou informática em Chicago.
42153X-3Briana de Souza Leão Swette, n. 25-11-1987 em Nova York. Estudou biologia e meio ambiente em Stanford, na Califórnia.
42150_2nIX-3... DOMINIQUE DE SOUZA LEÃO GONÇALVES casou-se em segundas núpcias, em 2009, com LARRY EDMOND BROWN [42.150b], n. 01-04-1949 na Virgínia EUA. Residem em Palm Beach, na Flórida.
42154VII-2MARIA ANUNCIADA DE SOUZA LEÃO GONÇALVES, n. 26-07-1878 no Recife, f. tb. no Recife. Casou-se com seu primo FRANCISCO ANTÔNIO CABRAL DE MELLO [42.154a], n. no Recife, f. tb. no Recife. Advogado formado no Recife em 1905. Irmão de Oswaldo, Diogo, Maria das Mercês, João Cabral de Mello Filho e Luiz Antônio Cabral de Mello (casado com Carmem Carneiro Leão; pais do historiador Evaldo Cabral de Mello e do poeta e embaixador João Cabral de Mello Neto). Filho de João Cabral de Mello (advogado formado no Recife em 1877) e de Maria Rita de Souza Leão. Neto paterno de Francisco Antônio Cabral de Mello (major) e de Ângela de Faria Lins de Albuquerque. Neto materno de Felipe de Souza Leão e de Rita de Cássia Pessoa de Mello [Auler, 1943, p. 104-7; Barata, Cunha Bueno, 2000, t. 1, v. 1, p. 650-5; Pires Ferreira, 1987, v. 1, p. 255; Pires Ferreira, 2011, v. 6, p. 69-84; Souza Leão Filho, 1968].
Maria Anunciada de Souza Leão Gonçalves e Francisco Antônio Cabral de Mello foram pais de:
42155VIII-1Sigismundo Gonçalves Cabral de Mello, n. 26-02-1907 no Recife.
42156VIII-2Luiz Felipe Gonçalves Cabral de Mello, n. 09-09-1908 no Recife.
42157VII-3MARIA LUÍZA DE SOUZA LEÃO GONÇALVES, n. 13-09-1879 no Recife, f. 18-02-1953 no Rio de Janeiro. Casou-se em 23-02-1905, no Recife, com JOÃO PESSOA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE [JOÃO PESSOA] [42.157a], n. 24-01-1878 em Umbuzeiro PB, b. 09-06-1878 no engenho Faróis, no município de Nazaré da Mata PE (atualmente no município de Vicência), f. 26-07-1930 no Recife, assassinado. Advogado formado no Recife em 1903. Em 1909 transferiu-se para o Rio de Janeiro, para assumir o cargo de auditor auxiliar na Marinha. Auditor-geral da Marinha em 1914. Ministro do Supremo Tribunal Militar em 1920. Governador (presidente) da Paraíba em 1928. Candidato a vice-presidente da República ao lado de Getúlio Vargas [1930], foi derrotado nas urnas pelos candidatos Júlio Prestes e Vital Soares. Em 26-07-1930, quando em passeio na cidade do Recife, foi assassinado pelo advogado paraibano João Duarte Dantas.
Filho de Cândido Clementino Cavalcanti de Albuquerque (n. 23-02-1853 na Paraíba, f. 05-08-1924 na cidade da Parahyba, depois João Pessoa, atual nome da capital da Paraíba; funcionário público na Paraíba) e de Maria de Lucena Pessoa (n. 03-09-1858 em Escada PE, f. 04-02-1924 na cidade da Parahyba, atual João Pessoa). Neto paterno do coronel Romualdo Primo Cavalcanti de Albuquerque e de Filismina Bezerra Cavalcanti, primos entre si. Sobrinho materno de Mirandolina de Lucena Pessoa, casada com João Vicente de Queiroz. Sobrinho materno do presidente da República Epitácio Lindolfo da Silva Pessoa [Epitácio Pessoa] (n. 23-05-1865 em Umbuzeiro PB, f. 13-02-1942 no sítio Nova Betânia, em Petrópolis RJ), casado com Mary Sayão. Neto materno de José da Silva Pessoa (n. na Paraíba; tenente-coronel) e de Henriqueta Pereira de Lucena (n. no engenho Boa Esperança, na comarca de Limoeiro PE), esta irmã de Henrique Pereira de Lucena, barão de Lucena (n. 27-05-1835 no engenho Boa Esperança, f. 10-12-1913 no Rio de Janeiro), casado com Zélia Sophia Carneiro Campello (n. <1843>, f. 07-07-1927 no Rio de Janeiro) [Barata, Cunha Bueno, 2000, t. 1, v. 1, p. 697-713; t. 1, v. 2, p. 1771; Joffily, 1983; Pires Ferreira, 1987, v. 1, p. 18, v. 6, p. 448; Ramos, 2011].
Maria Luíza de Souza Leão Gonçalves e João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque [João Pessoa] foram pais de:
42158VIII-1Epitácio Pessoa Cavalcanti de Albuquerque [v. 42.162].
42159VIII-2Mariza Pessoa Cavalcanti de Albuquerque [v. 42.165].
42160VIII-3Jório Pessoa Cavalcanti de Albuquerque [v. 42.169].
42161VIII-4Iza Pessoa Cavalcanti de Albuquerque [v. 42.172].
42162VIII-1EPITÁCIO PESSOA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE, n. 22-06-1913 no Rio de Janeiro, f. 24-08-1951 no Rio de Janeiro. Advogado formado na Faculdade Nacional de Direito em 1937, no Rio de Janeiro. Oficial do 5o Ofício do Registro Civil do Rio de Janeiro. Escritor. Jornalista. Secretário de Educação da Paraíba. Senador da República pela Paraíba [1950-51]. Publicou: - Getúlio Vargas: Esboço biográfico, 1938 - Desmascarando um mistificador, 1940 - João Pessoa: O sentido de uma vida e de uma época, 1949. Casou-se em 1937 com ANA CLARA DA CUNHA BUENO [CLARITA] [42.162a], n. em São Paulo. Filha de José da Cunha Bueno [Pepe] e de Clara [...]. Foram pais de:
42163IX-1João Pessoa Neto [v. 42.164].
42164IX-1JOÃO PESSOA NETO, n. 01-09-1938 no Rio de Janeiro, f. 02-11-1985 no Rio de Janeiro. Advogado formado no Rio de Janeiro. Suplente de deputado federal pela Paraíba. Casou-se no Rio de Janeiro com GILDA [...] [42.164a]. s/g
42165VIII-2MARIZA PESSOA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE, n. 13-07-1915 no Rio de Janeiro, f. 22-01-1977 tb. no Rio de Janeiro. Casou-se em 19-12-1936, no Rio de Janeiro, com LUÍS CARLOS DE OLIVEIRA [42.165a], n. 19-12-1913 no Rio de Janeiro, f. 22-01-1977 em Bom Despacho MG. Comerciante. Filho de Carlos d'Oliveira e de Alayde Martins. Foram pais de:
42166IX-1João Carlos Pessoa de Oliveira [v. 42.167].
42167IX-1JOÃO CARLOS PESSOA DE OLIVEIRA, n. 03-09-1937 no Rio de Janeiro. Aeronauta. Casou-se em 18-10-1975, no Rio de Janeiro, com ELIZABETH BARRETO [42.167a], n. 20-09-1952 no Rio de Janeiro. Publicitária. Filha de Francisco Muniz Barreto e de Janete da Silva. Pais de:
42168X-1Rafael Barreto Pessoa de Oliveira, n. 29-09-1976 no Rio de Janeiro.
42169VIII-3JÓRIO PESSOA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE, n. 25-10-1918 no Rio de Janeiro, f. 29-06-1951 em Estocolmo, na Suécia. Oficial escrivão em cartório de imóveis no Rio de Janeiro. Casou-se em 20-09-1948, no Rio de Janeiro, com LINA VIANA DO CASTELO [42.169a], n. 19-09-1930 no Rio de Janeiro. Filha de Augusto Viana do Castelo e de Carmen [...]. Pais de:
42170IX-1Jório Pessoa Cavalcanti de Albuquerque Filho [v. 42.171].
42171IX-1JÓRIO PESSOA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE FILHO, n. 28-04-1949 no Rio de Janeiro. Comerciante. Casou-se com MARIZA MAURITY [42.171a], n. no Rio de Janeiro. Têm descendência.
42172VIII-4IZA PESSOA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE, n. 25-09-1920 no Rio de Janeiro. Residente no Rio de Janeiro em 2011. Funcionária pública federal. Casou-se em 01-09-1943, no Rio de Janeiro, com ANTÔNIO GURGEL VALENTE [42.172a], n. 03-11-1915 em Aracati CE, f. 02-11-1969 no Rio de Janeiro. Professor de latim, grego e literatura brasileira. Funcionário público federal. Filho de Argemiro Costa de Lima Valente e de Júlia Gurgel, nascidos no Ceará. Pais de:
42173IX-1Arnaldo Gurgel Valente [v. 42.174].
42174IX-1ARNALDO GURGEL VALENTE, n. 22-08-1944 no Rio de Janeiro, f. 18-12-1995 no Rio de Janeiro. Economista. Casou-se em 19-10-1983, no Rio de Janeiro, com ANA MARIA FARIAS LEMOS [42.174a], n. 31-10-1956 no Rio de Janeiro. Advogada formada no Rio de Janeiro. Filha de Sérgio Farias Lemos Fonseca e de Branca Sophia Seixas. s/g
42175VII-5MARIA DOS ANJOS DE SOUZA LEÃO GONÇALVES, n. 09-10-1882 no Recife. Casou-se em 30-07-1900, no Rio de Janeiro, com MARTINHO GARCEZ CALDAS BARRETO [42.175a] n. 16-04-1876. Advogado e juiz de direito no Rio de Janeiro, então Distrito Federal. Filho de Manuel Caldas Barreto (desembargador). Foram pais de:
42176VIII-1Sigismundo Gonçalves Caldas Barreto, n. 22-02-1901 no Rio de Janeiro DF.
42177VIII-2Milton Gonçalves Caldas Barreto, n. 27-07-1902 no Rio de Janeiro DF.
42178VIII-3Bolívar Gonçalves Caldas Barreto, n. 15-10-1903 no Rio de Janeiro DF.
42179VIII-4Juracy Gonçalves Caldas Barreto, n. 18-02-1905 no de Janeiro DF.
42180VIII-5Nair Gonçalves Caldas Barreto, n. 24-07-1906 no de Janeiro DF.
42181VIII-6Nelson Gonçalves Caldas Barreto, n. 13-02-1908 no Rio de Janeiro DF.
42182VIII-7Ilka Gonçalves Caldas Barreto, n. 04-02-1916 no Rio de Janeiro DF.
42183VI-9MALAQUIAS ANTÔNIO GONÇALVES, n. 11-12-1846 em Brejo dos Anapurus MA, f. 17-08-1903 no Rio de Janeiro. Médico. Deputado provincial e federal por Pernambuco. Casou-se em 27-07-1874, no Recife, com JOANNA RODRIGUES MENDES [42.183a], n. 08-03-1853 no Recife. Irmã de João, Eugênia, Cândida, Miguel, Manuel e Elvira Rodrigues Mendes. Filha de João José Rodrigues Mendes, barão Rodrigues Mendes (n. 02-12-1835 em Braga, Portugal, f. 08-09-1893 no Recife; agraciado pelo governo português com o título de barão em 25-02-1892) e de Eugênia Francisca da Costa (n. 1831, f. 1879 no Recife). Foram pais de:
42184VII-1Elvira Mendes Gonçalves [v. 42.189].
42185VII-2Malaquias Antônio Gonçalves Filho, n. 14-11-1876 no Recife, f. 19-04-1897 no Rio de Janeiro.
42186VII-3Torquato Mendes Gonçalves, n. 03-22-1878 no Recife, f. 11-01-1894 no Rio de Janeiro.
42187VII-4Eugênia Mendes Gonçalves [v. 42.197].
42188VII-5Luíza Mendes Gonçalves [v. 42.198].
42189VII-1ELVIRA MENDES GONÇALVES, n. 30-05-1875 no Recife. Casou-se em 04-02-1902, no Recife, com ANTÔNIO LOYO D'AMORIM [42.189a], n. 03-04-1875 no Recife; residia no Recife em 1921. Educado na Alemanha e na Inglaterra. Comerciante e exportador de açúcar. Criador de cavalos de corrida. Vice-presidente do Jockey Club de Pernambuco em 1916.
Irmão de Maria Filomena Loyo d'Amorim, casada com Antônio Borges Leal Castello Branco Filho [v. 43.228], e de Alberto Loyo d'Amorim, casado com Eugênia Mendes Gonçalves [v. 42.197]. Filho de Antônio João d'Amorim, barão de Casa Forte (título recebido em 25-03-1888), e de Filomena Leal Loyo. Sobrinho paterno de João José d'Amorim, casado com Alice Marques d'Amorim (primos entre si), e de José João d'Amorim, casado com Mariana Leal Loyo. Neto paterno de José João d'Amorim e de Anna Theodora Marques da Costa Soares. Neto materno de José da Silva Loyo, visconde da Silva Loyo (título concedido pelo governo de Portugal em 15-03-1883), e de Maria da Motta Leal [Moya, 1939, v. 1, p. 152-3; Pires Ferreira, 1987, v. 1, p. 232, 241].
Elvira Mendes Gonçalves e Antônio Loyo d'Amorim foram pais de:
42190VIII-1Eugênia Gonçalves d'Amorim, n. 23-05-1903 no Recife.
42191VIII-2Eurídice Gonçalves d'Amorim, n. 20-06-2904 no Recife.
42192VIII-3Edgard Gonçalves d'Amorim, n. 23-11-1906 no Recife.
42193VIII-4Eurico Gonçalves d'Amorim, n. 15-04-1907 no Recife.
42194VIII-5Elmano Gonçalves d'Amorim, n. 03-06-1908 no Recife.
42195VIII-6Elvira Gonçalves d'Amorim, n. 10-09-1909 no Recife, f. criança.
42196VIII-7Eduardo Gonçalves d'Amorim, n.19-09-1911 no Recife. [V. descendência dos filhos de Elvira Mendes Gonçalves e de Antônio Loyo d'Amorim em: Lins, t. 2, p. 646-72.]
42197VII-4EUGÊNIA MENDES GONÇALVES, n. 30-08-1880 no Recife. Casou-se em 08-05-1907, no Recife, com ALBERTO LOYO D'AMORIM [42.197a], n. 18-12-1879 no Recife. Irmão de Maria Filomena Loyo d'Amorim, casada com Antônio Borges Leal Castello Branco Filho [v. 43.228], e de Antônio Loyo d'Amorim, casado com Elvira Mendes Gonçalves [v. 42.197]. Filho de Antônio João d'Amorim, barão da Casa Forte (título recebido em 25-03-1888), e de Filomena Leal Loyo. Sobrinho paterno de João José d'Amorim, casado com Alice Marques d'Amorim (primos entre si), de Manoel João d'Amorim, casado com Genoveva Marques d'Amorim (primos entre si), e de José João d'Amorim, casado com Mariana Leal Loyo. Neto paterno de José João d'Amorim e de Anna Theodora Marques da Costa Soares. Neto materno do visconde José da Silva Loyo e de Maria da Motta Leal [Pires Ferreira, 1987, v. 1, p. 232, 241].
42198VII-5LUÍZA MENDES GONÇALVES, n. 25-08-1882 no Recife. Casou-se em 07-03-1908, no Recife, com seu primo ESTEVÃO GONÇALVES CASTELLO BRANCO [42.198a], n. 30-22-1878 em Parnaíba PI [v. 42.375]. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Médico da Beneficência Portuguesa e da Casa de Correção do Rio de Janeiro. Filho de Pacífico da Silva Castello Branco [primeiro do nome] [... primeiras núpcias deste] e de Olívia Clara Castello Branco, primos entre si. [V. descendência do casal em 42.397.]
42199VI-11FILOMENA GONÇALVES, n. 04-09-1848 em Brejo dos Anapurus MA. Casou-se em 27-05-1876, na fazenda Maracujá, no município de Barras PI, com HERMÓGENES SÓCRATES TAVARES DE VASCONCELLOS [42.199a]. Desembargador. Filho de Escolástica [...] e de João Tavares de Vasconcellos. Foram pais de:
42200VII-1Torquato Gonçalves de Vasconcellos, n. 07-12-1877, f. 04-05-1879.
42201VII-2Filomena Gonçalves de Vasconcellos [v. 42.207].
42202VII-3Maria Escolástica Gonçalves de Vasconcellos [primeira do nome], f. criança.
42203VII-4Maria Escolástica Gonçalves de Vasconcellos [segunda do nome], f. criança.
42204VII-5Mathilde Gonçalves de Vasconcellos [v. 42.212].
42205VII-6Escolástica Gonçalves de Vasconcellos [v. 42.213].
42206VII-7João Gonçalves de Vasconcellos, n. 10-09-1891, f. 07-12-1903.
42207VII-2FILOMENA GONÇALVES DE VASCONCELLOS, n. 24-05-1879. Casou-se em 26-10-1906 com ANTÔNIO LEITÃO VIEIRA DE MELLO [42.207a], n. 21-02-1879. Filho de Maria Olympia Lima e de Lourenço Bezerra Vieira de Mello (desembargador). Foram pais de:
42208VIII-1Vinicius Vieira de Mello, n. 14-05-1907.
42209VIII-2Lygia Vieira de Mello, n. 04-07-1909.
42210VIII-3Daphnis Vieira de Mello, n. 20-02-1918.
42211VIII-4Jason Vieira de Mello.
42212VII-5MATHILDE GONÇALVES DE VASCONCELLOS. Casou-se com CARLOS RIZZINI [42.212a]. Médico.
42213VII-6ESCOLÁSTICA GONÇALVES DE VASCONCELLOS. Casou-se com NELSON FIRMO DE OLIVEIRA [42.213a]. Médico.
42214V-2VICTORIA PERPÉTUA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios). Casou-se em primeiras núpcias com seu primo MARIANO GIL CASTELLO BRANCO [42.214a], n. 15-10-1917 na vila de Livramento (atual José de Freitas), f. 09-09-1848 tb. em Livramento [v. 41.564]. Filho de Francisco Gil Castello Branco Júnior e de Anna Joaquina de Sant'Anna.
42214_2nV-2... VICTORIA PERPÉTUA DE JESUS CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com FAUSTINO FERNANDES DA SILVA [42.214b]. [V. descendência das duas núpcias de Victoria Perpétua de Jesus Castello Branco em 41.569 e 41.569b.]
42215V-4FRANCISCO BARBOSA FERREIRA [primeiro do nome], n. no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios). Casou-se em primeiras núpcias com RICARDINA LOBÃO [42.215a]. Filha de Maria Rita [...] e de Ricardo Lobão. Foram pais de:
42216VI-1Maria Rita Lobão Barbosa [v. 42.221].
42217VI-2Simpliciano Barbosa Ferreira [segundo do nome] [v. 42.234].
42215_2nV-4... FRANCISCO BARBOSA FERREIRA [primeiro do nome] casou-se em segundas núpcias com sua cunhada MARIA RITA LOBÃO [42.215b]. Filha de Maria Rita [...] e de Ricardo Lobão. Foram pais de:
42218VI-3Ricardina Lobão Barbosa .
42219VI-4Anna Lobão Barbosa.
42220VI-5Ricardo Lobão Barbosa.
42221VI-1MARIA RITA LOBÃO BARBOSA. Casou-se com JOAQUIM JOSÉ GONÇALVES [42.221a]. Foram pais de:
42222VII-1Ricardina Barbosa Gonçalves [v. 42.225].
42223VII-2Anna Amélia Barbosa Gonçalves.
42224VII-3Orestes Gonçalves de Sampaio.
42225VII-1RICARDINA BARBOSA GONÇALVES. Casou-se com AGNELLO DE SAMPAIO [42.225a]. Foram pais de:
42226VIII-1Oséas Gonçalves de Sampaio.
42227VIII-2Maria Avany Gonçalves de Sampaio.
42228VIII-3Elvira Gonçalves de Sampaio.
42229VIII-4Mery Gonçalves de Sampaio.
42230VIII-5Solange Gonçalves de Sampaio.
42231VIII-6Miriam Gonçalves de Sampaio.
42232VIII-7Maria de Jesus Gonçalves de Sampaio.
42233VIII-8Agnello Gonçalves de Sampaio.
42234VI-2SIMPLICIANO BARBOSA FERREIRA [segundo do nome]. Casou-se com FRANCISCA CASSAL [42.234a]. Foram pais de:
42235VII-1Ricardina Cassal Barbosa.
42236VII-2Alexandrina Cassal Barbosa.
42237VII-3Francisco Cassal Barbosa.
42238VII-4Maria Cassal Barbosa.
42239V-5OLÍVIA CLARA CASTELLO BRANCO, n. no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios). Casou-se com seu primo PACÍFICO DA SILVA CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] [42.239a] [... primeiras núpcias deste], n. 06-01-1829 na fazenda Contente, f. 26-03-1888 em Parnaíba [v. 42.309]. Filho de Lina Rosa de Jesus e de Estevão Lopes Castello Branco Neto. [V. descendência do casal em 42.309.]
42240V-6NORBERTO BARBOSA FERREIRA, n. no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios). Casou-se com sua prima ANNA LINA DE JESUS CASTELLO BRANCO [42.240a], n. na fazenda Contente, f. 28-04-1871 [v. 42.308]. Filha de Lina Rosa de Jesus e de Estevão Lopes Castello Branco Neto. Foram pais de:
42241VI-1José Barbosa Ferreira [v. 42.243].
42242VI-2Joaquim Barbosa Ferreira, n. 1870.
42243VI-1JOSÉ BARBOSA FERREIRA, n. 1869. Casou-se em 25-07-1891, na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA, com MARIA ESTHER GONÇALVES RODRIGUES [42.243a], n. 05-04-1872 na fazenda Santa Cruz [v. 42.068]. Filha de Lino José Rodrigues e de Victoria Antônia Gonçalves. Foram pais de:
42244VII-1Maria Victoria Rodrigues Ferreira [v. 42.250].
42245VII-2Norberto Barbosa Ferreira Filho, n. 17-06-1895, f. 15-05-1905.
42246VII-3Anna Lina Rodrigues Ferreira, n. 11-02.1897.
42247VII-4Esther Rodrigues Ferreira, n. 30-06-1898.
42248VII-5Lina Rodrigues Ferreira, n. 04-03-1900.
42249VII-6José Rodrigues Ferreira, n. 26-03-1901, f. 10-07-1903.
42250VII-1MARIA VICTORIA RODRIGUES FERREIRA, n. 21-01-1893. Casou-se em 01-12-1917 com seu primo DURVAL CASTELLO BRANCO [42.250a], n. 08-07-1888 em Parnaíba, f. em Brejo dos Anapurus [v. 42.377]. Filho de Pacífico da Silva Castello Branco [primeiro do nome] [... terceiras núpcias deste] e de Filomena Fernandes Castello Branco, primos entre si [Ferraz et al., 1926, p. 134-5].
42251V-7GUIOMAR JANDIRA CASTELLO BRANCO, n. no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios). Casou-se com seu primo LUIZ LOPES CORRÊA [42.251a] [v. 42.305]. Filho de Lina Rosa de Jesus e de Estevão Lopes Castello Branco Neto. s/g
42252V-9JOÃO BARBOSA FERREIRA FILHO, n. 08-03-1837 em Remanso PI. Casou-se em 02-12-1854 com ANGÉLICA DOS REIS BRITO [42.252a], n. 02-12-1839 no Piauí. Filha de Joanna Fernandes dos Reis e de Francisco das Chagas Pereira Brito. Foram pais de:
42253VI-1Anna Amélia Barbosa Ferreira [v. 42.264].
42254VI-2João Barbosa Ferreira Júnior [v. 42.273].
42255VI-3Maria Amália Barbosa Ferreira, n. em Caxias. Solteira.
42256VI-4Archangela Barbosa Ferreira [segunda do nome], n. em Caxias. Solteira.
42257VI-5Mariano Barbosa Ferreira, n. em Caxias.
42258VI-6Themistocles Barbosa Ferreira [v. 42.279].
42259VI-7Norberto Barbosa Ferreira, f. criança.
42260VI-8Simpliciano Barbosa Ferreira [terceiro do nome] [v. 42.287].
42261VI-9Victoria Barbosa Ferreira [primeira do nome], n. no Maranhão.
42262VI-10Ignez Barbosa Ferreira [primeira do nome], n. no Maranhão.
42263VI-11Norberto Barbosa Ferreira Sobrinho [v. 42.291].
42264VI-1ANNA AMÉLIA BARBOSA FERREIRA, n. 08-10-1857 em Caxias MA. Casou-se com seu primo JOAQUIM LUIZ FERREIRA SOBRINHO [42.264a]. Foram pais de:
42265VII-1Antônio Ferreira.
42266VII-2Angélica Ferreira [v. 42.271].
42267VII-3Amélia Ferreira.
42268VII-4Armando Ferreira.
42269VII-5Amadeu Ferreira.
42270VII-6Almir Ferreira.
42271VII-2ANGÉLICA FERREIRA, n. <1880>. Casou-se com ORCINO TAVARES [42.271a]. Foram pais de:
42272VIII-1José de Ribamar Ferreira Tavares.
42273VI-2JOÃO BARBOSA FERREIRA JÚNIOR, n. 11-01-1859 em Caxias. Casou-se com FRANCISCA DO LAGO [42.273a]. Foram pais de:
42274VII-1José Bonifácio do Lago Barbosa.
42275VII-2Raymundo do Lago Barbosa.
42276VII-3Delzuíte do Lago Barbosa.
42277VII-4Nair do Lago Barbosa.
42278VII-5Angélica do Lago Barbosa.
42279VI-6THEMISTOCLES BARBOSA FERREIRA, n. 14-09-1864 no Maranhão. Casou-se com GREGÓRIA JARAMA [42.279a]. Foram pais de:
42280VII-1Angélica Barbosa Ferreira [v. 42.286].
42281VII-2Themistocles Barbosa Ferreira Filho.
42282VII-3João Barbosa Ferreira Neto.
42283VII-4Isolina Barbosa Ferreira.
42284VII-5Victoria Barbosa Ferreira [segunda do nome].
42285VII-6Ignez Barbosa Ferreira [segunda do nome].
42286VII-1ANGÉLICA BARBOSA FERREIRA. Casou-se com FORTUNATO JÚLIO DUMONT [42.286a].
42287VI-8SIMPLICIANO BARBOSA FERREIRA [terceiro do nome], n. 14-06-1868 no Maranhão. Casou-se com ANTÔNIA [...] [42.287a]. Foram pais de:
42288VII-1Francisco Barbosa Ferreira [segundo do nome].
42289VII-2Anna Barbosa Ferreira [primeira do nome], f. com dois dias.
42290VII-3Anna Barbosa Ferreira [segunda do nome].
42291VI-11NORBERTO BARBOSA FERREIRA SOBRINHO, n. 28-08-1873 no Maranhão. Casou-se com ELVIRA HOLANDA [42.291a]. Foram pais de:
42292VII-1Simpliciano Holanda Barbosa Ferreira.
42293VII-2Maria Luíza Barbosa Ferreira.
42294VII-3Beatriz Barbosa Ferreira.
42295VII-4Alberto Holanda Barbosa Ferreira.
42296VII-5Joanna Barbosa Ferreira.
42297VII-6Ignez Barbosa Ferreira [terceira do nome].
42298VII-7Juracy Barbosa Ferreira.
42299IV-3ARCHANGELA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Contente. Casou-se com seu primo e cunhado JOÃO BARBOSA FERREIRA [42.299a] [... segundas núpcias deste]. João Barbosa Ferreira casou-se em primeiras núpcias com sua prima Victoria Castello Branco (irmã de Archangela [v. 42.024]). [V. descendência do casal em 42.036 e seguintes.]
42300IV-4ESTEVÃO LOPES CASTELLO BRANCO NETO, n. 30-10-1798 na fazenda Contente, em Barras, f. 22-11-1869 tb. na fazenda Contente, s. na pequena igreja da cidade de Livramento (atual José de Freitas). A fazenda Contente estava situada no município de Barras, antes pertencente ao antigo município de Campo Maior, mais tarde município de Livramento. Fazendeiro, proprietário também da fazenda Ininga, em Livramento, com casa-grande de dezesseis quartos, toda construída em pedra, com paredes de 1 metro de espessura e rodeada de varandas que dominavam o vale do rio Marataoã. Estevão Lopes Castello Branco Neto possuía outras propriedades no antigo município de Barras, nas datas de São Felipe, Cabeceiras do Saco, Santa Teresa e Cabeceiras de Santo Antônio. Tenente. Prestou relevantes serviços para a preservação da capela de Nossa Senhora do Livramento, adjunta à casa-grande da fazenda Boa Esperança, em Livramento.
Casou-se em <1822> com LINA ROSA DE JESUS [42.300a], n. 18-07-1808, f. 18-10-1870 em São Luís. Filha de Francisca Victoria da Piedade e de Francisco Mendes da Silva [Carvalho, 2007, p. 122; Ferraz et al., 1926, p. 118; Pereira da Costa, 1909, p. 341-2]. Foram pais de:
42301V-1Rosa Merolina Castello Branco [v. 42.312].
42302V-2Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco [v. 42.313].
42303V-3Francisca Victoria da Piedade Castello Branco, n. 1826 na fazenda Ininga, em Livramento, f. 14-09-1914. s/g
42304V-4Anna Castello Branco [segunda do nome], f. com meses na fazenda Ininga.
42305V-5Luiz Lopes Corrêa [v. 42.338].
42306V-6Estevão Lopes Castello Branco [bisneto], f. com dias na fazenda Ininga.
42307V-7Estevão Lopes Castello Branco Júnior [v. 42.339].
42308V-8Anna Lina de Jesus Castello Branco [v. 42.366].
42309V-9Pacífico da Silva Castello Branco [primeiro do nome] [v. 42.367].
42310V-10Mariano Lopes Castello Branco, f. com meses na fazenda Contente.
42311V-11Lino Lopes Castello Branco, f. criança na fazenda Contente.
42312V-1ROSA MEROLINA CASTELLO BRANCO, n. 19-11-1823 na fazenda Ininga, em Livramento, f. 03-08-1915. Casou-se em 04-11-1842 com seu primo ANTÔNIO JOSÉ DE SAMPAIO SOBRINHO [42.312a], n. 09-03-1821, f. 26-02-1889 [v. 41.226]. Filho de José Joaquim de Sant'Anna e de Veneranda Lara Castello Branco. Neto paterno de José Francisco de Sant'Anna (do Peixe, atual Nossa Senhora dos Remédios) [Ferraz et al., 1926, p. 51, 119]. [V. descendência do casal em 41.250.]
42313V-2RAYMUNDA CORRÊA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. 16-04-1825 em Livramento, atual José de Freitas, f. 30-07-1873 tb. em Livramento. Casou-se com seu primo ANTÔNIO DE SOUZA FORTES [42.313a], n. 1813 em Livramento, f. tb. em Livramento [v. 43.891]. Filho de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [primeiro do nome] [... segundas núpcias deste] [v. 43.888] e de Anna Rosa do Lago Castello Branco [v. 40.625] [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 16, 153]. Foram pais de:
42314VI-1Archangela de Menezes Fortes [v. 42.326].
42315VI-2Pacífico Fortes Castello Branco [v. 42.327].
42316VI-3Anna Rosa de Menezes Fortes [v. 42.328].
42317VI-4Luiz de Souza Fortes [terceiro do nome] [neto] [v. 42.329].
42318VI-5Estevão Fortes Castello Branco [v. 42.330].
42319VI-6Francisco Fortes Castello Branco [v. 42.331].
42320VI-7Marianno Fortes Castello Branco [v. 42.332].
42321VI-8Lina de Menezes Fortes [v. 42.333].
42322VI-9Marcelino Fortes Castello Branco [v. 42.334].
42323VI-10Antônio Fortes Castello Branco [primeiro do nome] [v. 42.335].
42324VI-11Amância de Menezes Fortes [v. 42.336].
42325VI-12Maria Fortes Castello Branco [segunda do nome] [v. 42.337].
42326VI-1ARCHANGELA DE MENEZES FORTES, n. em Livramento, f. tb. em Livramento. Casou-se em Livramento com seu primo ESTEVÃO LOPES CASTELLO BRANCO JÚNIOR [42.326a], n. 18-07-1836 [v. 42.307]. Advogado formado em Coimbra. Juiz de direito.
42327VI-2PACÍFICO FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Livramento, f. tb. em Livramento. Casou-se em 07-08-1869, em Livramento, com sua prima VENERANDA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [42.327a], n. 05-02-1849 em Livramento [v. 41.254].
42328VI-3ANNA ROSA DE MENEZES FORTES, n. em Livramento. Casou-se em 06-05-1871, em Livramento, com seu primo JOSÉ SAMPAIO CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] [42.328a], n. 23-10-1843 em Livramento [v. 41.251].
42329VI-4LUIZ DE SOUZA FORTES [terceiro do nome] [neto], n. em Livramento. Casou-se com AURELIANA DE CASTRO COUTINHO [42.329a], n. em Livramento [v. 41.546].
42330VI-5ESTEVÃO FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Livramento. Casou-se com MARIA DOS ANJOS LOBÃO VERAS [42.330a] [v. 45.317, Benedicto José do Rego Filho].
42331VI-6FRANCISCO FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Livramento. Casou-se em 20-05-1871, em Livramento, com sua prima FRANCISCA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [42.331a], n. 17-09-1851 em Livramento [v. 41.256].
42332VI-7MARIANNO FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Livramento, f. em União. Casou-se em 08-09-1873, em Livramento, com sua prima FELISBELLA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [BELINHA] [42.332a], n. 01-04-1854 em Livramento, f. em União [v. 41.258].
42333VI-8LINA DE MENEZES FORTES, n. em Livramento. Casou-se em Livramento com ANTÔNIO BONA PRIMO [42.333a], n. em Campo Maior.
42334VI-9MARCELINO FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Livramento. Casou-se em 05-02-1876, em Livramento, com sua prima ROSA SAMPAIO CASTELLO BRANCO [42.334a], n. 05-02-1859 em Livramento [v. 41.260].
42335VI-10ANTÔNIO FORTES CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. em Livramento. Casou-se em 21-06-1877, em Barras, com sua prima GEORGINA ROSA CORRÊA DE JESUS [42.335a], n. em Barras [v. 42.435].
42336VI-11AMÂNCIA DE MENEZES FORTES, n. em Livramento, f. em Teresina. Casou-se em Livramento com ANTÔNIO DE PÁDUA REGO [42.336a].
42337VI-12MARIA FORTES CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. em Livramento, f. no Recife. Casou-se em 17-10-1891, em Livramento, com seu primo MARCELLINO SAMPAIO CASTELLO BRANCO [42.337a], n. 29-11-1862 em Livramento.
[V. descendência dos filhos de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco e de Antônio de Souza Fortes em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 253, 263.]
42338V-5LUIZ LOPES CORRÊA, n. na fazenda Ininga, em Livramento. Casou-se com sua prima GUIOMAR JANDIRA CASTELLO BRANCO [42.338a] [v. 42.251]. Filha de João Barbosa Ferreira [... segundas núpcias deste] e de Archangela Castello Branco. s/g
42339V-7ESTEVÃO LOPES CASTELLO BRANCO JÚNIOR, n. 18-07-1836 na fazenda Ininga, em Livramento. Advogado formado no Recife em 1860. Presidiu a sociedade abolicionista denominada Libertadora Barrense, instalada na cidade de Barras em 01-06-1884, ocasião em que foram entregues 37 cartas de alforria a escravas libertadas por seus senhores, doze dessas cartas tendo sido conferidas por Estevão Lopes Castello Branco Júnior. Na cerimônia, cantou-se um hino à Libertadora barrense, composto por Leovigildo Belmonte de Carvalho [Gonçalves, 2006, p. 41; Pereira da Costa, 1909, p. 341-2, 356].
Estevão Lopes Castello Branco Júnior casou-se em primeiras núpcias com sua prima ARCHANGELA DE MENEZES FORTES [42.339a], n. em Livramento [v. 42.314]. Filha de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco e de Antônio de Souza Fortes, primos entre si. Foram pais de:
42340VI-1Maria do Livramento Fortes Castello Branco [v. 42.343].
42339_2nV-7... ESTEVÃO LOPES CASTELLO BRANCO JÚNIOR casou-se em segundas núpcias com sua prima ROSA LINA DE JESUS CASTELLO BRANCO [42.339b], n. em Campo Maior [... segundas núpcias desta], viúva de Francisco Félix Corrêa [v. 42.412 e 42.430a]. Filha de Victoria Rosa de Jesus e de Marcellino Tito Castello Branco [v. 42.409] [Ferraz et al., 1926, p. 132, 155]. Foram pais de:
42341VI-2Estevão Lopes Fortes Castello Branco [v. 42.348].
42342VI-3Evandro Lopes Fortes Castello Branco [v. 42.363].
42343VI-1MARIA DO LIVRAMENTO FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Barras. Casou-se com seu primo BENEDICTO OLYMPIO DE SANT'ANNA [42.343a]. Filho de Lina Sant'Anna e de José Joaquim de Sant'Anna [... primeiras núpcias deste], parentes entre si (sobrinha e tio). Neto de José Francisco de Sant'Anna e de Veneranda Clara Castello Branco [Ferraz et al., 1926, p. 51-3, 132]. Foram pais de:
42344VII-1Elvira Sant'Anna [v. 42.346].
42345VII-2Estevão Sant'Anna [v. 42.347].
42346VII-1ELVIRA SANT'ANNA, n. em Livramento. Casou-se em Teresina com AUGUSTO DANIEL [42.346a].
42347VII-2ESTEVÃO SANT'ANNA, n. em Livramento. Casou-se com sua prima FLORINDA CASTELLO BRANCO E SILVA [42.347a]. [V. descendência dos filhos de Maria do Livramento Fortes Castello Branco e de Benedicto Olympio de Sant'Anna em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 253-4.]
42348VI-2ESTEVÃO LOPES FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Barras. Advogado formado no Recife em 1894. Casou-se com sua prima OTÍLIA FORTES CASTELLO BRANCO [42.348a], n. 06-04-1877 [v. 41.342]. Filha de Rosa Sampaio Castello Branco e de Marcelino Fortes Castello Branco, primos entre si [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 254, 261-2]. Foram pais de:
42349VII-1Eulálio Fortes Castello Branco.
42350VII-2Esmeralda Fortes Castello Branco.
42351VII-3Aurélio Fortes Castello Branco.
42352VII-4Antonieta Fortes Castello Branco.
42353VII-5Clóvis Fortes Castello Branco.
42354VII-6Décio Fortes Castello Branco.
42355VII-7Tércio Fortes Castello Branco.
42356VII-8Octavio Fortes Castello Branco.
42357VII-9Pepita Fortes Castello Branco.
42358VII-10Palmira Fortes Castello Branco.
42359VII-11Nair Fortes Castello Branco.
42360VII-12Graziela Fortes Castello Branco.
42361VII-13Maria Helena Fortes Castello Branco.
42362VII-14Olga Fortes Castello Branco.
42363VI-3EVANDRO LOPES FORTES CASTELLO BRANCO, n. em Barras. Casou-se com sua prima CARLOTA FORTES [42.363a] [v. 41.549]. Filha de Luiz de Souza Fortes [terceiro do nome] [neto] e de Aureliana de Castro Coutinho, primos entre si. Neta paterna de Antônio de Souza Fortes e de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco, primos entre si. Neta materna de Antônio da Silva Coutinho Filho e de Carlota Lina de Castro [Ferraz et al., 1926, p. 253-4, 256; Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 254]. Foram pais de:
42364VII-1Floriana Fortes Castello Branco.
42365VII-2Áurea Fortes Castello Branco.
42366V-8ANNA LINA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Contente, em Livramento (atual José de Freitas), f. 28-04-1871. Casou-se com seu primo NORBERTO BARBOSA FERREIRA [42.366a] [v. 42.042]. Filho de João Barbosa Ferreira [... segundas núpcias deste] e de Archangela Castello Branco. [V. descendência do casal em 42.240.]
42367V-9PACÍFICO DA SILVA CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. 06-01-1829 na fazenda Contente, em Livramento, f. 26-03-1888 em Parnaíba, s. no cemitério da Igualdade. Fazendeiro e criador de gado. Tenente da Guarda Nacional aos 20 anos de idade, chegando à patente de tenente-coronel. Cavalheiro da Ordem da Rosa. Chefe do Partido Liberal no Piauí. Presidente da Câmara Municipal de Parnaíba. Participou da Guerra do Paraguai e, ao regressar, emancipou todos os seus escravos, tornando-se um grande abolicionista. Foi fundador e militante da Sociedade Abolicionista Libertadora Barrense, de Barras [v. 42.339, Estevão Lopes Castello Branco Júnior]. A fazenda Desígnio, no atual município de União, foi fundada pelo coronel Pacífico, distando 4 léguas ao sul do povoado do Estanhado (hoje cidade de União) PI. Era toda cercada e o gado era selecionado. A casa-grande foi construída no alto de uma colina, numa curva do rio Parnaíba, de onde descortinavam amplos horizontes para a montante e jusante do rio. Tinha dois pavimentos: o primeiro andar com acomodações para a família, e o térreo com petrechos para a farinhada, a moagem da cana e o beneficiamento do algodão.
Quando do falecimento de sua segunda esposa, o coronel Pacífico retirou-se da fazenda Desígnio em 1880 e a confiou ao seu primo Manuel Thomaz Ferreira [segundo do nome] [v. 44.203] - que a administraria até 1900 e então a entregaria aos filhos do coronel Pacífico. A fazenda Desígnio está tombada entre as grandes propriedades rurais do Piauí do século XIX, juntamente com as fazendas Boa Esperança, Ininga, Contente, Maracujá, Abelheiras, São Domingos, Pé do Morro, Contendas, Ingá e Olho d'Água dos Pires. O coronel Pacífico possuía também a fazenda Pé do Morro, no município de Barras, na margem do Rio Parnaíba, com sua casa-grande, em uma propriedade de 39 quilômetros quadrados [Castello Branco Filho, 1979, p. 8; Chaves, 2005, p. 106, 225-7; Fernandes, 2005, t. 1, l. 1, cap. 6].
Pacífico da Silva Castello Branco [primeiro do nome] casou-se em primeiras núpcias, em 1848, com sua prima OLÍVIA CLARA CASTELLO BRANCO [42.367a] [v. 42.041]. Filha de João Barbosa Ferreira [... segundas núpcias deste] e de Archangela Castello Branco. Foram pais de:
42368VI-1Archangela da Silva Castello Branco, n. 12-10-1849 na fazenda Desígnio, no atual município de União, f. 16-04-1883. s/g
42369VI-2Marcellino da Silva Castello Branco, n. 19-07-1851, f. 03-07-1854 na fazenda Desígnio.
42370VI-3Pacífico da Silva Castello Branco [filho] [segundo do nome], n. 11-10-1852 na fazenda Desígnio. Advogado formado em São Paulo em 1877. Foi residir em Minas Gerais.
42371VI-4Lina da Silva Castello Branco, n. 27-03-1857, f. 04-04-1861 na fazenda Desígnio.
42372VI-5Estevão da Silva Castello Branco, n. 09-02-1860 na fazenda Desígnio, f. 14-11-1876. s/g
42373VI-6Olívia da Silva Castello Branco, n. 29-07-1862 na fazenda Desígnio, f. 05-09-1865.
42367_2nV-9... PACÍFICO DA SILVA CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] casou-se em segundas núpcias em 20-11-1873, na fazenda Maracujá, no município de Barras, com sua prima TORQUATA GONÇALVES [42.367b], n. na fazenda Maracujá, f. 08-02-1879 em Brejo dos Anapurus MA [v. 42.053]. Filha de Domingos José Gonçalves e de Torquata da Cunha e Silva, primos entre si. Foram pais de:
42374VI-7Domingos Pacífico Castello Branco [v. 42.378].
42375VI-8Estevão Gonçalves Castello Branco [v. 42.397].
42367_3nV-9... PACÍFICO DA SILVA CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] casou-se em terceiras núpcias em 29-11-1884, em Parnaíba, com FILOMENA DA COSTA FERNANDES [42.367c], n. 10-02-1858 em Parnaíba, f. 08-01-1926 tb. em Parnaíba. Filha de Francisco da Costa Fernandes e de Rosalina Furtado de Mendonça (n. 30-05-1827 em Sobral CE). Neta materna de Rufino Furtado de Mendonça e de Maria Quitéria de Jesus Rodrigues da Silva [Fernandes, 2005, t. 1, livro 1, cap. 6]. Foram pais de:
42376VI-9Pacífico Fernandes Castello Branco, n. 25-02-1886 em Parnaíba, f. no interior de Pernambuco. Advogado. Juiz de direito. s/g
42377VI-10Durval Castello Branco [v. 42.406].
42378VI-7DOMINGOS PACÍFICO CASTELLO BRANCO, n. 07-03-1877 na fazenda Desígnio, no atual município de União PI, f. <1937> na fazenda Santa Cruz, s. no cemitério dessa fazenda. Órfão de mãe aos 2 anos de idade e de pai aos 12, teve como tutor o tio materno Sigismundo Antônio Gonçalves [v. 42.126] e, como cotutor, seu primo Domingos Gonçalves Rodrigues [v. 42.071]. Dos 12 aos 14 anos foi aluno interno do Ginásio Pernambucano, no Recife, juntamente com seu irmão mais moço, Estevão. Do Recife foi mandado para a Alemanha, sempre com o irmão Estevão, para estudar como interno no Instituto Garnier, em Friedrichsdorf, perto de Frankfurt. Regressou ao Brasil em 1895, quando contava 18 anos de idade. Não prosseguiu os estudos depois do regresso ao país.
De 1907 a 1926 dedicou-se à compra de gado vacum para a firma Pastoril, de São Luís, da qual se tornou sócio. Chegou a supervisionar mais de 54.000 alqueires paulistas de terra no Maranhão e no Piauí. As fazendas pertencentes a Domingos Pacífico, bem como aquelas por ele administradas, situavam-se em regiões próximas ao rio Parnaíba, que, servindo de divisa entre o Maranhão e o Piauí, atravessa região tipicamente de transição da caatinga para a floresta amazônica. No Maranhão, as terras da parentela e do próprio Domingos Pacífico estendiam-se por cinco municípios situados na região onde se desenrolou a Balaiada [v. 41.138, Lívio Lopes Castello Branco e Silva], a saber: Buriti, Brejo, Santa Quitéria, São Bernardo e Araioses. No Piauí, as propriedades administradas por Domingos Pacífico distribuíam-se por oito municípios: União, Miguel Alves, Maruás (atual Porto), Porto Alegre (atual Luzilândia), Parnaíba, Campo Maior, Livramento (atual José de Freitas) e Barras (na região dos campos, embora na bacia do mesmo rio Parnaíba).
Domingos Pacífico tinha como atividade predominante o pastoreio, a criação extensiva de gado vacum, equino, muar e caprino. O centro de operações foi sempre a fazenda Santa Cruz, de propriedade de sua sogra, Victoria Antônia Gonçalves [v. 42.059], tendo a casa-grande da fazenda Santa Cruz servido a diversas gerações, abrigando uma família extensa sob o mesmo teto. Domingos Pacífico viveu ali durante dezoito anos com a esposa e a sogra. Politicamente, seguia seu parente Benedicto Pereira Leite, que liderou a política maranhense de 1895 a 1906 e era casado com Angélica Gonçalves Pires Ferreira [v. 42.124].
Domingos Pacífico Castello Branco casou-se em 28-01-1899 na fazenda Santa Cruz, em Brejo dos Anapurus MA, com sua prima FELICIANA GONÇALVES RODRIGUES [42.378a], n. 05-04-1879 na fazenda Santa Cruz, f. <1953> no Rio de Janeiro [v. 42.069]. Estudou interna no Colégio São José, das Irmãs de Santa Doroteia, em Olinda PE. Filha de Victoria Antônia Gonçalves e de Lino José Rodrigues. Sobre a sociedade em que viveram Domingos Pacífico Castello Branco e Feliciana Gonçalves Rodrigues, é indispensável consultar o trabalho de Lena Castello Branco Ferreira da Costa, que oferece uma excelente descrição da vida e do mundo de um "coronel" dos sertões do Piauí e do Maranhão [Costa, 1978].
Domingos Pacífico Castello Branco e Feliciana Gonçalves Rodrigues foram pais de:
42379VII-1Torquato Rodrigues Castello Branco, n. 19-09-1900 na fazenda Santa Cruz. Solteiro.
42380VII-2Pacífico Rodrigues Castello Branco, n. 19-04-1902 na fazenda Santa Cruz. Médico formado na Faculdade Nacional de Medicina, no Rio de Janeiro. Médico do Exército. Solteiro.
42381VII-3Lino Rodrigues Castello Branco [primeiro do nome], n. 10-07-1903 na fazenda Santa Cruz, f. 16-03-1904 tb. na fazenda Santa Cruz, com oito meses.
42382VII-4Victoria Rodrigues Castello Branco, n. 20-05-1905 na fazenda Santa Cruz. Solteira.
42383VII-5Maria Rodrigues Castello Branco [segunda do nome] [v. 42.389].
42384VII-6Lino Rodrigues Castello Branco [segundo do nome], n. 31-03-1910 na fazenda Santa Cruz. Engenheiro agrônomo formado em Viçosa MG. Residia em Teresina em 1960. Casou-se. s/g
42385VII-7Feliciana Rodrigues Castello Branco [primeira do nome], n. 01-11-1913 na fazenda Santa Cruz. Casou-se. Deixou vasta descendência.
42386VII-8Estevão Rodrigues Castello Branco, n. 18-02-1915 na fazenda Santa Cruz, f. 01-02-1916 tb. na fazenda Santa Cruz.
42387VII-9Durval Rodrigues Castello Branco [v. 42.391].
42388VII-10Francisca Rodrigues Castello Branco [Chiquinha], n. 07-12-1917 na fazenda Santa Cruz, f. em Teresina. Estudou no Colégio das Irmãs de Santa Doroteia em São Luís, onde se formou normalista. Solteira.
42389VII-5MARIA RODRIGUES CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. 09-01-1907 na fazenda Santa Cruz. Estudou no Colégio das Irmãs de Santa Doroteia em São Luís, onde se formou normalista em 1926. Casou-se no Maranhão com CYRIDIÃO FERREIRA DA SILVA [42.389a] [Costa, 1978, p. 129]. Foram pais de:
42390VIII-1Lena Castello Branco Ferreira da Silva [Lena Castello Branco Ferreira da Costa]. Professora de história na Universidade Federal de Goiás. Entre outros trabalhos, publicou Arraial e coronel: Dois estudos de história social [São Paulo: Cultrix, 1978] [Costa, 1967, 1978]. Casou-se.
42391VII-9DURVAL RODRIGUES CASTELLO BRANCO, n. 16-08-1916 na fazenda Santa Cruz, no município de Brejo dos Anapurus (hoje no município de Buriti MA), f. 1996 tb. na fazenda Santa Cruz. Engenheiro formado na Escola Politécnica do Rio de Janeiro. Tornou-se proprietário da fazenda Santa Cruz em <1950>, ali residindo até o fim da vida. Possuía mais de 11.000 hectares de terra. Na época do dr. Durval, ainda havia na fazenda a "casa da farinha", a "casa do comércio" e a "casa do engenho", com seu alambique, além da casa-grande. A cana era levada do canavial em carro de boi para a "casa do engenho", onde eram fabricadas principalmente cachaça e rapadura. Havia também um armazém de secos e molhados que vendia para os colonos, um pouco de tudo do que se necessitava no interior, mas nunca cachaça a granel. Cera de carnaúba e coco babaçu também eram enviados da fazenda para a cidade de Parnaíba. A cada três meses o dr. Durval ia a Parnaíba para fazer a contabilidade de seus produtos e comprar as mercadorias de que precisava. Até 1974, antes da chegada da eletricidade à fazenda Santa Cruz, existiam lá duas máquinas a vapor, uma do engenho e outra para levar água do riacho para a caixa d'água, pois na época não havia água encanada. [Anexo I, para os agregados; Costa, p. 124; Macatrão, 2010, p. 157-67].
Durval Rodrigues Castello Branco casou-se em <1960> com uma grande festa que durou dias e com muitos convidados, na fazenda Santa Cruz, com IRANICE SANTOS [42.391a], n. <1938> em Teresina. Residentes em Brejo dos Anapurus em 2012. Pais de:
42392VIII-1Durval Rodrigues Castello Branco Filho, n. na fazenda Santa Cruz. Casou-se. Reside em Brejo dos Anapurus.
42393VIII-2Feliciana Rodrigues Castello Branco [segunda do nome] [Dondon], n. na fazenda Santa Cruz. Médica. Casou-se. Reside no Recife.
42394VIII-3Victoria Izaura Rodrigues Castello Branco [v. 42.396].
42395VIII-4Domingos Rodrigues Castello Branco, n. na fazenda Santa Cruz. Casou-se. Reside em Brejo dos Anapurus.
42396VIII-3VICTORIA IZAURA RODRIGUES CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Santa Cruz. Psicóloga. Casou-se com REINALDO DE CASTRO SANTOS JÚNIOR [42.396a], n. em Parnaíba. Vereador em Parnaíba em várias legislaturas. Residentes em Parnaíba em 2012.
42397VI-8ESTEVÃO GONÇALVES CASTELLO BRANCO, n. 30-11-1878 em Parnaíba, f. no Rio de Janeiro. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Trabalhou na Beneficência Portuguesa e na Casa de Correção do Rio de Janeiro. Casou-se em 07-03-1908, no Recife, com sua prima LUÍZA MENDES GONÇALVES [42.397a], n. 25-08-1882 no Recife, f. no Rio de Janeiro [v. 42.188]. Filha de Malaquias Antônio Gonçalves e de Joanna Rodrigues Mendes. Foram pais de:
42398VII-1Edla Gonçalves Castello Branco, n. 09-12-1908 no Rio de Janeiro. Solteira.
42399VII-2Malaquias Gonçalves Castello Branco, n. 12-09-1910 no Rio de Janeiro. Solteiro.
42400VII-3Hélio Gonçalves Castello Branco [v. 42.405].
42401VII-4Eth Gonçalves Castello Branco, n. 28-04-1913 no Rio de Janeiro. Solteira.
42402VII-5Ito Gonçalves Castello Branco, n. 12-09-1914 no Rio de Janeiro. Solteiro.
42403VII-6Elza Gonçalves Castello Branco, n. 07-10-1917 no Rio de Janeiro. Solteira.
42404VII-7Luíza Gonçalves Castello Branco, n. 12-12-1920 no Rio de Janeiro. Solteira. Residia no Rio de Janeiro em julho de 2011.
42405VII-3HÉLIO GONÇALVES CASTELLO BRANCO, n. 21-10-1911 no Rio de Janeiro. Casou-se no Rio de Janeiro com HELENA CERPICKS [42.405a]. s/g
42406VI-10DURVAL CASTELLO BRANCO, n. 08-07-1888 em Parnaíba, f. em Brejo dos Anapurus. Advogado formado no Recife em 1910. Juiz de direito no Acre e em Brejo dos Anapurus. Casou-se em 01-12-1917 com sua prima MARIA VICTORIA RODRIGUES FERREIRA [42.406a], n. 21-10-1893 [v. 42.244]. Filha de José Barbosa Ferreira e de Maria Esther Gonçalves Rodrigues [v. 42.120].
42407IV-5ANNA ROSA CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. na fazenda Contente, em Livramento. Casou-se com JOAQUIM JOSÉ DO REGO [42.407a] [... primeiras núpcias deste] [v. 44.199], n. 1792 em Portugal, f. na fazenda do Peixão, hoje no município de Nossa Senhora dos Remédios PI. Filho de Manuel Thomaz Ferreira [primeiro do nome]. [V. descendência do casal em 44.199.]
42408IV-6ROSA FLORINDA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Contente, em Livramento. Casou-se com seu meio-cunhado JOAQUIM JOSÉ DO REGO [42.408a] [... segundas núpcias deste] [v. 44.199]. [V. descendência do casal em 44.199.]
42409IV-7MARCELLINO TITO CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Contente, em Livramento. Casou-se com VICTORIA ROSA DE JESUS [42.409a]. Foram pais de:
42410V-1Marcellino Tito Castello Branco Filho [v. 42.417].
42411V-2Raymunda Rosa de Jesus Castello Branco [v. 42.430].
42412V-3Rosa Lina de Jesus Castello Branco [v. 42.497].
42413V-4Josepha Maria de Jesus Castello Branco [v. 42.498].
42414V-5Felisbella Joaquina de Jesus Castello Branco [v. 42.527].
42415V-6Francisco Marcellino de Jesus Castello Branco, n. em Campo Maior, f. Solteiro.
42416V-7Silvestre Tito Castello Branco [v. 42.543].
42417V-1MARCELLINO TITO CASTELLO BRANCO FILHO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com sua prima DOROTHEA DA CUNHA MACHADO [42.417a], n. em Campo Maior [v. 41.137]. Filha de Dorothea Efigênia Castello Branco e de Antônio Lopes Castello Branco e Silva, primos entre si. Foram pais de:
42418VI-1Antônio Tito Castello Branco [v. 42.424].
42419VI-2Maria Tito Castello Branco, n. em Campo Maior.
42420VI-3Álvaro Tito Castello Branco [primeiro do nome], n. em Campo Maior.
42421VI-4Dario Tito Castello Branco, n. em Campo Maior.
42422VI-5Modesto Tito Castello Branco [v. 42.429].
42423VI-6Marcellino Tito Castello Branco Neto, n. em Campo Maior.
42424VI-1ANTÔNIO TITO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com ONDINA SOUSA [42.424a]. Foram pais de:
42425VII-1Álvaro Tito Castello Branco [segundo do nome], n. em Campo Maior.
42426VII-2Rosa Sousa Castello Branco, n. em Campo Maior.
42427VII-3Áureo Tito Castello Branco, n. em Campo Maior.
42428VII-4Antônio Tito Castello Branco Filho, n. em Campo Maior.
42429VI-5MODESTO TITO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com sua prima MARIA SERVA DE DEUS MACHADO [42.429a], n. em Campo Maior [v. 41.205]. Filha de Luiz da Cunha Machado e de Damiana [...].
42430V-2RAYMUNDA ROSA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior, f. em Barras. Casou-se em Campo Maior com FRANCISCO FÉLIX CORRÊA [CORONEL CORRÊA] [42.430a], n. em Barras, f. tb. em Barras. Patriarca da família Corrêa, de Barras. Proprietário rural abastado, dono de várias fazendas de gado. Político de grande prestígio no município. Vereador em várias legislaturas, presidindo a Câmara Municipal em 1856. Deputado provincial [1856-60]. Residia num grande sobrado na rua Grande, hoje rua Taumaturgo de Azevedo, onde funciona atualmente a Prefeitura de Barras [Chaves, 2005, p. 213; Ferraz et al., 1926, p. 156-8; Gonçalves, 2006, p. 92]. Foram pais de:
42431VI-1Sesóstris José Corrêa [v. 42.436].
42432VI-2Martinho José Corrêa [v. 42.463].
42430a_2nV-2... FRANCISCO FÉLIX CORRÊA [CORONEL CORRÊA] casou-se em segundas núpcias com sua cunhada ROSA LINA DE JESUS CASTELLO BRANCO [42.430a], n. em Campo Maior [v. 42.412]. Irmã de Raymunda Rosa de Jesus Castello Branco. Foram pais de:
42433VI-3Nelson Luiz Corrêa [v. 42.466].
42434VI-4Lincoln José Corrêa [v. 42.471].
42435VI-5Georgina Rosa Corrêa de Jesus [v. 42.489].
42436VI-1SESÓSTRIS JOSÉ CORRÊA, n. em Barras, f. tb. em Barras. Comerciante. Fazendeiro. Vereador em Barras. Tenente-coronel da Guarda Nacional. Casou-se em Parnaíba com MARIA LOURENÇA OZÓRIO PORFÍRIO DA MOTTA [LOLÓ], n. em Parnaíba, f. em Barras.
Irmã de João Ozório Porfírio da Motta, casado com sua sobrinha Maria Victoria Corrêa [v. 42.448]). Irmã de Egídio Ozório Porfírio da Motta, casado com Maria Angélica Alves Ozório de Carvalho), primos entre si. Irmã de Cyrillo Ozório Porfírio da Motta, casado com Maria Pires Ferreira [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 37-9]. Filha de Joaquim Ricardo Porfírio da Motta (n. em Granja CE, f. em Parnaíba; comerciante) e de Maria Victoria Basson de Miranda Ozório; possuíam em Parnaíba um palacete conhecido como "casa-grande dos Motta". Neta materna do coronel José Francisco de Miranda Ozório (n. 1800 em Oeiras, f. 1877 em Parnaíba) e de Lourença Francisca Basson (de família do Maranhão) [v. 41.706].
Sesóstris José Corrêa e Maria Lourença Ozório Porfírio da Motta [Loló] foram pais de:
42437VII-1Sesóstris José Corrêa Filho, n. em Barras.
42438VII-2Estevão Corrêa [v. 42.447].
42439VII-3Maria Victoria Corrêa [v. 42.448].
42440VII-4Joinville Corrêa, n. em Barras.
42441VII-5Ariberto Corrêa [v. 42.452].
42442VII-6Athlestan Ozires da Motta Corrêa [v. 42.453].
42443VII-7Nair Corrêa, n. em Barras.
42444VII-8Cecília Corrêa [v. 42.456].
42445VII-9Dithmar Corrêa, n. em Barras.
42446VII-10Alkima Corrêa, n. em Barras.
42447VII-2ESTEVÃO CORRÊA, n. em Barras. Casou-se com ISABEL RESENDE ROCHA [42.447a].
42448VII-3MARIA VICTORIA CORRÊA, n. em Barras, f. em Teresina. Casou-se com seu tio materno JOÃO OZÓRIO PORFÍRIO DA MOTTA [42.448a], n. 1870 em Parnaíba, f. 13-03-1945 em Teresina. Advogado formado no Recife em 1891. Juiz de direito em Barras, Parnaíba e Teresina de 1901 a 1906. Desembargador no Piauí de 1919 a 1931. Presidente do Tribunal de Justiça do Piauí. Deputado estadual no Piauí de 1896 a 1900. Irmão de Maria Lourença Ozório Porfírio da Motta [Loló], casada com Sesóstris José Corrêa [v. 42.436]. Irmão de Cyrillo Ozório Porfírio da Motta (n. 28-01-1856 em Parnaíba), casado com Maria Pires Ferreira (n. 09-02-1862 em Barras) [v. 42.539]. Filho de Joaquim Ricardo Porfírio da Motta e de Maria Victoria Basson de Miranda Ozório [Ferraz et al., 1926, p. 160; Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 37-40]. Foram pais de:
42449VIII-1Ademaro Porfírio da Motta.
42450VIII-2Maria José Porfírio da Motta.
42451VIII-3José Porfírio da Motta.
42452VII-5ARIBERTO CORRÊA, n. em Barras. Casou-se com MARIA DA ASSUMPÇÃO CARVALHO [42.452a].
42453VII-6ATHLESTAN OZIRES DA MOTTA CORRÊA, n. em Barras, f. em Parnaíba. Casou-se em primeiras núpcias, em União, com CYSALPINA DO REGO MONTEIRO [primeira do nome] [MORENINHA] [42.453a], n. em União, f. em decorrência do parto de sua filha [v. 45.220]. Filha de João do Rego Monteiro Filho e de Maria Amélia do Rego, primos entre si. Pais de:
42454VIII-1Zilmar do Rego Monteiro Corrêa, n. em Barras. Casou-se.
42453_2nVII-6... ATHLESTAN OZIRES DA MOTTA CORRÊA casou-se em segundas núpcias, em Barras, com DULCE PINHEIRO [42.453b], n. em Barras, f. tb. em Barras, em decorrência do parto de seu filho. Pais de:
42455VIII-2Esdras Pinheiro Corrêa, n. em Barras. Advogado. Desembargador no Piauí. Foi o primeiro procurador-geral de Justiça do Piauí, em 11-10-1990. Casou-se.
42453_3nVII-6... ATHLESTAN OZIRES DA MOTTA CORRÊA casou-se em terceiras núpcias, em Parnaíba, com YONE FURTADO DE CARVALHO [42.453c], n. em Parnaíba. Irmã de Carlos Furtado de Carvalho. Tiveram catorze filhos [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 208-9].
42456VII-8CECÍLIA CORRÊA [CECY], n. em Barras, f. em União. Casou-se em <1920> com seu primo paterno JOÃO OZÓRIO PIRES DA MOTTA [JOCA] [42.456a] [... primeiras núpcias deste], n. 05-10-1895 em São Francisco MA, f. 21-03-1978 em União. Comerciante. Filho de Cyrillo Ozório Porfírio da Motta (n. 28-01-1856 em Parnaíba, f. 09-09-1927 em Teresina; advogado formado no Recife em 1878; juiz de direito em Manaus, Itaguatiara e Tefé, no Amazonas, em São Francisco, no Maranhão, e em Barras [1926] e Teresina, no Piauí) e de Maria Pires Ferreira (n. 09-02-1862 em Barras, f. 22-05-1946 em Teresina [v. 42.539]). Neto paterno de Joaquim Ricardo Porfírio da Motta e de Maria Victoria Basson de Miranda Ozório. Neto materno de Luiz de Souza Fortes [primeiro do nome] (n. 1836 no sítio-fazenda Canto do Boi, em Barras, f. tb. em Barras; fazendeiro [v. 43.837]) e de Felisbella Joaquina de Jesus Castello Branco (n. em Campo Maior, f. em Barras [v. 42.414]), primos entre si [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 37-9]. Cecília Corrêa [Cecy] e João Ozório Pires da Motta [Joca] foram pais de:
42457VIII-1Maria Wanda Corrêa da Motta, n. em União, f. tb. em União. s/g
42458VIII-2Wilson Corrêa da Motta [v. 42.462].
42459VIII-3Maria Olga Corrêa da Motta, n. em União, f. tb. em União. s/g
42460VIII-4José Cyrillo Corrêa da Motta, n. em União, f. tb. em União. s/g
42461VIII-5Luiz Carlos Corrêa da Motta, n. em União, f. tb. em União. s/g
42456a_2n... JOÃO OZÓRIO PIRES DA MOTTA [JOCA] casou-se em segundas núpcias com MARIA AMÉLIA ABREU DO REGO MONTEIRO [42.456ab] [v. 45.224].
42462VIII-2WILSON CORRÊA DA MOTTA, n. 06-06-1922 em União. Casou-se com YOLANDA FERRAZ FALCÃO, n. 24-12-1930. [V. descendência das duas núpcias de João Ozório Pires da Motta [Joca] em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 39-40.]
42463VI-2MARTINHO JOSÉ CORRÊA, n. em Barras. Casou-se com sua prima AFRA CÂNDIDA CASTELLO BRANCO [42.463a], n. em Barras [v. 40.662]. Filha de Cândido Borges de Carvalho e de Maria Florência da Purificação Castello Branco, primos entre si. Pais de:
42464VII-1José dos Santos Corrêa, n. em Barras.
42465VII-2Lauro Corrêa, n. em Barras.
42466VI-3NELSON LUIZ CORRÊA, n. em Barras. Casou-se com SINOBELLINA DE CASTRO [42.466a]. Pais de:
42467VII-1Nelson Luiz Corrêa Filho [v. 42.468].
42468VII-1NELSON LUIZ CORRÊA FILHO, n. em Barras. Casou-se em primeiras núpcias com sua prima FLORINDA TITO [42.468a], n. em Barras [v. 42.545]. Filha de Silvestre Tito Castello Branco e de Rosa Amélia de Castro. Pais de:
42469VIII-1Aury Tito Corrêa [v. 42.470].
42468_2nVII-1... NELSON LUIZ CORRÊA FILHO casou-se em segundas núpcias com LIDINNA DE CARVALHO [42.468b].
42470VIII-1AURY TITO CORRÊA, n. em Barras PI, f. no Recife. Casou-se em 20-12-1917, em Barras, com seu primo GENÉSIO PIRES DE CARVALHO [42.470a], n. 22-11-1893 em Barras, f. em Salvador. Farmacêutico formado em Salvador. Filho de Fernando Carvalho de Almeida (n. 08-06-1864 na fazenda Cabeceiras, no município de Barras, f. 04-01-1948 tb. em Barras) e de Victoria Pires Ferreira (n. 1867 em Barras, f. tb. em Barras), primos entre si. Neto paterno de João Francisco de Carvalho e Almeida e de Anna de Deus Pires Ferreira [Don'Anna]. Neto materno de Luiz de Souza Fortes [primeiro do nome] e de Felisbella Joaquina de Jesus Castello Branco, primos entre si. Bisneto paterno de José Carvalho de Almeida [v. 40.621] e de Francisca Castello Branco. Bisneto materno-paterno de José Pires Ferreira [neto] [v. 43.812] e de Maria Joaquina de Jesus Castello Branco Carvalho de Almeida. Aury Tito Corrêa, ao enviuvar, entrou para um convento no Recife, onde faleceu como madre superiora [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 18, 21, 41-2]. s/g
42471VI-4LINCOLN JOSÉ CORRÊA, n. 1864 em Barras, f. tb. em Barras PI. Coronel e fazendeiro em Barras. Casou-se em 12-09-1885, em Barras, com ZULINA PIRES FERREIRA [42.471a], n. 14-05-1870 em Barras, f. 1951 tb. em Barras. Filha de Luiz de Souza Fortes (n. 1836 no sítio-fazenda Canto do Boi, em Barras, f. tb. em Barras [v. 43.837]) e de Felisbella Joaquina de Jesus Castello Branco, primos entre si. Neta paterna de José Pires Ferreira [neto] e de Maria Joaquina de Jesus Castello Branco Carvalho de Almeida [Ferraz et al., 1926, p. 75, 156-60; Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 18, 21, 50]. Lincoln José Corrêa e Zulina Pires Ferreira foram pais de:
42472VII-1José Lincoln Corrêa [v. 42.484].
42473VII-2Cláudio Pires Corrêa, n. 19-06-1891 em Barras, f. 25-08-1892 tb. em Barras.
42474VII-3Lincoln Pires Corrêa, n. 21-05-1893 em Barras, f. 21-10-1895 tb. em Barras.
42475VII-4Luiz Pires Corrêa [v. 42.485].
42476VII-5Rosa Pires Corrêa, n. 06-11-1896 em Barras, f. 13-03-1901 tb. em Barras.
42477VII-6Maria da Conceição Pires Corrêa, n. 04-05-1898 em Barras, f. 25-05-1902 tb. em Barras.
42478VII-7Adésio Pires Corrêa, n. 13-09-1901 em Barras, f. 1930 tb. em Barras. s/g
42479VII-8Octacílio Pires Corrêa [v. 42.486].
42480VII-9Lincoln Pires Corrêa, n. 06-06-1905 em Barras, f. 14-05-1907 tb. em Barras.
42481VII-10Maria do Carmo Pires Corrêa, n. 21-09-1907 em Barras, f. solteira.
42482VII-11Francisco Pires Corrêa [v. 42.487].
42483VII-12Odival Pires Corrêa [v. 42.488].
42484VII-1JOSÉ LINCOLN CORRÊA [NENO], n. 19-07-1889 em Barras, f. 18-06-1968 em Teresina. Telegrafista em Piripiri PI. Casou-se em primeiras núpcias com CORINA BANDEIRA MONTE [42.484a]. Irmã de Maria Bandeira Monte, casada com Acilino Coelho de Rezende [v. 40.219].
42484_2nVII-1... JOSÉ LINCOLN CORRÊA [NENO] casou-se em segundas núpcias com MARIA ANGÉLICA VILANOVA [42.484b], n. 05-08-1921 em São Francisco MA. Professora estadual em Altos, Piripiri e Teresina.
42485VII-4LUIZ PIRES CORRÊA, n. 01-02-1895 em Barras, f. depois de 1950 tb. em Barras. Fazendeiro em Barras. Casou-se em 23-08-1916, em Barras, com sua prima ENEDINA MARQUES LAGES [42.485a], n. 1897 na fazenda Dizendo, no município de Barras.
42486VII-8OCTACÍLIO PIRES CORRÊA, n. 29-07-1903 em Barras, f. 29-09-1953 no Recife. Telegrafista no Recife. Casou-se em Palmares PE com MARIA HELENA MIRANDA [42.486a], n. em Palmares.
42487VII-11FRANCISCO PIRES CORRÊA, n. 28-12-1912 em Barras. Casou-se em primeiras núpcias em 04-06-1939, em Floriano PI, com OZITA SALUSTIANO [42.487a], n. em Floriano.
42488VII-12ODIVAL PIRES CORRÊA, n. 25-04-1914 em Barras, f. em Teresina. Funcionário público federal no Piauí. Casou-se com sua prima VANDA CORRÊA LIMA [42.488a]. [V. descendência dos filhos de Lincoln José Corrêa e de Zulina Pires Ferreira em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 50-62.]
42489VI-5GEORGINA ROSA CORRÊA DE JESUS, n. em Barras. Casou-se em 21-06-1877 com seu primo ANTÔNIO FORTES CASTELLO BRANCO [primeiro do nome] [42.489a], n. em Livramento (atual José de Freitas) [v. 42.323]. Filho de Antônio de Souza Fortes (n. 1813 em Livramento, f. tb. em Livramento) e de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco (n. 16-04-1825 em Livramento, f. 30-07-1873 tb. em Livramento), primos entre si [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 253-62]. Foram pais de:
42490VII-1José Fortes Castello Branco [segundo do nome] [v. 42.494].
42491VII-2Rosa Fortes Castello Branco [segunda do nome] [v. 42.495].
42492VII-3Antônia Fortes Castello Branco, n. em Livramento, f. solteira.
42493VII-4Luís Fortes Castello Branco [v. 42.496].
42494VII-1JOSÉ FORTES CASTELLO BRANCO [segundo do nome], n. <1878> em Livramento. Casou-se em Livramento com sua prima MARIA DA CONCEIÇÃO FORTES DO REGO [42.494a], n. em Livramento.
42495VII-2ROSA FORTES CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. <1880> em Livramento. Casou-se em Livramento com FRANCISCO BORGES REBELLO [42.495a], n. na fazenda Jabuti, no município de Miguel Alves PI.
42496VII-4LUÍS FORTES CASTELLO BRANCO [LULU], n. <1883> em Livramento, f. 07-10-1972 em Barras. Comerciante em Barras. Casou-se em 05-10-1919 com sua prima MARIA DA CONCEIÇÃO PIRES DE CARVALHO [42.496a], n. 30-12-1901 em Barras, f. 18-08-1971 tb. em Barras. [V. descendência dos filhos de Georgina Corrêa de Jesus e de Antônio Fortes Castello Branco em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 262.]
42497V-3ROSA LINA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com seu cunhado FRANCISCO FÉLIX CORRÊA [CORONEL CORRÊA] [42.497a] [... segundas núpcias deste]. Francisco Félix Corrêa casara-se em primeiras núpcias com sua cunhada Raymunda Rosa de Jesus Castello Branco, n. em Campo Maior [v. 42.411], irmã de Rosa Lina de Jesus Castello Branco. [V. descendência do casal em 42.430, Raymunda Rosa de Jesus Castello Branco.]
42497_2nV-3... ROSA LINA DE JESUS CASTELLO BRANCO, ao enviuvar, casou-se em segundas núpcias com seu primo ESTEVÃO LOPES CASTELLO BRANCO JÚNIOR [42.497b] [v. 42.307] [Ferraz et al., 1926, p. 132, 156]. [V. descendência do casal em 42.339.]
42498V-4JOSEPHA MARIA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com ANTÔNIO MARIA EULÁLIO [42.498a]. Pais de:
42499VI-1Maria Victoria Eulálio, n. em Campo Maior.
42500VI-2Antônio Maria Eulálio Filho, n. em Campo Maior.
42501VI-3Urbano Maria Eulálio [v. 42.508].
42502VI-4Fábio Maria Eulálio [v. 42.520].
42503VI-5Moysés Maria Eulálio, n. em Campo Maior.
42504VI-6José Maria Eulálio, n. em Campo Maior.
42505VI-7Maria dos Anjos Eulálio [v. 42.525].
42506VI-8Victoria Maria Eulálio, n. em Campo Maior.
42507VI-9Maria de Jesus Eulálio [v. 42.526].
42508VI-3URBANO MARIA EULÁLIO, n. em Campo Maior. Médico formado em Salvador. Casou-se em primeiras núpcias com GALDINA CASSIANA [...] [42.508a]. Pais de:
42509VII-1Maria de Lourdes Eulálio [v. 42.518].
42510VII-2Maria da Conceição Eulálio [v. 42.519].
42508_2nVI-3... URBANO MARIA EULÁLIO casou-se em segundas núpcias com ELISA SANTOS [42.508b]. Pais de:
42511VII-3Urbano Maria Eulálio Filho.
42512VII-4Celso Eulálio.
42513VII-5Gentil Eulálio.
42514VII-6Nilo Eulálio.
42515VII-7Rosa Eulálio.
42516VII-8Josepha Eulálio.
42517VII-9Dulce Eulálio.
42518VII-1MARIA DE LOURDES EULÁLIO, n. em Campo Maior. Casou-se com seu primo FÁBIO MARIA EULÁLIO FILHO [42.518a], n. em Campo Maior [v. 42.521]. Filho de Fábio Maria Eulálio e de Francisca Castello Branco [segunda do nome].
42519VII-2MARIA DA CONCEIÇÃO EULÁLIO, n. em Campo Maior. Casou-se com GENTIL FREIRE [42.519a].
42520VI-4FÁBIO MARIA EULÁLIO, n. em Campo Maior. Casou-se com sua prima FRANCISCA CASTELLO BRANCO [segunda do nome] [42.520a], n. em Campo Maior [v. 42.579]. Filha de Agrícola José da Cunha Castello Branco e de Lydia Pacheco. Pais de:
42521VII-1Fábio Maria Eulálio Filho [v. 42.524].
42522VII-2Agrícola Castello Branco Eulálio, n. em Campo Maior.
42523VII-3Nelson Eulálio, n. em Campo Maior.
42524VII-2FÁBIO MARIA EULÁLIO FILHO, n. em Campo Maior. Casou-se com sua prima MARIA DE LOURDES EULÁLIO [42.524a], n. em Campo Maior [v. 42.518]. Filha de Urbano Maria Eulálio e de Galdina Cassiana [...].
42525VI-7MARIA DOS ANJOS EULÁLIO, n. em Campo Maior. Casou-se com JOAQUIM FURTADO DA SILVA [42.525a].
42526VI-9MARIA DE JESUS EULÁLIO, n. em Campo Maior. Casou-se com DEOLINDO DA SILVA COUTINHO [42.526a].
42527V-5FELISBELLA JOAQUINA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. 12-10-1840 em Campo Maior, f. 23-11-1889 em Barras, s. no cemitério da Confraria de Nossa Senhora da Conceição da cidade de Barras, junto com seu esposo. Cobria a sepultura uma lápide de mármore gravada em baixo-relevo, certamente encomendada em São Luís do Maranhão; nela foram inscritos, além das datas de nascimento, casamento e morte, os dizeres: "Sendo esta colocada sobre os restos mortais de seus estimados pais, em sinal de eterna recordação, pela extremosa filha Rosa Pires de Carvalho" [v. 40.898, Rosa Fortes Pires Ferreira] [Monteiro, 2009, p. 119-21].
Casou-se em 05-06-1858, no sítio-fazenda Canto do Boi, com seu primo LUIZ DE SOUZA FORTES [primeiro do nome] [42.527a], n. 18-02-1836 no sítio-fazenda Canto do Boi, em Barras, f. 09-06-1875 tb. em Barras [v. 43.837]. Fazendeiro em Barras. Tenente-coronel da Guarda Nacional. Empresário. Filho de José Pires Ferreira [neto] (n. 16-08-1809 no sítio-fazenda Santa Cruz das Pedras Preguiças, no município de Barreirinhas MA, f. 1908 no Rio de Janeiro) e de Maria Joaquina de Jesus Castello Branco Carvalho de Almeida [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 18, 21]. Felisbella Joaquina de Jesus Castello Branco e Luiz de Souza Fortes foram pais de:
42528VI-1Cândida Pires Ferreira, n. 16-05-1859 em Barras, f. solteira.
42529VI-2Rosa Fortes Pires Ferreira [v. 42.538].
42530VI-3Maria Pires Ferreira [v. 42.539].
42531VI-4Philomena Pires Ferreira [segunda do nome], n. 14-11-1863 em Barras, f. 1866.
42532VI-5Deolinda Pires Ferreira, n. 1864 em Barras.
42533VI-6Luiz de Souza Fortes [segundo do nome] [filho], n. 11-12-1865 em Barras, f. 03-03-1866 tb. em Barras.
42534VI-7Victoria Pires Ferreira [v. 42.540].
42535VI-8Zulina Pires Ferreira [v. 42.541].
42536VI-9José Pires Ferreira [sexto do nome], n. 1871 em Barras, f. 08-06-1871 tb. em Barras.
42537VI-10Georgina Pires Ferreira [v. 42.542].
42538VI-2ROSA FORTES PIRES FERREIRA [SINHAZINHA], n. 03-08-1860 em Barras, f. 23-07-1902 tb. em Barras. Casou-se em 22-02-1879, em Barras, com seu primo ANTÔNIO CARVALHO DE ALMEIDA [segundo do nome] [42.538a], n. 15-01-1858 na fazenda Cabeceiras, no município de Barras, hoje sede do município de Cabeceiras do Piauí, f. 1935 TB. em Barras. Fazendeiro no município de Barras. Coronel da Guarda Nacional.
42539VI-3MARIA PIRES FERREIRA, n. 09-02-1862 em Barras, f. 22-05-1882 em Teresina. Casou-se em 23-06-1882, em Barras, com CYRILLO OZÓRIO PORFÍRIO DA MOTTA [42.539a], n. 28-01-1856 em Parnaíba, f. 09-09-1927 em Teresina. Advogado formado no Recife em 1878. Juiz de direito. Exerceu a magistratura nos estados do Amazonas, do Maranhão e do Piauí. [v. 42.436].
42540VI-7VICTORIA PIRES FERREIRA, n. 1867 em Barras, f. tb. em Barras. Casou-se em 09-07-1887, em Barras, com seu primo FERNANDO CARVALHO DE ALMEIDA [42.540a], n. 08-06-1864 na fazenda Cabeceiras, no antigo município de Barras, atual Cabeceiras do Piauí, f. 04-01-1948 tb. em Barras. Fazendeiro. Comerciante e industrial em Barras.
42541VI-8ZULINA PIRES FERREIRA, n. 14-05-1870 em Barras, f. 1951 tb. em Barras. Casou-se em 12-09-1885, em Barras, com LINCOLN JOSÉ CORRÊA [42.541a], n. 1864 em Barras, f. tb. em Barras. Fazendeiro no município de Barras. Coronel [v. 42.434].
42542VI-10GEORGINA PIRES FERREIRA, n. 11-11-1873 em Barras, f. 08-05-1948 em Teresina. Casou-se em 06-09-1894, em Barras, com ANTÔNIO CHAVES JÚNIOR [42.542a], n. 06-05-1861 em Teresina, f. 20-11-1929 tb. em Teresina. Tenente-coronel da Guarda Nacional. [V. descendência dos filhos de Felisbella Joaquina de Jesus Castello Branco e Luiz de Souza Fortes [primeiro do nome] em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 21-64.]
42543V-7SILVESTRE TITO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior, f. em Barras. Radicou-se muito jovem em Barras. Funcionário público federal. Tabelião. Vereador em Barras [1901-04; 1913-16]. Casou-se com ROSA AMÉLIA DE CASTRO [42.543a], n. em Barras, f. tb. em Barras. Foram pais de:
42544VI-1Silvestre Tito Castello Branco Filho, n. em Barras.
42545VI-2Florinda Tito [v. 42.551].
42546VI-3Maria Etelvina Tito, n. em Barras.
42547VI-4Honorina Tito, n. em Barras.
42548VI-5José de Arimathéa Tito [v. 42.552].
42549VI-6Anna Tito, n. em Barras.
42550VI-7Júlia Tito [v. 42.555].
42551VI-2FLORINDA TITO, n. em Barras. Casou-se com seu primo NELSON LUIZ CORRÊA [42.551a], n. em Barras [v. 42.433]. Irmão de Francisco Félix Corrêa [segundo do nome] [Chiquinho] (n. 1877 em Barras, f. 06-08-1919; coronel da Guarda Nacional), casado com Rosa Pires de Carvalho [Sinhazinha] (n. 13-04-1881 em Barras, f. em Teresina). Filho de Nelson Luiz Corrêa e de Sinobellina de Castro [Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 22]. [V. descendência do casal em 42.466.]
42552VI-5JOSÉ DE ARIMATHÉA TITO, n. 1887 em Barras, f. 1963 em Teresina. Advogado formado no Recife em 1908. Juiz de direito em Barras, Floriano e Teresina. Desembargador no Piauí [1938]. Professor da Faculdade de Direito de Teresina. Jornalista. Escritor. Poeta. Membro da Academia Piauiense de Letras [Gonçalves, 2006, p. 171-4]. Casou-se em primeiras núpcias em <1923>, no Peixe, com sua prima NISE DE CASTRO REGO [42.552a], n. no Peixe, f. 14-10-1924 tb. no Peixe, no sítio Olho d'Água, quando do nascimento de seu filho [v. 44.492]. Filha de Marcellino José do Rego e de Ada de Castro. Foram pais de:
42553VII-1José de Arimathéa Tito Filho [v. 42.554].
42552_2nVI-5... JOSÉ DE ARIMATHÉA TITO casou-se em segundas núpcias com MARIA EDITH DE REZENDE [42.552b], n. em Piripiri PI, f. em Teresina [v. 40.106]. Filha de Domingos Coelho de Mello Rezende e de Rita Rosa de Araújo. s/g
42554VII-1JOSÉ DE ARIMATHÉA TITO FILHO, n. 14-10-1924 no sítio Olho d'Água, no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios), f. 1992 em Teresina. Advogado. Professor de português. Diretor do Liceu Piauiense. Professor na Escola Normal de Teresina. Membro da Academia Piauiense de Letras e de várias instituições ligadas à cultura no Piauí. Presidiu a Academia Piauiense de Letras por mais de vinte anos, entre 1971 e 1992. Colaborou em revistas e jornais do Piauí, deixando uma variada produção literária, como: Estudo do vocabulário da lira sertaneja, 1972 - Deus e a natureza em José Coriolano, 1973 - Teresina, meu amor, 1973 - Esmaragdo de Freitas: Homens e episódios, 1973 - Teresina: Ruas, praças e avenidas, 1976 - Crônica da cidade amada, 1977 - Sermões aos peixes, 1978 - Praça Aquidaban, sem número, 1978 - Carnavais de Teresina, 1978 - José de Freitas, comunidade exemplar, 1978 - A augusta Casa do Piauí, 1979 - O Piauí no Congresso Nacional, 1980 - O Poder Legislativo do Piauí, 1980. José de Arimathéa Tito Filho casou-se com sua prima MARIA DO DESTERRO CASTRO REGO [42.554a]. Deixaram descendência [Gonçalves, 2006, p. 13-8].
42555VI-7JÚLIA TITO, n. em Barras. Casou-se com seu primo JEFERSON DE CASTRO REGO [42.555a], n. no Peixe [v. 44.948]. Filho de Marcellino José do Rego e de Ada de Castro.
42556IV-8CÂNDIDA ROSA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Contente. Casou-se com seu primo FRANCISCO BORGES DE CARVALHO E ALMEIDA [42.556a], n. no município de Barras [v. 40.626]. Filho de José Carvalho de Almeida e de Francisca Castello Branco [Borges, 1878, p. 69; Ferraz et al., 1926, p. 162]. [V. descendência do casal em 40.655.]
42557IV-10SILVESTRE JOSÉ DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Contente, em Livramento. Coronel. Por volta de 1840 foram criadas as freguesias de Campo Maior e Parnaíba, com novas demarcações. Em 24-09-1841 Campo Maior foi elevada a categoria de vila e em 19-04-1842 foi instalada a primeira Câmara municipal, sendo Silvestre José da Cunha Castello Branco seu primeiro presidente e tendo como membros, entre outros, José Pires Ferreira [neto] [v. 43.812] e Miguel de Carvalho Castello Branco [v. 41.071]. Casou-se em primeiras núpcias COM PORCINA ISABEL PEREIRA DA SILVA [42.557a] [Borges, 1878, p. 85; Ferraz et al., 1926, p. 163; Pereira da Costa, 1909, p. 255-6]. Foram pais de:
42558V-1Beatriz Virgínia da Silva Castello Branco [v. 42.563].
42557_2nIV-10... SILVESTRE JOSÉ DA CUNHA CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com sua cunhada FRANCISCA ISABEL PEREIRA DA SILVA [42.557b]. Irmã de Porcina Isabel Pereira da Silva [Ferraz et al., 1926, p. 163]. Foram pais de:
42559V-2Silvestre José da Cunha Castello Branco Filho [v. 42.564].
42560V-3Agrícola José da Cunha Castello Branco [v. 42.578].
42561V-4Climério José da Cunha Castello Branco, n. em Campo Maior. s/g
42562V-5Augusto José da Cunha Castello Branco, n. em Campo Maior. s/g
42563V-1BEATRIZ VIRGÍNIA DA SILVA CASTELLO BRANCO, n. <1830> em Campo Maior. Casou-se com seu primo FRANCISCO BORGES DE CARVALHO FILHO [42.563a], n. <1830> em Barras [v. 42.658]. Filho de Francisco Borges de Carvalho e de Cândida Rosa Castello Branco. [V. descendência do casal em 40.668.]
42564V-2SILVESTRE JOSÉ DA CUNHA CASTELLO BRANCO FILHO, n. em Campo Maior. Casou-se em 27-11-1864 com ANNA MARIA D'ASSUMPÇÃO GONÇALVES MINEU [42.564a]. Foram pais de:
42565VI-1Ângelo Gonçalves Mineu Castello Branco, n. <1865> em Campo Maior.
42566VI-2Arsênio Gonçalves Mineu Castello Branco, n. em Campo Maior.
42567VI-3Antônio Gonçalves Mineu Castello Branco, n. em Campo Maior.
42568VI-4Agrícola da Cunha Castello Branco [v. 42.570].
42569VI-5Preselina Severa Jesus Castello Branco [v. 42.571].
42570VI-4AGRÍCOLA DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. <1869> em Campo Maior. Casou-se com ALICE DE AREIA LEÃO [42.570a].
42571VI-5PRESELINA SEVERA JESUS CASTELLO BRANCO, n. <1870> em Campo Maior. Casou-se com ANTÔNIO PINTO DE OLIVEIRA [42.571a]. Pais de:
42572VII-1Agrícola Castello Branco Pinto de Oliveira.
42573VII-2Humberto Castello Branco Pinto de Oliveira.
42574VII-3Álvaro Castello Branco Pinto de Oliveira.
42575VII-4Anna Pinto de Oliveira.
42576VII-5Maria Pinto de Oliveira.
42577VII-6Maria José Pinto de Oliveira.
42578V-3AGRÍCOLA JOSÉ DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com LYDIA PACHECO [42.578a]. Pais de:
42579VI-1Francisca Castello Branco [segunda do nome] [v. 42.580].
42580VI-1FRANCISCA CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. em Campo Maior. Casou-se com seu primo FÁBIO MARIA EULÁLIO [42.580a], n. em Campo Maior [v. 42.502]. Filho de Josepha Maria de Jesus Castello Branco e de Antônio Maria Eulálio. [V. descendência do casal em 42.520.]
42581IV-11JOAQUINA ROSA CASTELLO BRANCO [primeira do nome], n. na fazenda Contente, em Livramento. Casou-se com seu primo RAYMUNDO DE CARVALHO CASTELLO BRANCO [42.581a], n. na fazenda Taboca, no atual município de Esperantina [v. 40.917]. Filho de Miguel de Carvalho e Silva e de Anna Rosa Clara de Castello Branco, primos entre si. [V. descendência do casal em 41.030.]
42582IV-12DOROTHEA EFIGÊNIA CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Contente, em Livramento. Casou-se em primeiras núpcias com seu primo ANTÔNIO LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA [42.582a] [... segundas núpcias deste, viúvo de Anna Rosa de São José], n. na fazenda Contente [v. 41.119]. [V. descendência do casal em 41.125.]
42582_2nIV-12... DOROTHEA EFIGÊNIA CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com seu primo ANTÔNIO DA CUNHA MACHADO [42.582b], n. em Campo Maior. Filho de Francisco da Cunha Machado e de Raymunda Castello Branco.
42583III-4IGNACIA PEREIRA TEREZA CASTELLO BRANCO, n. no antigo município de Campo Maior, f. 1802 tb. em Campo Maior, na fazenda Buritizinho. Casou-se no antigo município de Campo Maior com MANUEL JOSÉ DA CUNHA [42.583a], n. na freguesia de Santa Maria de Canedo, em Celórico de Bastos, Portugal, f. 02-04-1804 no seu engenho Conceição, situado na fazenda São João (depois, fazenda Currais Novos), no atual município de Barras, então pertencente ao antigo município de Parnaíba. Filho de Antônio da Cunha e de Perpétua [...]. Veio para o Brasil a convite de seu tio Manuel da Cunha Carvalho, casado com Isabel da Cunha e Silva Castello Branco [v. 42.963].
Com a morte de seu tio Manuel da Cunha Carvalho, em 1776, herdou todo o patrimônio deste, isto é, casas, fazendas e animais. Na época do falecimento de Manuel José da Cunha, em 1804, a localidade onde se encontra a atual cidade de Barras possuía somente duas casas de telha - sendo uma de Manuel José da Cunha - e seis de palha. Manuel José da Cunha, antes de falecer, legou a Nossa Senhora da Conceição meia légua de terra da fazenda Buritizinho (onde hoje está a cidade de Barras), na qual se encontrava a primeira capela, conhecida como capela de Barras. Ao falecer, em 1804, Manuel José da Cunha não deixava descendentes; assim, legou seu patrimônio a Francisco Borges Leal Castello Branco [v. 42.990], parente de sua esposa, para que este o administrasse. Em 1805, durante sua administração, foram concluídos os trabalhos da capela de Nossa Senhora da Conceição. Iniciava-se assim, em terras da antiga fazenda Buritizinho, o primeiro núcleo residencial que daria lugar à atual cidade de Barras. No ano de 1809 existia apenas uma meia dúzia de casas de telhas, todas dispersas. Em 22-08-1819, responsabilizou-se pela administração da capela o tenente José Carvalho de Almeida [v. 40.621], genro de Francisco Borges Leal Castello Branco [Borges, 1878, p. 81-5; Pereira da Costa, 1909, p. 112, 254-5; Pires Ferreira [org.], 1959, v. 15, p. 424]. s/g
42584III-5LUIZ MARIZ CASTELLO BRANCO, n. no antigo município de Campo Maior, f. tb. em Campo Maior. Capitão, depois tenente-coronel de milícias de Campo Maior. Grande proprietário rural, com inúmeras fazendas e latifúndios que circundavam a vila de Campo Maior, onde residia.
No Arquivo Público do Estado do Piauí foi encontrada uma carta de sesmaria concedida a Francisco Gomes de Mesquita, passada em 24-07-1742, de um sítio chamado São Domingos, localizado a cerca de 12 quilômetros da vila do Livramento (atual José de Freitas), na região onde se localizava uma sesmaria concedida a Manuel Carvalho de Almeida [v. 41.101] e esposa, Clara da Cunha Castello Branco, filha de Maria Eugênia de Mesquita. Francisco Gomes de Mesquita provavelmente era irmão ou sobrinho de Maria Eugênia de Mesquita; por conseguinte, podemos concluir que Clara da Cunha Castello Branco passou a ser proprietária do referido sítio-fazenda São Domingos mediante doação ou venda por parte de seu parente [Barbosa, Silva, 1984]. Certamente o sítio-fazenda São Domingos foi herdado de seus pais por Luiz Mariz Castello Branco.
Luiz Mariz Castello Branco casou-se com ANNA ROSA DE JESUS [42.584a], f. na antiga vila de Campo Maior. Foram pais de:
42585IV-1Francisco da Cunha Castello Branco [segundo do nome] [v. 42.587].
42586IV-2Lina Clara Castello Branco [v. 42.961].
42587IV-1FRANCISCO DA CUNHA CASTELLO BRANCO [segundo do nome], n. na antiga vila de Campo Maior, f. 1858 tb. em Campo Maior. Fazendeiro. Comendador da Ordem de Cristo. Filiado ao Partido Conservador. Casou-se com RAYMUNDA JOAQUINA DA CONCEIÇÃO [42.587a]. Pais de:
42588V-1Augusto da Cunha Castello Branco [v. 42.596].
42589V-2Luiz Mariz da Cunha Castello Branco [v. 42.910].
42590V-3Francisco da Cunha Castello Branco [terceiro do nome] [filho] [v. 42.911].
42591V-4Antônio da Cunha Castello Branco [v. 42.914].
42592V-5Joaquina Rosa Castello Branco [segunda do nome] [v. 42.926].
42593V-6Maria da Cunha Castello Branco [v. 42.927].
42594V-7Rosa da Cunha Castello Branco [v. 42.934].
42595V-8Olympia Castello Branco [v. 42.953].
42596V-1AUGUSTO DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. 25-03-1839 no sítio-fazenda Lagoa da Mata, no antigo município de Campo Maior, f. 28-11-1898 em São Luís do Maranhão, numa enfermaria da Santa Casa de Misericórdia, de impaludismo e beribéri contraídos em Manaus. Fez o primário em casa, com professores contratados pelos pais, como era costume na época. Em São Luís, fez estudos preparatórios para o curso superior. Foi para o Recife para ingressar na Faculdade de Direito. Sendo o filho mais velho, em 1858 foi chamado às pressas para assumir a direção dos negócios da família, em virtude do falecimento de seu pai. Empreendedor e inteligente, em pouco tempo tornava-se possuidor de uma respeitável fortuna. Agricultor e empresário. A política o atraiu muito cedo, filiando-se ele ao Partido Conservador, pelo qual foi deputado provincial por duas vezes [1862-63; 1872-73] e vice-presidente da província do Piauí [1877-78].
As despesas com a política e a pavorosa seca de 1877-78 começaram a abalar sua fortuna. Já fora, então, agraciado com o título de barão de Campo Maior [em 16-01-1875] e recebera a patente de tenente-coronel da Guarda Nacional. Depois da seca de 1877 e da cisão do Partido Conservador, a fortuna do barão de Campo Maior acabou por ruir completamente. Abandonou a política e lançou-se à tarefa de recuperar seu patrimônio. Retirou-se para sua fazenda Boqueirão, no município de Livramento (atual José de Freitas), onde pretendia se reerguer, deixando a fazenda Lagoa da Mata com seu filho Rodrigo. Entretanto, pouco depois veio a libertação dos escravos. Esses infortúnios o levaram a tentar nova vida no Amazonas, província da qual seu parente Fileto Pires Ferreira era governador [1896-98]. Em pouco tempo, com a ajuda de Fileto, instalou em Manaus uma pequena fábrica de cerâmica. Em seguida, porém, contraiu impaludismo e beribéri, vindo a falecer em São Luís, no Maranhão, quando tentava retornar ao Piauí.
Pelo que consta, contraiu quatro núpcias, sendo três delas com três irmãs da família Elvas. Segundo uma tradição oral familiar, relatada por um neto, Antônio João, o barão de Campo Maior teve mais de vinte filhos (23, aparentemente ), mas só dispomos de alguma informação sobre cinco deles. Sabemos, no entanto, que ao falecer tinha talvez dez filhas inuptas [Chaves, 2005, p. 531-5]. Augusto da Cunha Castello Branco casou-se em primeiras núpcias, em 1861, com MARIA ELVAS [42.596a], f. em 15-10-1872 em Teresina, quando do nascimento de sua filha Antônia Leonor do Nascimento. Foram pais de:
42597VI-1Rodrigo da Cunha Castello Branco [v. 42.602].
42598VI-2Raymundo da Cunha Castello Branco, n. em Campo Maior.
42599VI-3Antônia Leonor do Nascimento Elvas, n. em Teresina, f. 15-10-1872 tb. em Teresina.
42596_2nV-1... AUGUSTO DA CUNHA CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias, em 1873, com sua cunhada ANTÔNIA ELVAS [42.596b], f. em 1876 em Campo Maior, em consequência do nascimento do seu filho Antônio João. Tornou-se a primeira baronesa de Campo Maior, por casamento. Foram pais de:
42600VI-4Antônio João Castello Branco [primeiro do nome] [v. 42.628].
42596_3nV-1... AUGUSTO DA CUNHA CASTELLO BRANCO casou-se em terceiras núpcias, em 1877, com sua cunhada FRANCISCA ELVAS [42.596c], f. <1894>, segunda baronesa de Campo Maior, por casamento. Irmã de Manuel Elvas, casado com Olympia Castello Branco [v. 42.595]. Filha de José Rodrigues Elvas (coronel; chefe do Partido Conservador no Piauí) [Barata, Cunha Bueno, 2000, t. 1, v. 1, p. 684-5; Ferraz et al., 1926, p. 174, 178; Freitas, 2010, p. 69-74; Moya, 1939, v. 1, p. 134; Rheingantz, 1960, p. 49].
Aqui estamos diante de um caso evidente de sororato, com o barão de Campo Maior desposando três irmãs. Elas certamente faleceram em decorrência de complicações de parto, muitas vezes provocado por hipertensão arterial ou infecção - eclâmpsia ou febre puerperal -, o que era comum na época.
Augusto da Cunha Castello Branco e Francisca Elvas foram pais de:
42601VI-5Aristogiton Castello Branco.
42596_4nV-1... AUGUSTO DA CUNHA CASTELLO BRANCO casou-se em quartas núpcias, em 1895, com FILOMENA SAMPAIO [42.596d], f. 1897, antes do marido. Irmã de Francisco Sampaio (professor).
42602VI-1RODRIGO DA CUNHA CASTELLO BRANCO [CAPITÃO RODRIGO], n. 1863 em Campo Maior, f. 1920 no Piauí. Fazendeiro. Herdou do pai a fazenda Lagoa da Mata. Casou-se em 1887 com INÊS CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE [42.602a], n. em Sobral CE [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 160, 174]. Foram pais de:
42603VII-1Ester Castello Branco, n. 1888.
42604VII-2Dalila Castello Branco, n. 1889.
42605VII-3Elodi Castello Branco, n. 1889.
42606VII-4Adelaide Castello Branco, n. 1892.
42607VII-5Iracema Castello Branco, n. 1895.
42608VII-6Olinda Castello Branco, n. 1897.
42609VII-7Guiomar Castello Branco [v. 42.615].
42610VII-8Samuel Castello Branco, n. 1899. Major da força policial de Teresina. Com a chegada da ditadura de Getúlio Vargas, foi colocado em disponibilidade de 1931 até o fim da ditadura, em 1945. Em 11-07-1946, recuperou o posto.
42611VII-9José Augusto Castello Branco, n. 1900.
42612VII-10Maria Diva Castello Branco, n. 1902.
42613VII-11Waldemar Castello Branco, n. 1903.
42614VII-12Ignez Castello Branco, n. 1904.
42615VII-7GUIOMAR CASTELLO BRANCO [PEPITA], n. 25-05-1898 no sítio-fazenda Lagoa da Mata. Casou-se em 1920 na fazenda Boqueirão, em Livramento (atual José de Freitas), com seu primo RAIMUNDO DE SOUZA PIRES [BIDOCA] [42.615a] [... terceiras núpcias deste], n. na fazenda da Limpeza, em Livramento. Filho de Luís de Souza Pires e de Joaquina da Cunha Castello Branco [v. 42.917]. Neto paterno de José de Souza Pires e de Lúcia Maria Perpétua da Conceição de Souza. Neto materno de Antônio da Cunha Castello Branco [v. 42.914] e de Florência [...] [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 128, 160, 174]. Foram pais de:
42616VIII-1Maria do Socorro Pires Castello Branco [v. 42.623].
42617VIII-2Raimundo Pires Castello Branco, n. 07-07-1924 na Lagoa da Mata, f. 1941. s/g
42618VIII-3Rodrigo Pires Castello Branco [v. 42.624].
42619VIII-4Magnólia Pires Castello Branco [v. 42.625].
42620VIII-5Maria do Carmo Pires Castello Branco, n. 11-09-1929 na Lagoa da Mata, f. 1946. s/g
42621VIII-6Francisco Pires Castello Branco [v. 42.62].
42622VIII-7Samuel Pires Castello Branco [v. 42.627].
42623VIII-1MARIA DO SOCORRO PIRES CASTELLO BRANCO [MARIAZINHA], n. 12-12-1920 na fazenda Lagoa da Mata, no município de Campo Maior. Casou-se em 27-06-1941, em Campo Maior, com JOAQUIM FONTENELLE [42.623a]. Comerciante. s/g.
42624VIII-3RODRIGO PIRES CASTELLO BRANCO, n. 31-10-1926 na fazenda Lagoa da Mata, no município de Campo Maior. Oficial de justiça no Piauí. Casou-se em 05-09-1948, em Altos PI, com sua prima MARIA DOS MILAGRES PIRES DE SAMPAIO [42.624a], n. 05-10-1927 no lugar Felicidade, no município de José de Freitas.
42625VIII-4MAGNÓLIA PIRES CASTELLO BRANCO, n. 30-08-1927 na fazenda Lagoa da Mata, no município de Campo Maior. Casou-se em 30-09-1944, em Teresina, com seu primo FRANCISCO PIRES DE SAMPAIO [42.625a], n. 01-07-1925 no lugar Felicidade, no município de José de Freitas.
42626VIII-6FRANCISCO PIRES CASTELLO BRANCO [CHIQUINHO], n. 20-01-1931 fazenda na Lagoa da Mata, no município de Campo Maior. Agricultor no município de Altos PI. Casou-se em 21-10-1952, em Altos, com AMPARO MARTINS BARRETO [42.626a], n. em Altos.
42627VIII-7SAMUEL PIRES CASTELLO BRANCO, n. 25-02-1933 na fazenda Lagoa da Mata, no município de Campo Maior. Construtor em Brasília. Casou-se com TEREZINHA BRASIL [42.627a]. [V. descendência dos filhos de Guiomar Castello Branco [Pepita] e de Raymundo de Souza Pires [Bidoca] em: Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 174-8.]
42628VI-4ANTÔNIO JOÃO CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. 1876 em Campo Maior, f. 06-01-1960 em Teresina, s. no cemitério da Irmandade de Santo Antônio de Campo Maior. Escrivão da polícia de Campo Maior. Casou-se em <1907>, em Campo Maior, com BENEDITA TEIXEIRA LOBO [42.628a], n. 1887 em Campo Maior, f. 11-09-1944 tb. em Campo Maior.
Filha de Henriqueta Teixeira (n. no município de Campo Maior, f. tb. em Campo Maior) e de Jacob Canuto Lobo (n. em Campo Maior, f. retornando ao Piauí do estado do Amazonas). Sobrinha materna de Antônio da Costa Teixeira (n. no município de Campo Maior, f. tb. em Campo Maior; tenente-coronel da Guarda Nacional) e de Maria Tereza de Figueiredo (n. no Maranhão, f. em Campo Maior; estudou em colégio de freiras no Maranhão; pianista; professora de piano em Campo Maior; filha de Manoel José de Figueiredo e de Eufrozina Teixeira). Sobrinha materna de Ricardo José Teixeira (n. no município de Campo Maior, f. tb. em Campo Maior; solteiro). Sobrinha materna de Yayá Teixeira (n. no município de Campo Maior, f. tb. em Campo Maior; solteira). Sobrinha materna de Pedro de Alcântara Teixeira (n. no município de Campo Maior, f. tb. em Campo Maior; formou-se em medicina em Salvador; médico renomado em Campo Maior; proprietário de várias fazendas no município de Campo Maior, como a do Boqueirão dos Teixeira, a Canudos e a Curral Velho; ao falecer, legou suas fazendas e propriedades aos sobrinhos; solteiro). Neta materna de Francisco José Teixeira [coronel Teixeira] (n. em Campo Maior, f. tb. em Campo Maior; fazendeiro) e de Úrsula Maria de Santa Rita da Costa.
Antônio João Castello Branco e Benedita Teixeira Lobo foram pais de:
42629VII-1Jacob Teixeira Castello Branco [v. 42.637].
42630VII-2Augusto Castello Branco [v. 42.671].
42631VII-3Maria de Nazaré Lobo Castello Branco [v. 42.739].
42632VII-4Úrsula Lobo Castello Branco [v. 42.779].
42633VII-5João Canuto Castello Branco [v. 42.80].
42634VII-6Antônia Lobo Castello Branco [v. 42.803].
42635VII-7José Ribamar Castello Branco [v. 42.828].
42636VII-8Geraldina Castello Branco [v. 42.862].
42637VII-1JACOB TEIXEIRA CASTELLO BRANCO, n. 24-02-1908 em Campo Maior, f. 21-05-1967 em Teresina, s. no cemitério da Irmandade de Santo Antônio de Campo Maior. Médico formado na Faculdade de Medicina de Salvador. Médico em São Paulo no SANDU, atual INSS, depois em Teresina, onde passou a clinicar. Herdou de seu tio-avô Pedro de Alcântara Teixeira [v. 42.628] a fazenda conhecida como Boqueirão dos Teixeira, no município de Campo Maior. Casou-se em <1944> com MARIA DO CARMO GONÇALVES [42.637a], n. 1920, f. 2006 em Teresina. Foram pais de:
42638VIII-1Pedro Teixeira Castello Branco [primeiro do nome] [v. 42.643].
42639VIII-2Maria de Nazaré Teixeira Castello Branco [v. 42.646].
42640VIII-3Maria da Conceição Teixeira Castello Branco [v. 42.661].
42641VIII-4Francisco Teixeira Castello Branco [v. 42.666].
42642VIII-5Ricardo Teixeira Castello Branco [v. 42.668].
42643VIII-1PEDRO TEIXEIRA CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. <1945> em Campo Maior, f. 1985 em Água Branca, de acidente. Médico formado na Universidade Federal da Bahia. Casou-se com TÂNIA MARIA COELHO [42.643a]. Pais de:
42644IX-1Érica Coelho Castello Branco, f. 1985.
42645IX-2André Coelho Castello Branco.
42646VIII-2MARIA DE NAZARÉ TEIXEIRA CASTELLO BRANCO, n. 23-12-1947 em Campo Maior. Advogada. Professora da Universidade Federal do Piauí. Casou-se com VALMIR MIRANDA [42.646a]. Arquiteto. Empresário. Proprietário do jornal O Dia. Pais de:
42647IX-1Danielle Castello Branco Miranda [v. 42.651].
42648IX-2Renata Castello Branco Miranda [v. 42.653].
42649IX-3Elaine Castello Branco Miranda [v. 42.656].
42650IX-4Valmir Miranda Filho [v. 42.659].
42651IX-1DANIELLE CASTELLO BRANCO MIRANDA, n. em Teresina. Empresária. Casou-se com DELANO PEREIRA COSTA [42.651a]. Engenheiro civil. Pais de:
42652X-1Diego Castello Branco Miranda Costa, n. em Teresina.
42653IX-2RENATA CASTELLO BRANCO MIRANDA, n. em Teresina. Psicóloga. Empresária. Casou-se em primeiras núpcias com CLÁUDIO MONTENEGRO ROCHA FILHO [42.653a]. Pais de:
42654X-1Bianca Maria Castello Branco Miranda Montenegro, n. em Teresina.
42653_2nIX-2... RENATA CASTELLO BRANCO MIRANDA casou-se em segundas núpcias com VINÍCIUS WELBER LEITE E SILVA [42.653b]. Empresário. Pais de:
42655X-2Maria Clara Castello Branco Miranda Leite.
42656IX-3ELAINE CASTELLO BRANCO MIRANDA, n. em Teresina. Empresária. Casou-se com AARON ALEXANDER STEELE [42.656a]. Pais de:
42657X-1Ethan Alexander Miranda Steele, n. nos Estados Unidos.
42658X-2Elisa Miranda Steele, n. nos Estados Unidos.
42659IX-4VALMIR MIRANDA FILHO, n. em Teresina, f. 2011 em São Paulo, no hospital Oswaldo Cruz. Advogado. Empresário. Casou-se com CAROLINA DE OLIVEIRA MELO [42.659a]. Pais de:
42660X-1Sabrina de Oliveira Melo Miranda, n. em Teresina.
42661VIII-3MARIA DA CONCEIÇÃO TEIXEIRA CASTELLO BRANCO, n. 11-01-1949 em Campo Maior. Professora universitária. Casou-se com DJALMA CARDOSO LEITE [42.661a]. Advogado. Pais de:
42662IX-1Maira Castello Branco Leite [v. 42.665].
42663IX-2Clarice Castello Branco Leite, n. em Teresina. Arquiteta.
42664IX-3André Luís Castello Branco Leite, n. em Teresina. Engenheiro.
42665IX-1MAIRA CASTELLO BRANCO LEITE, n. 27-08-1969 em Teresina. Advogada. Casou-se com KAIRO NARCISO DE OLIVEIRA CASTRO [42.665a]. Dentista.
42666VIII-4FRANCISCO TEIXEIRA CASTELLO BRANCO, n. 09-11-1952 em Teresina. Economista da Universidade Federal do Piauí. Pai de:
42667IX-1Mariana do Carmo Gonçalves Teixeira Castello Branco.
42668VIII-5RICARDO TEIXEIRA CASTELLO BRANCO, n. 24-06-1958 em São Paulo. Veterinário. Casou-se com SÍLVIA MARIA MARTINS [42.668a]. Pais de:
42669IX-1Jacob Augusto Martins Castello Branco.
42670IX-2João Ricardo Martins Castello Branco.
42671VII-2AUGUSTO CASTELLO BRANCO [MESTRE AUGUSTO], n. 1910 em Teresina, f. 1994 em Campo Maior. Funcionário público (tributarista). Casou-se em <1943> com ANTONINA LIMA [42.671a], n. 1920, f. 2001 em Campo Maior. Filha de Vicente Ibiapina Lima e de Raimunda Melo. Pais de:
42672VIII-1Antônio João Castello Branco Neto [v. 42.680].
42673VIII-2Carlos Augusto Castello Branco [v. 42.688].
42674VIII-3Renato Lima Castello Branco [v. 42.705].
42675VIII-4Francisco Antônio Castello Branco [v. 42.706].
42676VIII-5Maria das Graças Castello Branco [v. 42.715].
42677VIII-6José Antônio Castello Branco [v. 42.729].
42678VIII-7Evaldo Lima Castello Branco [v. 42.733].
42679VIII-8Leonel Lima Castello Branco [v. 42.736].
42680VIII-1ANTÔNIO JOÃO CASTELLO BRANCO NETO, n. 10-08-1944 em Campo Maior. Casou-se com MARIA DO CARMO VARANDA [42.680a], n. em Campo Maior. Pais de:
42681IX-1Renata Varanda Castello Branco [v. 42.685].
42682IX-2Lilian Varanda Castello Branco.
42683IX-3Ricardo Alexandre Varanda Castello Branco. Veterinário.
42684IX-4Vanessa Varanda Castello Branco, f. 2001. Assistente social.
42685IX-1RENATA VARANDA CASTELLO BRANCO. Bióloga. Casou-se com RAIMUNDO NONATO ALVES PINTO [42.685a]. Biólogo. Pais de:
42686X-1Antônio João Castello Branco [segundo do nome].
42687X-2Gabriela Varanda Castello Branco Alves.
42688VIII-2CARLOS AUGUSTO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se em <1946> com MARIA DA CONCEIÇÃO CARDOSO [42.688a], n. em Barras. Pais de:
42689IX-1Antonina Lima Castello Branco Neta [v. 42.695].
42690IX-2Augusto Castello Branco Neto [v. 42.697].
42691IX-3Fúlvia Maria Castello Branco [v. 42.699].
42692IX-4Fúlvio Castello Branco [v. 42.702].
42693IX-5Maria do Socorro Castello Branco [terceira do nome], n. em Campo Maior. Professora.
42694IX-6Hilário Castello Branco [v. 42.704].
42695IX-1ANTONINA LIMA CASTELLO BRANCO NETA, n. em Campo Maior. Professora. Casou-se com RAIMUNDO NONATO ARAÚJO ABREU [42.695a]. Pais de:
42696X-1Rhaulsan Castello Branco Abreu.
42697IX-2AUGUSTO CASTELLO BRANCO NETO, n. em Campo Maior. Casou-se com ANTÔNIA DIAS DA ROCHA [42.697a]. Pais de:
42698X-2Amanda Dias Rocha Castello Branco.
42699IX-3FÚLVIA MARIA CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com ORIVALDO IBIAPINA DA SILVA [42.699a]. Pais de:
42700X-1Nathan Castello Branco da Silva.
42701X-2Nathalia Castello Branco da Silva.
42702IX-4FÚLVIO CASTELLO BRANCO, n. em Campo Maior. Casou-se com VANESSA REZENDE [42.702a]. Pais de:
42703X-1Maria Eduarda Rezende Castello Branco.
42704IX-6HILÁRIO CASTELLO BRANCO, n. Campo Maior. Casou-se com LAIANA RODRIGUES [42.704a].
42705VIII-3RENATO LIMA CASTELLO BRANCO, n. 16-10-1947 em Campo Maior. Formado em contabilidade. Funcionário da UESPI_Universidade Estadual do Piauí. Casou-se com sua prima legítima CONCEIÇÃO MARIA CASTELLO BRANCO TEIXEIRA [42.705a] [v. 42.780], n. em Altos PI. Formada em contabilidade. s/g
42706VIII-4FRANCISCO ANTÔNIO CASTELLO BRANCO, n. <1948> Campo Maior, f. em Teresina. Casou-se com MARIA DAS GRAÇAS PEREIRA [42.706a]. Pais de:
42707IX-1Marcos Laércio Pereira Castello Branco [v. 42.710].
42708IX-2Francisco de Jesus Pereira Castello Branco [v. 42.713].
42709IX-3Larissa Pereira Castello Branco.
42710IX-1MARCOS LAÉRCIO PEREIRA CASTELLO BRANCO. Biólogo. Casou-se com MARIA SABRINA FERNANDES CARVALHO [42.710a]. Pais de:
42711X-1Sara Maria Carvalho Castello Branco.
42712X-2Isabelle Carvalho Castello Branco.
42713IX-2FRANCISCO DE JESUS PEREIRA CASTELLO BRANCO. Engenheiro. Casou-se com LETÍCIA ALVES [42.713a]. Pais de:
42714X-1Francisco Matheus Alves Castello Branco.
42715VIII-5MARIA DAS GRAÇAS CASTELLO BRANCO, n. 21-02-1950 em Campo Maior. Professora. Casou-se com RAIMUNDO NONATO RODRIGUES DE SOUSA [42.715a], n. em Timon MA. Pais de:
42716IX-1Mabenys Augusto Castello Branco de Sousa [v. 42.721].
42717IX-2Viviane Ávila Castello Branco de Sousa [v. 42.723].
42718IX-3Marcílio Castello Branco de Sousa [v. 42.724].
42719IX-4Estanislau Castello Branco de Sousa [v. 42.727].
42720IX-5Nathaline Castello Branco de Sousa, n. em Campo Maior.
42721IX-1MABENYS AUGUSTO CASTELLO BRANCO DE SOUSA, n. em Campo Maior. Fiscal da Polícia Federal. Casou-se com SIMONE MITISUISHE [42.721a]. Pais de:
42722X-1Mayra Mitisuishe Castello Branco de Sousa.
42723IX-2VIVIANE ÁVILA CASTELLO BRANCO DE SOUSA, n. em Campo Maior. Matemática. Casou-se com ANTÔNIO FRANCISCO VAZ DE SOUSA [42.723a].
42724IX-3MARCÍLIO CASTELLO BRANCO DE SOUSA, n. em Campo Maior. Oficial da Marinha. Casou-se com SUZIANE BRAGA [42.724a]. Pais de:
42725X-1Bianca Braga Castello Branco de Sousa.
42726X-2Gabriel Braga Castello Branco de Sousa.
42727IX-4ESTANISLAU CASTELLO BRANCO DE SOUSA, n. em Campo Maior. Casou-se com GILDENYS DIAS LIMO [42.727a]. Pais de:
42728X-1Rebeca Limo Castello Branco de Sousa.
42729VIII-6JOSÉ ANTÔNIO CASTELLO BRANCO, n. <1953> em Campo Maior. Casou-se com MAGNÓLIA ROCHA [42.729a]. Desquitados. Pais de:
42730IX-1Paula Rocha Castello Branco.
42731IX-2Poliana Rocha Castello Branco.
42732IX-3Pedro Teixeira Castello Branco [segundo do nome].
42733VIII-7EVALDO LIMA CASTELLO BRANCO, n. 01-02-1955 em Campo Maior. Casou-se com HELENA CÂMARA [42.733a], n. em Fortaleza. Residentes em Fortaleza em 2011. Pais de:
42734IX-1Viviane Câmara Castello Branco, 29-05-1987 em Fortaleza.
42735IX-2Kleyriane Câmara Castello Branco, n. em Fortaleza.
42736VIII-8LEONEL LIMA CASTELLO BRANCO, n. 18-10-1962 em Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com MARIA DO DESTERRO OLIVEIRA SANTOS [42.736a]. Pais de:
42737IX-1Leonardo dos Santos Castello Branco, n. 23-10-1986 em Campo Maior.
42738IX-2Laiane Ávila dos Santos Castello Branco, n. 22-02-1993 em Campo Maior.
42739VII-3MARIA DE NAZARÉ LOBO CASTELLO BRANCO [ZAZINHA], n. 1911 em Teresina, f. 1963 tb. em Teresina. Casou-se em <1935> com ZACARIAS GODIM LINS [42.739a], n. em Sobral CE. Funcionário do DNOCS_Departamento Nacional de Obras Contra as Secas. Proprietário do Cine Nazaré. Pais de:
42740VIII-1Edward Castello Branco Lins [v. 42.745].
42741VIII-2José Castello Branco Lins [v. 42.749].
42742VIII-3Antônio João Castello Branco Lins [v. 42.752].
42743VIII-4Maria da Conceição Castello Branco Lins [v. 42.756].
42744VIII-5Zacarias Castello Branco Lins [v. 42.772].
42745VIII-1EDWARD CASTELLO BRANCO LINS, n. <1936> em Campo Maior, f. em Teresina. Casou-se com ALICE ANDRADE [42.745a]. Pais de:
42746IX-1Antônio João Castello Branco [terceiro do nome]. Arquiteto.
42747IX-2Alessandra Andrade Castello Branco. Médica.
42748IX-3Henriqueta Andrade Castello Branco. Profissional de turismo.
42749VIII-2JOSÉ CASTELLO BRANCO LINS [MANIM], n. <1937> em Campo Maior, f. 1979 em Parnaíba. Engenheiro. Casou-se com MARLEIDE MUNIZ [42.749a]. Pais de:
42750IX-1Marcos Frederico Muniz Castello Branco Lins.
42751IX-2Anna Karenina Muniz Castello Branco Lins.
42752VIII-3ANTÔNIO JOÃO CASTELLO BRANCO LINS, n. 24-11-1938 em Campo Maior. Bioquímico. Casou-se com MARIA AMÉLIA MELO [42.752a]. Pais de:
42753IX-1Antônio João Castello Branco Lins Júnior. Bioquímico.
42754IX-2Ricardo Castello Branco Melo Lins.
42755IX-3Ana Castello Branco Melo Lins.
42756VIII-4MARIA DA CONCEIÇÃO CASTELLO BRANCO LINS, n. 10-05-1941 em Piripiri PI. Casou-se com FLORISVAL HYGINO FURTADO [42.756a]. Pais de:
42757IX-1Maria de Nazaré Castello Branco Lins Furtado [v. 42.762].
42758IX-2Florisval Hygino Furtado Júnior.
42759IX-3Marcela Castello Branco Lins Hygino Furtado [v. 42.766].
42760IX-4Floriza Castello Branco Lins Furtado [v. 42.769].
42761IX-5Gregório Castello Branco Lins Furtado.
42762IX-1MARIA DE NAZARÉ CASTELLO BRANCO LINS FURTADO. Casou-se com [...] SOUZA [42.762a]. Pais de:
42763X-1Anne Jarone Castello Branco de Souza.
42764X-2Emanuelle Castello Branco de Souza.
42765X-3Geraldo Luiz Castello Branco de Souza.
42766IX-3MARCELA CASTELLO BRANCO LINS HYGINO FURTADO. Mãe de:
42767X-1Emanuel Castello Branco Hygino Furtado.
42768X-2Zacarias Gondim Lins.
42769IX-4FLORIZA CASTELLO BRANCO LINS FURTADO. Casou-se com JOSÉ ALVES DE SOUZA [42.769a]. Pais de:
42770X-1Ana Grabriele Castello Branco Souza.
42771X-2José Alves de Souza Júnior.
42772VIII-5ZACARIAS CASTELLO BRANCO LINS, n. <1943> em Piripiri. Casou-se em Campo Maior com MARIA CECI BASTOS [42.772a]. Pais de:
42773IX-1Maria de Nazaré Bastos Castello Branco Lins [v. 42.776].
42774IX-2Maria das Graças Bastos Castello Branco Lins.
42775IX-3Zacarias Bastos Castello Branco Lins.
42776IX-1MARIA DE NAZARÉ BASTOS CASTELLO BRANCO LINS. Dentista. Casou-se com JOSÉ AIRTON LUSTOSA VERAS [42.776a]. Pais de:
42777X-1Isabella Ohanna Castello Branco Lins Veras.
42778X-2Isadora Ohanna Castello Branco Lins Veras.
42779VII-4ÚRSULA LOBO CASTELLO BRANCO [SUZETE], n. 10-07-1913 na fazenda Curral Velho, f. 28-04-1996 em São Paulo. Casou-se em <1936> com seu primo materno FRANCISCO JOSÉ TEIXEIRA NETO [42.779a], n. 08-01-1914 na fazenda Canudos, em Campo Maior, f. 21-06-2003 em São Paulo. Herdaram de Pedro de Alcântara Teixeira, tio-avô de Úrsula e tio de Francisco José [v. 42.628], as fazendas Curral Velho e Canudos, no município de Campo Maior. Francisco José Teixeira Neto era filho de Antônio da Costa Teixeira e de Maria Tereza de Figueiredo [v. 42.628]. Neto paterno de Francisco José Teixeira [coronel Teixeira] e de Úrsula Maria de Santa Rita da Costa. Úrsula Lobo Castello Branco [Suzete] e Francisco José Teixeira Neto foram pais de:
42780VIII-1Conceição Maria Castello Branco Teixeira [v. 42.785].
42781VIII-2Antônio Castello Branco Teixeira [v. 42.786].
42782VIII-3Maria do Socorro Castello Branco Teixeira, n. 08-10-1942 em Altos PI. Professora. Administradora de empresas. Auditora fiscal da Receita Federal em São Paulo.
42783VIII-4Francisco José Teixeira Filho [v. 42.795].
42784VIII-5Maria Gracioceles Castello Branco Teixeira [v. 42.797].
42785VIII-1CONCEIÇÃO MARIA CASTELLO BRANCO TEIXEIRA, n. 19-09-1937 em Altos PI. Formada em contabilidade. Casou-se com seu primo legítimo RENATO LIMA CASTELLO BRANCO [42.785a] [v. 42.674], n. 16-10-1947 em Campo Maior. Formado em contabilidade. Funcionário da UESPI_Universidade Estadual do Piauí. Atuais proprietários da fazenda Canudos. s/g
42786VIII-2ANTÔNIO CASTELLO BRANCO TEIXEIRA [SENHOR], n. 16-01-1939 em Altos pi. Cirurgião-dentista formado na Universidade de São Paulo USP, especializado em bucomaxilofacial. Professor de ortodontia e traumatologia. Pesquisador na USP. Casou-se com MARIA DE LOURDES CARVALHO [42.786a], n. em Minas Gerais. Pais de:
42787IX-1Vanessa Castello Branco Teixeira [v. 42.791].
42788IX-2Rodrigo Castello Branco Teixeira, n. em São Paulo, f. 1979 tb. em São Paulo.
42789IX-3Antônio Castello Branco Teixeira Júnior [v. 42.794].
42790IX-4Frederico Castello Branco Teixeira, n. 21-03-1984 em São Paulo. Sociólogo. Advogado.
42791IX-1VANESSA CASTELLO BRANCO TEIXEIRA, n. 03-05-1974 em São Paulo. Dentista. Casou-se com SÍLVIO DE OLIVEIRA [42.791a]. Pais de:
42792X-1Victor Castello Branco Oliveira, n. 28-12-2008 em São Paulo.
42793X-2Miguel Castello Branco Oliveira, n. 12-01-2010 em São Paulo.
42794IX-3ANTÔNIO CASTELLO BRANCO TEIXEIRA JÚNIOR, n. 19-10-1980 em São Paulo. Arquiteto. Casou-se com ALESSANDRA BEDOLINI [42.794a], n. na Itália. Arquiteta formada em Milão.
42795VIII-4FRANCISCO JOSÉ TEIXEIRA FILHO, n. 22-12-1944 em Campo Maior. Casou-se com ANITA BENTO [42.795a], n. em Imaruí SC. Professora. Pais de:
42796IX-1Mayra Gabriela Bento Teixeira, n. 12-01-1988 em São Paulo. Farmacêutica.
42797VIII-5MARIA GRACIOCELES CASTELLO BRANCO TEIXEIRA [GRAÇA], n. 11-12-1948 em Campo Maior PI. Bióloga. Professora do estado de São Paulo. Casou-se com SEBASTIÃO VIEIRA DOS SANTOS [42.797a], n. 25-12-1953 em Água de Meninos, perto da aldeia dos índios carapotós, no município de Coruripe AL. Filho de José Vieira da Silva e de Aurelina Antônia dos Santos, índios nascidos na aldeia carapotó do município de São Sebastião, em Alagoas. Pais de:
42798IX-1Thiago Castello Branco Teixeira Vieira [v. 42.800].
42799IX-2Úrsula Castello Branco Teixeira Vieira, n. 16-06-1983 em São Paulo. Médica.
42800IX-1THIAGO CASTELLO BRANCO TEIXEIRA VIEIRA, n. 08-06-1981 em São Paulo. Médico formado na Universidade de São Paulo USP. Casou-se com ANA PAULA XAVIER SILVEIRA [42.800a], n. em Osasco SP. Pais de:
42801X-1Sofia Xavier Castello Branco, n. 15-12-2007 em São Paulo.
42802VII-5JOÃO CANUTO CASTELLO BRANCO, n. 1915, f. 1997 em Teresina. Funcionário público do DNOCS_Departamento Nacional de Obras Contra as Secas. Casou-se com ESMERINGA LIMA [42.802a], n. 1930 em Morrinho PI. s/g
42803VII-6ANTÔNIA LOBO CASTELLO BRANCO [STAEL], n. 1917 em Altos PI, f. 2000 em Brasília. Casou-se em <1937> com JOSÉ DA COSTA E SILVA [42.803a], n. 1918, f. 1999 em Brasília [Pires Ferreira, v. 2, t. 1, p. 106]. Pais de:
42804VIII-1Edwin Castello Branco e Silva [v. 42.807].
42805VIII-2Niwde Maria Castello Branco e Silva [v. 42.814].
42806VIII-3José da Costa e Silva Filho [v. 42.825].
42807VIII-1EDWIN CASTELLO BRANCO E SILVA, n. 12-05-1938 em Parnaíba, f. em São Luís. Farmacêutico. Casou-se com HELENA FRAZÃO [42.807a], n. 07-09-1945. Professora. Pais de:
42808IX-1Edilena Maia Castello Branco e Silva [v. 42.811].
42809IX-2Ricardo Frazão Castello Branco e Silva, n. 12-01-1971 em Curitiba PR. Desenhista.
42810IX-3Rodrigo Frazão Castello Branco e Silva, n. 11-09-1980 em São Luís.
42811IX-1EDILENA MAIA CASTELLO BRANCO E SILVA, n. 26-10-1967 em São Luís. Pedagoga. Casou-se com FERNANDO ANTÔNIO LOPES PONTES [42.811a], n. 31-10-1963. Pais de:
42812X-1Ana Tereza Castello Branco Pontes.
42813X-2Antônio Castello Branco Pontes.
42814VIII-2NIWDE MARIA CASTELLO BRANCO E SILVA, n. 26-04-1940 em Parnaíba. Médica formada em São Luís. Casou-se com WILLIAN WILSON VIDAL [42.814a], n. 18-12-1938 em Curitiba. Médico. Pais de:
42815IX-1Adriana Castello Branco Vidal [v. 42.818].
42816IX-2Andréia Castello Branco Vidal [v. 42.820].
42817IX-3Cristiane Castello Branco Vidal [v. 42.823].
42818IX-1ADRIANA CASTELLO BRANCO VIDAL, n. 04-05-1968 em Curitiba. Farmacêutica. Casou-se com HAMILTON GEVAERD JÚNIOR [42.818a], n. 01-02-1963 em Curitiba. Pais de:
42819X-1Felipe Vidal Gevaerd, n. 04-02-2001 em Curitiba.
42820IX-2ANDRÉIA CASTELLO BRANCO VIDAL, n. 24-08-1970 em Curitiba. Funcionária pública. Casou-se com LOURIVAL VIEIRA JÚNIOR [42.820a], n. 20-02-1965 em Curitiba. Pais de:
42821X-1Guilherme Vidal Vieira, n. 04-08-1997 em Curitiba.
42822X-2Giovana Vidal Vieira, n. 17-09-2001 em Curitiba.
42823IX-3CRISTIANE CASTELLO BRANCO VIDAL, n. 05-04-1975 em Curitiba. Dentista. Casou-se com DAVID CHARLES BERESFORD GOUGH [42.823a], n. 01-01-1979 na Austrália. Residentes em Curitiba. Pais de:
42824X-1Vincent Vidal Gough, n. 17-09-2009 em Curitiba.
42825VIII-3JOSÉ DA COSTA E SILVA FILHO [COSTINHA], n. 27-11-1962 em Parnaíba. Médico. Residente em Brasília. Casou-se com CLEURILENE FLAUZINO AMOR [42.825a], n. 19-08-1962. Funcionária pública. Pais de:
42826IX-1Gustavo Amor da Costa e Silva, n. 24-10-1999 em Brasília.
42827IX-2Otávio Amor da Costa e Silva, n. 18-05-2002 em Brasília.
42828VII-7JOSÉ RIBAMAR CASTELLO BRANCO, n. 1920 em Campo Maior PI, f. 2006 em Teresina. Funcionário dos Correios. Casou-se em <1953>, em Altos PI, com BENEDITA DE ABREU [42.828a]. Pais de:
42829VIII-1Vanda de Abreu Castello Branco [v. 42.840].
42830VIII-2Nilde de Abreu Castello Branco [v. 42.845].
42831VIII-3Humberto Castello Branco [v. 42.847].
42832VIII-4Ivanilde Castello Branco [v. 42.850].
42833VIII-5Marlinda Castello Branco [v. 42.854].
42834VIII-6Maria da Conceição Castello Branco, n. 24-08-1960 em Altos PI. Atua na área de turismo.
42835VIII-7Risania de Abreu Castello Branco [v. 42.856].
42836VIII-8Suzete de Abreu Castelo Branco, n. em Teresina, f. tb. em Teresina.
42837VIII-9Décimo Castello Branco, n. em Teresina, f. tb. em Teresina.
42838VIII-10José Ribamar Castello Branco Júnior [v. 42.859].
42839VIII-11Adriana Castello Branco [v. 42.860].
42840VIII-1VANDA DE ABREU CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Mãe de:
42841IX-1Samia Vanessa Castello Branco [v. 42.842].
42842IX-1SAMIA VANESSA CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Dentista. Casada com JOSÉ WILKINSON GOUVEIA [42.842a]. Pais de:
42843X-1Felipe Castello Branco Gouveia, n. em Teresina.
42844X-2Giovana Castello Branco Gouveia, n. em Teresina.
42845VIII-2NILDE DE ABREU CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Casou-se com JOSÉ GARCIA MOURA [42.845a]. Divorciados. Pais de:
42846IX-1Micaela Castello Branco Moura, n. em Teresina.
42847VIII-3HUMBERTO CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Casou-se com ANTÔNIA JOSÉLIA CAVALCANTE [42.847a]. Pais de:
42848IX-1José de Ribamar Castello Branco, n. em Teresina.
42849IX-2Ariadne Castello Branco, n. em Teresina.
42850VIII-4IVANILDE CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Casou-se com ZACARIAS SOARES [42.850a]. Pais de:
42851IX-1Maxwell Castello Branco, n. em Teresina.
42852IX-2Patricia Helen Castello Branco, n. em Teresina.
42853IX-3David Castello Branco, n. em Teresina.
42854VIII-5MARLINDA CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Casou-se com ANSELMO SOUZA CARVALHO [42.854a]. Pais de:
42855IX-1Tais Castello Branco.
42856VIII-7RISANIA DE ABREU CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Mãe de:
42857IX-1Viviane Abreu Castello Branco, n. em Teresina.
42858IX-2Thiago Castello Branco Santos, n. em Teresina.
42859VIII-10JOSÉ RIBAMAR CASTELLO BRANCO JÚNIOR, n. em Teresina. Casou-se com MARIA IZELDA MELLO [42.859a].
42860VIII-11ADRIANA CASTELLO BRANCO, n. em Teresina. Casou-se com FABRIZIO CAMPISI [42.860a]. Residentes na Itália. Pais de:
42861IX-1Isabelle Castello Branco Campisi, n. na Itália.
42862VII-8GERALDINA CASTELLO BRANCO, n. 1926 em Campo Maior. Casou-se em <1948>, em Teresina com PI ÁLVARO DE MELLO ROSÁRIO [42.862a], n. 1914 em Bebedouro SP, f. 1985 em Campinas SP. Militar. Após o casamento, foram residir em São Paulo. Pais de:
42863VIII-1Marcos Castello Branco Rosário [v. 42.877].
42864VIII-2Paulo Castello Branco Rosário, n. 13-10-1950 no bairro de Quitaúna, em Osasco SP. Dentista. Bancário.
42865VIII-3Pedro Castello Branco Rosário [v. 42.882].
42866VIII-4Cristina Castello Branco Rosário [v. 42.891].
42867VIII-5Inês Castello Branco Rosário [v. 42.895].
42868VIII-6Cecília Castello Branco Rosário [v. 42.898].
42869VIII-7João Castello Branco Rosário [v. 42.901].
42870VIII-8Teresa Castello Branco Rosário, n. 15-11-1959 em São Paulo. Bancária.
42871VIII-9Marta Castello Branco Rosário, n. 16-03-1961 em Araraquara SP. Coordenadora de vendas. Residente em Campinas em 2011.
42872VIII-10Ana Castello Branco Rosário [v. 42.904].
42873VIII-11Maria Castello Branco Rosário, n. 01-08-1964 em Campinas. Secretária.
42874VIII-12Márcia Castello Branco Rosário, n. 25-11-1965 em Campinas. Assistente técnica.
42875VIII-13Célia Castello Branco Rosário [v. 42.907].
42876VIII-14Luiz Castello Branco Rosário [v. 42.908].
42877VIII-1MARCOS CASTELLO BRANCO ROSÁRIO, n. 12-07-1949 em São Paulo. Advogado. Casou-se com KEIKO TANIKAWA [42.877a], n. 16-04-1949 em Campinas SP. Pais de:
42878IX-1Alexandre Tanikawa Rosário [v. 42.880].
42879IX-2Patrícia Tanikawa Rosário, n. 22-03-1981 em Campinas.
42880IX-1ALEXANDRE TANIKAWA ROSÁRIO [42.880a], n. 31-12-1974 em Campinas SP. Advogado. Casou-se com VITÓRIA [...]. Pais de:
42881X-1Maria Eduarda Rosário, n. em Campinas SP.
42882VIII-3PEDRO CASTELLO BRANCO ROSÁRIO, n. 19-11-1952 em Jaboticabal SP. Casou-se com ZÉLIA REGINA RODRIGUES [42.882a], n. 14-07-1954 em Campinas SP. Pais de:
42883IX-1Ricardo Rodrigues Rosário [v. 42.885].
42884IX-2Rúbia Rodrigues Rosário [v. 42.889].
42885IX-1RICARDO RODRIGUES ROSÁRIO, n. 26-03-1977 em Campinas SP. Casou-se com MARIA CAROLINA POLO [42.885a]. Pais de:
42886X-1Pedro Henrique Rosário, n. 20-12-2000 em Campinas.
42887X-2Luísa Polo Rosário, n. 21-12-2003 em Campinas.
42888X-3Felipe Polo Rosário, n. 31-03-2005 em Campinas.
42889IX-2RÚBIA RODRIGUES ROSÁRIO, n. 08-10-1979 em Campinas SP. Casou-se com KRISTIAN SILVA [42.889a]. Pais de:
42890X-1Bruna Rosário Silva, n. 13-09-2008 em Campinas.
42891VIII-4CRISTINA CASTELLO BRANCO ROSÁRIO, n. 04-04-1954 em São Paulo. Bióloga. Professora. Casou-se com REINALDO JARDIM DE OLIVEIRA [42.891a], n. 12-05-1957. Pais de:
42892IX-1Laís Rosário de Oliveira, n. 27-11-1988 em Piracicaba SP.
42893IX-2Davi Rosário de Oliveira, n. 19-08-1990 em Piracicaba SP.
42894IX-3Nádia Rosário de Oliveira, n. 09-01-1992 em Piracicaba SP.
42895VIII-5INÊS CASTELLO BRANCO ROSÁRIO, n. 17-08-1955 em São Paulo. Casou-se com LUIZ ANTÔNIO FREITAS LOPES [42.895a], n. 20-02-1953 em Campinas SP. Oficial da Aeronáutica. Residentes em Pirassununga SP em 2011. Pais de:
42896IX-1Guilherme Rosário Freitas Lopes, n. 06-07-1982 em Campinas SP.
42897IX-2Mariana Rosário Freitas Lopes, n. 05-03-1984 em Campinas SP.
42898VIII-6CECÍLIA CASTELLO BRANCO ROSÁRIO, n. 24-10-1956 em São Paulo. Casou-se com CARLOS EDUARDO HERRERA BRAGA [42.898a], n. 12-07-1955 em Campinas SP, f. tb. em Campinas. Pais de:
42899IX-1Fernanda Rosário Braga, n. 16-11-1985 em Campinas SP.
42900IX-2Bruno Rosário Braga, n. 03-01-1989 em Campinas SP.
42901VIII-7JOÃO CASTELLO BRANCO ROSÁRIO, n. 20-04-1958 em São Paulo. Chefe de logística na IBM [2011]. Casou-se com CLARICE PARIZ [42.901a], n. 12-04-1962 em Campinas SP. Residentes em Campinas em 2011. Pais de:
42902IX-1Alex Pariz Rosário, n. 06-11-1989 em Campinas.
42903IX-2Lucas Pariz Rosário, n. 16-11-1993 em Campinas.
42904VIII-10ANA CASTELLO BRANCO ROSÁRIO, n. 18-03-1963 em Campinas SP. Bióloga. Casou-se com ANTÔNIO PEREIRA PEIXOTO [42.904a], n. 15-01-1954 em Amarante, Portugal. Residentes na Alemanha. Pais de:
42905IX-1Walter Rosário Peixoto, n. 13-02-1993 em Israel (de nacionalidade portuguesa).
42906IX-2Antônia Rosário Peixoto, n. 06-01-1996 em Israel (de nacionalidade portuguesa).
42907VIII-13CÉLIA CASTELLO BRANCO ROSÁRIO, n. 30-06-1967 em Campinas SP. Assistente social. Casou-se com SERAFIM GODOY RICCI [42.907a], n. 16-09-1969 em Campinas.
42908VIII-14LUIZ CASTELLO BRANCO ROSÁRIO, n. 10-08-1969 em Campinas SP. Casou-se com ANA CLÁUDIA DELLA TORRE [42.908a], n. 26-01-1966 em Campinas. Pais de:
42909IX-1Letícia Della Torre Rosário, n. 21-12-2000 em Campinas.
42910V-2LUIZ MARIZ DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. no sítio-fazenda Lagoa da Mata. Casou-se com MARIA DE CASTRO LIMA [42.910a].
42911V-3FRANCISCO DA CUNHA CASTELLO BRANCO [filho], n. na freguesia de Nossa Senhora do Amparo, em Teresina. Advogado formado no Recife em 1870. Casou-se em 28-09-1865 no Recife, em oratório particular na freguesia da Boa Vista, em cerimônia celebrada pelo padre Joaquim Grou de Araújo e tendo como testemunhas o desembargador José Agrocio Accioly de Vasconcellos e o dr. Joaquim Pires Machado Portella [Livro 3, fl. 128v., matriz do Santíssimo Sacramento da Boa Vista], com EUPHROSINA CLARA DE LIMA [42.910a], n. na freguesia de Nossa Senhora da Visitação, em Oeiras PI. Filha do dr. Cândido José Casado de Lima e de Maria Clara da Fonseca. Foram pais de:
42912VI-1Maria Adelaide Castello Branco [v. 42.913].
42913VI-1MARIA ADELAIDE CASTELLO BRANCO, n. 15-04-1868 no Recife, b. 06-01-1869 na igreja matriz do Santíssimo Sacramento da Boa Vista, tendo como padrinhos Maria Clara da Fonseca [Lima], sua avó, e Joaquim Clementino de Sousa Martins. Casou-se em 11-01-1896 no Recife, na igreja de Nossa Senhora da Paz dos Afogados [Livro 8, fl. 73], com ARTHUR MARQUES D'AMORIM [42.913a], n. 30-10-1859 no Recife, f. 17-12-1917 tb. no Recife. Comerciante no Recife. Filho de Eugênio Marques d'Amorim (n. 09-05-1829 no Recife, f. 16-02-1902 tb. no Recife; comerciante) e de Henriqueta Marques d'Amorim (n. 1837 no Recife, f. 31-01-1912 tb. no Recife), primos entre si [Lins, 2007, t. 1, p. 39-197].
42914V-4ANTÔNIO DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. no sítio-fazenda Lagoa da Mata. Casou-se com FLORÊNCIA [...] [42.914a]: Pais de:
42915VI-1Florêncio da Cunha Castello Branco, n. em Livramento.
42916VI-2Elvira da Cunha Castello Branco [v. 42.919].
42917VI-3Joaquina da Cunha Castello Branco [v. 42.920].
42918VI-4Raymunda da Cunha Castello Branco [v. 42.925].
42919VI-2ELVIRA DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. em Livramento PI. Casou-se com FRANCISCO MENDES DA SILVA [42.919a].
42920VI-3JOAQUINA DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. em Livramento PI (atual José de Freitas), f. 1934 em União PI. Casou-se em 1888, em Livramento, com LUÍS DE SOUZA PIRES [42.920a], n. 1864 em Lagoa dos Lages, no município de Barras PI, f. 1934 em Parnaíba. Fazendeiro, residia em 1906 na fazenda Caiçaras, no município de Livramento. Filho de José de Souza Pires (n. 1835 na fazenda Beiru, f. na fazenda Olho d'Água dos Pires) e de Lúcia Maria Perpétua da Conceição de Souza. Neto paterno de Marianna de Deus Pires Ferreira e de Luiz de Souza Fortes Bustamante de Sá Menezes [segundo do nome] [filho], primos entre si [Pires Ferreira, 1993, v. 3, t. 1, p. 127-8, 160, 174]. Joaquina da Cunha Castello Branco e Luís de Souza Pires foram pais de:
42921VII-1José de Souza Pires [v. 42.923].
42922VII-2Raimundo de Souza Pires [v. 42.924].
42923VII-1JOSÉ DE SOUZA PIRES [ZECA], n. 03-01-1889 na fazenda da Limpeza, no município de Livramento PI (atual José de Freitas). Em 1990 residia na fazenda Segurança, em Altos PI. Fazendeiro. Casou-se em primeiras núpcias em 06-07-1912, em Livramento, com MARIA DO CARMO SAMPAIO [42.923a], n. em Livramento, f. na fazenda Segurança, em Altos.
42923_2nVII-1... JOSÉ DE SOUZA PIRES casou-se em segundas núpcias com ERUNDINA ALVES [42.923b], n. em Boa Viagem CE.
42924VII-2RAIMUNDO DE SOUZA PIRES [BIDOCA], n. na fazenda da Limpeza, no atual município de Esperantina PI. Casou-se em primeiras núpcias, em Livramento (atual José de Freitas), com JANUÁRIA [...] [42.924a], n. em Livramento, f. tb. em Livramento. s/g
42924_2nVII-2... RAIMUNDO DE SOUZA PIRES [BIDOCA] casou-se em segundas núpcias, em Livramento, com TERESA ROCHA [42.924b], n. em Livramento, f. tb. em Livramento.
42924_3nVII-2... RAIMUNDO DE SOUZA PIRES [BIDOCA] casou-se em terceiras núpcias em 1920, na fazenda Boqueirão, no município de Campo Maior PI, com sua prima GUIOMAR CASTELLO BRANCO [PEPITA] [42.924c], n. 05-05-1898 no sítio-fazenda Lagoa da Mata, em Campo Maior, f. 07-10-1963 em Teresina. [V. descendência dos filhos de Joaquina da Cunha Castello Branco e Luís de Souza Pires em: Pires Ferreira, 1992, v. 3, t. 1, p. 160, 178.]
42925VI-4RAYMUNDA DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. em Livramento. Casou-se com JOSÉ BORGES DA SILVA [42.925a].
42926V-5JOAQUINA ROSA CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. no sítio-fazenda Lagoa da Mata. Casou-se com BENJAMIM DO REGO MONTEIRO [42.926a], n. em Estanhado PI (atual cidade de União) [v. 45.211]. Filho de João do Rego Monteiro, barão de Gurguéia, e de Delmira dos Anjos do Rego Henriques, primos entre si. [V. descendência do casal em: 45.247.]
42927V-6MARIA DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. no sítio-fazenda Lagoa da Mata. Casou-se com CUSTÓDIO DA COSTA MARQUES [42.927a]. Foram pais de:
42928VI-1José da Costa Marques.
42929VI-2Raymundo da Costa Marques.
42930VI-3Francisco da Costa Marques [v. 42.931].
42931VI-3FRANCISCO DA COSTA MARQUES. Casou-se com FIRMINA [...] [42.931a]. Pais de:
42932VII-1Mordocheu da Costa Marques [v. 42.933].
42933VII-1MORDOCHEU DA COSTA MARQUES. Casou-se com RAYMUNDA MEIRELLES [42.933a].
42934V-7ROSA DA CUNHA CASTELLO BRANCO, n. no sítio-fazenda Lagoa da Mata. Casou-se com CARLOS DE SOUSA MARTINS [42.934a]. Médico formado em Salvador. Descendente de Manoel de Sousa Martins (n. em Portugal, f. em Jaicós PI) e de Anna Rodrigues de Sant'Anna [Moya, 1941, v. 3, p. 236-8]. Pais de:
42935VI-1Benjamim de Sousa Martins [v. 42.940].
42936VI-2Evandro de Sousa Martins.
42937VI-3Abelardo de Sousa Martins.
42938VI-4Jayme de Sousa Martins.
42939VI-5Constança de Sousa Martins [v. 42.951].
42940VI-1BENJAMIM DE SOUSA MARTINS. Casou-se com MARIA DE JESUS SILVA [42.940a]. Pais de:
42941VII-1Rosa Silva Martins.
42942VII-2Zelhida Silva Martins [v. 42.948].
42943VII-3Maria de Lourdes Silva Martins [v. 42.949].
42944VII-4Christina Silva Martins [v. 42.950].
42945VII-5Florissa Silva Martins.
42946VII-6Zulmira Silva Martins.
42947VII-7Evangelina Silva Martins.
42948VII-2ZELHIDA SILVA MARTINS. Casou-se com AARÃO PORTELA PARENTES [42.948a].
42949VII-3MARIA DE LOURDES SILVA MARTINS. Casou-se com seu primo CÉSAR DA COSTA DO REGO MONTEIRO [42.949a] [v. 45.267]. Filho de Benjamim do Rego Monteiro e de Maria da Costa.
42950VII-4CHRISTINA SILVA MARTINS. Casou-se com MANUEL DE RESENDE LIMA.
42951VI-5CONSTANÇA DE SOUSA MARTINS. Casou-se com FRANCISCO GONÇALVES MEIRELLES FILHO [42.951a]. Pais de:
42952VII-1Raymundo de Sousa Martins Meirelles.
42953V-8OLYMPIA CASTELLO BRANCO, n. no sítio-fazenda Lagoa da Mata. Casou-se em primeiras núpcias com MANUEL ELVAS [42.953a]. Irmão de Maria, Antônia e Francisca Elvas, tendo as três irmãs contraído matrimônio com Augusto da Cunha Castello Branco, barão de Campo Maior [v. 42.596]. Foram pais de:
42954VI-1Manuel Pereira do Nascimento Elvas.
42955VI-2Affonso da Cunha Elvas [v. 42.960].
42956VI-3Maria Castello Branco Elvas.
42953_2nV-8... OLYMPIA CASTELLO BRANCO casou-se em segundas núpcias com LUIZ ARARIPE [42.953a] [v. 40.853] [Moreira, 2005, p. 237-246]. Foram pais de:
42957VI-4Luiz Araripe Filho.
42958VI-5Montano de Alencar Araripe.
42959VI-6Childerico de Alencar Araripe.
42960VI-2AFFONSO DA CUNHA ELVAS. Casou-se com BERNARDA ALVINA DE AZEVEDO [42.960a].
42961IV-2LINA CLARA CASTELLO BRANCO, n. 1799 na vila do Campo Maior, f. 25-09-1868 em Livramento (atual José de Freitas), s. primeiro em Livramento e depois, definitivamente, em Teresina, no cemitério de São José, ao lado do marido.
Casou-se em maio de 1820, na vila de Campo Maior, com JACOB MANUEL D'ALMENDRA [42.961a], n. ??-05-1796 na freguesia da Trindade, arcebispado de Braga, província de Trás-os-Montes, em Portugal, f. 24-08-1859 em Livramento, s. primeiro em Livramento e depois, definitivamente, em Teresina, no cemitério de São José [v. 45.083]. Jacob Manuel d'Almendra era filho de Manuel Caetano de Carvalho e de Maria José d'Almendra. Sobrinho do padre Almendra, João Manuel d'Almendra [v. Apêndice: Padre Almendra]. Lina Clara Castello Branco e Jacob Manuel d'Almendra foram residir no sítio-fazenda São Domingos, que receberam como dote de casamento dos pais da noiva, sítio que com essa união floresceu e transformou-se em uma das maiores propriedades rurais do século XIX no Nordeste brasileiro [Barbosa et al., 1984, p. 37-9]. [V. descendência do casal em 45.083.]
42962III-6ANNA ROSA CLARA CASTELLO BRANCO, n. no antigo município de Campo Maior. Casou-se em Campo Maior com seu primo MIGUEL DE CARVALHO E SILVA [42.962a], n. <1740> em Jacobina (Jacobina do Norte ou Jacobina Velha), na Bahia, f. 11-09-1835, com idade muito avançada, na fazenda da Limpeza, no atual município de Esperantina PI [v. 40.615]. Filho de Antônio Carvalho de Almeida e de Maria Eugênia de Mesquita Castello Branco [Ferraz et al., 1926, p. 20, 186-7]. [V. descendência do casal em 40.913.]
42963II-5ISABEL DA CUNHA E SILVA CASTELLO BRANCO, n. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, localizada no antigo povoado de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior, no Piauí, perto da fazenda São Pedro, onde mais tarde seria a sede do distrito de Livramento (atual José de Freitas), f. 1776 em sua fazenda Buritizinho, onde hoje se encontra a cidade de Barras.
Casou-se na casa-grande da fazenda Boa Esperança com MANUEL DA CUNHA CARVALHO [42.963a], n. em Celorico de Basto, distrito de Braga, em Portugal, f. presumidamente em 1776 em sua fazenda Buritizinho. Veio para o Brasil e estabeleceu-se ao norte da freguesia de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior, onde implantou muitas fazendas de criação de gado: Buritizinho (onde hoje está localizada a cidade de Barras), Alagoas (na margem do rio Parnaíba), São João (hoje conhecida como Currais Novos), Estanhadinho (hoje no município de União), Riachão de Dentro, Cabeceiras, Conceição, Corredeiras (na margem do riacho de Dentro), Calção Redondo (ou Poço Redondo), São Domingos e Campo Largo.
Em meados do século XVIII, o coronel Miguel Carvalho de Aguiar, natural da província da Bahia, começou a edificar na atual cidade de Barras uma capela que não terminou. Essa cidade se desenvolveu no centro de seis barras de rios e riachos - a do Marataoã, a do riacho do Ininga, a dos Gentis, a do Riachão, a do riacho Santo Antônio e a do rio Corrente -, devendo a esse fenômeno natural o seu topônimo. Em 1759, Manuel da Cunha Carvalho, fazendeiro abastado, concluiu em muito pouco tempo, com a ajuda de outros fiéis, a capela de Nossa Senhora da Conceição das Barras, hoje não mais existente. Somente em ??-12-1839, oito décadas mais tarde, seria criada a freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Barras. Pouco antes de falecer, Manuel da Cunha Carvalho constituiu como herdeiro seu sobrinho Manuel José de Cunha, casado com Ignacia Pereira Tereza Castello Branco [v. 42.583]. Deixou-lhe todo o seu patrimônio, com exceção apenas de uma boa quantia em dinheiro para o fundo de dotação da capela de Nossa Senhora da Conceição das Barras, que entregara ao sobrinho em 08-12-1776 para que a administrasse. Em 22-08-1819, a administração da capela passaria a outro parente, agora de sua esposa, José Carvalho de Almeida [v. 40.621], o qual, em 14-07-1831, lançou os fundamentos de uma nova capela que depois se tornaria a matriz de Barras. A antiga capelinha ficou contida no recinto desta, mas, já ameaçando ruir, foi demolida em 1835. A capela do Santíssimo Sacramento da matriz da vila de Barras foi edificada por José Carvalho de Almeida e, como é sabido, consta de uma alegação sua, em petição datada de 1868 e dirigida à Assembleia provincial do Piauí [Borges, 1878, p. 81-5; Carvalho, 2007, p. 74; Pereira da Costa, 1909, p. 112, 254-5; Pires Ferreira, org., 1959, v. 15, p. 424]. s/g
42964II-6ARCHANGELA ÚRSULA DA CUNHA MESQUITA CASTELLO BRANCO, n. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, localizada no antigo povoado de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior, f. em Oeiras. Casou-se na casa-grande da fazenda Boa Esperança com LUIZ CARLOS PEREIRA DE ABREU BACELLAR [primeiro do nome] [42.964a], n. em Portugal, f. em Oeiras. Capitão-mor. Foram pais de:
42965III-1Luiz Carlos Pereira de Abreu Bacellar [segundo do nome] [v. 42.970].
42966III-2João Leite Pereira Castello Branco, n. em Oeiras. Tenente-coronel de infantaria. Em 20-11-1793 recebeu licença do bispado do Maranhão para erigir oratório público na freguesia de Piracuruca [Mello, 1991, p. 69]. Membro da junta de governo da província do Piauí em 13-06-1813. Com a ajuda do vereador da comarca de Oeiras João Gomes Caminha, prendeu o desembargador, ouvidor e corregedor da comarca do Piauí Luiz José de Oliveira, que também integrava a junta de governo da província. Como resultado dessa operação, em 28-11-1814 tanto João Leite Pereira Castello Branco como João Gomes Caminha foram destituídos da junta de governo e remetidos presos para uma fortaleza em São Luís do Maranhão [Pereira da Costa, 1909, p. 125-6].
42967III-3Antônio José Leite Pereira Castello Branco [v. 42.972].
42968III-4Pedro Luiz Leite Pereira Castello Branco, n. em Oeiras.
42969III-5Félix Luiz Leite Pereira Castello Branco, n. em Oeiras.
42970III-1LUIZ CARLOS PEREIRA DE ABREU BACELLAR [segundo do nome] [LUIZ CARLOS DA SERRA NEGRA], n. em Oeiras. Coronel. Membro da junta de governo da província do Piauí em 1811, ao lado de Luiz José de Oliveira, Severino Coelho Rodrigues e Amaro Joaquim Raposo de Albuquerque. Em 13-06-1813, foi substituído na junta por seu irmão, o tenente-coronel João Leite Pereira Castello Branco.
Em 13-09-1803, foi barbaramente assassinado em Oeiras Antônio Pedro Nunes, advogado e secretário interino da junta de governo, sendo sua morte atribuída em geral ao ouvidor José Pedro Fialho de Mendonça, em conluio com Luiz Carlos Pereira de Abreu Bacellar e seu primo Antônio do Rego Castello Branco [v. 40.484]. O coronel Luiz Carlos Pereira de Abreu Bacellar [segundo do nome] era alcunhado "o temido", provavelmente, entre outras razões, por estar envolvido nas lutas contra as nações indígenas.
Era proprietário da fazenda Serra Negra em Oeiras, cujo nome foi tirado de uma serra em Pernambuco. Essa fazenda - que possuía casa-grande, uma capela dedicada à Senhora Santana, currais de pedra e campos vastíssimos e férteis para a criação de bovinos, equinos, ovinos e caprinos - passaria para as mãos de Ney Leôncio Pereira Ferraz e de Maria Augusta de Aguiar [v. 42.496], por herança desta. A famosa fazenda Serra Negra esteve também nas mãos do brigadeiro Manoel de Sousa Martins, visconde da Parnaíba e presidente da província do Piauí, e dele passaria a seus descendentes, como seu bisneto e desembargador Helvídio Clementino de Aguiar [1848-1936]. Em 15-03-2006, o governador do Piauí, Wellington Dias, determinou por decreto o tombamento da Serra Negra e todo o seu entorno. Luiz Carlos Pereira de Abreu Bacellar [segundo do nome casou-se com LUZIA PERPÉTUA CARNEIRO DE SOUTO MAYOR [42.970a]. Filha de Aires Carneiro Homem de Souto Mayor (coronel de milícias no Maranhão; cavalheiro da Ordem de Cristo) e de Maria Joaquina Belford [Barata, Cunha Bueno, 2000, t. 1, v. 1, p. 23-4; Bastos, 1994, p. 528; Ferraz et al., 1926, p. 18-9; Pereira da Costa, 1909, p. 109, 121-2]. Foram pais de:
42971IV-1Luiz Carlos Pereira de Abreu Bacellar Castello Branco, n. em Oeiras. Moço fidalgo da Casa Imperial. Cavalheiro da Ordem de Cristo. Deputado da Real Junta do Tabaco.
42972III-3ANTÔNIO JOSÉ LEITE PEREIRA CASTELLO BRANCO, n. em Oeiras. Coronel. Funcionário real no Piauí. Casou-se em Oeiras com sua prima ANNA PULCHERIA DO MONTE SERRATE CASTELLO BRANCO [42.972a], n. em Oeiras [... primeiras núpcias desta] [v. 40.483]. Filha de João do Rego Castello Branco e de Perpétua Luíza de Barros Taveira. [V. descendência do casal em 40.610.]
42973II-7FRANCISCA DA CUNHA MESQUITA CASTELLO BRANCO, n. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, no antigo distrito de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior, perto da fazenda São Pedro, onde mais tarde seria a sede do distrito de Livramento (atual José de Freitas), f. tb. em Livramento, já então uma vila. Herdou a fazenda Boa Esperança. Casou-se em sua já fazenda Boa Esperança com DOMINGOS FERNANDES [42.973a], n. em Portugal, f. na vila de Livramento. Ao se casar, residia em fazenda de sua propriedade, no lugar Estanhado, atual cidade de União PI.
Instalando-se na fazenda Boa Esperança, Domingos Fernandes mandou demolir sua casa-grande, que fora construída por Manuel Carvalho de Almeida [v. 41.101]. Tratava-se de uma edificação de taipa, tal como a famosa capela da fazenda - conhecida como a "capela do Livramento" -, contígua à casa-grande. Ali, no mesmo local, Domingos Fernandes ergueu uma outra casa para sua moradia. A capela de Nossa Senhora do Livramento, contudo, foi poupada da demolição quando da partilha dos bens deixados pelos pais de Francisca, tendo sido legada a outros filhos [Pereira da Costa, 1909, p. 341].
Francisca da Cunha Mesquita Castello Branco e Domingos Fernandes foram pais de:
42974III-1Frutuoso Fernandes Castello Branco. Casou-se?
42975III-2José Fernandes Castello Branco. Casou-se?
42976III-3Anna Fernandes da Cunha Castello Branco. Casou-se?
42977II-8ANNA EUGÊNIA DE CASTELLO BRANCO, n. na fazenda Boa Esperança, no antigo distrito de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior, f. tb. em Campo Maior. Casou-se na casa-grande da fazenda Boa Esperança com MANUEL ANTÔNIO TORRES [42.977a], n. em Portugal, f. em Campo Maior. Residiam na vila de Campo Maior. Pais de:
42978III-1Raymundo Torres Castello Branco. Casou-se?
42979II-9CLARA DA CUNHA E SILVA CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. na casa-grande da fazenda Boa Esperança, no antigo distrito de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior, onde mais tarde seria a sede do distrito de Livramento (atual José de Freitas), f. na fazenda São Pedro, propriedade de Manuel Carvalho de Almeida e próxima da Boa Esperança. As terras da fazenda São Pedro - recebidas por Clara como dote de seus pais - passariam a pertencer ao município de Livramento (atual José de Freitas).
Casou-se em 1741, na fazenda São Pedro, com JOÃO BORGES LEAL [42.979a], n. em Portugal, f. 20-09-1759 na fazenda São Pedro, em Campo Maior. Rico fazendeiro no antigo distrito de Santo Antônio do Surubim de Campo Maior. João Borges Leal receoso de que a capela de Nossa Senhora do Livramento, que outrora fizera parte da fazenda Boa Esperança, viesse a desabar, por ser de taipa e em consequência do mal estado em que se apresentava, submeteu-a a grandes reparos, ou melhor, reedificou-a completamente. Entretanto, foi Estevão Lopes Castello Branco [v. 40.268], casado com Anna Marques, quem empreendeu as melhores reformas de conservação na antiga capela [Castello Branco Filho, 1979, p. 7; Ferraz et al., 1926, p. 19-20; Pereira da Costa, 1909, p. 340-1; Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 172].
Irmão de Albino Borges Leal, que se radicou em Piracuruca [v. 40.034]. Irmão de Francisco Borges Leal, que foi para a região de Buriti dos Lopes. Irmão de Antônio Borges Marinho, que foi para Ribeira e Guaribas, na região de Picos. Irmão de Joana Borges Leal, que foi para uma fazenda em Itaueiras, também na região de Picos. Filho do tenente-coronel do Exército português João Borges Marinho de Brito [Marim] e de Anna de Souza, que chegaram à Bahia em 1725 e que entre 1730 e 1740 passaram à região de Oeiras PI [Carvalho, 2007, p. 75-6; Castello Branco Filho, 1982, p. 30].
Clara da Cunha e Silva Castello Branco e João Borges Leal foram pais de:
42980III-1Antônio Borges Leal Castello Branco [primeiro do nome], n. 1742 na casa-grande da fazenda São Pedro, em Campo Maior, f. 1810 em Salvador, na Bahia. Cônego. Deão da sé de Salvador. Era seminarista em São Luís quando do falecimento de seu pai, em 1759, na fazenda São Pedro. Chegou ao encontro de sua mãe em 23-12-1759, na fazenda São Pedro, e no dia 25 foi ouvir a missa de Natal na capela da fazenda Boa Esperança, capela esta contígua à casa-grande, ambas já fazendo parte do povoado que viria a ser a vila e depois cidade de Livramento, atual José de Freitas. Na ocasião, lamentou o estado da capela e o descaso de seus parentes em relação a ela. Depois da estadia de alguns meses com sua mãe na fazenda São Pedro, retornou ao seminário em São Luís, ordenando-se sacerdote em janeiro de 1767. Pouco depois foi para Lisboa, voltando ao Brasil em 1777 como cônego da sé de Salvador, da qual posteriormente seria o deão. Apesar de residir longe da capela de Nossa Senhora do Livramento, sempre se preocupou com sua preservação [Borges, 1878, p. 43-8; Pereira da Costa, 1909. p. 341-2]. s/g
42981III-2João Borges Leal Castello Branco, n. na casa-grande da fazenda São Pedro, em Campo Maior. Solteiro.
42982III-3Bernarda da Silva Castello Branco, n. na casa-grande da fazenda São Pedro. Solteira.
42983III-4Francisco Borges Leal Castello Branco [v. 42.990].
42984III-5Bernardo Borges Leal [primeiro do nome] [v. 42.993].
42985III-6Clara da Cunha Castello Branco [terceira do nome] [v. 43.021].
42986III-7Mathias Borges Leal, n. na casa-grande da fazenda São Pedro, f. criança.
42987III-8Carlos Luiz Borges Leal.
42988III-9Paula da Cunha Castello Branco.
42988III-10Manuel Borges Leal, n. na casa-grande da fazenda São Pedro, f. criança. ATENÇÃO
42989III-4FRANCISCO BORGES LEAL CASTELLO BRANCO [FRANCISCO BORGES LEAL ou FRANCISCO BORGES], n. 1744 na casa-grande da fazenda São Pedro, em Campo Maior, f. no antigo povoado de Barras, hoje cidade de Barras. Foi procurador e administrador dos bens deixados em testamento por Manuel da Cunha Carvalho, casado com Isabel da Cunha e Silva Castello Branco [v. 42.963] - esta, tia de Francisco Borges Leal Castello Branco -, e dos bens deixados por Manuel José da Cunha, casado com Ignacia Pereira Tereza Castello Branco [v. 42.583] -esta, prima de Francisco Borges Leal Castello Branco. Em 1805, sob sua administração, foram terminadas as obras da capela de Nossa Senhora da Conceição, em Barras. É citado por alguns autores como Francisco Borges Leal ou Francisco Borges [Borges, 1878, p. 68-9; Ferraz et al., 1926, p. 19; Pereira da Costa, 1909, p. 112, 254-5; Pires Ferreira, org., 1959, v. 15, p. 424].
Francisco Borges Leal Castello Branco casou-se com ANNA ROSA DO LAGO [42.989a]. Foram pais de:
42990IV-1Francisca Castello Branco [primeira do nome] [v. 42.991].
42991IV-1FRANCISCA CASTELLO BRANCO [primeira do nome], n. no município de Campo Maior, f. na cidade de Barras. Casou-se com seu primo JOSÉ CARVALHO DE ALMEIDA [42.991a], n. 1770 no sítio-fazenda do Meio, no antigo município de Barras, f. 30-03-1869 tb. em Barras [v. 40.620]. Filho de Antônio Carvalho de Almeida [filho] e de Anna Maria da Conceição Rodrigues. [V. descendência do casal em 40.621.]
42992III-5BERNARDO BORGES LEAL [primeiro do nome], n. 1746 na casa-grande da fazenda São Pedro, em Campo Maior, f. no antigo município de Livramento (atual Barras). Casou-se com [...] [42.993a] [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 172]. Foram pais de:
42993IV-1Antônio Borges Leal [v. 42.995].
42994IV-2Francisco Borges Leal [primeiro do nome]. Casou-se com uma prima [v. 40.632].
42995IV-1ANTÔNIO BORGES LEAL, n. no município de Barras. Casou-se com VENERANDA FRANCISCA DE ALMEIDA [42.995a]. Foram pais de:
42996V-1Maria Magdalena da Paz Borges Leal [v. 43.001].
42997V-2Francisca Borges Leal [primeira do nome] [v. 43.016].
42998V-3Bernardo Borges Leal [segundo do nome] [v. 43.019].
42999V-4Francisco Borges Leal [terceiro do nome], n. em Barras.
43000V-5Marcelino Borges Leal [v. 43.020].
43001V-1MARIA MAGDALENA DA PAZ BORGES LEAL, n. na freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Barras. Casou-se em 17-09-1850 na fazenda Olho d'Água, na freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Barras, com LAURENTINO GOMES DA SILVA REBELLO [43.001a] [... primeiras núpcias deste], n. na freguesia de Santo Antônio da vila de Campo Maior, f. na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI, sendo testemunhas de casamento o dr. Luiz Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.129] e o tenente Antônio de Souza Coutinho. Fazendeiro, proprietário da fazenda Jabuti. Irmão de Jerônimo Gomes da Silva Rebello. Filho de José Gomes de Rebello (n. em Portugal, f. já em 17-09-1850, quando do casamento de seu filho Laurentino) e de Umbellina Francisca do Rosário [ou Umbellina Rosa de Jesus] [Livro de casamento n. 1, fl. 7, de 1850-1854, da freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Barras] [Castello Branco Filho, 1983, p. 37; Ferraz et al., 1926, p. 19; Melo, 1983, p. 97, 134, 141]. Foram pais de:
43002VI-1Patriotino Gomes Rebello [v. 43.009].
43003VI-2Serafina Maria da Paz Gomes Rebello [v. 43.010].
43004VI-3Umbellino Gomes Rebello [v. 43.011].
43005VI-4Estevão Gomes Rebello [v. 43.012].
43006VI-5José Gomes Rebello [v. 43.013].
43007VI-6Venerando Gomes Rebello [v. 43.014].
43008VI-7Laurentina Maria da Paz Gomes Rebello [v. 43.015].
43009VI-1PATRIOTINO GOMES REBELLO, n. <1852> na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI, f. 05-03-1897 em Manaus. Casou-se em 26-10-1882, em Barras, com ANTÔNIA DE LIMA CASTELLO BRANCO PIRES FERREIRA [TUNICA] [43.009a], n. 26-05-1865 na fazenda Buriti, no município de Barras, f. 17-09-1958 em Parnaíba [v. 43.828]. Filha de José Pires Ferreira [neto] e de Umbellina Antônia de Lima Castello Branco.
43010VI-2SERAFINA MARIA DA PAZ GOMES REBELLO, n. <1853>na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI. Casou-se em 07-01-1872, na vila de Barras, com seu tio MARCELINO BORGES LEAL [43.010a], n. em Batalha [v. 43.000]. Filho de Antônio Borges Leal e de Veneranda Francisca de Almeida.
43011VI-3UMBELLINO GOMES REBELLO, n. 07-09-1855 na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI. Casou-se em 26-05-1880, no Retiro da Boa Esperança, atual Esperantina PI, com MARIA DA ASSUMPÇÃO PIRES LAGES [43.011a], n. 12-10-1863 na fazenda Esperança, no município de Barras, f. 1945 [v. 43.984]. Filha de Manuel Rodrigues Lages [segundo do nome] e de Maria da Assumpção Pires Ferreira [segunda do nome] [v. 43.816], primos entre si.
43012VI-4ESTEVÃO GOMES REBELLO, n. <1857> na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI, f. 22-04-1902 em Parnaíba. Casou-se em 29-10-1888 no engenho Paraíso, em São Bernardo MA, com CARLOTA PIRES DE CASTRO [AZINHA] [43.012a], n. 29-10-1871 no engenho Paraíso, f. 07-04-1952 em Teresina. Filha de Anna Lina Pires Ferreira [v. 43.886] e de Francisco Florindo de Souza Castro, primos entre si. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 143-9.]
43013VI-5JOSÉ GOMES REBELLO, n. 1859 em Batalha. Casou-se em 15-10-1887, na vila de Barras, com MARIA DO PATROCÍNIO DO REGO [43.013a], n. 1867 [v. 44.915]. Filho de Silvestre José do Rego e de Victoria Angélica Castello Branco.
43014VI-6VENERANDO GOMES REBELLO, n. 1861 na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI. Casou-se em 20-10-1885, na vila de Barras, com FILOMENA VICTORIA DO REGO [43.014a], n. 1870 no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios) [v. 44.913]. Filha de Silvestre José do Rego [v. 44.206] e de Victoria Angélica Castello Branco.
43015VI-7LAURENTINA MARIA DA PAZ GOMES REBELLO [LOURA], n. 18-10-1865 na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI, f. 09-06-1942 tb. em Miguel Alves. Casou-se em 1880, na fazenda Cágados, em Barras, com JOAQUIM JOSÉ DO REGO FILHO [43.015a], n. 02-08-1839 no Peixe (atual Nossa Senhora dos Remédios), f. na fazenda Peixão [v. 44.205]. Filho de Joaquim José do Rego e de Anna Rosa Castello Branco [segunda do nome] [v. 44.199 e 42.407].
43016V-2FRANCISCA BORGES LEAL [primeira do nome], n. em Barras, f. na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI. Casou-se em Barras com seu cunhado LAURENTINO GOMES DA SILVA REBELLO [43.016a] [... segundas núpcias deste]. Foram pais de:
43017VI-1Francisco Borges Rebello [v. 43.018].
43018VI-1FRANCISCO BORGES REBELLO, n. na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI. Casou-se com ROSA FORTES CASTELLO BRANCO [43.018a]. Filha de Antônio Fortes Castello Branco [primeiro do nome] e de Georgina Rosa Corrêa de Jesus [v. 42.335], primos entre si. Neta paterna de Antônio de Souza Fortes e de Raymunda Corrêa de Jesus Castello Branco, primos entre si. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1992, v. 2, p. 16, 253, 262; 1990, v. 4, p. 172-3.]
43019V-3BERNARDO BORGES LEAL [segundo do nome], n. 22-12-1855 em Barras, f. 13-04-1937 em São Luís. Guarda-livros formado na Inglaterra. Tesoureiro da Alfândega de Parnaíba até 1907. Fundou em Belém do Pará uma marchantaria (estabelecimento que negocia gado de corte). Coronel da Guarda Nacional. Casou-se em 30-07-1887 no engenho Paraíso, no município de São Bernardo MA, com LINA ANGÉLICA PIRES FERREIRA [SINHARA] [43.019a], n. 10-11-1860 no engenho Paraíso, f. 26-07-1930 em São Luís. Filha de Maria de Deus Pires Ferreira [Mãe Dona] [v. 43.885] e de João de Deus Pires Ferreira, primos entre si. [V. descendência do casal em: Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 107-18.]
43020V-5MARCELINO BORGES LEAL, n. em Barras. Casou-se em 07-01-1872, na vila de Barras, com sua sobrinha SERAFINA MARIA DA PAZ GOMES REBELLO [43.020a], n. <1853> na fazenda Jabuti, no atual município de Miguel Alves PI. Filha de Maria Magdalena da Paz Borges Leal e de Laurentino Gomes da Silva Rebello.
43021III-6CLARA DA CUNHA CASTELLO BRANCO [terceira do nome], n. na casa-grande da fazenda São Pedro, em Campo Maior. Casou-se em 1776 com FÉLIX DE SOUZA NOGUEIRA [43.021a] [Ferraz et al., 1926, p. 19, 77]. Foram pais de:
43022IV-1Joaquim de Souza Borges Leal Castello Branco [v. 43.024].
43023IV-2Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco [primeiro do nome] [v. 43.025].
43024IV-1JOAQUIM DE SOUZA BORGES LEAL CASTELLO BRANCO, n. 1777 na fazenda São Pedro, em Campo Maior, f. em Portugal. Foi estudar em Coimbra juntamente com seu irmão Miguel, sob a orientação e proteção do tio e cônego Antônio Borges Leal Castello Branco [v. 42.980], mas acabou não realizando estudos ali. Casou-se em 1797, em Lisboa, com MARIA DE NAZARETH [...] [43.024a] [Borges, 1878, p. 44].
43025IV-2MIGUEL DE SOUZA BORGES LEAL CASTELLO BRANCO [primeiro do nome], n. 1778 na fazenda São Pedro, em Campo Maior, f. 31-01-1844 tb. na vila de Campo Maior, depois de longa enfermidade, s. na capela da família na vila do Livramento (atual José de Freitas). Estudou humanidades em Salvador, na Bahia, sob orientação e proteção de seu tio e padrinho, o cônego Antônio Borges Leal Castello Branco [v. 42.980]. Foi o primeiro piauiense a se formar em direito na Universidade de Coimbra, em Portugal [1803]. Em janeiro de 1807 fundou um colégio em Oeiras PI. Juiz de fora da comarca de Campo Maior e Parnaíba, no Piauí, e de Caxias, no Maranhão. Deputado eleito pela província do Piauí junto às Cortes Constituintes de Lisboa em 1821. Encontrava-se em Lisboa quando da independência do Brasil, em 1822, não se pronunciando a respeito, sob alegação de que havia jurado fidelidade à Constituição portuguesa. Eleito deputado pelo Piauí à Assembleia Constituinte do Brasil em 1823. Eleito em segundo lugar para o Senado do Império, em 1826, como representante do Piauí, sendo preterido em favor do terceiro colocado, o 1º barão de Monte Santo, Luiz José de Oliveira Mendes. Sogro de Lívio Lopes Castello Branco e Silva [v. 41.138]. Herdou a fazenda São Pedro (em Campo Maior) e adquiriu as fazendas Boa Vista e Veremos (no município de Barras), Tapuio (em Livramento, atual José de Freitas) e Estanhado e Desterro (no município de Estanhado, atual União).
Miguel de Souza Borges Leal Castello Branco casou-se em 1809, na vila de Campo Maior, com sua prima MARIA DE JESUS CASTELLO BRANCO [primeira do nome] [43.025a], n. na fazenda Contente, em Livramento [v. 42.023]. Filha de Marcellino José da Cunha Castello Branco e de Maria Florência Castello Branco, primos entre si [Borges, 1878, p. 124-33; Castelo Branco Neto, 1989, p. 25-6; Chaves, 2005, p. 33, 51, 466-8; Ferraz et al., 1926, p. 19, 77-8; Pereira da Costa, 1909, p. 116, 141, 145, 179, 217-8, 265, 340]. Os filhos de Miguel de Souza Borges Leal e de Maria de Jesus Castello Branco provavelmente nasceram nas fazendas dos pais, localizadas em Campo Maior, Barras, Livramento e Estanhado. Foram pais de:
43026V-1Cândida Maria de Jesus Castello Branco [v. 43.036].
43027V-2Maria do Patrocínio Castello Branco, n. <1812> no termo de Campo Maior. Solteira.
43028V-3Bárbara Maria de Jesus Castello Branco [v. 43.042].
43029V-4Antônio Borges Leal Castello Branco [segundo do nome] [v. 43.043].
43030V-5Ignez Maria de Jesus Castello Branco [v. 43.234].
43031V-6Clara Rosa de Jesus Leal Castello Branco [v. 43.255].
43032V-7Feliciana Rosa Leal Castello Branco [v. 43.256].
43033V-8Innocencia Cândida Leal Castello Branco [v. 43.257].
43034V-9José Antônio Nogueira Castello Branco [v. 43.258].
43035V-10Raymundo Borges Leal Castello Branco [primeiro do nome] [v. 43.357].
43036V-1CÂNDIDA MARIA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. <1810> no termo de Campo Maior. Casou-se com JOÃO LUIZ FERRO [43.036a]. Pais de:
43037VI-1Silvério Cândido Ferro [v. 43.041].
43038VI-2Theotônio Ferro.
43039VI-3Maria Ferro.
43040VI-4Gertrudes Ferro.
43041VI-1SILVÉRIO CÂNDIDO FERRO. Casou-se com CAROLINA PEREIRA DE SÁ [43.041a].
43042V-3BÁRBARA MARIA DE JESUS CASTELLO BRANCO, n. <1814> na fazenda São Pedro, em Campo Maior, f. em Parnaíba. Casou-se com seu primo LÍVIO LOPES CASTELLO BRANCO E SILVA [43.042a], n. 11-09-1811 em Campo Maior, f. 05-12-1869 em Parnaíba [v. 41.126]. Filho de Antônio Lopes Castello Branco e Silva e de Anna Rosa de São José. [V. descendência do casal em 41.138.]
43043V-4ANTÔNIO BORGES LEAL CASTELLO BRANCO [segundo do nome] [ANTÔNIO BORGES], n. 31-03-1816 na fazenda do Brejo, no antigo município de Campo Maior PI (hoje parte de José de Freitas), f. 07-04-1871 em Alcântara MA. Advogado formado no Recife em 1838. Deputado provincial [1840-47]. Juiz de direito da comarca de São Gonçalo [1848]. Deputado-geral [1848-49]. Juiz de direito da comarca de Oeiras [1855]. Presidente da província de Pernambuco [1865]. Patrono da Academia Piauiense de Letras [Chaves, 2005, p. 560; Miranda, 2004, p. 166]. Casou-se em 20-01-1851 na fazenda Maracujá, no município de Barras, com sua prima FELICIANA MATHILDE GONÇALVES [43.043a], n. 29-09-1835 em Brejo dos Anapurus MA, f. 07-04-1873 no Maranhão [v. 42.048]. Filha de Torquata da Cunha e Silva e de Domingos José Gonçalves, primos entre si. Foram pais de:
43044VI-1Maria de Jesus Castello Branco [segunda do nome] [v. 43.054].
43045VI-2Clara Castello Branco, n. 06-02-1853, f. criança.
43046VI-3Domingos Gonçalves Castello Branco, n. 16-02-1854, f. criança.
43047VI-4Miguel Gonçalves Castello Branco, n. 16-12-1855 em Oeiras, f. 31-07-1876 no Recife. Estudou durante onze anos em escolas europeias. Conquistou os primeiros lugares no Liceu Imperial São Luís, antigo Collège d'Harcourt, em Paris. Estudou também na Academia de Paris. Recebeu da Universidade de Bonn, na Alemanha, o grau de bacharel em ciências e letras. Faleceu quando cursava o terceiro ano da Faculdade de Direito do Recife. s/g
43048VI-5Anna Gonçalves Castello Branco [v. 43.063].
43049VI-6Torquata Gonçalves Castello Branco, n. 13-08-1860 em Oeiras, f. 27-01-1876. s/g
43050VI-7Clara Feliciana Pia Castello Branco, n. 16-04-1863 em Paris, f. 1887. s/g
43051VI-8Antônio Borges Leal Castello Branco Filho [v. 43.228].
43052VI-9Feliciana Gonçalves Castello Branco, n. 25-03-1867 em Caxias, f. 09-10-1877.
43053VI-10Maria Florência Gonçalves Castello Branco, n. 04-10-1868 em Caxias.
43054VI-1MARIA DE JESUS CASTELLO BRANCO [segunda do nome], n. 08-12-1851, f. 22-10-1886. Casou-se com JOHN ARTHUR SHERLOCK [43.054a]. Foram pais de:
43055VII-1Helena Castello Branco Sherlock, n. 22-01-1877.
43056VII-2Affonso Castello Branco Sherlock, n. 24-06-1878.
43057VII-3Fábio Castello Branco Sherlock, n. 26-02-1883.
43058VII-4Julieta Castello Branco Sherlock, n. 15-07-1884.
43059VII-5Eugênia Castello Branco Sherlock.
43060VII-6Cássio Castello Branco Sherlock.
43061VII-7Otto Castello Branco Sherlock.
43062VII-8Sylvia Castello Branco Sherlock.
43063VI-5ANNA GONÇALVES CASTELLO BRANCO [MAGDÁ], n. 09-11-1858 em Oeiras PI, f. 17-02-1947 em Parnaíba. Casou-se em 10-05-1884, em Parnaíba, com JAMES FREDERICK CLARK [43.063a], n. 14-03-1855 em Keswick, na Inglaterra, f. 02-09-1928 em Parnaíba. James Frederick Clark chegou a Parnaíba em 1869, como empregado da firma R. Singlehurst & Company, de Liverpool, para trabalhar na Casa Inglesa, no comércio de exportação de peles e cereais. Em 1900, falecendo Paulo Roberto Singlehurst, o chefe da firma, fundou a empresa James Frederick Clark, aviadora em todo o estado do Piauí. A casa comercial do inglês Paulo Roberto Singlehurst ocupava um prédio construído em 1844; mais tarde, nele viria a funcionar a Casa Inglesa. Em 1919, ficou com a Ilha do Caju, no delta do Parnaíba, como pagamento de dívidas junto à Casa Inglesa. Hoje, parte dos bens deixados por James Frederick Clark - a exemplo do prédio da famosa Casa Inglesa, transformada numa luxuosa pousada e a ilha do Caju - estão nas mãos de suas bisnetas, Marjorie, Katharina e Ingrid Clark, filhas de José Bruce Castello Branco Clark [v. 43.114]. Filho de James Clark e de Harriet Dawson [Ferraz et al., 1926, p. 90-3; Rego, 2010, p. 53-6, 98, 171-4, 218-20]. Foram pais de:
43064VII-1Hilda Castello Branco Clark, n. 21-06-1885 em Parnaíba, f. 24-07-1886 em Parnaíba.
43065VII-2Ada Castello Branco Clark, n. 27-10-1886 em Parnaíba, f. 26-10-1888 em Parnaíba.
43066VII-3Frederico Castello Branco Clark, n. 25-10-1887 em Parnaíba, f. tb. em Parnaíba. Advogado formado no Recife em 1907. Diplomata e ministro plenipotenciário do Brasil na Bolívia em 1928. Representante do Brasil na Sociedade das Nações. Chefe de gabinete do ministro Félix Pacheco, das Relações Exteriores [1922-26]. Embaixador do Brasil no Vaticano em 1948. Solteiro.
43067VII-4Osmundo Castello Branco Clark, n. 23-10-1888 em Parnaíba, f. 01-04-1889 tb. em Parnaíba.
43068VII-5Oscar Castello Branco Clark [v. 43.076].
43069VII-6Flora Castello Branco Clark [v. 43.079].
43070VII-7Reginaldo Castello Branco Clark, n. 14-03-1892 em Parnaíba, f. 20-06-1892 tb. em Parnaíba.
43071VII-8José Castello Branco Clark, n. em 1893 em Parnaíba, f. com dias tb. em Parnaíba.
43072VII-9Antônio Castello Branco Clark [v. 43.111].
43073VII-10Septimus Castello Branco Clark [v. 43.112].
43074VII-11Miguel Castello Branco Clark, n. 20-05-1896 em Parnaíba, f. 07-07-1896 tb. em Parnaíba.
43075VII-12Maria Castello Branco Clark [v. 43.115].
43076VII-5OSCAR CASTELLO BRANCO CLARK, n. 24-02-1890 em Parnaíba. Médico formado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1910. Fez curso de aperfeiçoamento na Alemanha [1912-13] e nos Estados Unidos [1917-18]. Deixou vários livros sobre assuntos médicos e mais de duzentas monografias e artigos sobre medicina. Casou-se em 01-06-1914, no Rio de Janeiro, com LÚCIA FURTADO DE MENDONÇA [43.076a], n. 04-12-1889 no Rio de Janeiro. Filha de José de Mendonça (cirurgião) e de Adelaide Lemos Furtado. Foram pais de:
43077VIII-1José Furtado de Mendonça Clark, n. 24-08-1916 no Rio de Janeiro. Comerciante em Parnaíba. Suplente de senador pelo Piauí. Casou-se.
43078VIII-2James Furtado de Mendonça Clark, n. 04-02-1919 no Rio de Janeiro. Médico. Casou-se.
43079VII-6FLORA CASTELLO BRANCO CLARK [FLORRIE], n. 08-02-1891 em Parnaíba, f. 04-10-1983 no Rio de Janeiro. Casou-se em 30-05-1912, em Parnaíba, com seu primo MIGUEL FURTADO BACELLAR [DEDÉ] [43.079a], n. 25-10-1875 na fazenda Mangabeira, no município de Brejo MA, f. 01-09-1952 no Rio de Janeiro. Foi batizado na fazenda Mangabeira, em 10-06-1877, pelo padre João Francisco Martins, tendo como padrinhos Nossa Senhora da Conceição e o tenente-coronel da Guarda Nacional Simplício José de Aguiar Martins. Fez os estudos secundários no Colégio Karnak, em Teresina. Formou-se em engenharia civil na Escola Politécnica do Rio de Janeiro, em 1901.
Em 1902 integrou a comissão construtora da Avenida Central, atual Avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro, sob a direção do engenheiro Paulo de Frontin, na gestão do prefeito Pereira Passos. Entre 1916 e 1922, como engenheiro-chefe, participou da construção da Estrada de Ferro Central do Piauí, ligando Teresina a Piracuruca até o Porto de Amarração (hoje Luís Correia) [Rego, 2010, p. 122-6]. Em 1923 retornou ao Rio de Janeiro, onde foi funcionário do Ministério da Viação e Obras Públicas. Existe uma praça na cidade de Parnaíba que leva o seu nome. Irmão de Diva Furtado Bacellar [Didi], casada com Simplício Coelho de Rezende [terceiro do nome] [v. 40.171]. Filho de Antônio José da Costa Bacellar e de Maria Vicência de Castello Branco Furtado. Neto materno de Marinha Rosa de Castello Branco (n. 15-06-1815 no Maranhão, f. 20-04-1892 em Brejo dos Anapurus; ... casada em primeiras núpcias com João Paulo de Araújo Bacellar) e de Miguel Furtado de Mendonça [Fernandes, 2005, t. 1, livro 2, cap. 7, p. 1-14].
Flora Castello Branco Clark [Florrie] e Miguel Furtado Bacellar foram pais de:
43080VIII-1Mario Clark Bacellar [v. 43.085].
43081VIII-2Renato Clark Bacellar [v. 43.087].
43082VIII-3Marina Clark Bacellar, n. 10-03-1918 em Parnaíba, f. ??-10-2008 no Rio de Janeiro. Solteira.
43083VIII-4Diva Clark Bacellar, n. 18-09-1921 em Parnaíba, f. 22-02-1922 tb. em Parnaíba.
43084VIII-5Florrie Clark Bacellar [v. 43.108].
43085VIII-1MARIO CLARK BACELLAR, n. 01-03-1914 no Rio de Janeiro, f. 10-02-1999 em Contagem MG. Arquiteto. Jornalista. Repórter fotográfico da extinta revista Manchete. Escreveu durante muito tempo para os jornais O Estado de Minas e Jornal da Tarde, de Minas Gerais. Coordenador de jornalismo da Tribuna de Contagem e colaborador dos jornais Estado de Minas e Diário da Tarde, todos em Minas Gerais. Casou-se em primeiras núpcias em 07-03-1938, no Rio de Janeiro, com EMMA NOGUEIRA [43.085a], n. 01-03-1913 em Conselheiro Ferraz MG, f. 16-03-1956 no Rio de Janeiro. s/g
43085_2nVIII-1... MÁRIO CLARK BACELLAR casou-se em segundas núpcias em 21-05-1988, em Contagem MG, com MARIA DAS MERCÊS LIMA [43.085a], n. 28-03-1937 em Diamantina MG. Pais de:
43086IX-1Luiz Sérgio Clark Bacellar, n. 21-02-1955 no Rio de Janeiro. Professor de inglês. Proprietário de um curso de inglês em Contagem MG [2004].
43087VIII-2RENATO CLARK BACELLAR, n. 25-05-1916 em Parnaíba, f. 29-01-1982 no Rio de Janeiro. Médico. Historiador. Diplomado em 1938 pela Faculdade Nacional de Medicina do Rio de Janeiro. Membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, onde tomou posse em 22-04-1957. Assistente da cadeira de anatomia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro URJ. Cirurgião. Ginecologista. Cirurgião da Santa Casa de Misericórdia e da Casa de Saúde São José, dentre outras. Profundo conhecedor da história da medicina. Um dos pioneiros nos estudos de mastologia no Brasil. Publicou, entre outros trabalhos: - Brazil's Contribution to Tropical Medicine and Malaria. Personalities and Institutions, Rio de Janeiro 1963 - A medicina na pintura dos séculos passados - Cistossarcoma filódio de Johannes Müller, 1967. Casou-se em 23-05-1942 no Rio de Janeiro, na igreja de Nossa Senhora do Rosário, no Leme, com GEYSA DO PRADO FIGUEIREDO [43.087a], n. 16-05-1921 no Rio de Janeiro. Filha de Godofredo de Souza Figueiredo (n. 22-09-1895 no Rio de Janeiro, f. 17-10-1950 tb. no Rio de Janeiro) e de Cecília do Prado Carvalho (n. 17-11-1897 no Rio de Janeiro, f. 24-03-1994 tb. no Rio de Janeiro). Pais de:
43088IX-1Vera Maria Figueiredo Bacellar [v. 43.091].
43089IX-2Renato Clark Bacellar Filho [v. 43.099].
43090IX-3Reinaldo Figueiredo Bacellar [v. 43.105].
43091IX-1VERA MARIA FIGUEIREDO BACELLAR, n. 01-05-1943 no Rio de Janeiro. Pedagoga. Casou-se em 28-09-1962 no Rio de Janeiro, na igreja de Santa Margarida Maria, na Lagoa, com RICARDO MARIANO WUERKERT [43.091a], n. 10-11-1935 em Dracena SP, f. 14-07-1982 no Rio de Janeiro. Arquiteto. Pais de:
43092X-1Ricardo Bacellar Wuerkert [v. 43.094].
43093X-2Rodrigo Bacellar Wuerkert [v. 43.098].
43094X-1RICARDO BACELLAR WUERKERT, n. 24-08-1963 no Rio de Janeiro. Formou-se em engenharia civil. Atua na área de marketing. Casou-se em 25-04-1987 no Rio de Janeiro, no Outeiro da Glória, com DENISE LEINEMANN [43.094a], n. 14-08-1964 no Rio de Janeiro. Pais de:
43095XI-1Fernanda Leinemann Bacellar Wuerkert, n. 15-09-1994 em Buenos Aires, na Argentina.
43096XI-2Renata Leinemann Bacellar Wuerkert, n. 10-02-1997 no Rio de Janeiro, na Casa de Saúde São José.
43097XI-3Antônio Leinemann Bacellar Wuerkert, n. 05-11-2003 em Buenos Aires, na Argentina.
43098X-2RODRIGO BACELLAR WUERKERT, n. 02-07-1965 no Rio de Janeiro. Engenheiro civil com MBA na Inglaterra. Em 2004 morava em São Paulo e trabalhava na área de investimentos do Banco Santander. Casou-se em 25-07-1993 com ADRIANA MARIA SELLES [43.098a], n. 02-02-1971 no Rio de Janeiro. Têm descendência.
43099IX-2RENATO CLARK BACELLAR FILHO, n. 17-06-1945 no Rio de Janeiro, f. 25-07-1997 tb. no Rio de Janeiro. Advogado. Corretor de seguros da Sul América. Casou-se em primeiras núpcias em 28-11-1970, no Rio de Janeiro, com KAREN ÁLVARO ALBERTO [43.099a], n. 17-12-1950. Pais de:
43100X-1Andréa Álvaro Alberto Bacellar [v. 43.102].
43099_2nIX-2... RENATO CLARK BACELLAR FILHO casou-se em segundas núpcias com SIMONE SIMÕES [43.099b]. Pais de:
43101X-2Rafael Simões Bacellar, n. 12-07-1980 no Rio de Janeiro, na Casa de Saúde São José. Desenhista industrial.
43102X-1ANDRÉA ÁLVARO ALBERTO BACELLAR, n. 10-07-1972 no Rio de Janeiro. Graduou-se em engenharia agrícola na Unicamp. Casou-se em Campinas SP com CARLOS MATTOS [43.102a], n. 09-07-1959 no Rio de Janeiro. Engenheiro da área de telecomunicações. Pais de:
43103XI-1Carolina Bacellar Mattos, n. 25-04-1995, no Rio de Janeiro, na Casa de Saúde São Lucas.
43104XI-2Pedro Bacellar Mattos, n. 05-11-2000, no Rio de Janeiro, em Laranjeiras.
43105IX-3REINALDO FIGUEIREDO BACELLAR, n. 11-11-1952 no Rio de Janeiro. Engenheiro civil. Casou-se em 20-05-1976, no Rio de Janeiro, com ANA LÚCIA PARENTE REGO [43.105a], n. 26-09-1953 no Rio de Janeiro. Professora. Pais de:
43106X-1Pedro Rego Bacellar, n. 15-10-1981 no Rio de Janeiro. Advogado formado na Universidade Cândido Mendes.
43107X-2Ana Luísa Rego Bacellar, n. 28-06-1984 no Rio de Janeiro. Cursou administração no Ibmec [2004].
43108VIII-5FLORRIE CLARK BACELLAR [FLORIZINHA], n. 06-08-1925 no Rio de Janeiro. Casou-se em 29-01-1947, no Rio de Janeiro, na igreja de Santa Cruz dos Militares, com GUILHERME RODRIGUES FERNANDES CHAVES [43.108a], n. 29-01-1922 no Rio de Janeiro, f. ??-04-2009 tb. no Rio de Janeiro. Filho de Alfredo Rodrigues Fernandes Chaves [filho] (n. 06-05-1888 no Rio de Janeiro, f. 14-07-1927 tb. no Rio de Janeiro) e de Isaura Bomilcar de Miranda e Horta (n. 27-05-1890 num navio entre Fortaleza e o Rio de Janeiro, f. 06-02-1944 no Rio de Janeiro). Foram pais de:
43109IX-1Luiz Guilherme Bacellar Rodrigues Fernandes Chaves, n. 08-07-1950 no Rio de Janeiro. Economista. Solteiro.
43110IX-2Miguel Bacellar Chaves, n. 03-12-1952 no Rio de Janeiro. Empresário. Casou-se.
43111VII-9ANTÔNIO CASTELLO BRANCO CLARK [TÓ], n. 28-09-1894 em Parnaíba, f. no Rio de Janeiro. Publicou O rio Parnaíba: Grandeza e decadência [1969]. Casou-se em Parnaíba com MARGARIDA MACHADO DE CERQUEIRA [43.111a], n. em Parnaíba, f. no Rio de Janeiro. Deixaram dois filhos.
43112VII-10SEPTIMUS CASTELLO BRANCO CLARK, n. 14-08-1895 em Parnaíba. Comerciante. Casou-se em 25-07-1921, no Rio de Janeiro, com ARACY FURTADO DE MENDONÇA [43.112a], n. 12-02-1891 no Rio de Janeiro. Irmã de Lúcia Furtado de Mendonça, casada com Oscar Castello Branco Clark [v. 43.076]. Filha de José de Mendonça (médico-cirurgião) e de Adelaide Lemos Furtado. Foram pais de:
43113VIII-1Septimus Castello Branco Clark Filho, n. 03-02-1924 no Rio de Janeiro. Solteiro.
43114VIII-2José Bruce Castello Branco Clark, n. 07-06-1925 no Rio de Janeiro. Casou-se. Pai de três filhas [v. 43.063, Anna Gonçalves Castello Branco].
43115VII-12MARIA CASTELLO BRANCO CLARK [MARIE], n. 12-09-1898 em Parnaíba, f. 19-05-1989 em Fortaleza. Casou-se em 06-01-1921, em Parnaíba, com CELSO AUGUSTO DE MOURA NUNES [43.115a], n. 12-04-1896 na fazenda Graciosa, no lugar conhecido como Caro-Custou, a 30 quilômetros da cidade de Oeiras, às margens do rio Canindé.
Irmão de Maria Raimunda de Moura Nunes, casada com Henrique José Couto. Irmão de José Ildefonso de Moura Nunes (f. solteiro). Irmão de Raimundo Bonifácio de Moura Nunes (casou-se). Irmão de Sebastião de Moura Nunes, casado com Umbelina de Moura Ferraz. Irmão de Benedicto Estelita de Moura Nunes, casado com Maria Benedita Barbosa, pais de Tibério Barbosa Nunes (n. 18-09-1922 na fazenda Caro-Custou, f. 19-07-1974 no atual município de Jardim do Mulato, em acidente de carro; médico formado no Rio de Janeiro; governador do Piauí [1962]; casado com Yedda de Carvalho). Irmão de José Augusto Barbosa Nunes, casado com Lídia da Luz, pais de Joaquim da Luz Nunes (casado com Josefina Cândida Castello Branco Almeida) [Pires Ferreira, 1990, v. 4, p. 35]. Filho de Elisa Rosa da Silva Moura e de Deolindo Augusto Pereira Nunes (n. em Portugal; radicado em Oeiras). Neto materno do coronel Jesuíno Luiz da Silva Moura e de Alina Rosa [...]. Bisneto materno-paterno de José Luiz da Silva (n. em Portugal, f. em Oeiras; foi para Oeiras em 1803, para servir no 2º Regimento de Cavalaria Auxiliar da capitania do Piauí; médico-cirurgião) [Castello Branco Filho, 1982, p. 49; Parente et al., 2006].
Maria Castello Branco Clark [Marie] e Celso Augusto de Moura Nunes foram pais de:
43116VIII-1Frederico Clark Nunes [v. 43.122].
43117VIII-2Reginaldo Aloísio Clark Nunes [Regie], n. 09-04-1923 em Parnaíba, f. 06-01-2006. Solteiro.
43118VIII-3Maria Madalena Clark Nunes [v. 43.136].
43119VIII-4Maria Sônia Clark Nunes [v. 43.185].
43120VIII-5James Kelso Clark Nunes [v. 43.193].
43121VIII-6Célia Maria Clark Nunes, n. 23-05-1935 em Parnaíba. Solteira.
43122VIII-1FREDERICO CLARK NUNES [FRED], n. 31-10-1921 em Parnaíba, f. 20-11-1994 no Rio de Janeiro. Capitão-aviador da Força Aérea Brasileira FAB. Casou-se em 10-12-1946, no Rio de Janeiro, com HELENA MARIA DRUMMOND GONÇALVES [43.122a]. Residiam no Rio de Janeiro. Pais de:
43123IX-1Sheyla Clark Nunes [v. 43.125].
43124IX-2Fernando Clark Nunes [v. 43.131].
43125IX-1SHEYLA CLARK NUNES, n. 08-01-1948 no Rio de Janeiro. Professora normalista formada no Colégio São Marcelo. Formada em inglês no Instituto Brasil-Estados Unidos IBEU. Foi professora e coordenadora de inglês do Colégio Rio de Janeiro. Casou-se em primeiras núpcias em 02-12-1971, no Rio de Janeiro, com ARMANDO MORAES DE ALMEIDA FILHO [43.125a], n. 10-01-1946 no Rio de Janeiro, f. 14-08-2009 tb. no Rio de Janeiro. Engenheiro mecânico responsável pela manutenção de toda a parte hidráulica das aeronaves da Cruzeiro do Sul Linhas Aéreas. Depois, engenheiro da Aeróleo Táxi Aéreo. Posteriormente, empresário, proprietário e administrador da Backstreet Confecções Ltda., no Rio de Janeiro. Pais de:
43126X-1Marcella Clark Nunes de Almeida [v. 43.128].
43127X-2Bruno Clark Moraes de Almeida, n. 03-07-1978 no Rio de Janeiro. Formou-se em administração de empresas na PUC-RJ [2002]. Sócio e administrador da Ophicina do Cabelo, no Rio de Janeiro.
43125_2nIX-1... SHEYLA CLARK NUNES casou-se em segundas núpcias em 17-07-2004, em Lopez Island, Washington EUA, com GLENN ROBERT HENRY [43.125b], n. 21-11-1947 em Hollister, na Califórnia EUA. Construtor. Graduado na School of Earth Sciences (Astronomy, Meteorology, Geology and Oceanography) da University of Northern Colorado.
43128X-1MARCELLA CLARK NUNES DE ALMEIDA, n. 31-08-1976 no Rio de Janeiro. Formada em pedagogia na UFRJ. Casou-se em 10-06-2000, no Rio de Janeiro, com RICARDO FLORENTINO MIGUEZ DE MELLO [43.128a], n. 09-10-1976. Advogado formado na Unirio. Pais de:
43129XI-1Enrico Clark Florentino, n. 03-09-2004 no Rio de Janeiro.
43130XI-2Carolina Clark Florentino, n. 09-10-2006 no Rio de Janeiro.
43131IX-2FERNANDO CLARK NUNES, n. 16-08-1950 no Rio de Janeiro. Engenheiro civil. Casou-se em primeiras núpcias em 07-02-1975, em São Paulo, com MARGARETE LUÍZA KLEIST [43.131a], n. 08-04-1955 em São João del-Rei MG. Pais de:
43132X-1Helena Kleist Clark Nunes, n. 08-02-1979 em São Paulo. Administradora.
43133X-2Ingrid Kleist Clark Nunes [v. 43.135].
43134X-3Adriana Kleist Clark Nunes, n. 03-06-1983 em Florianópolis. Farmacêutica. Bioquímica.
43131_2nIX-2... FERNANDO CLARK NUNES casou-se em segundas núpcias em 01-02-2005, em Florianópolis, com ROSANE BELMONTE FERNANDES [43.131b], n. 04-05-1960 em Itaqui RS.
43135X-2INGRID KLEIST CLARK NUNES, n. 09-05-1982 em Florianópolis. Pedagoga. Casou-se em 21-06-2008, em Florianópolis, com CELSO COSTA NETO [43.135a], n. 09-05-1981 em São José dos Campos SP. Engenheiro.
43136VIII-3MARIA MADALENA CLARK NUNES [ENA], n. 31-01-1925 em Parnaíba PI. Casou-se em Parnaíba com RAYMUNDO MENDES DE CARVALHO [43.136a]. Médico. Residentes em Teresina. Pais de:
43137IX-1Frederico Nunes Mendes de Carvalho [v. 43.148].
43138IX-2José Nunes Mendes de Carvalho [v. 43.151].
43139IX-3Celso Augusto de Moura Nunes Neto [v. 43.155].
43140IX-4Maria Nunes Mendes de Carvalho [v. 43.158].
43141IX-5Raimundo Mendes de Carvalho Filho [v. 43.163].
43142IX-6Marco Antônio Nunes Mendes de Carvalho, n. 26-07-1951 em Teresina, f. 03-08-1968 tb. em Teresina. Solteiro.
43143IX-7Ena Nunes Mendes de Carvalho [v. 43.167].
43144IX-8Flora Nunes Mendes de Carvalho [v. 43.171].
43145IX-9Tadeu Nunes Mendes de Carvalho [v. 43.175].
43146IX-10Eliana Nunes Mendes de Carvalho [v. 43.178].
43147IX-11Catarina Nunes Mendes de Carvalho [v. 43.182].
43148IX-1FREDERICO NUNES MENDES DE CARVALHO, n. 20-11-1944 em Teresina. Engenheiro mecânico. Casou-se com LÚCIA VERAS [43.148a], n. 23-03-1948 em Parnaíba. Formada em letras. Pais de:
43149X-1Liliana Veras Mendes de Carvalho, n. 26-02-1978 em Teresina. Casou-se.
43150X-2Frederico Nunes Mendes de Carvalho Filho, n. 04-10-1983 em Teresina. Casou-se.
43151IX-2JOSÉ NUNES MENDES DE CARVALHO, n. 04-03-1946 em Teresina. Engenheiro civil. Casou-se em Teresina com SÔNIA MARIA TAJRA FRANÇA [43.151a], n. 27-11-1948 em Teresina. Formada em administração. Pais de:
43152X-1José Guilherme Tajra França Mendes de Carvalho, n. 03-05-1970 em Teresina. Casou-se.
43153X-2Rosa Amélia Tajra França Mendes de Carvalho, n. 16-01-1973 em Teresina. Casou-se.
43154X-3Daniel Tajra França Mendes de Carvalho, n. 16-09-1980 em Teresina. Casou-se.
43155IX-3CELSO AUGUSTO DE MOURA NUNES NETO, n. 12-07-1947 em Teresina. Economista. Casou-se com MARLY SOARES COIMBRA [43.155a], n. 05-10-1948 em Santarém PA. Formada em administração. Pais de:
43156X-1Milena Coimbra Nunes, n. 11-07-1973. Casou-se.
43157X-2Carolina Coimbra Nunes, n. 26-05-1975. Casou-se.
43158IX-4MARIA NUNES MENDES DE CARVALHO, n. 27-11-1948 em Teresina. Formada em administração. Casou-se em Teresina com PAULO ROBERTO PIRES DE OLIVEIRA [43.158a], n. 17-03-1946 em Teresina, f. 15-07-2000 tb. em Teresina. Engenheiro civil. Pais de:
43159X-1Marco Antônio Mendes Pires de Oliveira, n. 03-02-1971 em Teresina. Casou-se.
43160X-2Paulo Roberto Pires de Oliveira Júnior, n. 24-04-1973 em Teresina. Casou-se.
43161X-3Marcelo Mendes Pires de Oliveira, n. 20-08-1977 em Teresina. Casou-se.
43162X-4Flávia Mendes Pires de Oliveira, n. 04-09-1980 em Teresina. Casou-se.
43163IX-5RAIMUNDO MENDES DE CARVALHO FILHO, n. 06-05-1950 em Teresina. Engenheiro civil. Casou-se em Teresina com LENA DE CARVALHO FREITAS [43.163a], n. 24-11-1947 em Teresina. Advogada. Pais de:
43164X-1Leonardo Freitas Mendes de Carvalho, n. 30-12-1974 em Teresina. Casou-se.
43165X-2Letícia Freitas Mendes de Carvalho, n. 10-11-1977 em Teresina. Casou-se.
43166X-3Julice Freitas Mendes de Carvalho, n. 28-10-1980 em Teresina. Casou-se.
43167IX-7ENA NUNES MENDES DE CARVALHO, n. 07-07-1953 em Teresina. Formada em administração. Casou-se com JULIO FABIO STAMBOWSKY [43.167a], n. 17-09-1950 em Teresina. Formado em contabilidade. Pais de:
43168X-1Juliena Nunes Mendes Stambowsky, n. 17-12-1975 em Teresina. Casou-se.
43169X-2Maurício Nunes Mendes Stambowsky, n. 25-09-1977 em Teresina. Casou-se.
43170X-3Bruno Nunes Mend